História Nunca é tarde para Mudar- 2 Temporada - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry Potter
Visualizações 15
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem pela demora!! Espero que gostem.

Capítulo 33 - Estou de volta


Alvo Dumbledore foi chamado no Ministério onde o Ministro informou a ele antes de informar o Profeta Diário que os aurores haviam amedrontado os ceifeiros da morte e o Lord Eierdod, e então o bruxo das trevas e seus seguidores “desistiram de atacar a Inglaterra”.

Dumbledore repudiou Cornélio Fudge dizendo que ele estava completamente errado, não havia acabado as intimidações do bruxo contra os britânicos, era só ver a quantia de trouxas ainda que estivessem sumindo cada vez mais, mas Eierdod pareceu gostar da manchete do Profeta Diário.

Isso porque após a notícia principal do Profeta Diário da edição do dia 29 de agosto era:

“ESTAMOS LIVRES DE EIERDOD!”

Depois da manchete o bruxo das trevas diminuiu até as “diversões” de seus seguidores contra os trouxas, torturando-os, separando famílias e fazendo que eles implorassem para morrerem. Os bruxos mais ingênuos da sociedade acreditaram no Ministério, e fizeram alterações em seus modos de viver, já que os mesmos tiraram parte importante que dificultava a vida dos ceifadores na hora do ataque.

Enquanto apenas os mais inteligentes bruxos, que eram aqueles que escutavam a palavra de Alvo Dumbledore, que desde quando Fudge pensou em dizer que não havia perigo convocou a Ordem da Fênix pedindo extrema importância e função de apoio da sociedade.

Mas o que mais fazia Dumbledore ter toda essa certeza que Eierdod não havia se vencido foi algo que ele não presenciou, no entanto, era de extrema importância e ficou sabendo minutos após acontecer.

 

Era noite do dia 29 de agosto, o Cabeça de Javali estava com mais gente que o normal, um lugar sujo, escuro, bons para negociadores de produtos bruxos de qualidade e histórico duvidoso, mas mesmo assim tinham pessoas que gostavam de sua bebida e de uma boa conversa rápida com o barmen Aberforth Dumbledore, mas ficavam pouco tempo, serem vistos dentro ou saindo do pub nunca era uma coisa boa para a sociedade.

E nessa fria noite do final de agosto, uma mulher em uma mesa longe do balcão tomava seu xerez, na mesa ao lado tinha um bruxo com uma longa capa que tampava o seu rosto, algo que no lugar que estava era comum já que era mais normal estar com sua face tampada que a vista.

Até mesmo a mulher com seu xerez com aquele forte odor da bebida estava com o rosto parcialmente a vista... Aberforth a conhecia, era a Professora de Hogwarts, ela lecionava Adivinhação há quase vinte anos, era Sibila Trelawney.

E quando o barmen irmão de um dos maiores bruxos existentes foi entregar-lhe mais um pouco de xerez, ele estranhou, em vez de Sibila como sempre fazia de agradecer, não falou nada. Ela tremia...

-Está bem Sibila? Sussurrou Aberforth, mas nada mudou e Trelawney se manteve tremendo.

O barman a escutou fazendo um barulho frio, ela tinha um dom raro, ela raramente em sua vida previa algo verdadeiramente através de muitas lorotas que vinham em suas aulas, e ela friamente começou a profetizar audivelmente para todos no pub escutarem:

-“Aquele que é dito que foi amedrontado, ainda mostrará seu poder, mas ele será parado, aquele que o vencerá será um jovem herdeiro de Godric, que não terá noção de suas atitudes e nem do peso que carrega por sua descendência, mas o mesmo vencerá”.

Aberforth na mesma hora chamou seu irmão que no momento exato aparatou, enquanto o barman tirava todos no bar para a segurança da professora, assim que todos estavam fora, porém mesmo assim, todos eles haviam escutado a profecia da Professora Sibila Trelawney.

Quando Aberforth disse Alvo tudo aquilo que a professora tinha dito, o diretor de Hogwarts agradeceu o irmão e segurando no braço dela, aparatou na mesma hora em direção a Hogwarts.

 

A Ordem da Fênix no dia 30 foi convocada para uma reunião urgente por Alvo Dumbledore que explicou a todos os presentes os acontecimentos na noite anterior, e para a preocupação do diretor e de todos ali, muitas pessoas haviam escutado, ou seja, eles precisavam achar o herdeiro de Godric Gryffindor, algo muito difícil quase que impossível por sinal.

Essa hora era provável que Eierdod já sabia disso e colocou seus seguidores, os ceifeiros da morte, em busca do tão procurado herdeiro, que de acordo com a profecia sem saber da noção das atitudes e de sua herança genética vencerá Eierdod.

O infiltrado no hall de seguidores do bruxo das trevas, Severo Snape, quando apareceu na manhã do dia 30 no local onde Eierdod se escondia, o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas soube que o bruxo já sabia da profecia e perguntou ao professor:

-Severo quem é o herdeiro?

-Eu não sei milorde, não há conexões vivas conhecidas de Gryffindor e alguém vivo a última ligação comprovada de acordo com Dumbledore é Tinurnio Gryffindor II, que após terminar seus estudos anos depois queria mudar o nome para perder uma maldição da família do pai ter filho com 80 anos, um herdeiro apenas e a mulher que também teria 80 anos no mínimo e morreria ao parir. Explicou Snape.

-Quando viveu esse cara? Perguntou Eierdod.

-Século XVI. Respondeu Snape.

-E o que se sabe disso de mudar de nome? Perguntou o bruxo das trevas.

-Não se sabe se mudaram mesmo de nome, mas é bem provável que sim, já que não houve nenhum Gryffindor conhecido. Disse Severo, infiltrado falando tudo àquilo que Dumbledore o permitiu.

 

Enquanto isso em Hogwarts, Minerva McGonagall coordenava algumas pessoas no auxilio para tentar descobrir o máximo possível sobre Tinurnio Gryffindor II, essas pessoas além dela eram Flitiwick, Lilian, Remo, Thiago, Dorcas, e mais algumas que diferente de Sirius, por exemplo, conseguiam se mantiver firmes em livros para estudarem.

Já Sirius junto de outras pessoas, como Frank, Marlene, Alice, entre outras que não tinham a mesma concentração foram designadas por Dumbledore a tentar convencer a maior parte das pessoas daquilo que está para acontecer.

E Dumbledore pediu ainda para alguns antigos amigos como Horácio Slughorn, Arthur Weasley, Elifas Doge, Dédalo Diggle, Arabella Figg, e outros da antiga, para tentarem descobrir algum sobrenome parecido com Gryffindor entre os trouxas. Enquanto o Diretor lia o grande livro na maior Torre de Hogwarts que anotava todos os nomes de bruxos quando nasciam, ele que ao abrir o livro já jogou para o século XVI e começou a ler nome por nome.


Notas Finais


Então o que acharam das mudanças?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...