História Novos começos - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Vampire Knight
Personagens Alvo Dumbledore, Duda Dursley, Harry Potter, Hermione Granger, Kaname Kuran, Petunia Dursley, Remo Lupin, Ronald Weasley, Sirius Black, Tom Riddle Jr., Valter Dursley, Yuuki Kurosu, Zero Kiryuu
Tags Harry Potter, Kaname, Tomarry, Yuki, Zero
Visualizações 68
Palavras 1.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom capítulo minna-san ^-^

Capítulo 13 - Velhos hábitos não mudam


Zero ~~

Já faziam-se algumas horas desde que Harry havia visto meus olhos mudarem de cor, obviamente eu entrei em pânico, por uma razão bem obvia; como explicaria para ele o que sou de um jeito que ele aceitasse, se nem mesmo eu aceito minha condição? - Passaram-se anos desde que eu fugira da Academia Cross, e embora eu dissesse a mim mesmo varias vezes que aceitei minha condição, lá no fundo, eu sempre soube que não era verdade. 

No inicio Harry ficara assustado, não que eu pudesse culpa-lo, fizera até mesmo algumas perguntas idiotas, talvez não tão idiotas assim para ele, como ''Você vai beber o meu sangue?'' ou então ''Vão me matar?!''. Bem, para Kaname deve ter sido divertido, já que o mesmo achou aquela uma boa hora para soltar um de seus risinhos irônicos e assustar Harry dizendo coisas como : ''Depende, você quer morrer?''

Ah, mas naquela hora eu não me segurei, não pude resistir ao impeto de dar uns tapas na cabeça daquele idiota, o garoto já estava assustado e ele que ficara quieto a maior parte do tempo inventara de abrir a boca logo naquela hora?! E ainda para assustar o garoto?!

Contudo após explicar minha situação e a de Kaname mais detalhadamente a Harry, bem como o fato de já sabermos o segredo do mesmo, ele pareceu mais calmo.  E quando percebemos, após conversar muito, a noite já havia chegado.

 

Após uma noite, mal dormida no sofá, acordei-me com o som de batidas na minha porta, queria dormir mais um pouco, mas se fosse quem eu pensava, tinha quase certeza, do outro lado daquela porta aquela praga não ia me deixar descansar mais. 

Estava preparado para levantar, e obviamente aquele idiota deveria saber disso, todavia quem disse que ele parara as incessantes batidas? Ótimo Kuran, acabe com meu bom humor antes mesmo dele nascer. 

- JÁ VAI! - com Kaname por perto era difícil me controlar para não soltar um palavrão a cada cinco minutos. Era incrível, fiquei anos sem vê-lo e quando o encontrei, para meu desgosto inicialmente, ele parecia ter ficado ainda mais...irritante. Bom, deve ter sido a convivência com aqueles amiguinhos irritantes dele, principalmente aquele loirinho, óh aquele sim era irritante.

Ao abrir a porta me deparei com uma cena tão conhecida por mim, Kaname Kuran a minha frente sorrindo simpática e inocentemente, coisa que obviamente ele não era, como se a poucos segundos atrás não estivesse atrapalhando meu sono e ,talvez, tentando destruir a porta. 

- Oh, bom dia Zero, parece cansado...ÓH... você estava dormindo?! - disse inocentemente e sorrindo com uma cara que enganava a todos e fazia o parecer ''um anjinho'', contudo não enganava a mim, de anjo ele não tinha nada, estava mais para demônio. 

- Não, estava na Disney, fui lá pedir um autógrafo para o Mickey, e você? - disse sarcástico, e obviamente em vez de irrita-lo isso só pareceu diverti-lo. ''Argg, como eu odeio esse idiota!!'' - pensava eu perdido em pensamentos, e me esforçando para não dar uma voadora na pessoa a minha frente, não que eu fosse conseguir acerta-lo...

O engraçado é que embora eu pudesse pensar coisas como 'eu o odeio' ou 'um dia eu vou matar esse idiota' , não conseguia realmente proferir tais palavras a ele, na verdade só em pensar nessa hipótese sentia uma dor no coração, algo parecido com o sentimento, o medo, de perder alguém, o que eu senti quando perdi meus pais e quando Kaname transformou Yuki. Mas por que o medo de perde-lo? O máximo que poderia acontecer era ele devolver minha fala na mesma moeda, e por que essa última opção parecia-me a pior de todas? Por que para mim parecia que ouvir 'odeio-te' ou 'também quero mata-lo' de Kaname parecia me quebrar por dentro? Acho que realmente estou carente de amigos...para depender tanto assim da amizade dele, a tal modo que somente em pensar perde-la já me dói 

- Zero? Zero você está bem? - disse Kaname tirando-me de meus devaneios. 

Ele estava perto...perto demais...

Por uns segundos, que pareceram horas, fiquei perdido em seus olhos. Nossos narizes chegavam a se encostarem de tão perto que estavam, uma minima distância separando nossos rostos de se juntarem completamente, distância essa que de algum modo eu estava tentado a quebrar, parecia estar sendo atraído como um imã. 

- Senhor Zero, tudo..- ouvi atrás de mim uma voz que parecera ser a de Harry tirando-me de meu transe. Meu Deus, eu estava prestes a...o Kuran...ele...eu...Meu Deus! Santo Harry, se não fosse o garoto eu estava ferrado, iria ser zoado por Kaname pelo resto da minha vida, que pelo fato de ser vampiro eu supunha ser bastante longa. Ainda assim, por que me sinto triste por ter sido interrompido quando deveria estar feliz? 

Afastando-me de Kaname, e dando-lhe espaço para entrar, fui até Harry que estava vermelho. 

- Estou sim Harry, só estava recebendo uma visita desagradável, aquele tipo de vizinho que parece ter prazer em acordar você. Mas e você está com fome? Tem frutas na mesa, cereal no armário e leite na geladeira, preciso ir ao mercado comprar algumas coisas para o almoço, vou demorar algumas horinhas provavelmente, Kaname pode ficar aqui com você. 

- Na verdade Zero...- disse Kaname me interrompendo. - Talvez seja melhor eu ir com você, podemos trazer as compras no carro, importa-se de ficar um pouco sozinho Harry? 

- N-não, tudo bem. - disse Harry sorrindo tímido, ele estava evitando olhar para mim e Kaname, e naquela hora tive certeza que ele vira o que ocorrera entre mim e Kaname mais cedo e interpretara errado, Okay; talvez não tão errado assim.

- Ahn? E por que você precisa ir junto? Pode me emprestar o carro e eu mesmo posso ir. - disse tentando evitar ficar sozinho com Kaname, embora no fundo eu soubesse que essa ideia era idiota, eu nunca havia sequer encostado no volante de um carro. Mas não poderia ser tão difícil assim...poderia?

- Eu pensei que você prezava a vida dos cidadãos Zero. - disse Kaname deixando-me confuso, confusão essa que passou a ser raiva rapidamente ao entender o que ele estava insinuando. 

- Ora seu! 

 

Minutos mais tarde após me convencer a desistir da ideia de ir dirigindo, sozinho, ou de ônibus, Kaname e eu já havíamos chegado ao supermercado do shopping local. 

Eu passava pelos corredores,guiando o carrinho, enquanto Kaname seguia ao meu lado. No inicio tentei convence-lo a ficar no carro, mas quem disse que Kuran Kaname desiste fácil?

Já havia comprado coisas como, legumes, frutas, vegetais, temperos e carne. Estávamos escolhendo o cereal, não que eu precisasse ou ele, Harry precisava se alimentar bem. 

Após comprar tudo que era preciso, dirigi-me até o lugar onde estava mais ansioso por ir: O setor de Doces e Chocolates. 

Harry era uma criança e como uma criança doces eram essenciais, além disso eu também queria doces. 

- Zero? O que estamos fazendo nesse setor? - me perguntou Kaname. 

- Ora, alguns doces não fazem mal a ninguém. 

- É exceto para seus dentes e seu corpo. 

- Francamente Kaname, eu gosto de doces e tenho certeza que Harry também gosta.

- Harry precisa de comida saudável, uma boa alimentação e exercícios e não se entupir de doces até ficar doente. Além do mais, são só doces..

Okay, aquele foi o estopim!

-Só doces...só doces?! Me ofenda, me desvalorize, mas nunca, jamais, diga que doces são só doces. 

 Estava tão irritado que segui em frente, sem esperar para ver se Kaname iria me acompanhar ou não, e alheio a atenção que estávamos chamando. 

 Estava tão irritado que só fui pegando todos os doces que vi pela frente o colocando, lê-se: jogando, no carrinho. Minha raiva parecia não aplacar e na verdade só aumentou ao ver que ao mesmo tempo que eu colocava os doces no carrinho e virava-me para pegar outros aquele idiota TIRAVA os que eu tinha posto no carrinho.

 - Ora seu... O QUE PENSA QUE ESTA FAZENDO?! - disse irritado, eu nem sabia o porquê de estar tão irritado assim por causa de doces, parecia até uma garota na tpm, eca. 

- Ora, eu? Nada Zero-kun, somente garantindo que Harry não morra de diabetes. - disse com aquele sorriso simático(falso) que tanto me irritava. 

- Olha aqui seu filh...- estava prestes a falar alguns palavrões e talvez, muito provavelmente, bater no ser a minha frente, quando fui interrompido por uma voz atrás de mim. 

- Ora meninos, acalmem-se, procurando doces para o filho? Não se preocupem tem doces com menos gordura e até alguns com Zero açúcar e gordura. Não precisam brigar por isso, não seria bom estragar a relação, e até magoar o filho de vocês, por futilidades certo? 

Estava prestes a agradecer a senhora por me impedir de cometer assassinato em público e nós informar sobre os doces com menos açúcar quando percebi o que ela dissera. 

- Filho?! - disse eu pasmo. 

- Ora...não estão comprando coisas para o ilho de vocês? - disse a senhora fazendo uma cara confusa, muito fofa por sinal. 

- Nós-nós...n-não...

- Oh...eu sinto muito, é que pareciam ser...e ficam tão bem juntos que eu achei que...

Ao entender o que ela estava dizendo fiquei vermelho. Mas ao dar uma rápida olhada para Kaname, que sorria cinicamente, aliviei-me ao ver que não era somente eu que estava envergonhado, pois mesmo que fosse pouco, dado a sua pele clara era visível ver um tom rosado em suas bochechas. Ele ficava realmente bonito corado.Droga! Pensei coisas estranhas de novo!

- Qu-quer sabe-ber, vamos levar esses com menos açúcar mesmo e alguns normais. - disse eu pegando algumas barras de chocolate diet e normal, e algumas gomas e logo correndo para o caixa. 

Zero off 

- Continuo dizendo que fazem um belo casal, não desista! Tenho certeza que se esforçar-se mais vai conseguir conquistar o garoto, se é que já não conquistou. - disse a senhora a Kaname enquanto sorria simpaticamente e seguia seu caminho. 

- Vou me esforçar, com certeza vou.. - disse Kaname quando a senhora passou ao seu lado, arrancando um sorriso cúmplice dos dois e seguindo para o caixa para encontrar Zero. 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Enquanto isso na casa de Zero...

Harry ainda estava envergonhado. Como podia ser tão desastrado? Tinha que ir procurar por Zero logo quando ele e Kaname estavam...em um momento intimo? 

Eles formavam um belo casal, o garoto pensava. Harry sabia que para algumas pessoas aquilo era estranho, até para seus tios, via quando eles passavam por algum casal homossexual e dirigiam a eles olhares tortos, mas não entendia o problema, afinal, o importante não era amar e ser amado? Qual era o problema de serem duas garotas ou garotos? O que isso mudava? Por que era errado? No final os errados não eram aqueles que julgavam? 

O garoto despertou de seus devaneios ao perceber que o copo que estava lavando já estava limpo. 

Harry havia limpado toda a casa, estava um pouco cansado e com fome, mas não conseguia perder o hábito, seu tio sempre queria tudo limpo quando ele chegasse das compras, e se estivesse algo sujo....bem ele não gostava de pensar nessa hipótese, sabia que Zero não era como seu tio, mas velhos traumas não somem do dia para noite e além disso era o minimo que podia fazer por aquele que o deu comida e abrigo. 

Estava tão focado em não decepcionar Zero, ou irrita-lo, deixando a casa suja que nem ao menos percebera a pequena e singela carta que passara pela pequena entrada para cartas da porta. ( NT: não sei como chama aquilo que algumas casas tem na porta por onde botam as cartas ) ou o cão negro que o observava através do vidro da sala, onde o garoto estava esfregando o chão. 

 


Notas Finais


Yo gente, o que acharam da narração em primeira pessoa? Não sou muito boa nessa narração, me confundo muito.
Dicas, erros, dúvidas, ou algo do tipo, é só comentar, ou chamar privado ^-^
(Gente, ta chovendo aqui, meu quarto ta uma lagoa, eu fui dormir acordei agora, até meu carregador tava molhado, não sei como não aconteceu um curto aqui) .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...