História Nunca é tarde para mudar - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry Potter
Exibições 31
Palavras 1.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 61 - Estados Unidos


Assim que Dumbledore nomeou Fabian Prewett como líder da missão nos EUA, junto de seu irmão Gideão, e os dois alunos de Hogwarts, Thiago e Sirius, os quatro aparatam dentro do Ministério de Magia Americano, o MACUSA. Quando o quarteto chega ao local, rapidamente oito bruxos chegam apontando a varinha a eles:

-Quem são vocês? Pergunta um bruxo que deveria ter por volta de uns sessenta anos.

-Somos ingleses. Falou Fabian com sua varinha apontada para o mesmo bruxo que perguntou.

Os outros três britânicos também estavam com as varinhas apontadas.

-Quem são vocês? Perguntou outro bruxo esse era mais novo deveria ter uns quarenta.

-Primeiro, abaixem as varinhas! Berrou Fabian.

-Nem pensar, nomeie-se! Falou aquele que deveria ter uns sessenta.

-Mais fácil nós falarmos, disse Gideão ao irmão.

-Tudo bem- Disse Fabian- Eu sou Fabian Prewett, esse é meu irmão Gideão- Apontou ao irmão- Esses são Thiago Potter e Sirius Black- Apontando respectivamente para cada um.

-Potter? Perguntou aquele que tinha uns sessenta.

-Isso, sou Thiago Potter. Falou Thiago sem abaixar a varinha.

A confusão estava tão grande, que estavam os quatros integrantes da Ordem da Fênix no centro da entrada do Ministério sobre a águia, com oito bruxos que aparentavam ter entre 30 a 60 anos, e ainda por cima uma plateia de umas 50 pessoas.

Até que deu um ponto final, e chegou um homem que deveria ter uns sessenta anos também e disse:

-Vocês vão trabalhar- Dizendo à multidão que foi diminuindo- O que está acontecendo aqui? Perguntou esse bruxo acompanhado também de outro que deveria ter seus quarenta anos.

-Ministro, esses quatro bruxos dizem que vieram da Inglaterra e aparataram direto aqui, e não querem deixar que os investigassem, disse o primeiro bruxo americano que falou ao ver os quatro aparatando.

-Boa noite, eu sou Agilbert Fontaine, esse é Abraham Potter V, agora aurores abaixem as varinhas, e vocês estrangeiros também- Pediu o Ministro e os doze obedeceram- Agora quem são vocês?

-Eu sou Fabian Prewett, ele é Gideão Prewett, Sirius Black e Thiago Potter. Respondeu Fabian apresentando-os.

-Quahog, por favor, chame o Wilkinson, e vão até minha sala- Pediu Fontaine- Vocês britânicos, por favor, venham.

-Sim, Ministro. Disse aquele bruxo que desde o começo estava nos perturbando que devia ter os seus sessenta anos, o tal Quahog.

Esse Quahog então saiu de perto da roda e foi correndo até uma sala, enquanto os quatro integrantes da Ordem seguiram Fontaine e Abraham Potter.

Durante o caminho os seis ficaram sem conversar, e caminharam por uns cinco minutos até chegar à sala do Ministro, e ele disse:

-Por favor, entrem.

Os quatro entraram seguidos por Abraham, e Agilbert entrou fechando a porta com um feitiço anti-som.

-Gente, nós não podíamos conversar muito lá fora, aqueles oito eram aurores específicos da minha confiança, ontem mesmo eu depôs o antigo Ministro, Afonso Kent, a pedido do pai do Abraham, Joe. Eu agora sou o Ministro, e Abraham é o meu vice Ministro- Disse Agilbert- Joe me avisou que vocês iriam, e como Kent tinham alguns apoiadores aqui dentro, e foi para o lado de você-sabe-quem, temos que tomar cuidado, para isso eu chamei Quahog que é o chefe dos aurores, e também Wilkinson que assumiu minha posição como chefe do Departamento das Leis Americanas. Ambos gozam da minha confiança extrema.

-Ministro, nós precisamos ir até a casa de Alfred Barebone. Pediu Fabian.

-Estou sabendo Sr. Prewett, eu quero deixar claro que aqui vocês podem confiar em mim e terão acesso total no que precisar. Disse Fontaine.

-Obrigado Ministro- Agradeceu Fabian- E que horas podemos ir?

-Sr. Prewett, como eu disse não posso confiar em todos aqui do MACUSA, por isso, vamos precisar de um jeito para fingir que condenamos vocês. Falou Fontaine.

-Como assim? Perguntou Gideão.

-Nós não esperávamos que vocês viessem diretos para cá, então agora para não declarar que estamos dando total apoio a vocês, eu irei pedir para que Quahog os levem “presos” junto de Wilkinson pela saída do MACUSA, assim que sairmos onde nós os levaríamos para a cadeia, nós iriamos leva-los até a casa do Barebone. Explicou Abraham.

-E como ficará? Seremos considerados presos aqui nos EUA? Perguntou Fabian.

-Pelo momento tenebroso que estamos passando por aqui, talvez seja melhor para o povo, espero que entendam minhas considerações. Falou Fontaine.

Os quatro da Ordem concordaram e esperaram a chegada dos outros dois funcionários do MACUSA, assim que os dois chegaram lá, o Ministro explicou a eles o que fariam com os quatro, e então Abraham, junto de Quahog e Wilkinson, levaram na frente de todo os funcionários do MACUSA a prisão do quarteto britânico.

Quando chegaram à casa do Alfred Barebone, os três funcionários do MACUSA a pedido de Fabian ficariam para fora da casa, fazendo a segurança deles, enquanto os quatro investigavam a pequena casa.

Em duas horas, o quarteto examinou a casa toda, e como já eram altas horas da noite, Fontaine passou pela casa, e lá dentro, disse ao quarteto:

-Pessoal como vocês finalizaram o trabalho, para não viajarem a essa hora, espero que aceitem ficar aqui nos EUA essa noite.

-Nós aceitamos, disse Fabian.

-Fabian eles tem aula amanhã, disse Gideão.

-Não, nós preferimos ficar, e matamos dois tempos das aulas do Binns. Falou Thiago rapidamente fazendo os irmãos Prewetts rirem.

-Ele é fantasma Agilbert, disse Sirius.

-Sirius, ele é o Ministro, o trate com respeito. Falou Fabian.

-Espera, espera Sr. Prewett não me chamem como Ministro, vocês me chamem por Agilbert mesmo, já basta ter que aguentar todo povo do trabalho. Disse Agilbert rindo.

-Então Agilbert, nos chame pelos nomes- Disse Gideão- Eu sou Gideão, ele Fabian, e os dois são Sirius e Thiago.

-Ministro, é bom sairmos já. Lembrou Abraham.

-Ah sim claro, vamos pessoal a minha casa está à disposição de vocês. Falou Agilbert.

Os quatro então aparataram depois do Ministro assim que ele entregou-lhes o endereço da casa, onde passariam a noite e iriam voltar para Hogwarts na manhã da sexta, 25.

Depois de passarem a noite nos EUA, no outro dia cedo, Fabian acorda os outros e eles aceitam um café da manhã preparado pelos elfos de Agilbert, e os quatro se despedem, com o Ministro pedindo desculpas por eles serem “presos” para a população bruxa americana.

Assim que o quarteto britânico aparata em Hogwarts a frente das gárgulas, Thiago e Sirius, acostumados a irem até a sala do diretor, falaram a senha e os quatro subiram as escadas. O capitão grifinório então bateu na porta e escutou uma voz de dentro:

-Entre.

E então o quarteto entrou na sala, e lá estavam Dumbledore em sua cadeira, Joe Potter e Charlie Graves, lá estava sentados em cadeiras à frente do diretor, além também de um senhor que deveria ter uns oitenta anos.

-Senhores, esse é meu amigo de muitos anos, Newt Scamander- Falou Dumbledore apresentando o senhor- Newt esses são Fabian e Gideão Prewetts netos de Archide Prewett, esse é Thiago Potter, neto de Henry Potter, e o moreno é Sirius Black neto do Pollux Black.

-Prazer senhores, disse Newt.

-Prazer Sr. Scamander, disseram os quatro um de cada vez.

-Como foi à missão? Perguntou Alvo.

-Senhor, encontramos isto na casa de Barebone. Disse Fabian entregando um pergaminho.

Dumbledore começou a lê-lo, e assim que acabou passou ele para os outros dois americanos.

-Esses são os nomes dos comensais que prendemos em Azkaban, eles pretendiam e ainda pretendem solta-los. Disse Dumbledore.

-Ah senhores, Newt está nos ajudando pela Ordem tentando descobrir algo sobre Voldemort lá onde ele mora junto de sua esposa Porpentina em Dorset no sul da Inglaterra e está nos ajudando com o paradeiro dele pela Europa, além do que sua cunhada uma pessoa que também tive a felicidade de conhecer que como Joe e Charlie ela é americana, a cunhada do Newt, Quinnie Kowalski e seu marido trouxa Jacob Kowalski. Que estão procurando também mais coisas nos Estados Unidos. Explicou melhor Dumbledore.

-Diretor, foi um prazer revê-lo, garotos e senhores foi muito bom conhece-los, Graves foi bom te ver, e Potter muito bom também te rever- Disse Newt- Mas eu preciso ir, se encontrar mais algo entrarei em contato.

-Tudo bem Newt, nos falamos outro dia. Falou Dumbledore cumprimentando o magizoologista que logo aparatou da escola.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...