História Novo Mundo - Undertale - Interativa. - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~_Ilikebirdstoo

Postado
Categorias Originais, Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Doggo, Frisk, Grillby, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne
Tags Aus, Etc, Interativa Undertale, Retardadamente
Exibições 23
Palavras 3.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Magia, Mistério, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente ^^
Essa é a minha versão do cap 1.
Espero que gostem

Capítulo 7 - C A P Í T U L O #1


Fanfic / Fanfiction Novo Mundo - Undertale - Interativa. - Capítulo 7 - C A P Í T U L O #1

 Mackenzie/Laposa's P.O.V

S o n h o 

Destruição, tudo o que eu lembro... É destruição.

Sangue para todo lado, gritos, pessoas morrendo e pessoas matando, crianças se machucando e eu ouço elas chorando.

Eu corri junto com minha irmã até que ela parou.

"Fique aqui."

No começo, não acreditei que ela havia me dito isso, mas parece que a vida nos surpreende.

Fiquei com raiva enquanto via ela correr em uma velocidade não humana.

"Trilocor sua fdp, não me deixe aqui!" mas ela n me escutou e continuou correndo.

'Não ficarei aqui sem fazer nada' pensei. Me levantei e corri, virei a esquina e me deparei com uma criança, não devia ter mais de 4 anos, menino. Corri até ele e o tirei da linha de fogo, quando encontrei um lugar seguro o coloquei no chão.

"Você está bem?" perguntei.

Ele balançou a cabeça como não e seus olhos se encheiram de lágrimas.

"Qual seu nome?" perguntei quando comecei à ouvir barulhos irritantes, muitos parecidos com apitos

Ele abriu a boca pra me responder quando-

 S o n h o  o f f

Acordei com meu maldito alarme tocando, mais um dia nesse objeto redondo que muitos chamam de lar. Pra mim é apenas um planeta. Um horrível por sinal.

Me levantei e fui me arrumar pra ir ao inferno torturante que muitos chamam de escola.

Infelizmente, é meu primeiro dia. Estudei em casa nos últimos anos.

Fui até o banheiro, fiz minhas higienes pessoais e tomei banho. Fui até o armário onde peguei meu uniforme, e minha jaqueta que Lukas me deu. Lukas... N entendo por que tenho sempre que sonhar com ele e minha irmã?

 Lukas é um menino de 6 anos que salvei na guerra, naquela época ele tinha 4 anos de idade. Cuidei dele por um ano até que encontrei sua avó e, hoje ele vive com ela. Claro que sempre vejo ele já que ele mora logo do outro lado da rua. De qualquer jeito, ele me deu essa jaqueta de aniversário. É uma jaqueta de couro preta e por dentro, seu tecido é um vermelho sangue, seu gorro é também preto por fora e vermelho sangue por dentro.

 Peguei meu skate e meu crossbow no quarto ao lado do meu, que uso como quarto de música. Sim, tenho um crossbow que levo pra todo canto, não podemos saber o que vai acontecer n é mesmo? Afinal vivo sozinha em uma casa no norte de uma pequena cidade na China.

Tomei meu café e fui.

Estava indo no meu skate e ouvindo minhas músicas qnd esbarrei em alguém, o que levou nós dois pro chão.

Levantei para ver uma menina, alta, com o rosto fino e cabelos pretos e longos. Mas, o que realmente notei foram seus olhos,  vermelhos... Um vermelho forte e chamativo, honestamente, combina com ela. A raridade de olhos vermelhos? Mais raros que olhos lilás, incrivelmente raros e magníficos.

"Aeeew olha por onde anda pohha!" A menina gritou.

"Eu? Olha vc caralho!" respondi com o mesmo tom de voz grosseiro.

Ela olhou pra mim de cima em baixo, provavelmente me julgando em sua cabeça.

Girei meus olhos.

"Bitch please, go burn in rainbows." eu disse com uma voz baixa mas, mortal.

Ela me olhou chocada.

"O que?" eu perguntei já irritada.

"Nada, você apenas me lembrou de undertale..." ela disse quase sussurrando.

Undertale?... Onde ouvi esse nome?... Ah sim...

"Ah, minha irmã costumava jogar e falar a frase 'go burn in hell.', e eu achava ofensivo então criei essa... Só acabou grudando mais em mim do que nela." eu disse enquanto memórias enchiam minha cabeça.

Ela sorriu, foi ai que notei o skate em sua mão.

"Skate legal." falei sorrindo um pouco também.

"Obrigado. Também gostei do seu." ela me deu um sorriso meio louco, mas deixei isso de lado.

"Então, tenho que ir pra escola... e pelo jeito você também." disse notando os uniformes similares que tínhamos. A única diferença é que eu usava minha jaqueta.

Ela sorriu aquele sorriso meio louco de novo e disse.

"Corrida de skate até a escola."

Eu ri e aceitei, mesmo notando um pouco de medo em seus olhos quando toquei no assunto de ir à escola.

Subimos no skate e fomos, rindo e gritando quando tínhamos que desviar de alguém ou quando o skate passava por cima de uma pedra.

Até que chegamos, ela ganhou com poucos segundos de diferença. Ainda estávamos rindo quando chegamos.

"Meu nome é Mackenzie, Mackenzie Parker." eu disse olhando pra ela.

Ela sorriu,

"Helena, Helena Walker." ela disse.

"Então Walker, pode por favor me mostrar onde fica a direção?." eu perguntei.

"Aham, eu sabia que você era nova." ela disse.

"Lê mentes então?" eu disse rindo um pouco.

Os olhos dela mostraram um pouco de pânico mas logo que veio, foi embora.

"Vem, vou te levar até a direção." ela disse com mais um daqueles sorrisos... Estou começando a gostar dessa garota, ela é meio louca.

Segui ela até a direção onde peguei meu horário.

Entrei e fui falar com a diretora.

"Ah, senhorita Parker. Estávamos te esperando, aqui está seu horário." a diretora sra. Polks disse sorrindo. Obviamente falso...

"Obrigada." disse sem nenhum sentimento e começei a sair quando ela me parou.

"Senhorita Parker?"

"Sim?" perguntei olhando pra trás. A secretária estava com uma cara de irritação enquanto falava palavras em chinês que eu n entendi.

"Não se pode usar nada além do uniforme em nossa escola senhorita Parker. Peço gentilmente que tire essa jaqueta e guarde em sua bolsa." a diretora disse.

Oque? Comassim?! Vtnc.

"E eu respondo gentilmente que não." respondi com uma voz calma. Mas por dentro queria fazer com que aquela mulher morresse sufocada pelos espíritos maliguinos que existem dentro de sua mente.

Sra. Polks girou os olhos

"Isso continue girando os olhos, talvez ache um cérebro ai dentro." falei e não me arrependo.

"SENHORITA PARKER! COMO OUSA?! tire essa jaqueta agora e vá para sua sala!"

Sra. Polks disse/gritou

Puta... Só n dou soco pq se der sou expulsa.

Tirei minha jaqueta e saio da sala só pra ver Helena me esperando.

Ela pegou o horário da minha mão.

"Awnn man! Só temos a segunda aula juntas..." ela disse meio desapontada.

"Tudo bem, a gente se vê na segunda aula." eu disse sorrindo um pouco.

"Okay, Sayonara!" ela disse, indo embora.

"Bye..."

Fui olhar meu horário;

Primeira aula...ah! Artes!

Huh, pelo menos não é matemática.

Sala... 15B segundo andar. Okay então.

Subi as escadas e, antes de entrar, coloquei minha jaqueta de novo.

Entrei na sala e tinha apenas uma das mesas de duplas livres, e já tinha um dos dois lugares ocupados.

Um menino de cabelos castanhos, olhos azuis oceano, com um rosto meio angelical e fino, pele pálida.

Ele tinha colares braceletes tipo correntes, quase como se o prendessem. Notei também que ele tinha um bichinho de pelúcia, mais especificamente um ursinho branco. E usava fones de ouvidos preto.

Sentei ao seu lado e olhei para ele. Notei que estava focado em seu desenho. Estava desenhando algum tipo de anime. Que fofo, me lehomossemeninkamaki.

"Oi." eu disse

Ele olhou pra mim, sorriu um pouco e voltou para seu desenho.

"Não é muito de conversas eh?" eu disse um pouco mais baixo

Ele olhou pra mim de novo e balançou a cabeça como sim.

Sorri um pouco

E fiquei pensando em um jeito de começar conversa, quando ouvi a doce mas dark voz de Melanie Martinez, em 'Tag, you're it'.

"Ah, fã da Melanie então?" eu disse rindo um pouco

Ele olhou para mim com uma cara shocada, mas seus olhos seguravam curiosidade.

"Como-?" ele começou mas eu o interrompi

"O volume do seu fone está um pouco alto, eu consegui ouvir daq. E também amo a Melanie, uma das minhas preferidas é 'pacify her'." eu disse sorrindo.

Ele riu um pouco 

aeeee consegui uma risada do senhor quiet

"Meu nome é Mackenzie." disse enquanto estendia o braço pra um aperto de mãos.

"Ketsueki Akibara." ele disse apertando a minha mão.

"Então, como é nosso professor?" eu perguntei realmente querendo saber como vai ser nosso ano letivo.

"Ah, o professor Kifuga não liga muito, ele também é o treinador e professor de educação física então, tem uma voz bem alta e grossa. Mas, apesar de tudo é um bom professor." Akibara diz com uma voz baixa e meio roca, como se não tivesse falado em um bom tempo.

"Q bom." disse sorrindo.

Ele sorriu de volta.

Eu e Akibara ficamos conversando durante a aula. O professor realmente não ligou se eu estava com minha jaqueta ou não. Graças ao fucking dios.

Descobri que o sr. Quiet A.K.A Akibara é uma pessoa bem na dele, bem calmo, ótimo artista e homossexual. Até agora, o homossexuail mais gentil que já conheci. Ah, o ursinho se chama Shirokuma, mas eu chamo ele de Shiro porque é mais fácil para mim.

Estava conversando com Akibara livremente. Realmente acho que vamos ser os melhor dos amigos.

Até que entrou uma menina que parecia como minha irmã morta, só que um pouco mais velha. Encarei um pouco e virei minha cabeça

Não está aqui, não está aqui... fiquei repetindo em minha mente e não tirei meus olhos de Akibara por um tempo. Não queria ver aquele rosto.

Até que senti uma borracha voar na minha cabeça logo após o professor sair da sala.

Virei e gritei

"What the fuck? Acha que sou algum tipo de espírito e que essa merda ia passar por dentro de mim pohha?"

Lá estavam 4 pessoas, cada um me tacou uma borracha diferente.

"SIM TIA CLONE VOCÊ PARECE" a gêmea da irmã disse, seus olhos mostraram alegria e uma pitada de medo.

Fui até a mesa dela, e percebi que ela pegou uma tesoura. Virei pra Aki-chan e ele tinha a mesma cara de confuso que eu tinha. Então, Akibara jogou meu crossbow pra mim e eu apontei para a cara dela.

Por que? Ela estava apontando uma fucking tesoura pra mim, e a amiguinha dela estava apontando uma faca, com números carvados no dito objeto.

Olhei ao lado, e tinha um garoto de olhos dourados, cabelos loiros e rosto meio cheinho.

Seus olhos mostravam nada mais do que ódio. Dei a ele o mesmo olhar, e voltei a encarar as duas garotas.

"PQP MOÇA QUE É CLONE!! OQ TA ROLANDO?!" a gêmea disse com ódio.

"Você que apontou a fucking tesoura para mim primeiro." disse calmamente. Afinal, nunca mostre sentimentos em uma batalha.

"A CULPA NÃO É DELA SE VOCÊ É UM CLONE!!" a menina que estava ao seu lado disse.

"Que fofa você me proteger!" disse gêmea.

Olhei pra ela com uma cara de 'wtf'

"O que foi moça? Nunca teve amor nessa sua merda de vida?" gêmea me perguntou novamente enquanto se cortava

Fiquei com raiva, meu sangue burbulhava.

Abri a boca pra responder, e o professor chegou.

Merda...

Olhei em volta e percebi que Akibara e as outras pessoas que tacaram borracha em mim estavam nos cercando, prontos para nos separar se houvesse alguma briga.

O professor chegou e mandou todos nós, para a direção.

A sra. Polks já veio pra cima de mim, gritando sobre eu ter usado violência e sobre o caso de hoje de manhã...

Ela me mandou embora pois, não queria mais ver minha cara.

Dei uma risada sarcástica e sorri para Aki-Chan na saída.

Depois que sai, um policial passou por mim e disse um pequeno 'olá' que eu retribui.

Enquanto andava pelo corredor, vi Helena falando com certas garotas. E o papo não parecia amigável...

Fui na direção de Helena.

Quando cheguei perto só ouvi a seguinte frase.

"Aham, e acha que vai conseguir algum tipo de amizade demônio? A menina nova deve que apenas está com dó de você." uma menina de olhos verdes disse. Acho que seu nome era... Luisa? Não. Lulu? Não. Louise? Ahaa esse mesmo.

"Honestamente, acho sim. Já que não sou que nem você, que só consegue amizades interesseiras por causa do dinheiro do seu pai. Não é mesmo menininha do papai?" Helena disse de volta.

Foi ai que me intrometi.

"Ouch, quanta grosseria Helena, como pode fazer isso com meninas que parecem ser tão bondosas." disse com um sorriso sarcastico apenas pra ver suas caras.

Helena olhou pra mim chocada e com um pouco de raiva. Enquanto as meninas sorriram e disseram

"Obrigada"

Girei meus olhos e tirei o sorriso do rosto

"Mas só parecem mesmo. Por que pelo o que eu ouvi vocês são piores que o fucking Voldemort. A diferença do Vol é que ele não mete o nariz onde não é chamado."

Helena sorriu pra mim.

Outra garota loira olhou pra mim, acho que seu nome era... Luna.

"Você não vale nada." disse ela.

"Que nem as camisinhas do seu pai." eu disse de volta.

Helena caiu na gargalhada.

Foi ai que ouvimos um alarme, e a voz da sra. Polks no alto falante.

"Por favor, todos os alunos vão para a quadra de basquete urgentemente. Por favor-" ela ficou repetindo isso... Voltei a realidade quando Helena pegou meu braço e me puxou até a quadra de basquete.

Ficamos em pé uma ao lado da outra após recebermos nossos números

"Acho que toda a escola está aqui." eu disse

"Tenho quase certeza." disse Helena

"Ah, e obrigada por me... 'Defender' contra as meninas." ela continuou

"Pra isso que servem as amigas não é?" eu disse

"Me considera como amiga?" ela perguntou

"Apenas se você me considerar também." eu respondi

"Fechado." ela disse com seu sorriso louco.

Eu retribui com um sorriso psicopata.

Ela riu

Foi ai que vi Akibara sendo praticamente jogado dentro da quadra. Ele parecia bem confuso.

Gritei seu nome e ele veio correndo até mim e Helena, também com um número em seu peito. Ele me abraçou e ficou em pé ao meu lado.

Reparei que Helena estava digitando algo em seu telefone, mas eu nem liguei e virei minha atenção pra Akibara.

"Você está bem?" perguntei

"Estou, e você?"

"Bem também" sorri.

Ai uma pergunta veio a minha cabeça.

"Ei, Aki- chan... Nós somos amigos certo?" falei meio baixo

Ele olhou pra mim meio chocado e seus olhos mostravam alegria.

"Claro que sim!" Sr. Quiet falou sorrindo.

Sorri também e nós dois olhamos para frente.

Isso é, ele olhou para frente, Helena me fez olhar para ela, e ela me mostrou seu celular.

'Você sabe que ele é conhecido como a aberração da escola não é?'

Estava escrito. Apenas olhei para ela e disse

"Eu não julgo livros pela capa." falei seriamente e sem nada mais do que verdade em meu rosto.

Ela parecia satisfeita com minha resposta e disse

"Nem eu."

Sorri e foi ai que ouvi nossos números sendos chamados.

"...50, 53, 51-"

Opa, o que?!

Nós três subimos até o palco, onde a gêmea e os amiguinhos dela também estavam

Eu sou tão sortuda assim? Que merda.

Pelo menos tenho o Akibara e Helena.

Fomos levamos até uma sala na parte de baixo da escola... Tipo um porão. Essa era toda branca, reconheci imediatamente... Um laboratório.

Um cara natécolocou lá dentro, e disse

"Fiquem ai até organizarmos os bagulhos." ele disse e saiu.

Ele fechou e trancou a porta.

A gêmea dei uma louca e disse

"KEY SEU LINDO FILHO DA PUTA TRAIDOR DA SUA ESPÉCIE."

espera, ele é um traidor?

Isso foi o bastante para entrarmos em pânico.

"VAMOS TODOS MORRER!!" Akibara gritou

Wtf? Se acalma

"NINGUÉM VAI MORRER! SE VOCÊ ABRIR A BOCA DE NOVO EU TE MATO AQUI! EU MESMA AKI-CHAN." eu meio surtei. E sussurrei

"ninguém vai morrer okay?"

Ele me entendeu e balançou a cabeça como sim.

"QUE MERDA QUE EU FIZ!!!??? VCS QUE TEM MÁ SORTE!! E ESSE EXPERIMENTO NÃO É NADA DE MAIS..." O garoto com olhar de ódio gritou.

Nada de mais meu cu.

"FIQUEM CALMOS!! VAMOS SAIR DESSA!!" a outra menina que tacou borracha em mim. De olhos brancos como neve, cabelos lisos e brancos, muito semelhantes aos meus.

Pelo menos ela tem bom senso.

"NESSE MOMENTO É MATAR OU SER MORRIDO CLODS!!!" a garota que sentava ao lado da gêmea disse. Menina de cabelos brancos e olhos azuis. Parece ser meio retardada.

"I WILL COME BACK EVEN AFTER I DIE!" Agora foi a vez da Helena de ser louquinha. Ela até deu uma risada psicopata.

Todos então começaram a cantar e dançar, enquanto eu assitia sentada no chão.

Ri um pouco e olhei para atrás do quartinho onde havia duas pessoas, um estava rindo. Um garoto de cabelos pretos e olhos azuis brilhantes, com uma risada que normalmente faria você rir também. Mas, nesse momento não estava com vontade de rir.

Ao seu lado, uma garota de cabelos verdes com mechas pretas e com uma cara meio assassina.

"CARA QUE QUE ESTA ACONTECENDO?!" o garoto de olhos azuis disse.

"Você não prestou atenção não pohha?!" eu falei de volta mais ele não me ouviu já que todos estavam cantando.

"Tsc, parem de gritar! Ninguém vai morrer, eu protejo vocês seus medrosos do caralho!" a menina disse

"Não preciso da sua ajuda obrigada!" ela me olhou com um olhar de frustração enquanto eu olhava pra ela com um olhar de foda- se.

Logo, depois Helena deu uma risada bem alta e psicopata. Eu ri junto e os outros começaram a dançar e cantar e repetir muitos 'bad time'

Eu ria enquanto assistia meus amigos. Peguei meu crossbow e segurei perto de mim.

Então um garoto, parecia ter minha idade arrombou a porta e começou a apontar a arma para nós. Todos pararam e apenas olharam. Eu levantei meu crossbow e apontei para ele também.

"NYAHH! SUA IDIOTA ELE É NOSSO HERÓI." A gêmea disse

Olhei para ela como se fosse burra e com puro ódio e raiva de sua estupidez.

"você conhece ele?" perguntei com meu olhar mortal.

Uma pessoa que nunca vimos na vida entra na fucking sala com uma maldita arma! o que você quer que eu faça? Ah! Deixe ele nos matar, vai ser foda... Otarianos.

"NÃO! MAS ELE PARECE O DIPPER DE GRAVITY FALLS!"

Ela aponta para seu braço onde suas tatuagens estão. Vou admitir que são bem legais.

"E também, acha que um policial humano não teria poderes? E graças a claridade mágica em seu olhar. E também um policial humano não teria uniforme e estaria machucado? E também isso é bem melhor que a merda lá fora." diz gêmea rapidamente, admito que fiquei surpresa.

Ela pode até ter suas razões mas como ela sabe que ele tem poderes? Qualquer um pode ter claridade nos olhos pqp!

"VCS TEM QUE SAIR-" o garoto começou a falar mas eu o cortei.

Não vai me dizer o que fazer não Bitch.

"Tem certeza nekinha?" pergunto, as bochechas de gêmeas ficam um pouco rosadas.

"Porque se a gente morrer a culpa é sua." continuo.

"como assim a gente morreria?! TEMOS PODERES POHHA!!" a menina dos cabelos verdes disse.

Ah minha querida, se você soubesse o tanto de coisas mais poderosas que nós.

"Não sei se você sabe mas-" ia falar só que um policial chegou.

Ele e o carinha brigaram, e como eu havia previsto o nosso 'salvador' perdeu. E acabou se juntando a gente... Q pena.

O policial saiu e trancou a porta.... Opaa... Blz então.

O pessoalzinho fora meus amigos me olharam com ódio. Enquanto meus amigos só facepalmed...

Dei o mesmo olhar que me deram e voltei a sentar no chão com meu crossbow.

Depois de um tempo de silêncio, o garoto acordou. Mas, infelizmente ele apenas acordou por causa da porta abrindo.

"Merda..." uma das meninas que tacou borracha em mim disse.

"Digam para a minha tia que a amo." disse gêmea

Como? Se você morrer, nós também morremos idiota.


Um homem entrou e disse

"Me sigam caralhos." blz neh moço se acalme. Mentira, foda se você.

Nós o seguimos até outro laboratório.

Bom, se é aqui que vai ser...

Pelo menos eu sei que o Lukas vai ficar bem com a sua vó... Ela vai cuidar dele de um jeito bem melhor que eu cuidei, eu sei que sim. E é apenas por isso que estou calma. Sei que a única pessoa que me resta vai viver bem. Eu morro antes dele e eu morro feliz, morro feliz sabendo que ele vai ser capaz de crescer e viver uma vida longa.... Mesmo eu não estando nela.

Entra na sala um homem vestido de cientista.

"Olá...." ele hesita

"...'humanos', vocês seram usados em um experimento de... Como explicar?..." ele fala mas é interrompido pelo garoto do olhar de ódio.

"Au's." ele responde.

Eu fico um tempo apenas olhando para ele até que voltei para realidade

"Experimento nada de mais meu cù." eu falei pra mim mesma...

Não sei como me sentir sobre isso.

Akibara e Helena vieram ficar do meu lado e eu segurei a mão deles forte, enquanto esperava acordar na minha cama e descobrir que é um sonho.

O doutor começou a explicar e logo após ele começar, eu não me recordo direito o que aconteceu. Partes dessa lembrança ficaram nada mais do que embaçadas.

O garoto do começo deu um soco no doutor e a luta começou... eu sei que meu corpo começou a se mover por puro instinto e adrenalina a máquina gigante no meio do laboratório foi ligada e fomos empurrados lá para dentro, ou melhor, Aki-Chan puxou eu e Helena para dentro.

O chão tremia, pessoas gritaram... Eu agarrei Akibara e Helena e...

Tudo o que eu lembro depois disso,

Foi o frio... Como estava frio, e logo após eu fui acordar

Em pura escuridão.



Notas Finais


Eii galera, e foi isso ae. Se não gostaram do meu jeito de escrita avisem okay?
Te amo te,


-Becah/Laposa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...