História Novo Time 7 - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sasuke Uchiha
Tags Naruto, Personagem Original, Romance, Sasuke
Exibições 10
Palavras 3.340
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Nova Missão


Akemi arrumou suas costumeiras maria chiquinhas no topo da cabeça após conseguirem pegar Tora, a mascote de uma senhora do País do Fogo.
Seguiram para o escritório do Hokage, para entregar Tora, sua dona mal os viram e agarrou Tora nos braços, a apertando exageradamente.
Naruto reclamou e Akemi entendeu perfeitamente porque a gata tinha fugido, se fosse a felina ela faria o mesmo.

— Agora, próxima missão da equipe 7, temos várias tarefas disponíveis. Cuidar do bebê de três anos do Conselheiro Chefe e ajudar sua esposa nas compras. Semear batatas... - Começou o Hokage lendo em um papel.

— Não! - Interrompeu Naruto. - Eu quero uma missão de verdade, uma coisa desafiadora e emocionante, não essas coisas de criança, vamos lá, velhote! - Falou Naruto em tom alto para o Hokage.

"Ele tem razão." Pensou Sasuke.

"Eu sabia que isso ia acontecer." Pensou Kakashi derrotado.

— Como se atreve? Você é apenas um Gennin sem experiência. Vai começar com missões simples para desenvolver suas habilidades e se aperfeiçoar. - Contrariou Iruka-sensei, que estava ao lado do Hokage.

— Está brincando? Cuidar de um bebê não é uma missão! - Gritou Naruto, Akemi se surpreendeu em como o loiro gritava com seus superiores e não era repreendido.

"Se bem que eu gostaria de cuidar de um bebê..." Pensou Akemi imaginando um bebê bonitinho.

Kakashi deu um cascudo no loiro que o fez cair no chão e disse.

— Menos, Naruto.

O Hokage interrompeu os dois.

— Parece que você não entendeu as tarefas que recebeu. Todos os dias chegam diferentes tipos de pedidos em nossa aldeia. Desde cuidar de bebês até assassinatos. Esses pedidos são cuidadosamente gravados, analisados e classificados em níveis A, B, C ou D, dependendo de sua dificuldade. Todo ninja também é classificado por suas habilidades. Hokage é mais alto, Jounnin, Chunnin e Gennin estão abaixo. No nível mais alto selecionamos as missões e as atribuímos ao ninja que tem a habilidade e a experiência necessárias. E se a missão tiver êxito, recebemos um pagamento que mantém nossa aldeia e nosso trabalho. Como vocês são Gennin sem treinamento, devem começar pelo caminho shinobi. Receberão tarefas do nível D, é claro...

— Ontem comi lámen tonkatsu e hoje vou comer miso lámen! - Naruto comentou com Akemi e Sasuke. Akemi assentiu prontamente, interessada no assunto.

— Silêncio! - Exclamou o Hokage irritado.

— Desculpe. - Falou Kakashi sem jeito.

Naruto se virou para o Hokage para dizer:

— Você sempre me passa sermão como se fosse meu avô ou sei lá o quê. Mas eu não sou mais aquele pirralho que sempre te amolou. Agora eu sou um ninja e quero realizar uma missão ninja.

"Vai sobrar pra mim por causa disso." Pensou Kakashi com uma das mãos na cabeça.

"O Naruto quer que a gente saiba que ele não é mais uma criança. Já foi criança e quer uma missão." Pensou o Hokage com um cachimbo entre os lábios.

— Que seja, já que está tão decidido, vou lhe dar uma missão nível C, serão guarda-costas em uma viagem. - Disse o Hokage calmamente.

Naruto se empolgou para logo depois perguntar.

— Legal! Quem? Vamos proteger uma princesa ou um chanceler importante?

— Não seja tão impaciente, você vai conhecê-lo agora. Tragam o nosso visitante. - Ordenou o Hokage.

E um homem de meia idade apareceu pela porta segurando uma garrafa de bebida, trajava roupas simples.

— O quê? Um monte de pirralhos metidos. E você, o pequenininho aí, com cara de idiota, quer mesmo que eu acredite que você é um ninja?

Naruto riu e colocou ambas as mãos na cintura.

— Haha, quem é o pequenininho com cara de idiota? - E olhos para os dois do seu lado.

Akemi era menor que Naruto, mas logo tratou de retratar.

— Eu não sou, ele disse "o pequenininho", e eu sou garota, e você é menor que o Uchiha cabelo de bunda de pato. - Sasuke a olhou estreitando os olhos. - Então sabemos de quem ele está falando. - Akemi mostrou a língua para Naruto.

— Eu vou acabar com você! - Gritou Naruto enquanto Kakashi o segurava.

— Não pode acabar com um cliente. Não é assim que as coisas funcionam. - Explicou o ninja mais velho enquanto segurava Naruto que não parava de se mexer.

O velho deu um grande gole na bebida que segurava, ficando levemente corado e olhou diretamente para o grupo.

— Eu sou o Tazuna, um grande construtor de pontes e preciso voltar à minha terra. Estou construindo uma ponte que vai mudar o nosso mundo e espero chegar lá são e salvo, mesmo que tenham que dar suas próprias vidas. - Falou sério, porém um pouco grogue por conta da bebida.

---

Já estavam nos portões da vila, o trio, Kakashi e Tazuna.
Estava caminhando quando Naruto de virou, fazendo todos pararem.

— É isso aí! - Gritou com as mãos para o alto.

— Por que está tão animado, Naru-baka-chan? - Perguntou Akemi.

O loiro a olhou com cara feia, por conta do apelidinho e respondeu com entusiasmo.

       — Essa é a primeira vez que vou sair da aldeia, agora sou um viajante, é isso aí. E aliás, Akemi, por que está com essa máscara? - Naruto perguntou confuso a última frase.

— Estamos indo para uma missão, e cada um se veste como acha adequado, Naru-baka-chan. - Falou mostrando a língua, mesmo que o loiro não pudesse ver. 

Era uma máscara estilo Anbu, cobrindo o rosto todo, porém era inteira negra. Contrastando com seus cabelos brancos, que ainda mantinha em duas maria chiquinhas no topo da cabeça. 
Tazuna os interrompeu, irritado e apontando para Naruto, que estava a sua frente.

— É nesse debillóide que vou confiar minha vida?! Ele é uma piada!- Perguntou exasperado.

Kakashi riu, Akemi só não sabia se ele estava achando graça da situação ou estava sem graça.

— Ele está comigo e eu sou um Jounnin, não se preocupe. - Colocou uma mão na cintura, despreocupado.

"Por que a gente tem que proteger esse velhote? Eu vou acabar com isso agora mesmo." Pensou o loiro enraivecido.

— Nunca insulte um ninja, é um grande erro. Eu sou o maior ninja do mundo, vou ser Hokage um dia e vai ter que me respeitar. Meu nome é Naruto Uzumaki, não se esqueça! - Apontou o dedo na cara do velho, com um sorriso confiante.

Tazuna deu um gole em sua bebida para depois falar.

— Um Hokage é poderoso e sábio, e você é fraco e debilóide. O dia que você for Hokage, eu vou bater asas e voar. - Falou indiferente.

— Cale a boca! Vou fazer de tudo para me tornar um Hokage. Custe o que custar! E quando eu conseguir, todos vão ter que admitir que sou o maior ninja do mundo, inclusive você! - Gritou o Uzumaki irritado.

— Você pode se tornar Hokage dez vezes, mas pra mim você continuará sendo um João Ninguém, um perdedor. - Falou desinteressado, dando mais um gole na bebida.

— Cale-se. - Dessa vez não foi Naruto, mas sim Akemi, que incrivelmente estava séria. - Ele é meu membro de equipe, e não permitirei que o insulte, nem que você fosse o próprio Hokage. - Assustou a todos ali, até o próprio Naruto, nunca a tinha visto com uma voz tão fria e séria.
Tazuna engoliu em seco quando todos começaram a caminhar para longe da vila em completo silêncio.

---

Estavam a um tempo já caminhando quando a Senju resolveu quebrar um pouco o gelo, já que ninguém dizia nada.

— Sensei, vamos para o País das Ondas, certo? - Perguntou a garota, voltando ao tom ameno.- Lá também tem ninjas? - Estava curiosa.

— Não, não tem nenhum ninja no País das Ondas. Mas nos outros países há aldeias ocultas. 
Cada uma com seus próprios costumes e culturas, onde todo o ninja mora. Para o povo desse continente, a existência de aldeias shinobi significa força, força militar. Em outras palavras, é assim que eles se protegem e mantêm o equilíbrio do poder com os países vizinhos. As aldeias ninja não são controladas por nenhum governante, elas são independentes e tem um status igual. Uma ilha pequena, como o País das Ondas, tem uma proteção natural do mar, por isso não precisa de uma aldeia ninja. As cinco grandes nações ancestrais que possuem aldeias shinobi são: os Países do Fogo, da Água, do Trovão, do Vento e da Terra, cada um deles ocupando um vasto território. - Akemi assentiu, mostrando que estava prestando atenção. - Juntos são conhecidos como as cinco grandes nações shinobi. O País do Fogo tem a Aldeia da Folha, o País da Água, a Aldeia da Névoa, o País do Trovão, a Aldeia da Nuvem, o País da Terra, a Aldeia da Pedra, e o País do Vento, a Aldeia da Areia. Só aos líderes dessas aldeias ocultas é permitida a palavra "kage", que significa sombra. Hokage, Mizukage, Raikage, Kazekage, Tsuchikage, eles são os líderes. Há cinco sombras que governam qualquer ninja.

"Eu enganei ele com o meu Jutsu Sexy, ele não pode ser tão bom assim." Pensou Naruto desconfiado.

— Estão duvidando do grande Hokage, não é? Era isso que estavam pensando. Bom, de qualquer modo, não há batalhas ninja nas missões nível C, portanto podem relaxar, sem ninjas inimigos. - Kakashi falou sorridente por trás da máscara.

---

Estavam andando calmamente quando Kakashi é atacado por trás, por dois ninjas que haviam surgido de uma poça de água. Os dois o enlaçaram com corrente, e Akemi viu com os próprios olhos o Sensei sumir dentre as correntes, só não sabia se era um jutsu de troca ou ...

— KAKASHI-SENSEI! - O loiro gritou.

— Agora é a sua vez. - Os dois ninjas disseram ao mesmo tempo, com uma voz esquisita, no ouvido de Naruto.

A garota viu Sasuke que estava ao seu lado atirar uma shuriken e depois uma kunai na corrente dos dois ninja, a prendendo em uma árvore.

— Eu não consigo me soltar. - Disse um deles. Para logo depois o Uchiha pular em cima dos braços de ambos, e dando um chute no rosto deles, os fazendo se soltar e ir em direção a Tazuna. 
Akemi disse com duas kunais em mãos, os olhando fixamente nos olhos, por mais que eles não podiam ver os seus.

— Venham, seu babacas. - A garota estava mesmo disposta a matar os dois, ela sentia uma adrenalina diferente agora.

"Está de brincadeira..." Akemi pensou e logo deu um chute médio nas costelas do Uchiha, o fazendo sair da frente, não com intenção de machucar, mas sim de tirá-lo de perigo.

Quando estava realmente preparada ela se depara com Kakashi segurando os dois ninjas, um em cada braço.

— Oi! - Disse como se nada tivesse acontecido, com um semblante desinteressado, como sempre.

"Kakashi-sensei estava aonde?" Se perguntou a garota confusa.

"Exibido." Pensou Sasuke com cara de tacho.

           "Mas ele estava..." O loiro se virou em direção da onde o sensei havia sido atacado pela primeira vez. "Kakashi-sensei usou um jutsu de troca."

— Desculpe por não ter te ajudado logo, Naruto. Eu não queria que te machucassem, mas também não pensei que você fosse amarelar daquele jeito. - Falou o ninja mais velhos.

"Pelo menos me salvaram." Pensou Tazuna aliviado.

— Bom trabalho, Sasuke, mandou bem. Você também, Akemi, ficou de guarda o tempo todo.

"Fui um inútil, e Sasuke foi tão tranquilo como se tivesse feito aquilo milhares de vezes, não se assustou nem um pouco. Parecia tão calmo, saiu sem nenhum arranhão. Eu fui tão covarde que ele teve que vir me salvar. Por que eu não sou assim também?" Pensou Naruto se martirizando por não ter feito nada, estava se sentindo um lixo. Só sentiu uma mão feminina no seu ombro.

— Não se preocupe, todos somos inexperientes, você não ter feito nada por estar assustado é normal e humano, nunca passou por algo semelhante. Naruto, você é um grande ninja e será ainda melhor, acredite nisso. - Disse a garota com a máscara cobrindo todo o rosto, o que era assustador para o loiro, um rosto que ele não podia ver a expressão e nem os olhos, porém tinha uma voz meiga.

— E aí? - Falou Sasuke mais a frente, fazendo Naruto o fitar.

— O que é que foi? - Perguntou Naruto meio receoso.

— Você não se machucou, não é? Moleque medroso. - Falou em completo sarcasmo e com um fundo de divertimento.

Naruto só o olhava estranho, uma mistura de surpresa e raiva.

— SASUKE! - Gritou o Uzumaki.

— NARUTO! - Quem havia gritando não foi o Uchiha, mas sim, Kakashi. - Não se mexa, essa espécie de ninja tem veneno nas garras. Precisamos tirá-lo de você, e rápido, você precisa abrir a ferida e tirá-lo imediatamente. Está no seu sangue, por isso não se mexa, ele pode se espalhar em instantes. - Kakashi finalizou, para logo mudar de assunto. - A propósito, senhor Tazuna... - Começou.

— Sim? - Perguntou o senhor assustado, se virando para ele no mesmo momento.

— Precisamos conversar. - Falou sério.

---

— Eles são Chunnin da Aldeia da Névoa, sua especialidade é o ataque implacável. Eles continuam lutando, não importa qual seja o sacrifício.

— Como soube da nossa emboscada? - Perguntou um deles, que estava amarrado em uma árvore, junto do outro.

— Uma poça de água num dia claro, quando não chove há semanas. - Explicou o Hatake simplesmente.

"Mas é claro, sua estúpida. Como não percebeu?" Akemi estava estressada com ela mesma.

Tazuna olhou para o ninja mais velho entre eles e perguntou.

— Então me diga, por que você deixou os Gennin começarem a luta? - Uma pergunta interessante.

— Eu podia ter acabado com eles rápido, mas aí não saberia de nada. Eu precisava descobrir seu objetivo, e de quem eles estavam atrás. - Kakashi olhou diretamente para Tazuna, o acusando com os olhos.

— Onde você quer chegar? - Perguntou o construtor de pontes.

Kakashi se virou completamente para o velho.

— Veja, eu queria saber se vinham atrás de nós, um ninja atacando um ninja ou se estavam atrás de você, o grande construtor de pontes. Quando o senhor fez o pedido, você pediu proteção padrão, contra ladrões e assaltantes, não disse que estava sendo procurado ou perseguido por nenhum ninja. Se soubéssemos disso, talvez tivéssemos classificado essa missão como B ou mais alto. Nossa tarefa era simplesmente levá-lo ao seu destino e protegê-lo enquanto construía a sua ponte. Se tivéssemos ideia que enfrentaríamos inimigos ninja teríamos escalado uma equipe diferente e cobrado o valor de uma missão B. Você deve ter sua razões, mas mentir para nós é inaceitável. Nós agora estamos fora do alcance dessa missão. - Falou sério olhando fixo em Tazuna, o fazendo abaixar a cabeça.

— Enfim, a mão de Naruto é um problema, temos que voltar a vila e tratá-lo.

Akemi deu um passo a frente para dizer algo quando viu Naruto enfiando uma kunai na própria mão envenenada. Todos o olharam surpresos.

            — Por que eu sou diferente? Por que só acontece comigo? Eu trabalhei tão duro pra chegar até aqui, me esforcei até o limite, treinei sozinho durante horas. Qualquer coisa pra ficar mais forte, para realizar meu sonho. Eu nunca mais vou fraquejar, nem vou deixar que alguém me resgate, nunca mais fugirei ou perderei para o Sasuke. Sobre essa ferida faço esse juramento. Construtor de pontes, vou completar essa missão e protegê-lo com essa kunai. Um ninja de verdade jamais se dá por vencido e não me darei. Não se preocupem comigo, eu vou ficar bem. Agora vamos. - Falou com a mão em frente ao rosto, pingando sangue, e com um sorriso desafiador.

— Naruto, foi muito legal como você cortou a irrigação do veneno, mas se perder um pouco mais de sangue, você vai morrer. - Naruto ficou de tom azul, percebendo agora o real perigo. - É uma boa ideia parar o sangramento agora, falo sério.

— Não quero morrer não, sou muito novo! - O loiro começou a se desesperar e rapidamente mostrou a sua mão para Kakashi.

"A ferida, já está começando a sarar." Pensou o Hatake.

— Você está com uma cara muito séria. Está me assustando, eu estou bem? - Perguntou o Uzumaki com uma mão na cabeça, assustado.

Kakashi o olhou e respondeu serenamente.

— Está sim, você vai ficar bem. - Disse enquanto enfaixava a mão do mais jovem.

"Esse poder curativo seria da Raposa de Nove Caudas?" Kakashi se perguntou, pensativo.

---

Estavam passando em um barco, com uma neblina bastante densa ao redor.

— A ponte não está longe. - Avisou o dono do barco, o que remava. - Nós já estamos chegando ao País das Ondas.

Naruto apertava mais os olhos, para ver se via a tal grande ponte.

— É IMENSA! - Gritou o loiro entusiasmado.

— Cale a boca! Já avisei, sem barulho. Por que você acha que estamos viajando assim? Com o motor desligado e remando, atravessando a neblina densa é para não verem a gente. - Explicou o homem.

Naruto tampou a boca com as mãos na mesma hora.

— Senhor Tazuna, antes de chegarmos ao cais, eu preciso saber de uma coisa. Por que aqueles homens estão atrás do senhor? Se não nos disser isso, acho que teremos que terminar essa missão assim quando o deixarmos em terra. - Falou Kakashi esperando uma resposta.

Ao perceber que todos estavam o olhando, Tazuna ergueu a cabeça e falou em um tom de derrota.

— Não tenho outra opção, senão contar. Não, eu quero que saiba a verdade, como você disse, isso foge do alcance da missão original. O homem que quer a minha vida é muito pequeno, mas tem uma sombra muito grande e mortal. Você o conhece, pelo menos já ouviu falar no nome dele, é um dos homens mais ricos do mundo, o magnata chamado Gatou.

"Gatou? Dos transportes Gatou? Ele é um líder do mundo dos negócios, todos o conhecem." Pensou Kakashi surpreso.

— Quem? Quem é esse? - Perguntou Naruto, empolgado.

Tazuna respirou fundo e fechou os olhos, para começar a falar.

— Gatou é um executivo muito respeitável de uma famosa companhia, é verdade. Mas por debaixo do pano e com métodos desumanos, ele tira vantagem de seus rivais nos negócios e nas ações. Ele vende drogas e contrabando, usando gangues e capangas ninja. Há um ano, quando Gatou viu pela primeira vez o País das Ondas, ele veio para a nossa ilha e usou da sua vasta fortuna para assumir do controle total dos transportes e da embarcação. Quem ficava em seu caminho simplesmente desaparecia, numa terra que é uma ilha, aquele que tem o controle do mar, tem o controle de tudo, finanças, governo, nossas vidas. Mas há uma coisa que ele teme, A ponte. Pois quando estiver terminada ela nos ligará a terra firme e isso acabará com o seu controle. Eu sou o construtor da ponte. - Tazuna desabafou.

— Isso quer dizer que os caras que enfrentamos, são capangas de Gatou. - Concluiu Sasuke.

— Eu não entendo, se você sabia que ele era perigoso e que enviaria capangas para eliminá-lo, por que escondeu isso de nós? - Perguntou o ninja mais velho dentre eles.

— O País das Ondas é pequeno e muito pobre. Até os nossos nobres tem pouco dinheiro. São pessoas comuns que estão construindo essa ponte, e elas não podem pagar por uma missão A ou B, é muito caro. Se vocês terminarem essa missão quando me deixarem em terra, não haverá nenhuma ponte, eles me matarão antes que eu chegue em casa, mas não se sintam mal com isso, é claro que o meu doce netinho vai ficar chateado e chorar, minha filha vai culpar cada ninja da Aldeia da Folha, denunciando e amaldiçoando vocês por terem abandonado o pai dela e viverá em sofrimento. Bem, a culpa não é de vocês, esqueçam! - Disse o velho fazendo drama.

Os ninjas ali ficaram desconfortáveis até que Kakashi se pronunciou.

— Bem, acho que não temos escolha, continuaremos a protegê-lo. - Falou sem graça, olhando para Tazuna sem jeito.

— Estamos chegando à costa. - Alertou o dono no barco. - Tazuna, nós tivemos muita sorte, ninguém nos notou.

 


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...