História Novo Mundo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Medieval, Mitologic, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 96
Palavras 4.327
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite pessoas lindas!

E então, prontos para embarcar em mais um capítulo de Novo Mundo?

Capítulo 12 - A Partida de Neji


- Adeus e façam uma boa viagem! – escutaram a voz de Tsunade atrás de si, enquanto a correnteza já os levava rumo ao norte.

Sakura virou-se e abanou para ela, sabendo que haviam criado um laço e que com certeza se veriam novamente.

Dividiram-se em três pequenos barcos, Sasuke, Sasori e Neji seguiam mais a frente ditando o caminho. Sakura, Shikamaru e Naruto iam em outro, e Sai, Juugo e Suigetsu ficaram no último barco.

Seguiriam o seu caminho pelo Grande Rio Anduin, descendo as águas velozes e caudalosas do mesmo. Florestas se erguiam nas duas margens, e eles não conseguiam ver qualquer sinal das terras que ficavam para trás.

Sasori, que agora liderava a Comitiva - Kakashi partiu sozinho para verificar uma pista dada por Lady Tsunade – sugeriu que acompanhassem a correnteza, poupando forças para o cansaço que viria. Mas insistiu que pelo menos partissem cedo a cada dia e que viajassem até o anoitecer, descansando durante a noite nas margens do rio, pois sentia em seu coração que o tempo urgia e temia que Orochimaru não tivesse ficado parado enquanto haviam permanecido no Vale.

Apesar disso, não se viu qualquer sinal de inimigos naquele dia, nem no dia seguinte e as horas enfadonhas e cinzentas se arrastavam sem qualquer surpresa.

Quando o terceiro dia de jornada terminava, a região começava a lentamente a mudar: na margem à esquerda deles viram encostas compridas erguendo-se em direção ao céu, tinham uma aparência escura e seca; do lado oeste, à direita deles, a região era plana e em vários trechos conseguiram ver florestas de grandes juncos e alguns pontos cobertos de capim verde.

Sakura estava atenta a cada detalhe, pois além de estarem saindo do Reino dos Elfos, em seu interior ela estava agitava e temia por não saber o que estava por vir, mas ela tinha plena certeza de que calmaria logo iria terminar.

As folhas escuras e ressecadas pendiam e se lançavam no vento frio e leve, ainda sim era mais agradável do que o frio que aguentaram logo que saíram de Shippuden.

Metade do dia já havia passado e tudo estava calmo... calmo até demais.

 

oOo

 

- Está tudo pronto, meu Lorde – ouviu a voz de seu serviçal atrás de si.

Se levantou do grande trono de pedra em que estava sentado e seguiu até o outro cômodo, sem conjurar nenhuma palavra ao criado.

Caminhou até a sala lentamente, e ao chegar sorriu em ver o resultado de sua criação, um sorriso intempestuoso e de puro escárnio surgiu em seus lábios finos.

- Perfeito – sibilou como uma cobra, virando-se para o homem de vestes pretas e cabelos em tons acinzentados – fez um belo trabalho, meu jovem Kabuto.

- Obrigada, senhor Orochimaru – respondeu ele fazendo uma reverência.

O Senhor do Escuro – como ficara conhecido nos últimos tempos - caminhou até sua obra-prima e não pode deixar de olhar com admiração para a grande quantidade de Orcs parados em posição de sentido a sua frente. Não eram simples criaturas, elas foram aprimoradas para um único fim: matar todo e qualquer ser vivo que tivesse a infelicidade de passar por seu caminho.

- Vocês devem trazer até mim a garota de cabelos róseos – falou para os orcs – matem o resto.

A simples menção na palavra “morte” foi o suficiente para agitar o ambiente e deixar o pequeno exército afoito, batendo no chão com suas armas, deixando lugar ainda mais sombrio e tremendo levemente; logo a risada maléfica de Orochimaru pôde ser ouvida.

- Pois bem – disse Kabuto chegando mais perto – marchem para o Sul e cumpram o seu dever.

 

oOo

 

Todos estavam ao redor da pequena fogueira, feita por Juugo, descansando após o lanche que fizeram. Apesar do vento diminuído, o frio ainda se fazia presente e o recente percurso feito por eles – através do rio – exigiu muita energia.

Era cerca de cinco horas da tarde e o silêncio reinava entre eles, todos presos em seus próprios pensamentos.

Sakura ainda tinha sua última conversa com Tsunade fresca em sua mente, a elfa lhe deu um presente, era um pequeno frasco de cristal com um líquido dentro, segundo ela era “para se lembrar de onde veio e saber que sempre existirá uma luz dentro de si” foi o que dissera. Ela a guardou e agradeceu.

O mais estranho é que depois que a loira saiu de perto de si, Sakura ouviu a voz dela, como se estivesse em sua cabeça, “cuidado com aquele que está perdido, salve-o”, de fato não entendera o que significava, quem estaria perdido? Tentou de várias maneiras pensar em uma explicação, mas não teve sucesso, e ainda, como ela ouvira isso, sendo que a Sannin nem estava mais ali?

Sasuke tinha seus olhos fixos na garota, que direcionava seu olhar às chamas da fogueira, um olhar do qual percebeu ser vazio, ela estava perdida em pensamentos e certamente eles viajavam para longe dali.

Olhava para ela e via que tanta coisa havia mudado desde que a conhecera durante a reunião do Conselho, semanas atrás. Quando a viu sentada ao lado de Naruto não deu muita atenção, afinal o que ela tinha demais? Mas quando a mesma se levantou e enfrentou Neji daquela maneira, ele percebeu que havia algo nela, um brilho no olhar, algo... diferente. Ele, que sempre fora tão racional e tão certo de suas atitudes, perdia totalmente essa compostura e se sentia um adolescente novamente, nervoso ao ficar perto de uma garota.

Não uma qualquer, é claro.

Mas sim, Sakura Haruno, a garota que iria mudar o mundo.

O modo como ela enfrentou todos os perigos impostos para si desde que saíram de Shippuden foi surpreendente. Até mesmo ele e seus companheiros hesitariam ao receber olhar gélido que Tsunade lhe lançava. Percebeu que os orcs, aranhas e afins, nada seria tão difícil como enfrentar a Sannin.

Mas mais uma vez a portadora da profecia provou que ele estava errado ao achar que a conhecia, ela conseguiu convencer até mesmo a elfa, que parecia irredutível, apenas sendo sincera e mostrando os seus sentimentos.

Agora que a olhava percebia que ela parecia tão diferente, mais madura.

Ela sempre fora a mais falante de todos eles, não gostava do silêncio – notou ele – e sempre puxava conversa com um ou outro companheiro, coisas até mesmo banais, apenas para passar o tempo.

- Cruzaremos o lago ao anoitecer – disse Shikamaru, com alguns mapas na mão, chamando atenção de Sasuke – depois esconderemos os barcos e continuaremos a pé.

- Tem certeza que devemos seguir até Suna? – perguntou Suigestu.

- Este é nosso caminho – completou Sasori que estava em pé, retirando algumas coisas do barco – sugiro que descanse e recupere suas forças, mestre anão.

- Recuperar minhas...?! – começou a reclamar, claramente insultado o mais baixo, mas se aquietou quando viu que Sasori estava sério.

Naruto, que até então estava muito quieto e observava tudo ao seu redor, caminhou até o ruivo e lhe disse em um tom baixo - É melhor irmos.

- Não, os orcs patrulham a margem leste – Sasori indicou com a cabeça para o outro lado da margem do rio – precisamos esperar e nos esconder na escuridão.

- Não é a costa leste que me preocupa – olhou para os lados o loiro, e falou para que apenas o ruivo pudesse ouvir – uma sombra e uma ameaça vem crescendo em meu coração, algo se aproxima.

- Vamos manter a calma – sugeriu Sasori.

- Não percebe que está sendo um idiota? – falou Neji que até então estava escorado em um tronco grande de uma velha arvore, chamando a presença de todos – vamos arriscar as nossas vidas por nada!

Era possível perceber que o guerreiro remoía essas palavras desde que deixaram o Vale.

No dia anterior quando Kakashi, Sasori e Shikamaru chamaram a todos para comunicar-lhes do próximo passo, Sasuke também não foi a favor, mas quando o ruivo explicou os motivos, ele acenou em concordância e calou-se. Já Neji ficou extremamente irritado mas escondeu bem sua raiva e não aceitou de bom grado os novos caminhos por onde percorreriam, ele apenas seguiu ao seu quarto sem nada mais falar com nenhum deles.

- Neji – começou Sasori, em um tom cansado – por favor, se acalme.

- Me acalmar? – agora já havia levantado – você ainda se acha um Rei? Nunca chegara a lugar nenhum!

Neji estava claramente alterado, e todos se preocupavam não só com o estado dele, mas o com perigo que estava próximo.

- Ei, meça suas palavras antes de falar – defendeu Sakura, que não aguentou ouviu aquilo do guerreiro – ninguém ficou feliz com isso, mas se até mesmo Sasori está disposto a ajudar Suna, porque você não pode?

- Claro que a defensora dos fracos e oprimidos ia se meter! – rosnou o homem de olhos perolados – não estou falando com você!

- Tente entender, uma só vez, o lado dele! – ela respondia de maneira firme, mas sem gritar ou perder o controle.

- E você? Quando tentou entender? Você vai voltar para casa da mamãe e do papai quando tudo acabar, é apenas uma criança mimada! – gritava Neji – nós não teremos nem casa para voltar!

Após terminar de falar, Neji levantou e saiu em direção às árvores, ignorando os pedidos de seus companheiros.

Todos ficaram nervosos e era inevitável que o clima ficasse pesado. Sasori suspirou cansado, já estava farto das provocações do moreno e definitivamente aquele não era o momento para isso.

O ruivo balançou a cabeça negativamente e continuou a retirar alguns mantimentos do barco, enquanto os demais voltavam a se acomodar nos troncos das árvores ali presentes.

Passou certo tempo e Neji não retornou, deixando Sasori ainda mais preocupado.

- Temos que ir atrás dele – disse Shikamaru, que se levantou e colocou as mãos na cintura de modo preguiçoso – isso vai ser problemático.

- Shikamaru e Juugo, fiquem aqui de prontidão para partimos – disse Sasori, que já colocava sua espada junto de si novamente – Sai e Suigetsu sigam pelo lado da margem do Sul, Sakura e Sasuke vão pelo meio do arvoredo e Naruto, você vem comigo.

- Não se demorem – chamou atenção de todos Shikamaru – logo irá escurecer e o perigo se aproxima.

Todos acenaram em concordância e rapidamente se dissiparam nas regiões dadas por Sasori.

 

Sasuke e Sakura seguiam pelo meio das árvores secas, o chão deixava de ser plano e começava uma subida leve. No chão era possível ver a terra encoberta por várias folhas que já não tinham mais o tom verde habitual, assumindo uma textura marrom, seca e quebradiça.

Sakura estava calada e sua expressão era séria, e Sasuke temia que as palavras ditas recentemente por Neji a tivessem afetado.

- Não o odeie – disse Sasuke enquanto olhava para todos os cantos a procura do companheiro – ele é um idiota, mas está completamente fora de si.

- Não o odeio, Sasuke – respondeu a garota tentando mostrar que estava bem, mas ainda sim tinha um olhar de puro pesar – Neji precisa de ajuda, ele está... perdido.

Então enfim ela entendeu a charada imposta por Tsunade, era Neji que estava perdido, eles precisavam ajuda-lo para impedir o que viria, e ela sabia que algo terrível se aproximava.

- Sasuke – chamou o moreno, que estava alguns passos a frente – é isso!

- O que?

- Quando saímos do Vale, Tsunade me disse “cuidado com aquele que está perdido, ajude-o”, é Neji. Ele precisa de ajuda, precisamos acha-lo o mais rápido possível, ele corre risco de vida.

- Vamos acha-lo – Sasuke acenou com a cabeça, apesar de discordar totalmente das ações do homem de olhos perolados, ele era seu companheiro e Sasuke sabia que tinham que ajuda-lo.

Continuaram andando, e em determinado momento o chão assumiu um tom mais esverdeado, como se o outono estivesse indo embora as poucos. Em outros momentos até ficariam aliviados pelo início de sol que presenciavam, mas não conseguiram se tranquilizar, pois naquela parte o ar ficava mais denso e era possível sentir o chão tremer levemente, como se uma manada de búfalos corresse para aquela direção.

- Sasuke – Sakura o chamou, tentando esconder o fato de que seu coração acelerou e o pavor começava a tomar conta de si.

- Eu sei – respondeu ele, entendendo perfeitamente os sentimentos da garota – precisamos sair daqui, vamos descer um pouco. Neji certamente não veio pra cá.

Desceram alguns metros e era possível notar que algo havia passado ali a pouco, pois as folhas secas no chão estavam quebradas, Sasuke desembainhou a espada e Sakura copiou o movimento.

Se eram orcs, não saberiam dizer, mas estariam prontos para o que estava por vir.

“Que comece a festa” – pensou Sasuke.

- Vocês estão aí! – escutaram a voz de Naruto atrás de si, e um alívio enorme percorreu pelo corpo de Sakura, e Sasuke nunca pensou que ficaria tão feliz em ver o amigo – procuramos por toda parte.

- Há orcs por toda a costa – disse Sasori logo atrás do elfo.

- Nenhum sinal de Neji também, é? – constatou Sai, que os acompanhava junto de Suigetsu.

- Precisamos sair logo daqui – Suigetsu completou – nem que tenhamos que deixar Neji.

- O que? – desacreditou Sakura – não vamos deixa-lo!

- Não sabemos quanto orcs estão aqui, Sakura – disse Sai.

- Não interessa! – exasperou ela – não deixaremos ninguém!

- Sakura tem razão – se pronunciou Naruto, que até então se mantinha em silêncio.

- Se acalmem, iremos acha-lo – suspirou Sasori, para depois virar-se para Sai e Suigetsu – desçam a colina e voltem para o acampamento, fiquem de prontidão e mantenham a guarda alta. Tomem cuidado.

Ambos acenaram e saíram em direção a margem do rio; deixando uma Sakura furiosa e um Sasuke inconformado pelo fato da garota defender tanto o companheiro, sendo que minutos atrás fora ele que havia falado coisas horríveis a ela.

Foi Naruto e Sasori que tiveram que tomar as rédeas da situação.

- Vamos nos dividir novamente – disse Naruto, assumindo uma postura séria.

- Eu e Naruto vamos para esquerda – propôs Sasori – e vocês para a direita.

Mas antes que pudessem responder qualquer coisa ouviram um som ao longe, como se fosse de uma trombeta; o som repetiu mais três vezes e todos presentes ali se entreolharam.

- Neji – falou primeiro Sasori, com um olhar assustado.

- O que? – perguntou Naruto.

- Tsunade deu a cada um de nós um presente, e para ele foi uma corneta – respondeu o ruivo.

- “Para sempre que toca-la, você se lembrar que não está sozinho” – Sakura repetiu as palavras que ouvira a loira proferir ao se despedir de Neji.

- Vamos, rápido – Sasuke começou a correr em direção ao som, que soava novamente, e logo foi seguido pelos companheiros.

 

oOo

 

Após sair do acampamento completamente irado com a situação, depois de muito pensar e refletir conseguiu se acalmar. Para ele era muito difícil acertar que ajudariam Suna, à quem lhes negou o mesmo no passado. Era inadmissível, afinal foi por causa dessa ajuda que não tiveram que seus pais morreram e todo esse inferno começou.

Sentiu em uma rocha e lembrou-se das palavras que dissera a Sakura e deu conta de que estava agindo como um inconsequente.

Sasori não tinha escolha e que ele deveria acatar a decisão questionar.

Suspirou cansado, ele sabia que havia perdido o controle e precisava consertar isso.

Ele sabia que precisava voltar.

Caminhou por entre os rochedos e arvoredos a procura do caminho de volta e quando se deu conta, viu uma horda de orcs que notaram a sua presença, metros a frente de si.

Não que ele tivesse medo, de fato não tinha, o problema é que estava desgastado por conta do trajeto e sabia que não capaz contra todos aqueles bichanos sozinho.

Alguns orcs correram em sua direção e ele – já com a espada na mão – tomou a posição de defesa, sabia que não adiantava investir para ataca-los, eles certamente viriam até si.

Os primeiros três orcs se aproximaram e o guerreiro prontamente os abateu, atingindo-os com a espada aonde fosse possível acertar.

E então vieram mais três, o primeiro Neji logo derrubou, o segundo acertou lhe um soco no rosto mas logo foi morto, e o terceiro acertou-o no braço com uma ferramenta – seguia a ideia de uma espada, mas era de um material enferrujado – fazendo o moreno recuar alguns passos, tomando fôlego para caminhar novamente até o orc e o matar.

- Droga – Neji dizia para si mesmo, enquanto retirava sua corneta, que estava presa ao seu cinto, soprando diversas vezes o instrumento.

Ele precisava de ajuda.

 

oOo

 

- São enormes! – argumentou Naruto, enquanto se aproximava do grupo de orcs a sua frente.

- Certamente diferentes dos orcs que havia em Oto antigamente – concluiu Sasori – Orochimaru tem os aprimorado.

- Também são diferentes dos que eu e Sasuke enfrentamos na floresta – Sakura falou.

- Vamos, não temos tempo a perder – disse Sasori – faz alguns minutos que a corneta de Neji parou de tocar.

As criaturas de Oto já haviam parado de correr e agora caminhavam lentamente, enquanto os membros da Comitiva seguiam sorrateiramente pelo lado esquerdo deles, atacando-os pela beirada.

Naruto assumiu a postura de arqueiro e ficou na retaguarda para acertar os inimigos à distância. Os orcs tinham armaduras fortes e pesadas, deixando a tarefa do elfo ainda mais difícil, porque eles caíam apenas quando as flechas acertavam o torso, pescoço e cabeça; ao receberem flechadas nos demais lugares do corpo, apenas ficavam mais lentos, mas ainda sim continuavam sua caçada.

- Fique atrás de mim – Sasuke disse para Sakura, sem tirar os olhos dos orcs que corriam em sua direção. Agora ela estava entre Naruto e Sasuke, já com a espada na mão e em posição de defesa.

Ele abateu facilmente as duas primeiras criaturas, acertando uma na barriga e a outra lhe arrancando a cabeça. Sasori também lutava bravamente, derrotando um a um, cada orc que se aproximava.

- Sasuke – chamou-a garota, que ainda permanecia atrás dele, já estava ficando um tanto irritada, porque eram muitos inimigos e sentia-se completamente inútil – eu posso lutar.

- Não – repetiu ele, matando mais um - continue ai.

Sasori, Naruto e Sasuke lutavam bravamente, mas já estavam ficando cansados, pois não haviam recuperado as forças – passaram o dia todo em cima de um barco, ainda não tinham descansado.

- Sasuke! – gritou Sakura – você me treinou para uma guerra, lembra-se disso?

- E enquanto não precisar lutar você não ira – ele parou e olhou para ela, também não estava feliz com a atitude dela.

Quando ela olhou para ele novamente, viu uma das criaturas correndo em direção às costas do moreno, pronto para acerta-lo, não pensou duas vezes e correu até ele, lançando a espada do lado esquerda do tronco. Quem via de fora poderia facilmente achar que ela estava acertando sua wakizashi diretamente em Sasuke. Ele também se assustou de início, mas quando viu o corpo do orc cair desfalecido ao seu lado, percebeu o que ela havia feito.

Ele estava tão distraído que não sentiu a presença do inimigo atrás de si, e se não fosse ela mata-lo, talvez fosse Sasuke que estivesse morto. Agora olhava espantado para a garota que ainda estava a sua frente, com o corpo muito perto do seu, segurando sua espada com a mão esquerda e a mão direita estava no peito do moreno, era possível ver que ela também estava espantada com o que acabara de acontecer.

- Sasuke, está bem? – ouviu Sasori dizer, se virou para ele e acenou com a cabeça – Sakura assuma o lado esquerdo, e tenha cuidado.

Ela concordou e correu para o lado que Naruto estava – o mesmo já havia sacado sua espada e juntos começaram a lidar com alguns orcs que estavam lá.

- O que está fazendo? – Sasori gritou para Sasuke – Concentre-se na luta. Ela sabe o que faz!

Sasuke olhou para Sasori espantado com as palavras duras que ouvira, virou para a garota que já estava perto de Naruto e viu a facilidade que ela tinha em tecer os movimentos, ora defendendo, ora atacando.

Ela não tinha experiência e esteve em poucos confrontos, era verdade, mas apesar de estar um pouco receosa se esforçava ao máximo para fazer um bom trabalho; E Sasuke ao perceber isso, acenou em concordância para Sasori, e partiu para cima dos orcs mais próximos.

Sakura acertou várias criaturas, derrubando-os no chão, também se revezava com Naruto, com o arco e flecha, para tentar diminuir a quantidade de orcs e também acertar os arqueiros inimigos, evitando que fossem acertados; dado certo tempo, acabaram as flechas dela e do elfo, sendo necessário aderir veemente às espadas.

Ouviu um barulho de flecha perto de si e se assustou, para logo ver o orc que corria em sua direção ser acertado, virou-se para trás e suspirou aliviada ao ver Sai, Shikamaru, Juugo e Suigetsu.

- Precisando de ajuda? – perguntou com um sorriso sarcástico Shikamaru, segurando o seu arco na mão, já retirando mais uma flecha da aljava.

- Acharam que iam nos excluir da festa? – falou Sui, já segurando o machado e correndo em direção a criatura mais próxima. Sai e Juugo, sempre os mais quietos, também haviam sacado umas armas e se colocado na luta.

- Isso vai ser cansativo – suspirou Shikamaru, assumindo o posto de arqueiro, ocupado por Naruto minutos atrás.

Sasori acenou agradecendo pela presença deles, e voltou à matança.

Os bichanos eram grandes e um tanto lentos, fazendo com que isso se tornasse uma vantagem para os membros da Comitiva.

Não era possível discernir a quantidade de inimigos que havia, mas a luta estava incessante e deixando todos cansados. Já estavam um tanto machucados, nada grave, mas ainda sim requeria cuidado; sem falar na preocupação com Neji, que aumentava a cada segundo. Sasori tinha seu coração apertado e ele temia pelo companheiro.

- Eles estão a procura de algo – disse Shikamaru que chegava perto de Sasori, vendo os orcs se dissipando.

- Ou de alguém – completou o ruivo, olhando para Sakura.

Ela havia feito um bom trabalho ao esconder a cor de seu cabelo, amarrou ele em um coque e colocou um pano - que antes devia ter sido uma camisa - sob toda a sua cabeça, e havia colocado o capuz da capa, que com os movimentos da luta acabou caindo, mas ainda sim a cor de seu cabelo não podia ser vista.

- Será que Orochimaru já está tão a nossa frente assim? – perguntou o elfo analítico.

- Não sei, mas não podemos correr esse risco – disse o líder, virando-se para Juugo – fique perto de Sakura.

O anão acenou positivamente e assumiu o posto solicitado por Sasori.

- Temos que achar Neji – completou Sasuke que havia chegado perto dos dois.

Continuaram a lutar com os orcs que chegavam perto de si, a fim de seguirem mais para frente, eliminando as criaturas que se aproximavam, para tentar achar o companheiro.

Felizmente nenhum deles havia se machucado gravemente, Sai teve um corte um pouco maior no braço e Sakura foi acertada de leve na altura da cintura, os apenas demais tiveram escoriações.

- AQUI! – ouviram a voz de Sakura a certa distância, Sasuke sentiu o seu coração disparar e torceu para que ela não tivesse de machucado.

O moreno correu junto de Shikamaru e Sasori para o lado que ouviram o grito dela, e ao chegarem lá ficaram ainda mais apreensivos. Neji estava deitado com o tronco escorado em uma árvore, ele tinha um corte no braço, mas o que realmente fez Sasori se preocupar foram as duas flechas cravadas na altura de sua barriga. Neji estava em sérios apuros.

Apesar da quantidade de orcs ter diminuído, eles ainda se faziam presentes, e os demais membros da comitiva fizeram uma espécie de barreira entre Neji e os inimigos.

Sakura, segura de que os companheiros cuidariam do resto, embainhou novamente sua espada e chegou perto do companheiro caído, temendo por ele, que já tinha uma cor esbranquiçada nos lábios.

- Neji? – chamou-o com cautela, ele estava acordado, pois seus olhos estavam abertos, mas parecia aéreo e ela teve receio de assusta-lo – é a Sakura, eu estou aqui.

- Sakura? – ele a olhou, sentia-se tonto – me desculpe por antes... e-eu não...

- Não é hora para isso, ok? – cortou-o se aproximando ainda mais com um pequeno sorriso no rosto – vamos cuidar de você.

- Já era para mim, não há o que fazer – falou com pesar, olhando para as flechas presas em si – cuide dos outros, por favor.

- Deixe isso, você ficará bem – mesmo não tendo certeza disso, ela procurou mantê-lo calmo. Era totalmente o contrário do homem que havia lhe dito coisas horríveis antes, agora ele parecia... com medo. Talvez realmente fosse isso, ele estava com medo de morrer.

- Estou fraco, tonto... minhas forças estão se esvaindo – continuou ele, agora mantendo fixos os olhos na garota a sua frente – eu nunca fui justo com você, Sakura... sempre tive raiva da situação em que estava, ódio pelo que houve com a minha família – parou de falar e tossiu sangue - e de certa forma usei o fato de você ser diferente de mim, para lhe atribuir a culpa de toda essa merda que vivemos... mas você não tem culpa de nada. Com certeza é diferente de mim, você é muito melhor.

Neji a olhava e parecia que estava perdendo a consciência aos poucos.

- Mas saiba que sempre busquei o fazer o melhor, apesar de que sei que não consegui... – tossiu novamente e respirou devagar, já sem forças - cuide de todos eles...

- Neji... pare com isso – disse Sasori que correu até ele, e agora se encontrava agachado ao seu lado – você vai ficar bem.. vamos, resista!

- Sasori, meu irmão... – tossiu novamente – me desculpe por tudo... cuide de Hinata, por favor.

- NEJI! – gritou ele.

Era notável a tensão que se instaurou no local, Sasori e Sakura tentavam inutilmente acordar Neji, chacoalhando-o e chamando seu nome, já os demais companheiros ainda lutavam com os poucos orcs que restavam, enquanto o restante dos inimigos havia fugido de lá.

Era definitivamente um dia sombrio.

 

Betado pela linda da BruxaArcana!


Notas Finais


E então, o que acharam!

Não me odeiemmm, por favor!

Até o próximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...