História Now It's War - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Interativa
Exibições 40
Palavras 1.775
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


HEY

Gente me ajudem a tirar 21st Century Girls e Am I Wrong da cabeça pelo amor do Yoongi.
Tão me perseguindo mais que Dope essas coisas.

E a pior de todas: MANY, MANY, MANY, MANY

O tão pedido reencontro.

Passem lá no tumblr que já ta atualizado.

Capítulo 6 - Like a Queen


Autora

 

Saphyra não gosta do Wings, talvez fosse precipitado dizer isso estando no prédio por meros cinco minutos, mas ela realmente não havia gostado do que havia descoberto por alto.

Amberly, tinta, refeitório e Zadaya Rogers estavam em alta pelos corredores do Instituto.

Por isso lá estava ela sentada em uma das mesas de pedra do pátio traseiro observando tudo com cara entediada. A saia do uniforme estava um pouco curta trazendo mais desconforto do que devia, olhares estavam em si e Saphyra facilmente reconheceu Zadaya sentada no gramado com muitas pessoas ao redor.

Regra número um: o inimigo sempre tem guardas.

Ninguém havia falado consigo ainda estava um silencio tranquilo ao seu redor e Saphyra se permitiu fechar os olhos por um momento para apreciar.

Ela devia se lembrar que seus amigos tinha o habito de aparecerem em momentos ruins.

Ela sentiu a dor antes do impacto.

Puta que havia posto Jason Grace no mundo e deixado aquele garoto ir na academia.

“SAPHYRA” o garoto a tirou de cima da mesa começando a dar pulinhos com ela em seus braços pouco ligando para a cena.

“Jay...Ar...Pelo....Amor...De...Zeus” ela conseguiu dizer enquanto o garoto a esmagava.

Jason parou de ter seu ataque e a colocou de volta em cima da mesa na mesma posição, de relance Saphyra reparou que Zadaya olhava discretamente para eles, ela focou atenção em Jason.

“Sinceramente, você precisa controlar seus ataques afetivos, sabe que sentimentalismo não é minha praia” Saphyra chegou para o lado na mesa e retirou os pés da cadeira que os apoiava cedendo lugar a Jason.

“Adoro sua frieza em plena manhã Saphy, refresca todo meu dia....Vinte pratas que Elizabeth é a próxima?” ele estendeu a mão para ela.

“Allan” ela selou as mãos.

Elizabeth caminhou rapidamente pelo corredor até o pátio da parte traseira, sabia bem que os amigos iriam se reunir ali – nem pergunte como ela só sabia – trombou com meia dúzia de pessoa pelo caminho e ouviu uma variedade de palavrões. Relevou por hora e acelerou o passo.

Ela sabia que já tinha dois ali pelos comentários que ouvirá pelos corredores então quando inrompeu pelas portas traseiras do pátio ergueu as mãos para o alto e gritou.

“Eu voltei bando de degenerados!”

Todos olharam para ela, mas apenas um explodiu em uma gargalhada escandalosa e outra deu uma risada meio seca, Jason correu para ela chocando juntando seus corpos pela primeira vez em dois anos e a pegou no colo estilo noiva – o que levou a certo desespero por estar de saia mas que no momento não importava tanto – e a levou até onde ele e Saphyra estavam.

“Olá Lizzy. Tão discreta como uma manada de elefantes” Saphyra alfinetou apenas para não perde o costume.

“Desculpe se não faço seu estilo de rainha das trevas. O negocio é chegar colocando respeito.” ela justificou sentando na mesa ao lado de Saphyra.

“O negócio é chegar estourando os tímpanos” Jason corrigiu agora sentado no banco entre as duas.

“Em fim, seu dinheiro Grace” Saphyra estendeu uma nota de vinte.

Jason sorriu guardando o fruto da aposta trapaceada – porque no momento que entrou no Instituto viu o carro dos Morgan virando a esquina – e fechou os olhos sentindo a mão de Elizabeth afagar sua cabeça.

Corina quase caiu ao virar o corredor e quase levou meia dúzia de estudantes junto, ignorou as maldições que recebeu e continuou a correr como se tivesse o diabo atrás de si – o que seria verdade se chegasse depois de Amberly – chegou a porta do pátio de trás do Wings e se acalmou.

Respirou fundo e cruzou até onde os membros de sua rodinha estavam.

Meio chocados pela falta de escândalo da garota os três deixaram-se puxar até formarem uma linha, Corina recuou até a porta novamente e respirou fundo.

Ela correu rindo alto e recebendo um palavrão de Saphyra.

“PUTA QUE MERDA CORINA”

E os quatro foram ao chão, lindamente ao chão causando um riso geral, mas não importava porque estavam todos rindo também. Corina está com a cabeça no peito de Jason e os braços envolvendo Elizabeth e Saphyra. Jason dá um impulso para levantar fazendo as meninas o seguirem.

“É bom estar de volta queridos” ela diz dando pulinhos ainda abraçada a Jason.

Elizabeth sorri e retoma seu lugar com Saphyra enquanto Jason prefere se manter de pé ainda com Corina pendurada em seu pescoço olhando ao redor com curiosidade.

“Só falta o Allan” Saphyra comentou estranhando.

Allan era sempre o primeiro em eventos importantes.

“E Amberly” Corina assinalou parando brevemente o olhar em Zadaya que agora realmente tinha toda atenção neles sem o mínimo de disfarce.

“A atração principal é sempre a ultima” Elizabeth lembrou.

Allan correu pelo gramado de entrada como a graça de um atleta e o desespero de um fugitivo.

Tecnicamente ele era um fugitivo em plena fuga.

Havia chegado em NY no domingo e ido a uma social durante a noite, conheceu uma menina e acabou na cama dela em sua casa. O negocio foi que o pai da garota abriu a porta em um estouro com uma espingarda na mão enquanto ele colocava as calças. O pensamento de Allan foi pular pela janela e correr como se não houvesse amanha.

Quando finalmente parou nas portas do Wings viu o empregado de sua casa ali parado com seu uniforme e mochila. Agradeceu e dispensou o coitado do homem indo ao banheiro para se trocar.

Colou o uniforme em uma rapidez eximia e correu para fora mais rápido ainda como se o pai da menina ainda estivesse em seu encalço. Ele nem desceu os degraus da escada de mármore que ligava o corredor ao pátio apenas deu um pulo – quase arrebentando a cara no processo – e pousou tropeçante na grama.

Abriu os braços como um ginasta e aproveitou para disfarça o mico gritando.

“Não vão dar um abraço daddy?”

“Meu homem vadias” Jason berrou correndo abraçando o amigo com força.

“Muita viadagem para pouca hora da manhã” Saphyra berrou rindo com Elizabeth da mesa.

Corina se juntou a Jason e ambos começaram a discutir de quem Allan era homem. Resultou em Corina e Jason se encarando e depois a Allan mandando ele escolher o amor de sua vida logo.

“Calminha ai meus doces, tem daddy para vocês dois e pra mais quem quiser” ele riu passando os braços pelo ombro de Jason e puxando a cintura de Corina com a outra mão.

Allan sorriu ao sentar-se no chão mesmo com as costas encostadas nas pernas de Saphyra, Jason vinha logo atrás e tomou seu lugar no chão do outro lado encostado em Elizabeth, Corina tomou o banco onde outrora Jason estivera e o silencio reinou.

Porque o exercito estava ali e só faltava a comandante.

 

Amberly

 

“Seria bom se fossemos juntos” ela murmurou pelo telefone enquanto o motorista – pela primeira vez em dois anos – a levava para o colégio.

“Eu sei, eu teria ido te buscar, mas papai finalmente conseguiu a transferência do Victor para o Wings e me pediu para leva-lo hoje. Prometo que compenso depois.” a voz de Dominik soava cansada.

“Jantar na quarta?” ela sugeriu.

“Se você considerar eu invadindo seu quarto com um Subway como jantar eu estou dentro” ele riu.

“Sem alface.” ela esclareceu desligando o telefone.

Esme batia os dedos nervosamente nas pernas e aquilo estava começando a irritar Amberly então a mesma segurou as mãos da menina para parar com aquilo.

“E se não gostarem de mim?” ela perguntou

“Eu gosto, isso é o suficiente.” ela assegurou

E realmente era.

Esmeralda respirou fundo quando o carro parou a dois quarteirões do colégio e a mesma se preparou para descer. Ninguém podia sonhar que ambas se conheciam até a hora do almoço pelo menos onde toda trama estaria sendo executada.

O retorno de Queen A.

“Você sabe o que fazer, você vai fazer porque consegue. Eu acredito em você Esmeralda Hayes, sei que não vai me decepcionar.” ela abraça rapidamente a garota.

Esmeralda respira mais fundo ainda e desce do carro seguindo rua acima. Amberly massageia a lateral da cabeça e bufa irritada.

“Nova protegida patroazinha?” a voz do motorista perguntou baixa com certo riso.

“Eu tenho dezessete anos e minha mãe paga o salario de vocês, e mesmo assim continuam me chamando de patroazinha...” ela ralhou sabendo que não surtiria efeito.

“Sempre a nossa menina senhorita Forbes” ele a lembrou.

“Sempre meus escudeiros não é mesmo Frank?” ela revidou rindo junto com o homem.

O Wings entrou no campo de visão e ela sorriu sentindo o nervoso característico de quem está prestes a dominar algo. A adrenalina fluía solta pelas veias e as pupilas provavelmente estavam dilatadas.

Frank saiu do carro e abriu a porta da menina com uma mão e estendeu a mochila com a outra Amberly colou um pé para fora utilizando um segundo para checar seu reflexo no espelho do motorista.

Ela iria começar a reinar e tudo contava até a saída do carro. Então em um pique só ela se levantou e saiu fazendo os cabelos voarem para trás pegou a mochila das mãos de Frank e o dispensou com um aceno de mão.

Seguiu rápida e confiante pelo caminho de pedras da entrada ciente de todos os olhares em si – afinal ela deveria ter saído da escola depois da humilhação – mais ela caminha com tanta presença que as pessoas abrem caminho.

Como uma rainha.

Ela chega a porta que dá para o pátio interno e consegue ouvir a voz de Jason e Corina gritando enquanto a risada de Allan e Elizabeth ecoa e Saphyra os manda parar.

Como uma rainha ela cruza e ganha o silencio.

Ela desce degrau após degrau sem afobação nenhuma e caminha como a modelo que é pelo gramado sem medo.

Como uma rainha ela observa.

Zadaya está com os olhos pregados nela desde que surgira no pátio ela sente o olhar e ve uma sobrancelha ser erguida em clara indignação.

Como uma rainha ela olha para seu exercito.

Estão sérios – mesmo Corina e Jason haviam se aquietado – olham para ela com clara felicidade mais não ousam fazer qualquer movimento. Corina finalmente parece se mancar e levanta do banco para dar passagem.

Como uma rainha ela sobe.

Ela sobe no banco e senta no meio de Elizabeth e Saphyra e Corina reasumi seu lugar no banco fechando a formação comum deles.

Como Amberly Forbes ela sorri e passa os braços pelos ombros de Elizabeth e Saphyra em um abraço rápido bagunça os cabelos de Corina e aperta os ombros de Jason e Allan.

Como Amberly Forbes ela olha para Zadaya – olho no olho – e move os lábios em um mudo.

“Começou”

 


Notas Finais


Gente desculpa a demora pra postar é que eu to meio ruim da saúde - coisa muito constante então não estranhem se eu usar a justificativa muitas vezes no decorrer da fanfic - e fiquei muito chateada com uma coisas ai envolvendo minhas crianças (quem curti K-pop deve saber sobre o possível Black Ocean pro BTS e os ataques das EXO-L as ARMYS e vice-versa e as coisas que andam aparecendo no meio dessa guerra me deixaram realmente triste) e qualquer coisa que atinja minhas crianças me atinge então eu tava tão triste e puta da vida que esse capitulo não saia de jeito maneira.
Então me descupem se estar ruim mais é o que o meu estado me permitiu escrever.

Chutes do que a Amber e a Esme tão tramando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...