História Nuestro Amor Es Inevitable - Lutteo - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nina, Personagens Originais, Rey, Sharon, Simón
Tags Luna, Lutteo, Matteo, Romance, Sou Luna
Exibições 101
Palavras 2.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E aí? Como vocês estão?
Bora ler mais um capítulo?
Gente, 37 leitores favoritaram a fanfic, mas não tem nem 5 comentários por capítulo. Sei que já leram esses capítulos, mas não custa nada ler novamente e comentar. Desse jeito, vou demorar mais ainda pra postar os capítulos inéditos.
Espero que isso mude...

Capítulo 7 - Primeira vez?


- O que? Claro que não, pai. O senhor mesmo não me proibiu de vê-lo? Então, eu pensei melhor e vou fazer o que o senhor está me pedindo. Luna mente.

- Que bom. Fico muito feliz de pensar assim. Agora, onde você estava?

- Eu fui ver a Vitória. Estava com saudades dela. Ah, eu acabei encontrando o Matteo... Mas ele disse que estava indo embora da festa.

- Que bom. Menos um pra incomodar.

- Miguel, não fala assim. Monica repreende o marido.

- Pai, também queria te pedir mil desculpas por tudo o que falei. Sério, me senti muito mal. Não queria ter brigado com o senhor por... Por causa do meu tio.

- Está tudo bem, minha filha. Eu espero mesmo que dessa vez você me escute e se afaste dele.

- Ainda fico sem entender toda essa mania de proteção, mas... Vou atender seu pedido. Te amo, pai. Diz Luna que corre e dá um abraço em Miguel.

- Também te amo, filha.

- E eu? Não ganho abraço, não? Monica fala.

- Claro que sim, né mãe. Os três se abraçam felizes. Luna estava um pouco chateada por ter que mentir para seus pais, mas esse era o único jeito de poder ficar com Matteo sem interferência da sua família.

A festa já estava chegando ao fim e Luna se despede de suas amigas, depois sobe para seu quarto e encontra Carlinhos sentado em um canto no corredor. Ele estava triste. – Maninho? Está tudo bem?

- Não, eu estou triste.

- Triste? Mas, porque?

- O meu tio nem se despediu de mim. Apesar de tudo... Adoro ele. E sempre quis saber mais sobre o passado dele.

- Também penso como você, mas o Matteo se despediu de você sim, através de mim.

- Como assim?

- Bom, ele me disse que era pra te dar um abraço e um beijo de despedida. Vem cá. Luna se aproxima de Carlinhos e o abraça e depois lhe dá um beijo no rosto. Matteo não havia dito nada, mas pra não ver o irmão triste, a jovem teve que mentir mais uma vez. Ela sabia que Matteo gostava de seu irmão, e que só não se despediu do garoto por causa de Miguel e tal. – Acho que está na hora do senhor ir pra cama, não acha?

- Você fica comigo até eu dormir?

- Claro que sim, meu amor. Às vezes parece que você tem menos de 12 anos. Tem horas que se comporta como uma criancinha.

- Luna, não sou mais nenhuma criancinha. Só quero ficar perto da minha maninha. Vai, por favor.

- Ta bom. Vamos logo. Luna fala e acompanha Carlinhos até seu quarto e deita ao lado dele, até o garoto dormir. Assim que o menino dorme, ela se levanta e sai do quarto, claro... Antes dá um beijo no irmão.

Matteo chega em casa feliz e surpreso ao mesmo tempo. Nunca havia imaginado que beijaria sua sobrinha. A garota mexia muito com ele de um jeito que nenhuma mulher jamais havia mexido. Quando Candelária morava junto com ele, até sentia uma atração por ela, mas nada se comparava ao que estava sentindo por Luna. Estava completamente louco pela garota e só tinha ido na festa para vê-la. O que tinha sido uma grande besteira. Se não tivesse ido, não teria a beijado e também não teria matado um pouco do desejo que sentia por ela. Matteo se sentia dividido entre a razão e a emoção. Sabia que era proibido ter alguma coisa com sua sobrinha, mas também sabia que a desejava mais que tudo na vida.

Ele precisava se afastar da garota para não causar ainda mais problemas entre ele e Miguel. Matteo precisava muito do perdão do irmão, mas se continuasse a ver Luna, isso jamais aconteceria. Seu problema era em como resistir ao assédio de sua sobrinha. Ele não sabia o que fazer pra afastá-la de si. Talvez se a tratasse com frieza, ela desistisse dele. É. Era isso mesmo que ele iria fazer. A partir de amanha, trataria a garota com frieza. Iria ir no tal encontro com ela na cachoeira e iria esclarecer tudo.

Luna estava em seu quarto. Havia acabado de sair do banho, quando sua avó Sharon entra. – Posso entrar, Luna?

- Claro, né vó.

- Como você está?

- Feliz. Imensamente feliz. Diz Luna que se lembra do que rolou com entre ela e Matteo.

- Essa felicidade tem o nome de Matteo não é?

- Sim. Ai, vó. Pra senhora eu não posso mentir.

- O que é que você aprontou dessa vez?            

- A senhora viu quando a gente estava dançando, não viu?

- Vi. E também vi que vocês dois haviam saído juntos. Pra onde foram?

- Nós fomos pros fundos da casa. A gente conversou e nos beijamos. Vó, ele beija tão bem. Nossa, nunca fui beijada daquele jeito.

- O Matteo te beijou? Luna, ele não tem aversão a toques?

- Tem, mas naquela hora nem pensou nisso. Depois, ele disse que iria embora e eu fui atrás dele. O levei até aquela mata que fica aqui perto, sabe onde é?

- Sei sim. Vocês ficaram fazendo o que sozinhos lá?

- Nada demais. Só rolou alguns beijos e tal. Nossa, ele tem uma pegada dos deuses.

- Luna, me poupe dos detalhes. Rsrs.

- Desculpa, vó.

- Tudo bem. Mas e aquele garoto que você deu um tapa? Não pretende dar uma chance a ele?

- Não, vó. Sempre soube que o Simón gostava de mim. Ele sempre estava por perto e tentava se aproximar, mas eu não quero nada com ele.

- Sei e o homem que você quer é o Matteo, não é?

- Exatamente. Vó, eu acho que estou me apaixonando por ele.

- O que? Luna, vocês acabaram de se conhecer. Isso é impossível.

- Não é. Sei que não é. Sempre tive curiosidade em conhece-lo e no fundo, sempre soube que ele era um gato. Sempre imaginei isso e olha que a beleza dele me surpreendeu. Ele é ainda mais lindo do que nos meus pensamentos.

- Vai com calma, minha neta. Por favor.

- Vó, já não sou mais criança. Tenho 16 anos. Logo, faço 17. Eu gosto do Matteo e também sei que ele gosta de mim. Não vou desistir dele. Ah, eu menti pro papai. Falei a ele que tinha ido ver a Vitória e que tinha encontrado o Matteo no caminho. Por favor vó, não conta nada.

- Você sabe que eu sempre te acoberto em tudo, não é?

- Sei sim.

- Mas, por favor... Não toma decisões precipitadas. Não quero ver mais brigas entre você e o Artur.

- Eu sei, também não quero brigar com o papai. Vou fingir que vou o obedecer. Mas vou continuar a me encontrar com o Matteo. E eu preciso da sua ajuda novamente.

- Vai se encontrar com ele de novo?

- Sim, combinei com ele de amanha a tarde nos vermos na cachoeira. Mas eu queria que a senhora fosse comigo.

- Como assim?

- Ah, eu quero que a senhora finja que irá me acompanhar ao shopping. E enquanto a senhora se diverte com compras, eu me divirto com o Matteo de várias outras maneiras.

- Luna... Tudo bem. Vou te ajudar. Só espero que seu pai não descubra.

- Dessa vez, ele não vai descobrir. Tenho certeza. Sharon acena positivamente e depois dá um beijo na neta. Ela sai do quarto e Luna deita na cama, apenas para pensar em Matteo, pois o sono não aparecia de jeito nenhum.

- Ah, Matte. Você ainda vai ser meu.

À tarde de domingo chega e Luna começa a por seu plano em prática. Sharon e ela decidem fazer “compras” no shopping. Miguel e Monica aceitam numa boa, mas mesmo assim, o homem pede para Monica ir junto no tal shopping. Luna fica nervosa e diz que queria passar alguns momentos somente com a avó. O casal decide aceitar, mas mesmo assim ficam com um pé atrás.

Matteo já estava na cachoeira, quando Luna apareceu. – Ué? Quem foi o homem que disse que não iria vir?

- Pois é, mas decidi vir pra acabar logo com tudo isso.

- Como assim?

Os amigos de Simón estavam todos reunidos na casa dele. E o garoto se lamentava pelo fora que havia tomado de Luna. Nunca havia levado um fora, mas como diz Jim: Tudo tem sua primeira vez. As meninas não paravam de rir do garoto e faziam piadas por causa do “toco” que ele havia levado.

Furioso, ele diz que iria ter Luna de qualquer jeito. Estava apaixonado pela garota e iria fazer de tudo pra ficar com ela. Ele fala também que tinha o apoio do pai da menina e as garotas ficam surpresas. Jim estava decidida a contar tudo para Luna, pois não queria que a amiga acabasse ficando com um cara no qual ela não gostava.

Na cachoeira, Luna e Matteo se encaravam. O silencio estava quase insuportável, até que a garota resolve quebra-lo. – Sentiu saudades de mim?

- Mas é claro... Que não.

- Poxa, Matteo. Eu fiquei contando os segundos pra te ver.

- Perdeu seu tempo, então.

- Nossa, porque você está assim? Já tinha ouvido falar que você muda de humor toda a hora, mas não pensei que fosse tão rápido.

- Chega de piadinhas, menina. Vim aqui apenas pra te dizer que quero que se afaste de mim.

- Como assim? Por quê?

- Por quê? Você ainda pergunta? Sou um homem muito mais velho que você, sou seu tio.

- Não ligo pra isso.

- Sou um assassino, garota. Nunca mudei. E a vontade que tenho é de te matar com as minhas próprias mãos... Bem lentamente, até você não respirar. Matteo fala e acaba assustando Luna.

- Matteo, ca... Calma. Só quero me aproximar de você. Quero ser sua amiga e poder te conhecer.

- Eu não quero ser nada seu, menina. Esquece que sou seu tio, esquece que me conhece. Enfim, ME esquece.

- Isso é impossível. Você é inesquecível. É um homem que eu jamais iria querer esquecer. Luna fala e deixa Matteo surpreso, mas ele não abaixa a guarda. Iria continuar a tratando com frieza.

- Luna, não me obrigue a te machucar. Não sou homem de bater em menininhas, mas você está merecendo umas boas palmadas.

- Humm, isso seria muito excitante. A menina fala e o olha maliciosamente.

- Luna, pára de graça. Chega com isso. Até quando você vai continuar com esse jogo? Eu não quero nada com você. Você é apenas uma menina, tem idade pra ser minha filha...

- Mas não sou. Eu não sua filha. Também não quero ser sua sobrinha. Eu quero ser sua mulher, Matteo.

- Você não sabe o que diz, menina. Vai procurar alguém da sua idade. Porque você não fica com aquele garoto que se declarou pra você ontem naquela festa? Ele sim é a pessoa ideal pra você.

- Eu não quero o que é ideal pra mim. Eu quero alguém que me faça me sentir amada, me sentir mulher. E VOCÊ é esse homem.

- Não, eu não sou. Me esquece. Matteo fala e se vira para ir embora. Luna corre até ele e o puxa.

- Não vai embora, por favor.

- Me solta, menina. Fale comigo sem me tocar. Já falei que odeio que as pessoas me toquem.

- Não me interessa essa sua aversão idiota. Sei que você me quer tanto quanto eu te quero. Pra que fugir, titio? Vamos aproveitar a oportunidade que a vida está nos dando.

- Chega. Vai embora daqui. E se você não parar de me procurar, eu mesmo irei te mudar de colégio.

- Não, isso não. O meu pai também está com essa ideia na cabeça. Não faz isso, por favor.

- ENTÃO ME DEIXA EM PAZ. Matteo grita.

- Eu não posso. Te quero, Matteo. Te quero pra mim. Luna fala e agarra o homem. Balsano tenta resistir, mas acaba cedendo ao beijo. Ele a abraça e começa beija-la intensamente. Matteo a aperta contra si e acaricia todo o seu corpo. A garota solta um gemido abafado e puxa seu tio para o chão. Os dois se ajoelham e a jovem deita em uma das pedras que haviam ali. Matteo a acompanha e começa a descer beijos por todo o pescoço da menina. Será que ali aconteceria a primeira vez do casal?


Notas Finais


Gostaram? Odiaram?
Mereço comentários?
E aí? Será que dessa vez vai acontecer a primeira vez do casal?
Façam suas apostas.
Será que Miguel e Monica acreditaram na história que Luna e Sharon contaram?
Descubram isso e muito mais no próximo capítulo.
Até mais...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...