História November Rain (Second season) - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí, Dulce María, Maite Perroni, One Direction, Zayn Malik
Personagens Anahí, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Álcool, Anahi, Annie, Cocaína, Dependência Química, Drama, Drogas, Festa, Harry, Harry Styles, Heroína, Hot, Rehab, Romance, Sexo, Triste, Viagem, Vicio, Zayn, Zayn Malik
Exibições 29
Palavras 2.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa demorar para postar, aconteceram umas coisas na minha vida que me deixaram sem a menor criatividade para escrever nada... :/

Capítulo 48 - London II


Fanfic / Fanfiction November Rain (Second season) - Capítulo 48 - London II

"Então, eu sei, temos problemas, baby, é verdade
Mas eu prefiro trabalhar nisso com você
A seguir em frente e começar com alguém novo
Contanto que você me ame..."
[Justin Bieber ft. Big Sean - As Long As You Love Me]

 

- Anahi - ouço a voz de Gian chamar bem atrás de mim e ele toca meu ombro.

Me viro para encará-lo, um pouco tonta pela bebida, é estranho encontrar ele depois de tudo o que aconteceu.

- Oi - digo meio sem graça.

- Quanto tempo...

- Pois é...

Parece que foi há anos atrás que nós estávamos juntos, que nós dormimos juntos, viajamos juntos, eu disse que o amava e ele disse que me amava também.

Eu não sei se o amava mesmo, mas eu sempre gostei muito dele, disso eu tenho certeza. Ele salvou a minha vida, literalmente, e eu sempre vou ser agradecida por tudo o que ele fez por mim.

- Eu soube do que aconteceu, sinto muito - ele diz sincero, mas eu estou cansada de ouvir essas palavras de todo mundo - Como você está?

O efeito do álcool já começava a me deixar eufórica e eu tenho aquela sensação horrível de precisar beber mais, mas eu sei que não posso.

- Vamos para outro lugar - o puxo pelo braço para sair de perto daqueles copos de bebida.

...

"..." - era tudo o que continha na mensagem que Harry me enviou enquanto eu conversava com Gian sentada no sofá da sala.

O que ele quer dizer com isso agora?

Envio um ponto de interrogação. Ele não respondeu mais.

Conversar com Gian me distraiu para eu não voltar a beber, embora ainda fosse estranho estar falando com ele, mas ele sempre foi educado e gentil, o que nos evitou entrar no constrangedor assunto sobre como nós terminamos. Nós conversamos sobre seu trabalho e Michael, e minha faculdade, depois ele voltou para a outra sala que acontecia a festa com seus amigos e Dulce veio perto de mim falando - discutindo - no celular.

"Eu não... é claro que não... NÃO... Ah! Você acha que eu sou retardada?... Você não se meta Niall... Não interessa!" - ela dizia estressada - "Eu nunca... Ah, vai se foder Harry" - desligou.

- Você estava falando com Harry? - pergunto.
Ela me olha, dá um suspiro e revira os olhos.

- Eu postei uma foto com Gian no Instagram e ele veio me xingar por fazer uma festa e convidar ele com você aqui, mas eu não vou deixar de comemorar meu aniversário com meus amigos só porque ele tem ciúmes de você, ah, não vou mesmo - respondeu rápido.

- Eu não acredito que ele fez isso... - pego meu celular para ligar ele - Harry, qual é o seu problema? - falo assim que ele atendeu.

- O meu problema é o seu problema com festas e ex's, porque isso sempre acaba do mesmo jeito e você sabe - ele diz no mesmo tom irritado. Eu confesso que sentia falta de ouvir a voz dele, mas estava com raiva pela forma que ele estava me tratando de ontem para hoje, me ignorando...

- Não, o seu problema é você! É só o aniversário da Dul, você queria que eu não participasse do aniversário da minha melhor amiga? Preferia que eu saísse do apartamento? A noite?

Ele ficou em silêncio por alguns segundos, provavelmente pensando no que responder.

- Eu só queria que você ficasse um pouquinho longe de fazer besteira... Eu falei com a sua mãe hoje.

Eu estava pronta para rebater até ele falar da minha mãe.

- Você falou... com a minha... mãe? - minha garganta voltou a secar e eu fiquei nervosa.

- Sim, mas é melhor a gente conversar sobre isso pessoalmente. Eu vou voltar sexta feira...

- O que vocês conversaram?

- Depois...

- Harry, do que vocês falaram? - eu estava ainda mais nervosa que antes, mas de um jeito bem pior, e ia piorar ainda mais se ele não me dissesse nada.

- Você sabe, não vou falar isso por telefone, sexta feira a gente conversa. Só tente não fazer nenhuma besteira até lá por favor... - ele diz levemente irritado e desliga antes de me dar tempo para contestar.
Ele desligou na minha cara.

Eu apertei o celular com a vontade de dar um tapa na cara dele pelo que ele estava fazendo comigo.

Houve uma movimentação que se formou na sala e todas as pessoas começaram a cantar parabéns para Dulce, aproveitei para esquecer do idiota do Harry....
Alguém trouxe um bolo cheio de chantili com 2 velas que faiscavam brilhando enquanto cantávamos parabéns, ao final ela foi assoprar as velas que sobraram. Eu estava tão feliz por ela, por estar perto dela, mesmo depois de tantos anos...

...

Peguei um pedaço de bolo - que eu descobri com felicidade ser de chocolate - para distrair minha vontade de beber e seguindo o conselho do idiota do Harry de "não fazer nenhuma besteira".

Embora fosse o aniversário da Dulce, eu estava torcendo para essa festa acabar logo. Eu acho que não posso mais participar de nenhuma festa, não me sinto a vontade.
Peguei outro pedaço de bolo e saí de fininho para o meu quarto.

Mas também não ia conseguir dormir, Harry tinha fala com a minha mãe, o que eles tinham conversado? Não pode ter saído coisa boa disso, se não ele não iria me contar 'pessoalmente'.
Meu Deus, o que aconteceu? Eu fico nervosa só de pensar.
E pensando em Harry... Sinto a falta dele também, por mais idiota que ele seja.

Adormeci com o vestido que eu não consegui tirar e acordei com um pouco de dor de cabeça, mesmo com o silêncio reinando no apartamento. Era meio cedo e Dulce ainda dormia, mas a surpresa mesmo foi ver um homem entrar na cozinha apenas de cueca boxer preta.

- Bom dia - ele sorriu com cara de sono, o cumprimentei, ele veio pegar o jarro de água que eu tomava também. Eu tenho certeza que a Dulce está ficando com ele, mas isso não vai durar muito, afinal, ela vai voltar com Niall... - Quer ajuda com o vestido? - ele me olha de cima a baixo.

- O que? Ah, não, não - respondo rápido e espero - Quero dizer, na verdade quero sim.

Eu precisava mesmo.

Ele se aproximou as minhas costas, eu seguro meus cabelos para o lado e sinto o zíper ser aberto. Então vejo uma sombra vermelha aparecer, Dulce vestida com uma camisola escarlate combinando com seus cabeços compridos meio bagunçados. Ela nos encara.

- Ah, eu só estava ajudando... - ele explica se afastando.

- Eu sei, mas Annie, se o Harry visse essa cena, vocês dois estava ferrados.

- O Harry - sinto raiva ao me lembrar dele - Ele não tem que saber de nada - saio da cozinha. 

Ele está bravo comigo e me tratando mal por nada faz dias. Pois se ele está bravo comigo, eu também vou ficar brava com ele!
Fui a 2 aulas de francês durante a semana que estava em Londres e ainda não me acostumei a estar de volta no meu antigo apartamento.

Os quadros que Adam me recomendou de presente para Dulce era fotos de um ensaio que ela fez para a Chanel, emoldurados com jóias brilhantes. Ela simplesmente pirou. Era impossível entrar na sala ao fundo do corredor e não olhar para eles.

Acho que passei um bom tempo com Dulce e Duff (o levei para passear numa tarde e quase morri tentando segurá-lo). E Harry lembrou de mim por alguma razão ao me ligar na quinta feira (que eu não atendi também), no mesmo dia que Maite chegou de viagem, ela estava na minha casa lá no Brasil, e eu aproveitei para perguntar como estavam as coisas lá desde que eu viajei. Ela me semicerrou com os olhos.

- Por que você fez isso Annie? Eu entendo que você queria ficar com Harry, mas você simplesmente sumiu do dia para a noite, a gente ficou preocupado...

- Eu sei, desculpa, mas se eu dissesse que ia viajar com Harry, eles teriam me trancado naquela clínica por meses - me defendo.

- Você nem ligou, nem ao menos atendeu nossas ligações para dizer que estava viva, que estava bem - ela diz.

Eu fico quieta, sei que foi muito errado, eu fiz tudo ao contrário mais uma vez.

- Então você e o Harry então namorando? - ela pergunta.

- Sim... - meu celular vibra na minha mão e a foto de Harry me faz lembrar que eu sinto a falta dele... Mas também me lembra que eu estou brava com ele, então recuso a chamada.

- Vocês estão namorando mesmo ou... só estão fingindo que estão? - ela notou o que eu fiz.

- É normal você namorar uma pessoa e sentir vontade de matar ela as vezes?

- Sentir vontade de matar a pessoa é a parte mais comum de um namoro - Dulce surgiu rindo - Se você não sente vontade de matar ele de vez em quando significa que tem alguma coisa errada.

Eu rio também. Que bom que a minha relação com Harry não é tão estranha assim, porque nunca conheci alguém que me tirasse mais do sério do que ele.

- E quanto a você e o Niall? - Maite se volta para Dulce, eu também presto atenção na resposta dela, que suspira forte.

- Não existe nada entre eu e o Niall além de raiva - responde devagar.

- E amor - complemento e recebo o olhar raivoso dela.

Eu sei que ela não quer admitir, mas Niall chega amanhã e eu já convenci ele a conversar com ela e pedi-la em namoro. Espere que dê tudo certo.

- Já chega, vamos - ela fecha a bolsa e vai até a porta.

Nós descemos para o estacionamento, onde Dulce pegou seu carro vermelho cintilante que se destacava na garagem cinza, eu diria que o carro era a cara dela, digo, o cabelo dela.

- Hm... Eu vou ir com o meu carro. Annie, quer vir comigo?

- Não, ela vem comigo - Dulce me puxou pelo braço.

- Ok, a gente se encontra lá - ela foi para outra direção.

Eu fui para entrar no carro de Dulce e sem querer fui do lado do motorista, esqueço que na Inglaterra é ao contrário. Vou para o outro lado e coloco o cinto, confesso que estava com um pouco de receio em relação a andar de carro com Dulce, ela reprovou no teste de motorista 3 vezes pelo que eu me lembro. Mas se ela já tem um carro, quer dizer que já conseguiu tirar a carteira...

- Então eles vão vir amanhã? - ela pergunta pensativa quando saíamos do estacionamento do prédio.

- Sim, eles tem três shows aqui - lembro que Harry me contou.

- E você está pronta para conhecer seus sogros? - ela sorri com graça me olhando brevemente. Tinha comentado com ela que Harry me disse que iria me levar para conhecer sua família, mas por estar brava com ele essa semana eu até tinha esquecido disso.

- Definitivamente não - fico nervosa só de pensar - A mãe dele me odeia.

- Ah Annie... AHHHHHH - ela gritou, eu gritei também desesperada quando ela virou o volante e subiu em cima da calçada, freando bruscamente e por pouco não bateu no carro estacionado na frente de uma casa.
Meu coração batia muito rápido pelo susto, até meu celular que estava na minha mão voou para algum lugar do carro. Olho para Dulce apavorada e descabelada... Eu devia ter aceitado ir com Maite...

...

- Há quanto tempo você comprou, digo, tirou a carteira? - pergunto quando descemos na frente do restaurante e ela entregou o carro para um motorista estacionar. Eu finalmente respirei aliviada por estar em chão firme. Ela me semicerrou com os olhos. 

Nós encontramos Maite já nos esperando na mesa.

- Vocês sobreviveram - Maite comentou ao nos ver, Dulce a encarou também.

- Então, voltando ao assunto - Dulce suspira ao sentarmos - Não tem com o que se preocupar Annie, a mãe do Harry só não gostava de você porque você foi embora e deixou ele mal, mas agora ela vai ver que vocês estão felizes juntos, vai gostar de você.

- Acho que 'felizes' é uma palavra muito forte, ele ainda está bravo comigo pela festa e eu também estou brava com ele.

- Ah, pelo amor de Deus!

- Pera aí, eu entendi errado ou você vai conhecer os pais do Harry? - Maite me pergunta, assinto - Que bonitinho - sorri - As coisas estão ficando sérias entre vocês pelo visto.

- Até mais sérias do que eu queria... - comento comigo mesma.

Mudei de assunto para não ficar mais nervosa com essa história, estar de volta com Maite e Dulce me fez tão bem. Nós rimos a noite toda por coisas estúpidas, algo que eu sentia falta, elas sempre foram minhas melhores amigas.

Depois eu peguei uma carona com Maite (Dulce me olhou ofendida), e fui ao hospital tomar meu remédio. O mesmo hospital que eu fiquei por quase 2 anos em coma. Só de olhar aquelas paredes brancas, um arrepio gela minha alma. Ainda me lembro bem de todas as vozes, as piores memórias da minha vida. É horrível estar de volta.
Mas pelo menos as perguntas de Maite estavam me distraindo.

- Você tem que tomar isso toda semana? Que chato Annie.

Eu apenas disse que era por causa do coma, por mais que ela seja minha melhor amiga, não me sinto confortável para falar sobre isso. Só contei para o Harry por causa da pressão que ele me fez, me jogando na cara que eu nunca contava nada para ele.

Bem, eu não escondo mais nada dele, exceto que foi nesse hospital, há alguns meses atrás que eu perdi meu bebê... Eu estava grávida dele.

...

Eu estava cansada e tonta demais para pensar em nada já de noite e dormi, mas logo que me lembrei que Harry vai chegar hoje, veio junto a preocupação também com o que ele tinha conversado com a minha mãe, ela não me ligou mais, nem meu pai. O que eles estão planejando?

Eu não duvido que eles estejam ameaçando Harry, tentando fazer ele me deixar... Ai meu Deus, eu preciso falar com Harry!
Pego meu celular para ligar para ele, e acho muito bom ele atender... Porque se não eu juro que eu volto para o Brasil, Harry Styles.

- Oi - ele diz rouco, parecia que tinha acabado de acordar, mas já era tarde.

- Que horas você vai chegar? - pergunto logo, não aguento mais ficar nervosa.

- Bom, eu... já estou em Londres... - responde sonolento.

- Ah obrigada por me contar - digo irônica.

- Eu acabei de chegar, vim deixar minhas coisas em casa, tenho show daqui a pouco...

- Casa? Que casa?

- A minha casa. Você acha que eu moro na rua? - ele volta o tom irônico, até o ouço rir e estou o semicerrando com os olhos pelo celular.
Eu realmente nunca parei para pensar onde ele foi morar depois que se mudou, ele morava no apartamento de baixo...

- Depois do show eu passo aí pra gente conversar.

- Ok...

 

... Se eu fiquei meio impaciente esperando as horas passarem logo? Um pouquinho. Já estava escurecendo quando saí da aula de francês e voltei para o apartamento das meninas, comi só um pedaço de pizza de queijo que elas compraram e olhei para o relógio, já eram 8 horas.

- Que horas normalmente termina um show? - pergunto.

- Sei lá, nove horas? - Dulce dá de ombros, devorando a pizza.

Reviro os olhos, odeio esperar. Vou tomar um banho, até organizo minhas roupas no closet (que costumava ser tão cheio quando eu morava aqui) enquanto esperava Harry. Até ouvir a campainha tocar, vou correndo até a porta onde Harry já está conversando com Maite, atrás deles Niall e Dulce se encaravam. Eu sorri pela cena cômica do ex/futuro casal, mas fiquei ainda mais feliz por ver Harry, corri para o abraçar, era mais forte do que eu. O seu cheiro, sua voz rouca, sua risada e a forma com que ele me abraçou ainda mais forte pela cintura me fez igual uma boba apaixonada. 

Mas aí me lembrei que ele tinha me ignorado desde que foi viajar e me afastei quando ele foi me beijar. Ele me olhou confuso.

- Esqueci que estou brava com você - digo desabraçando.

- Você está brava comigo? Por que? - me olha surpreso e em ironia - Sou eu que tenho motivos para estar bravo com você, inclusive estou.

- Motivos? Que motivos? Você ignorou minhas mensagens, desligou na minha cara, me deixou falando sozinha!

- Você esqueceu a data do nosso namoro, porra Annie.

- Eu não esqueci, já disse, eu sei que foi dia vinte e... sete.

- Oito! - corrigiu com um olhar mortal.

Droga.

- Foi o que eu disse...

- Além do aniversário da Dulce - ele continuou sério, como se me desse uma bronca.

Reviro os olhos, isso de novo não.

- O que você falou com a minha mãe? - vou para o assunto principal.

Ele pára em silêncio, então podemos ouvir Dulce e Niall discutindo do outro lado no corredor.

- Acho melhor se sentar... Você tomou seu remédio? - ele diz sério.

- Ah não, não manda eu me sentar - eu já sinto a ansiedade e o nervosismo me tomar conta.

O que inferno tinha acontecido?
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...