História Nowhere, Now Here - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lana Parrilla
Personagens Lana Parrilla
Tags Família, Flana, Fred Di Blasio, Lana Parrilla, Once Upon A Time
Visualizações 159
Palavras 4.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, minha gente!!
Desculpa a demora, mas não vou falar de novo o motivo, pois vocês já estão cansados de ler...
Só quero agradecer por tudo, vocês são demais!!
Capítulo sem revisão, como sempre também!!

É isso, vamos ao cap!

Capítulo 11 - Jantar com os meninos


A semana passou voando, tudo correu perfeitamente bem no trabalho, a série vai de vento em popa, colecionamos cada vez mais fãs e eles são uns amores comigo nas redes sociais. Adoro responder os tweets e ler os comentários no Instagram. Muitas vezes perco a noção do tempo enquanto olho minhas notificações e foi exatamente isso que me fez atrasar para o jantar na casa de Fred. O dia hoje foi sob pancadas de chuva alternadas, o que também não ajuda, por isso sigo meu caminho pelas ruas de Vancouver acumulando cinco minutos de atraso. Como está frio e chuvoso decidi vestir uma calça jeans, bota, uma blusinha manga longa para o ambiente interno, mas com um sobretudo por cima, para não passar frio nos ambientes externos. Assim que estaciono na frente do endereço que Fred me mandou, desço do carro rapidinho com a torta de maçã que trouxe para a sobremesa nas mãos, e corro até o hall de entrada para me proteger dos chuviscos. Toco a campainha e apenas alguns segundos depois sou recebida por um jovem com um belo sorriso no rosto. Mas de repente sua expressão muda e ele arregala os olhos e abre levemente a boca, claramente surpreso, quase assustado eu diria. Ele fica me olhando paralisado e eu não sei como reagir. Ficamos nos olhando por algum tempo, até que  Fred intervém.

- Jack? Jack quem... - ele chega até nós e se depara com a cena - Jack, o que está fazendo, deixe Lana entrar!

- M-Mas... - ele olha para Fred, depois para mim, depois para Fred novamente - M-mas... ela é a Lana? - Meu coração congela, não sei o que está passando na cabeça daquele garoto, mas não foram as boas vindas que eu esperava, olho para Fred chamando por socorro e ele entende.

- Claro que sim, Jack - Fred responde para ele e depois se dirige a mim - Por favor, entre e desculpe pelos modos de Jack - Ele me estende a mão e eu a pego, mas Jack fica no caminho, ainda me impedindo de entrar - Jack, filho, deixe a Lana entrar - o menino continua imóvel.

- M-mas, você é a rainha má! - ele fala finalmente e eu sinto muita vontade de rir, mas me contenho, apenas dou um sorriso para ele. - Me desculpa, Lana. É que eu adoro você, eu não perco um único episódio da série! 

Alívio é o que toma conta do meu corpo nessa hora e eu sorrio ainda mais abertamente para o garoto a minha frente.

- Que bom saber disso, Jack - eu falo para ele e me abaixo um pouco.

- Me desculpa, por favor entre - ele sinaliza novamente com o braço e dá um passo para o lado.

- Obrigada - eu digo - mas só depois de ganhar um beijo. Posso?

- Mas é claro que sim - ele vem até mim e eu me mantenho inclinada para receber um beijo na bochecha. Ele me beija e sai dizendo que vai chamar os irmãos. 

Fred então se inclina e me cumprimenta com um boa noite seguido de um beijo caloroso.

- Humm, estava com saudades - ele fala no meu ouvido e eu me arrepio.

- Também estava - eu digo e trocamos um sorriso - eu trouxe uma torta de maçã, espero que vocês gostem.

- Não precisava ter trazido nada, eu te disse - Fred fala, pega a torta e me guia para dentro da casa, até a sala - Eu vou deixar isso na cozinha, já volto. Fica a vontade,ok?

Ele sai e eu fico na sala observando os detalhes da enorme casa. É linda, arejada, com uma decoração moderna, muito espaçosa, é realmente uma obra de arte da arquitetura. Me sento no sofá para esperar Fred voltar, mas ouço barulhos de passos a escada, na realidade pessoas correndo e um murmurinho de vozes de crianças que não consigo entender bem. Olho para trás e tenho vontade de rir da cena, os três garotos estão cochichando um com o outro, muito provavelmente sobre mim, enquanto descem a escada. Eles caminham até mim e eu me levanto para cumprimentá-los.

- Lana, esses são meus irmãos - é Jack quem toma a palavra e apresenta os outros dois - Patrick e Matthew - ele aponta para um de cada vez - E essa é a Lana, a namo... - ele para por um segundo - a pessoa querida do papai - Eu gargalharia se pudesse, mas me seguro e apenas sorrio simpática para eles.

- Boa noite, meninos - falo cordial - como estão?

- Muito bem - Patrick responde e vem até mim - quer que eu guarde sua bolsa para você? - ele oferece e eu aceito a gentileza, entrego a bolsa para ele - e o casaco? - ele pergunta e eu vejo que não há necessidade de manter o sobretudo dentro de casa, então também entrego a ele, que sai caminhando com certa dificuldade, devido ao tamanho da roupa. 

Quando me viro Jack e Matthew conversam em um tom baixo e tenho certo medo, pois o mais novo ainda não falou comigo e parece estar reticente com a minha presença. Eu ía puxar assunto com ele, mas sou impedida por um estrondo vindo do outro lado da sala. Olho assustada, procurando pela origem do barulho e vejo Patrick se levantando e tentando levantar o cabideiro. Jack corre até ele para ajudar, enquanto dá uma bronca no irmão por fazer isso enquanto tem visita em casa. Assisto a cena de longe e escuto Matthew rindo atrás de mim, então me viro para ele com um sorriso.

- Tinha que ser o Pat mesmo - ele fala, mais pra si mesmo - Humm, Lana, quer conhecer a casa? - Ele me pergunta de repente e eu me surpreendo com o convite.

- Claro que sim - eu respondo prontamente.

- O que está acontecendo? - Fred pergunta entrando na sala e sua imagem me derrete. Ele carrega um guardanapo no ombro e tem uma porção do cabelo preso, como um coque. 

- Foi um pequeno acidente, papai - Jack grita em resposta - mas já está sendo resolvido, não se preocupe - ele fala e eu acho graça da forma como trata a situação.

- Eu vou levar a Lana para conhecer a casa - Matthew avisa Fred, que me olha perguntando sem palavras se está tudo bem, eu sorrio em resposta o tranquilizando. Matthew faz sinal para que eu comece a subir as escadas e eu o obedeço - deixa comigo, papai, eu vou conquistar ela para você - ele fala baixo, para somente Fred ouvir, mas eu acabo escutando também, entretanto não deixo ele perceber isso.

- Bom, aqui, nessa primeira porta é o quarto do meu pai - Matthew aponta para a porta e vai até ela e abre, me possibilitando ver a suíte de Fred - É muito grande só para ele, sabia? Tem uma cama enorme, uma TV enorme e uma banheira enorme - ele fala e eu acho que são detalhes demais. Ele então fecha a porta e continuamos caminhando, ele me mostra um quarto de hóspedes, logo na sequencia, depois o quarto deles e mais um quarto de hóspedes. No final do corredor tem um banheiro. Quando começamos a caminhar de volta, Matthew puxa assunto comigo.

- Então, o  que achou? - ele pergunta tímido.

- É linda, Matthew - eu respondo sorrindo.

- Pode me chamar de Matt - ele fala - eu concordo, também gosto da casa, mas é grande demais só para nós. - Eu escuto isso e não sei o que dizer, pois não sei o que ele quer dizer com isso. - Você mora aqui desde sempre? - Ele pergunta.

- Não, eu me mudei alguns meses atrás - respondo para ele.

- E você veio sozinha? - ele parece muito espantado.

- Não, eu trouxe minha cachorra comigo - eu falo e ele me encara imediatamente.

- Você tem uma cachorra? - ele para de andar, tamanha é a animação.

- Sim - eu falo tão animada quanto ele - e um gato, mas ele não está aqui. Você gosta de animais?

- Muito, mas eu tenho alergia - ele fala tristonho - papai também tem, por isso não temos nenhum animal aqui.

- Que pena - eu falo e coloco a mão e seu ombro - você pode ir lá em casa, conhecer a Lola se quiser.

- Sério? - ele pergunta animado.

- Super sério - digo e dou uma piscadela para ele.

- Obrigado! - ele fala e me dá um abraço rápido, nem me dá tempo de abaixar para poder abraçá-lo direito - vamos descer? Eu tô morrendo de fome, você não?

- Na verdade, eu estou - eu falo fazendo uma careta e ele pega minha mão e lidera o caminho escada abaixo.

- E então? - Fred pergunta quando chegamos à sala - Matt foi um bom guia?

- O melhor - eu respondo sorrindo e Matt fica envergonhado com o elogio.

- Que bom - Fred dize bagunça um pouco o cablo do filho.

- Papai, vamos comer? - Matt fala se livrando do contato de Fred - Lana disse que estava com fome.

- Ah é? - Fred me olha debochando de mimi e eu rio - Alguém mais está com fome? - Ele pergunta para todos na sala.

- Eu!! - Jack e Pat falam juntos.

- Então, vamos comer - Fred anuncia e os meninos saem correndo, eu ía ir logo atrás deles, mas Fred me impede, me abraçando por trás. - Espera um minutinho... - Me vira de frente para ele e me beija carinhosamente. Eu o envolvo com meus braços também e me permito sentir a conexão que temos.

- U-hum - nos separamos rapidamente e Jack vem até nós - me acompanha, milady? - ele fala e me oferece o braço, eu aceito prontamente e ele me guia até a mesa. Olho para Fred rindo e ele me retribui com um sorriso genuíno. 

Vamos até a sala de jantar, que assim como o resto da casa, é linda, com uma mesa enorme no centro. Jack me caminha ao meu lado e, quando chegamos a mesa, ele puxa uma cadeira para mim e eu me sento. Jack senta ao meu lado, Fred ocupa a cadeira da ponta e Matt e Pat sentam-se do outro lado, logo a minha frente. A comida era italiana e só de ver minha boca salivou. Fred me serviu e a ele próprio com a comida e vinho, depois os garotos se serviram também, mas eles encheram seus copos com suco.

- Humm, que delícia - eu comento, depois de engolir o primeiro bocado - Você quem fez? - Pergunto a Fred.

- Sim - ele comenta cheio de si - mas tive uma ajudinha - ele olha para os meninos que sorriem orgulhosos.

- Ah é? - eu olhos para os garotos e eles confirmam - fizeram um ótimo trabalho. Está maravilhoso, não concordam? - pergunto a eles.

- Uhum - Pat concorda comigo - ta sim - e fala ainda de boca cheia.

- PAT! - Jack o repreende - não seja nojento, Lana não quer ver essa comida toda mastigada e babada aí na sua boca! - Mas Pat abre ainda mais a boca, para provocar o irmão, que fica ainda mais furioso - Seu ridículo! Lana não ligue para ele - fala se virando para mim.

- Patrick, por favor - Fred fala e Pat se acomoda na cadeira, envergonhado e um pouco emburrado.

- Parem com isso - Matt chama atenção dos dois irmãos - desse jeito Lana não vai querer vir morar aqui! - ele fala tranquilamente e eu fico surpresa e noto que Fred quase se engasga com a comida.

- Matthew, cala boca - é a vez de Jack assumir o controle - Lana, ignore ele também. Eles são dois bobos. 

- Não fale assim, Jack - eu digo para ele - está tudo bem - olho para Fred e o tranquilizo com um olhar - mas me contem, quais as idades de vocês?

- Eu tenho 14 - Jack fala rapidamente - Pat tem 12 e Matt tem 9!

- Hey, eu sei responder, ta bom? - Pat reclama.

- Sabe nada - Jack rebate - você só sabe falar idiotices. Sabia que eu toco e canto, Lana? - Jack pergunta para mim.

- Seu pai me falou - eu falo sorrindo para ele - eu adoraria te ver tocar.

- Eu posso te mostrar depois - ele fala meio tímido, mas sorrindo.

- Eu também sei tocar - Pat fala - eu toco bateria!

- Que legal, Pat - olho para ele - eu sei um pouquinho de bateria também, mas só um pouquinho.

- A gente pode tocar juntos, eu posso te ensinar umas coisas - ele se anima - o que acha?

- Acho ótimo - falo piscando para ele.

Continuamos comendo e conversando sobre amenidades, quando estamos comendo a torta que eu trouxe, Matt exclama:

- Nossa, Lana, tá muito gostosa - ele fala enchendo a boca.

- Tá mesmo! - Pat concorda com ele.

- Fico feliz que tenham gostado - falo como um sorriso.

- E como não gostar? - Fred fala e acaricia minha mão - está deliciosa! - ele usa um tom mais baixo e me olha profundamente, provocando reações no meu corpo todo.

- Eu já fiquei fã, Lana - Jack diz, enquanto pega mais um pedaço da torta para comer.

- Eu também! - Matt concorda com ele - Você pode fazer sempre!

- E trazer aqui pra gente! - Pat completa a frase do irmão. Eu rio com o comentário, enquanto Fred apenas observa.

- Ou você poderia fazer aqui - Jack sugere - a gente pode te ajudar!

- Essa é uma ótima ideia, Jack - eu falo para eles.

- O que você acha, pai? - Jack pergunta a Fred.

- Eu acho ótimo - Fred diz para nós.

- Poderia virar uma tradição! - Pat fala animado.

- Como assim, Pat? - Fred pergunta curioso.

- Como a macarronada de domingo, bolo de aniversário - Pat pensa em mais exemplos - peru no natal, chocolate na páscoa e torta de maçã da Lana, não sei, toda a sexta? - ele olha para todos esperando uma confirmação.

- Toda sexta, Pat? - Fred pergunta pra ele e ele confirma - não acha que está abusando da Lana, não? Fazer ela trazer torta aqui toda a sexta?

- Ah,  mas ela só vai ter que trazer por um tempo - Matt fala e por um momento sinto uma tristeza profunda com o comentário - Depois que ela passar a morar aqui não vai mais precisar trazer - Fred e eu ficamos mudos na hora. 

- Matt! - Pat dá um tapa na cabeça do irmão - o papai disse que ainda não sabe se ela vai vir morar aqui - Fred continua mudo e agora está paralisado também, eu fico surpresa com os comentários, imaginando o que foi que Fred disse a eles.

- Eu sei - Matt tenta consertar - mas se eles estão namorando, talvez ela venha morar aqui - namorando? Fred disse isso a eles? Eu começo a ficar envergonhada.

- Calem a boca - Jack quase sussurra, como se fosse me impedir de ouvir - papai falou que não sabe se a Lana quer namorar com ele! - Quê? Meu Deus, o que está acontecendo?

- Você quer, Lana? - Pat pergunta direto para mim - você quer namorar com o papai?

- Já chega - Fred fala alto com eles - o que foi que nós conversamos, pelo amor de Deus!

- Desculpa, papai - Matt fala fazendo um biquinho adorável.

- Você tem que pedir desculpas para Lana - Fred diz apontando para mim.

- Não, não tem - eu falo antes que Matt fale alguma coisa - está tudo bem! Quem quer mais torta? - Eu tento deixar o clima leve de novo e consigo, os meninos pegam mais torta e começam a comentar sobre a escola e os amigos de lá. Quando olho no relógio já se passa das dez da noite e me lembro de Fred falando sobre os meninos irem cedo para a cama.

- O jantar estava delicioso - começo e eles me olham já adivinhando o que vem a seguir - os quatro chefes fizera um ótimo trabalho, mas eu preciso ir e vocês precisam dormir!

- Ah Lana! - Matt choraminga - dorme aqui!

- É Lana! - Jack rapidamente concorda com o irmão - dorme aqui, está chovendo e frio lá fora.

- Ah, meninos - eu começo e olho para Fred buscando por ajuda para rejeitar um convite tão fofo como aquele, mas ele faz exatamente o oposto.

- Eu concordo com eles, Lana - ele diz pegando minha de novo - está chovendo muito e você não trabalha amanhã cedo. Você pode dormir aqui sim.

- Ah, eu... - eu penso em desculpas, mas nada me vem a mente.

- Por favor? - Pat pede e os outros dois repetem o pedido.

- Ok, então - eu falo e eles vibram - eu durmo aqui - olho para Fred e ele carrega um sorriso satisfeito no rosto - mas não quero que isso seja motivo para os mocinhos dormirem tarde.

- Exatamente - Fred acrescenta - Inclusive, acho que já está na hora de irem se arrumar para dormir.

- Concordo - Eu falo - e enquanto isso eu e Fred arrumamos tudo aqui.

- Ah - Jack reclama - deixa a gente ajudar vocês arrumar tudo pelo menos? - ele pergunta esperançoso.

- Tudo bem - Fred permite depois de hesitar por um momento - mas rapidinho, hein?

- Ok! - Jack pula da cadeira e começa a recolher os pratos, logo Matt e Pat se juntam a ele. Eu e Fred também começamos a ajudá-los e depois de ter que lutar com Fred, eu lavo a louça do jantar. Os meninos vão secando e Fred as guarda. Damos conta de tudo rapidinho.

- Acabou? - Matt pergunta sonolento.

- Sim, acabou - Falo secando minhas mãos - está cansado?

- Uhum - ele confirma e boceja logo em seguida.

- Ok - Fred fala - vamos subir. Quero os três de banho tomado e dente escovado daqui meia hora, que eu vou lá verificar, combinado?

- Combinado - eles falam cabisbaixos e sobem a escadas. 

Assim que eles saem do nosso campo de visão, Fred avana em minha boca e tira minha língua para dançar. Eu me entrego a ele e recebo de bom grado todo o carinho que oferece.

- Me desculpe - ele fala apoiando sua testa na minha - eles falam tudo o que vem na cabeça.

- Não precisa se desculpar - eu falo rindo da lembrança - está tudo bem, eles são crianças.

- Eu sei - ele me olha muito profundamente - mas do jeito que eles falaram, pode parecer...

- Fred - eu seguro nas laterais de seu rosto - relaxa, está tudo bem, de verdade. Eu entendo que você teve que conversar com eles sobre a minha vinda e eles supuseram coisas.

- Sério que está tudo bem? - ele pergunta.

- Sim, está - eu reafirmo e dou um selinho em seus lábios.

- Vamos subir? - ele pergunta se afastando e oferecendo sua mão.

- Vamos - aceito sua mão e nos dirigimos ao quarto de Fred.

- Eu suponho que você já conheça o meu quarto - ele fala abrindo a porta para nós.

- Já, um jovem rapaz muito charmoso me trouxe aqui mais cedo - eu falo brincando.

- Hahaha, espero que Matt não tenha sido indiscreto com você durante o tour - ele fala indo em direção ao closet.

- Não foi - eu o tranquilizo - eles são uns amores, Fred. Os três. Você é um ótimo pai.

- Obrigado - ele sorri verdadeiramente para mim - Olha, você pode colocar uma camiseta minha pra dormir mais confortável - e me oferece uma camiseta.

- Obrigada - aceito a camiseta e começo a me despir, logo os olhos de Fred passeiam pelo meu corpo e é puro fogo. Quando fico só de sutiã e calcinha ele se aproxima e me beija.

- Eu vou checar os meninos, tá bom? - ele pergunta e eu aceno afirmativamente - já volto.

Ele sai e eu vou até o banheiro, faço xixi e dou uma enxaguada na boca, já que não tenho escova, tiro um pouco da maquiagem e volto para o quarto vestindo a camiseta com o perfume de Fred. Me sento na cama, enquanto espero ele voltar, mas ele demora e eu resolvo deitar.

---

Escuto uma batida na porta muito ao fundo, mas estou tão confortável que não quero me mexer. A batida continua...

- Pai! - ouço uma voz de criança - papai! - Quê? Papai? - PAI!

Acordo com um sobressalto tentando entender o que está acontecendo. Estou deitada na cama de Fred e ele está dormindo profundamente do meu lado. É Matt quem está chamando do lado de fora da porta.

- Fred - eu o chacoalho para que acorde - Fred, acorda!

- Humm - ele resmunga - o que foi?

- Fred, acorda logo - eu falo mais alto - Matt está te chamando!

- Humm, quê? - ele senta rápido na cama - Matt?

- Ele está te chamando - eu repito para ele.

- PAPAI - Matt fala mais alto e bate na porta de novo.

Fred levanta rápido e vai até a porta ver o que está acontecendo, eu levanto também e visto minha calça, caso Matt entre no quarto não quero que ele me veja com a popa da bunda aparecendo. Vou até a porta e vejo que Matt está passando mal.

- Tenta respirar fundo, Matt - Fred fala para o garoto - eu vou pegar seu nebulizador e os remédios - e então se vira para mim - você pode ficar com ele só um pouquinho?

- Claro - eu falo e estendo a mão para Matt que está mal, ele está tendo uma crise de asma, uma bem ruim. - Vem cá Matt, senta aqui - eu o sento na cama e acaricio suas costas enquanto falo com ele - Fica calmo, Matt, tenta seguir a minha respiração - e começo a respirar lentamente, ele tenta seguir, mas a crise está realmente feia.

- Voltei - Fred entra no quarto carregando as coisas - já vai melhorar, filho - Ele começa a preparar o nebulizador com os remédios. Logo Matt já estava com a aparelho junto ao rosto e respirava um pouco melhor. Fred foi até o banheiro pegar um termômetro para ver se o garoto tinha febre.

- Vem cá, Matt, deita aqui comigo - eu deito na cama e o chamo para se deitar ao meu lado. Ele fica encostado na cabeceira para respirar melhor, eu o cubro com os edredons e o envolvo com meus braços. Fred volta para o quarto, mas nesse momento um trovão muito forte soa e a energia cai. Tudo fica escuro e Matt se encolhe nos meus braços.

- Lana, aqui está o termômetro - Fred acende a luz do celular para que possamos enxergar - coloca nele para mim? Eu vou pegar umas lanternas, velas, pilhas para o nebulizador caso estejam fracas e ver como os outros dois estão.

- Ok - eu pego o termômetro - pode ir. - Eu acendo a lanterna do meu celular para que eu e Matt não fiquemos no escuro.

<><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><><> 

Saio do quarto com o coração na mão e muito puto com o universo, por aprontar tudo isso justo hoje. Vou até o banheiro do fim do corredor e pego as lanternas que eu costumo manter lá para casos como esse. Vou até o quarto dos meninos e deixo duas lanternas acesas lá, uma perto de cada cama, e pilhas ao lado das lanternas, não gosto de deixar velas para eles, devido ao risco de acidentes. Quando estou saindo escuto a voz de Pat me pedindo para ficar com ele até que ele volte a dormir.

Alguns minutos depois volto para meu quarto e a cena que vejo me derrete por inteiro. Lana está dormindo com braços ao redor de Matt, que também profundamente. Eu acendo uma vela e deixo no criado mudo e outra no banheiro, para o caso de Matt precisar durante a noite. Dou a volta na cama e desligo a lanterna do celular de Lana. Depois volto para meu lado e me deito junto com os dois. Me aconchego debaixo dos edredons e deixo o sono se apoderar de mim.


Notas Finais


E aí que acharam da interação da Lana com os diblasinhos?
Me contem tudo!!

Gente, to criando um grupo no whats, segue o link https://chat.whatsapp.com/3Fua8T5p2p50nMiZWQWkZX

Bjos, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...