História Nunca se esqueca de mim! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Goten, Novela, Romance, Trunks
Exibições 31
Palavras 5.907
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Muito obrigado por todos os elogios ao capitulo 7 da história, fico muito feliz que tenham gostado. Esse capitulo não vai estar tão bom como o último, pois vai ter mais estratégia e ação, mas espero que gostem. A sim, peço desculpa pelo capitulo ter ficado tão grande, mas é que me empolguei hehe.

Nesse capitulo vou introduzir o "OoOoOoOo" que significa mudança de foco de personagem.

Capítulo 8 - Contra-Ataque


Tanya abriu a porta do apartamento de Trunks de mansinho, andava devagar para não acordar ninguém, passou pela sala silenciosamente, esperando ver Goten no sofá.

"Ele não está aqui" Pensou Tanya olhando rápido para o sofá "No quarto de hospede ele não está, Trunks até hoje não colocou um colchão lá. Só pode estar no quarto de Trunks".

Andou até lá e olhou para a cama e ao vê-la vazia achou que o quarto estava vazio, mas baixou seu olhar para o chão e a visão que teve a fez corar.

Trunks e Goten estavam deitados juntos, abraçados e a cabeça do mais novo estava apoiada no ombro do outro.

"Que fofinho" Pensou Tanya "Só de cueca, será que eles... não, Trunks não ia se aproveitar de um amigo triste, ainda mais quando ele o ama. Mas e se foi consentido? Goten talvez goste da coisa, se bem que lá na boate ele tava com uma chinesa, mas o Trunks também sai com mulheres e é caidinho pelo Goten. Quando Trunks acordar eu pergunto tudo. Agora uma foto dessa cena linda".

Tanya puxou do bolso um celular com câmera e conferiu se ele estava no silencioso, começou então a tirar fotos dos dois.

-Digam xis – Sussurrou ela.

OoOoOoOo

Enquanto Tanya se divertia com o celular, Goten estava sonhando. Estava em uma canoa, navegando tranqüilo em um rio, as árvores que cercavam as margens estavam carregadas de flores e os pássaros cantavam. Tudo parecia calmo, mas de repente o garoto sentiu a canoa acelerar, olhou para frente e viu o rio se bifurcar: O lado direito tinha as águas calmas e o da esquerda tinha águas que corriam sentiu estranhamente atraído pelo da esquerda e decidiu seguir por ele, mesmo sabendo que iria ser ia bem pelo caminho, até pedras surgirem no meio do tentou manter o equilíbrio da canoa, mas não conseguiu evitar uma colisão frontal com uma pedra, fazendo a embarcação sair da canoa, mas não conseguiu, parecia que estava preso, apesar de não ter nada o prendendo.A água cobriu sua cabeça, sentia que ia se afogar, não conseguia respirar. Num último ato desesperado, ergueu a mão, como se esperasse alguém puxá-lo para fora da água. Quando estava prestes a perder as esperanças sentiu uma mão segurar a sua. Reconhecia aquele toque.

"Trunks" Pensou Goten.

Imediatamente foi erguido e pode respirar livremente, olhou para seu salvador. Trunks sorria e segurava firmemente sua mão. Goten abraçou-o e deixou sua cabeça descansar no ombro do amigo por alguns instantes. Afastou-se dele um pouco, porém sem deixar de abraçá os braços de forma a enlaçar o pescoço dele.

"O que estou fazendo?" Perguntou-se.

Sentiu sua cintura ser segurada firmemente pelo amigo. Goten olhou nos olhos do amigo.

"Como será beijá-lo?"

Os olhos de Trunks emanavam confiança, Goten resolveu esquecer todos os seus medos e receios.

Começou a aproximar seu rosto, chegando cada vez mais perto do rosto do outro. Sentia a respiração do amigo na face. As bocas a milímetros de distância...

Goten acordou. Não quis abrir os olhos; sabia que aquilo tinha sido um sonho, ficou frustrado por causa disso.

"Foi tudo um sonho...o que será que teria acontecido?Eu realmente quis beijar Trunks?Ele é um homem!Devo estar ficando maluco, alem do mais foi só um sonho"

Abriu os olhos e tomou um susto, o rosto de seu amigo muito perto do seu, a respiração dele atingindo delicadamente sua face. Sentiu seu coração acelerar. Notou a posição em que estavam, sentia os braços do mais velho envolvendo-o; sua perna direita estava sobre a esquerda de Trunks. Olhou de novo para o rosto do amigo, tão perto, a boca dele entreaberta tão convidativa.

"Será que eu devo? Não. Não quero roubar um beijo dele dormindo. Vou sair de fininho daqui, talvez ele nem se lembre que eu vim dormir junto dele. Ontem estava tão carente, precisava dele bem perto de mim...e ainda não quero passar uma impressão errada para ele. Que horas são? Acho melhor fazer um café para nós."

Com o máximo de cuidado possível, Goten se soltou dos braços de Trunks e levantou-se. Sentiu um frio que sabia não ter nada haver com a temperatura do ambiente; imediatamente desejou voltar a deitar ao lado do amigo, mas achou melhor não. Pensou em colocar uma roupa, mas como não ia sair do apartamento resolveu ficar só de cueca. Foi para a cozinha, ainda confuso sobre os pensamentos que estava tendo sobre seu amigo. Levou um susto ao ver que não estava sozinho. Sentada à mesa, dormindo, estava Tanya.

"O que ela está fazendo aqui?" pensou Goten irritado lembrando que ela contribuiu para o plano de Ney. Mas logo ficou mais calmo ao recordar que ela tinha sido usada, assim como ele próprio.

"Espero que ela não tenha visto eu e o Trunks dormindo juntos" Pensou corando um pouco.

Ela dormia profundamente, parecia muito cansada. Goten aproximou-se cautelosamente e sem acordá-la tirou a da mesa e carregou-a no colo. Deitou Tanya no sofá e depois de uma rápida ida até o quarto, cobriu-a com um lençol.

"Pronto. Tenho a cozinha só para mim. Esses dois quando acordarem vão estar com fome, vou preparar o café-da-manhã".

OoOoOoOo

Tanya acordou.

"Como é bom acordar sentindo um cheirinho tão bom de café e comida...peraí, acordar?Eu dormi?"Pensou ela levantando-se rapidamente.

Lembrava-se que tinha tirado as fotos dos dois, decidiu esperar eles acordarem, mas como estava com muito sono, foi fazer um café, mas ficou com preguiça, sentou-se à mesa e abaixou a cabeça para descansar um minuto e...bem, era só isso que lembrava.

"Como vim parar no sofá?"

Ouviu sons vindo da cozinha, foi até lá e encontrou Goten tomando café e comendo uma torrada. Parecia perdido em pensamentos, ela notou. Andou em direção a ele, meio embaraçada, lembrando da noite passada.

-Bom dia – Disse Tanya meio sem jeito.

-Bom dia – Respondeu Goten saindo do seu 'transe' – Fiz café-da-manhã. Tem café, ovo frito, ovo cozido, torrada, presunto, queijo...um monte de coisa, como eu não sabia do que você gostava, fiz de tudo. Para mim e para o Trunks tanto faz a comida.

-Obrigada – Respondeu ela sem olhar nos olhos de Goten.

Sentou-se na mesa e começou a comer silenciosamente. Sentia-se um pouco intimidada pela presença de Goten, lembrava-se de como ele havia ficado furioso e se transformado em sabia sobre a existência dessa raça e sua poderosa transformação; Trunks havia lhe contado.

-Você está muito quieta – Comentou Goten

-Não é nada...

-Se foi pela minha alteração ontem, me desculpe se a assustei.

Tanya olhou Goten nos olhos, o garoto transmitia sinceridade.

-Eu me assustei sim! –Disse Tanya – Mas não é você que deve pedir desculpas. Sou eu! Desculpe-me por ter ajudado eles naquele plano, eu juro que não sabia, se eu pudesse voltar no tempo, nunca levaria Trunks para aquela boate e...

-Não diga isso – Interrompeu Goten – Você não teve culpa de nada, alem do mais por causa de você, eu e o Trunks estamos juntos novamente.

- Juntos? – Disse Tanya erguendo uma sobrancelha.

- Quero dizer, voltamos a ser amigos – Falou Goten apressado e corando furiosamente.

Tanya notou o rosto de Goten todo vermelho e começou a rir. O outro deu um sorriso tímido. Logo os dois estavam conversando animados. Suas risadas se tornaram altas, já estavam se esquecendo de Trunks que dormia tranqüilo no quarto.

OoOoOoOo

Meia hora depois Trunks acordou, por um momento não se lembrou por que sua cama estava tão dura, mas logo se lembrou da noite passada.

"Onde está Goten?" Pensou preocupado passando sua mão pelo lençol, ainda sentia seu cheiro lá.

Logo relaxou ao ouvir a risada dele vinda de fora do quarto. Como tinha sentido falta daquele som...aquele pedaço de chão em que estava deitado parecia tão vazio sem ele por perto.

"Porque ele está rindo" Pensou curioso.

Engatinhou até a porta e abriu-a um pouco.

"Não está na sala, só pode estar na cozinha, se ele não for maluco deve estar com mais alguém".

Logo ouviu outra risada, dessa vez de uma mulher.

"Tanya?Ela já está aqui?Que horas são?"

Levantou-se e olhou no relógio de cabeceira que ele tinha. Eram çou-se.

"Ainda está tão cedo...que cheirinho bom. Tanya fazendo comida? E com esse cheiro tão bom? Não foi ela que fez com certeza, será que foi o Goten?Não sabia dessa habilidade gastronômica. Se ele morasse aqui, eu não deixaria ele cozinhar, eu levaria café para ele na cama e...o que estou pensando?Lá vai minha imaginação correndo solta. Bom, vou comer algo, estou com fome".

Decidiu não vestir roupa, Tanya já o havia visto só de cueca outras vezes. Abriu a porta e começou a sair do quarto, mas parou e olhou para o lençol onde pouco antes dormia.

"Queria poder guardar aquela cena para sempre, acho que vou ter de me contentar com lembranças. O corpo dele era tão quente..." Trunks suspirou e seguiu seu caminho.

Andou até a cozinha, guiado pelas risadas e deu de cara com Tanya e Goten conversando animadamente.

-Bom dia – Disse ao entrar na cozinha e se dirigir a mesa.

-Bom dia - Disse Tanya.

-Bom dia – Disse Goten corando de leve – Agente te acordou?

-Não – Respondeu Trunks notando a alteração de cor do rosto do amigo – Tive um sono ótimo.

Goten ficou mais corado ainda e Trunks, percebendo o que tinha dito, corou também. Tanya vendo aquela cena deu uma risada baixa, mas não comentou, achou melhor não dizer que tinha visto os dois juntos.

-Agora que estamos todos aqui – Começou Tanya a falar, vendo que os amigos estavam envergonhados de mais para começar algum assunto – Vou contar o porquê de eu não ter esperado até mais tarde para falar com vocês.

-Você dormiu alguma hora? – Perguntou Trunks.

-Só um pouquinho, enquanto esperava vocês acordarem. Aqui na mesa, depois o Goten me levou para o sofá.

Trunks deu um sorriso para Goten.

-Usou a chave do apartamento que te dei?

-Foi – Respondeu Tanya.

-Hoje de madrugada você me disse que tinha seguido aquele pessoal. O que foi que você descobriu?

Tanya suspirou, e pela primeira vez os saiyajins notaram o real cansaço dela.

-Depois que Trunks me mandou fugir, eu corri para a saída. A rua estava deserta, ouvi uma explosão vinda da boate e logo em seguida vocês voando embora. Não precisa fazer essa cara Goten, eu sei sobre vocês serem meio extraterrestres. Continuando, pensei em continuar a correr para longe, mas aquelas pessoas ainda estavam lá dentro. Decidi esperar para vê-los saírem, depois de uns 15 minutos eles saíram. Todos estavam muito machucados, menos aquela va...digo, mulher.O único desacordado era o Raul. Os outros começaram a discutir, algumas coisas eu não ouvi, mas como falavam alto eu pude ouvir boa parte da conversa. Não quis me arriscar a chegar muito perto deles, estava escondida atrás de uma lata de lixo.

-Você já estava se arriscando ali sozinha, espionando eles – Disse Goten.

-Eu sei, mas eu precisava fazer aquilo para compensar o que eles me fizeram fazer. Então, eles discutiam sobre como aquilo tinha sido arriscado e que se não fossem o 'idiota de cabelo roxo' eles estariam mortos.

Trunks fez cara feia ao ouvir aquele 'apelido'.

-Devia tê-los matado – Falou trunks.

-O pior está por vim. Eles falaram sobre um dinheiro roubado que deveriam esconder no QG da R.R.T. e que Goten era a única testemunha do crime. Nesse momento Raul começou a acordar e pediu que os outros o ajudassem; Isabela simplesmente puxou uma arma da bolsa e atirou na cabeça dele. A sangue frio. – Tanya começou a soluçar e perdeu o controle – Ela o matou, MATOU!

Trunks foi até ela e passou um braço pelo seu ombro.

-Precisamos achá-los – Disse Trunks.

Goten permanecia mudo, fechava a mão com força esmagadora.

-Depois disso, eles falaram em fugir da cidade, cada um ir para um lugar diferente – Disse Tanya mais controlada – Hoje às 19 horas, 3 aviões iriam levá-los embora. Disseram que iriam esperar no QG.

-Eles deram mais alguma informação? – Perguntou Goten.

-Não, um carro preto apareceu e levou-os, assim como também levou o corpo de Raul

-Vamos então Trunks, vamos rastreá los pelo ki e...

-Nada disso. – Disse Trunks.

-Porque não?

-Primeiro estamos só de cueca e segundo você ainda não explicou esta história de dinheiro roubado.

Tanto Trunks, quanto Tanya olharam fixamente para Goten. Ele empalideceu um pouco.

-Eu e os outros...nós...roubamos um banco – Disse Goten hesitante.

-Vocês o que? – Falou Tanya arregalando os olhos.

-Explique essa história direito – Disse Trunks.

-Não tem como eu me justificar, mas eu pensei que era tudo por uma boa causa. O Ney tinha me dito que a irmã dele estava doente, que precisava muito de dinheiro para manter o tratamento. Invadimos o banco, a explosão que eu fiz destruiu as câmeras, eles entraram e pegaram 800 mil, dividimos em partes iguais, 200 mil para cada um. E na verdade tudo foi só um truque deles...não acredito que roubei – Conclui Goten triste.

Tanya olhava chocada para ele, mas Trunks manteve-se impassível.

-Eu vi sobre este roubo na televisão. Onde está sua parte? – Perguntou Trunks.

-Está escondido na floresta, perto de casa. Eu ia devolver hoje.

-Você ainda vai devolver? – Perguntou Tanya.

-Claro que vou, não quero aquele dinheiro. Agora eu preciso recuperar o resto.

-E depois? – Perguntou Trunks erguendo a sobrancelha – Depois que você pegar o dinheiro, o que vai fazer?

-Eu vou – Começou Goten hesitando – Capturar os outros e ir para a polícia, contar tudo que nós fizemos.

-Você sabe o que isso implica? – Disse Trunks com a voz dando uma leve tremida.

-Implica eu ir para a cadeia – Disse Goten baixando a cabeça.

-Ir preso? - Perguntou Tanya – Mas não é justo, você não sabia e...

-Se ele roubou, então tem que pagar pelo seu crime – Disse Trunks tristemente – Mas eu poderia usar meus contatos na polícia e..

-Não! – Disse Goten – Desculpe Trunks, mas não quero sua ajuda. Eu quero ser julgado de forma correta.

Trunks e Goten se encararam por algum tempo. Nenhum dos dois falou nada, Tanya permanecia imóvel, seu olhar indo de um rosto ao outro. Até que finalmente o silêncio foi quebrado.

-Muito bem então – Disse Trunks triste – Como vamos fazer para recuperar o dinheiro?

-Eu tenho um plano – Respondeu Goten, sem olhar para Trunks, a voz cheia de tristeza.

E assim começou o planejamento do contra-ataque.

A discussão levou a manhã toda, quando já estava tudo pronto, almoçaram e Tanya foi para casa se preparar, sua parte do plano era arriscada, mas ela mesma que deu a idéia e nem Trunks, nem Goten conseguiu fazê-la desistir.

Na varanda os dois saiyajins observavam a parte de baixo do prédio, esperando Tanya sair, pois ela ia embora para casa andando. Trunks sem aviso, empurrou Goten contra a parede e segurou-o pelos pulsos. Goten não resistiu, apenas desviou o rosto para não encarar o amigo.

-Você NÃO vai para a cadeia. Eu não vou deixar! – Gritou Trunks, pouco se importando com o que os vizinhos pensariam.

-Trunks, eu cometi um crime, agora já não há mais desculpa para eu não devolver todo o dinheiro e entregar Ney, Isabela e Jack para a policia. E me entregar também. - Disse Goten ainda sem olhar para Trunks.

-Eu já fiquei afastado de você por muito tempo, não posso te perder de novo.

Neste momento Goten virou o rosto e encarou Trunks de frente, no rosto de Trunks uma lágrima escorria. O rosto dos dois a poucos centímetros de distância.

-Você não vai me perder de novo! – Disse Goten soltando seus pulsos e abraçando Trunks que o abraçou de volta.

Ficaram assim durante um tempo. Goten lembrou do seu sonho, quase que involuntariamente seus braços subiram e enlaçaram o pescoço de Trunks; que abraçava Goten pela cintura e o puxou para mais perto, colando os dois corpos. Os dois afastaram as cabeças e encararam-se. Um leve rubor se fazia presente em suas faces.

-Trunks... – Falou Goten baixo, quase num sussurro.

Suas cabeças começaram a se aproximar, os olhos se fechando, já podiam até sentir a respiração um do outro bem próxima.

"Isso está acontecendo realmente?" Perguntou-se Goten.

"Eu não acredito, eu vou beijar o Goten. Depois de 2 meses de tortura, eu vou conseguir o que há muito queria." Pensava Trunks " Não importa o que ele diga, não vou deixar ninguém afastá-lo de mim.

-Trunks!Goten! – Gritou Tanya chamando os saiyajins – Esqueci minhas chaves, vim correndo aqui pegar.

Os dois imediatamente se afastaram, no exato momento que Tanya entrava na varanda.

-Vocês sabem onde eu deixei? – Perguntou ela sorrindo inocente.

Trunks a fuzilava com o olhar, enquanto Goten a encarava meio assustado.

-Algum problema? – Perguntou ela percebendo a cara dos dois.

-Acho que sua chave ficou no sofá, deixa eu dar uma olhada. – Disse Goten e saiu apressado da varanda.

-O que foi que eu fiz? – Perguntou Tanya confusa a Trunks, que ainda estava fazendo cara feia.

-Nós estávamos quase nos beijando – Disse Trunks com um tom de raiva na voz.

-Desculpe, desculpe, desculpe – Disse Tanya sem graça – Eu não sabia.

-Tudo bem, acontece – Disse Trunks já mais calmo.

-Vocês iam mesmo se beijar? – Perguntou Tanya excitada.

-Ao que tudo indicava, sim. – Disse Trunks sorrindo.

-Ai, eu não acredito! – disse Tanya – Que gracinha vocês dois juntos. Por falar nisso vocês dormiram juntos não foi?

Trunks concordou com a cabeça.

-Mas não no sentido malicioso da palavra, dividimos a cama, ele tava carente e eu também. A sim, nós não estamos juntos realmente, nem sei se o Goten curte isso mesmo, talvez ele só queira um amigo – Disse ele meio triste.

-Para de besteira Trunks. Quando cheguei hoje cedo vi vocês dois...lindos!

-Eu queria uma recordação daquele momento – Disse Trunks tristemente.

-Para sua sorte eu tenho a solução do seu problema.

Ela pegou o celular e mostrou as fotos. Trunks ficou muito vermelho.

-O que achou delas? –perguntou ela, passando as fotos.

Ele nada respondeu.

Goten voltou trazendo as chaves de Tanya.

-Achei – Disse Goten – O que foi Trunks?Você ta todo vermelho.

-Nada não, foi uma foto que tirei de um casal que conheço. – Disse Tanya enquanto fechava o celular – Estão em poses obscenas.

Goten levantou uma sobrancelha para os outros dois. Tanya deu uma risada, pegou sua chave, agradeceu a Goten e se dirigiu a porta para sair do apartamento.

-Manda essas fotos para meu celular – Gritou Trunks.

Tanya continuou a rir e Goten olhou interrogativo para Trunks.

-Não são fotos pornográficas, é outra coisa. –Disse Trunks sem jeito.

-Acredito...

Trunks não agüentou e riu, Goten o acompanhou na risada. Depois de passado o momento, pairou um silêncio entre eles.

-Goten, sobre...

-Vou tomar um banho rápido, avise a minha mãe que vou passar o dia fora.

Goten saiu apressado para o banheiro, Trunks ficou olhando o outro se afastar.

"Parece que foi tudo um mal entendido...ele não gosta de mim dessa forma".

Trunks saiu da varanda e foi até o telefone ligar.

Jack estava inquieto, andava de um lado para o outro. Não conseguia ficar parado numa cadeira. Passara o dia no aeroporto, olhando sempre para trás para checar se não estava sendo seguido; Isabela e Ney estavam escondidos no QG. Jack tinha muito medo de a polícia descobrir sobre sua participação no roubo no banco de Satan City. Também estava com medo de encontrar com Goten, o soco dele tinha quebrado 4 de suas costelas, e sabia que podia ter sido muito pior se ele tivesse usado toda sua força; no último instante Goten desacelerou o golpe. O médico tinha dito para ele ficar em repouso absoluto, mas mesmo todo enfaixado, foi para o aeroporto e comprou as passagens, 3 diferentes vôos que sairiam com 15 minutos de diferença.

"Eu não acredito que estou indo para a Austrália" pensou Jack.

Andava com dificuldade, levava consigo alguns frascos de morfina e seringas para aplicá-las. Foi pela milésima vez no banheiro, notava suas pernas tremerem ligeiramente. Arrependia-se de ter participado de todo o esquema de Ney.

"Novatos...sempre metendo os mais velhos em confusões. A RRT precisa mudar a política de admissão de recrutas."

Depois de se aliviar, saiu do banheiro e foi tomar um suco numa lanchonete, estava ficando desidratado. Ainda faltavam 4 horas até o avião partir. Sentou-se numa cadeira e fez seu pedido. Quando chegou seu suco de laranja, mal o colocou na boca, quando se assustou ao ouvir alguém chamando seu nome. Virou-se rapidamente e se deparou com uma linda ruiva, de saia curta preta e blusa branca bastante decotada; atraindo os olhares de vários homens que passavam.

-Tanya? – Falou ele surpreso.

-Rápido, não temos muito tempo – Disse ela se aproximando rapidamente, Jack notou que ela trazia consigo uma mala com rodas.

-O que você está fazendo aqui? – Perguntou ele quando ela chegou mais perto.

-Eu vou explicar tudo resumidamente, depois que teve aquela confusão na Safira Negra, eu ouvi tudo que vocês disseram, sobre o roubo do banco e vi também a morte de Raul. Primeiro achei vocês monstros, mas agora acho que vocês deram um belo golpe, eu me apaixonei por você durante aquele tempo que estivemos juntos. Conversei com Trunks e Goten, eles vão atrás de você, do Ney e da Isabela. Só que eles vão procurar no QG da RRT, seja lá o que isso signifique. Descobri que você tinha vindo para cá e decidi fugir com você - Disse ela eufórica.

-Porque eu deveria acreditar em você? – Perguntou Jack hostil.

-Eu não sei, mas quero que saiba que meus sentimentos são verdadeiros.

Neste momento deu um beijo longo em Jack, deslizou sua mão pelo peitoral enfaixado e chegou até entre as pernas dele, dando um leve aperto. Jack a afastou e olhou nos olhos dela.

"Ela parece sincera, mas nunca se sabe. Vou silenciá-la, é melhor assim. Eu poderia levá-la comigo, uma transa garantida na Austrália, mas não vou me arriscar".

-Acredito em você. Vamos comprar sua passagem.

Tanya sorriu e o abraçou de leve. Ele pagou o suco e em 15 minutos já estavam com a passagem dela na mão.

-Agora você tem que me prometer que não vai fazer nada ilegal quando chegarmos lá. Não quero fugir de outro país. Um assalto a banco já foi demais para uma vida inteira.

-Você parece que se esquece que não assaltei aquele banco sozinho, sabe muito bem que tive ajuda de Goten, Ney e Isabela. Isabela conseguiu a planta do lugar, eu e Ney planejamos e Goten explodiu a parede. Enchemos os bolsos.

-Deve ter sido muito emocionante.

-E como...por falar em emocionante, está afim de ir lá para o fundo do aeroporto?Soube que lá é bem deserto.

-Eu não sei, não parece muito seguro – Falou Tanya surpresa.

-Você esta comigo, relaxa. Agente pode selar nosso pacto de forma bem interessante. – Disse Jack maldosamente.

-Não prefere ir para minha casa?Não é tão longe assim.

-Não vou sair do aeroporto – Disse ele irritado.

-Então...tudo para o fundo do aeroporto – Disse Tanya hesitando.

OoOoOoOo

Os dois saíram do aeroporto e deram a volta no prédio, indo para seu fundo. Jack fez Tanya sentar numa caixa de papelão, enquanto ele procurava algo para se sentar.

"Onde fui me meter?" perguntava-se Tanya " Onde o Jack foi?Tem tanta caixa aqui, porque ele foi procurar lá no fundo?"

-Já achou o que procurava? – Gritou ela.

-Já- Disse ele, saindo de trás de um monte de sua mão, um revólver.

Tanya deu um grito e começou a correr. Jack apenas sorriu e deu dois tiros nela. Tanya sentiu os disparos e caiu no chão, só ouviu passos se aproximando e a escuridão tomou conta de si.

Trunks e Goten pairavam no céu muito alto, um pouco acima das nuvens. Goten balançou a cabeça em sinal afirmativo e Trunks fez o mesmo. Tinham achado o Q.G. da RRT. Era um prédio muito luxuoso, no centro da cidade. Pertencia ao grupo Ribone, um grupo empresarial italiano, conhecido por ter enorme influência na máfia; apesar de nada ter sido provado.

Os dois amigos desceram discretamente num beco próximo ao prédio. A primeira vista aquele prédio parecia ser comum, mas sentiam o Ki de Isabela e Ney lá dentro.

"Que estranho, será que o QG é aí mesmo?" Perguntou-se Trunks.

-Vamos entrar atirando? – Perguntou Goten, mesmo já sabendo a resposta.

-Claro que não, essa história está estranha, vamos entrar e analisar o local – Respondeu o mais velho.

Trunks queria ser o mais discreto possível para não ferir pessoas inocentes, então arrastou Goten para uma loja de roupas de aluguel ali perto e em 20 minutos saíram de lá vestidos como executivos. As roupas estavam um pouco folgadas, pois não esperaram ajustes. Entraram no prédio, Trunks teve que mandar Goten calar a boca, pois ele não parava de reclamar de como odiava usar terno.

"Não sei porque reclama tanto, fica um gato assim" Pensou Trunks.

Tudo indicava que era um prédio empresarial normal. De repente Goten percebeu algo estranho, os kis de Isabela e de Ney não vinham do prédio e sim de debaixo dele, ele olhou para Trunks que pareceu sentir isso também. Juntos foram até o elevador, mas se surpreenderam, pois não havia um botão que descesse mais.

Saíram do prédio e voltaram para o beco.

-E agora? Como vamos para baixo do prédio, sem explodir algo? – Perguntou Goten irônico.

-Deve ter alguma entrada secreta, se procurarmos direito talvez...-Trunks parou no meio da frase, notando o olhar de Goten – Ta bom, vamos descer da maneira mais fácil. Mais primeiro vamos evacuar o prédio.

Goten sorriu e voou até quase o topo do prédio e lançou um pequeno raio de energia, acertando uma porta de um dos escritórios, imediatamente ela pegou fogo. Mal ele desceu e o alarme de incêndio disparou. Pessoas começaram a correr para fora do prédio e eles aproveitaram a confusão para entrar. Quando viram que estavam sozinhos, golpearam o chão e abriram um buraco. Olharam pelo buraco e viram uma sala, os dois pularam dentro do buraco.

Era um lugar muito bonito e arrumado, a sala onde estavam. Ficava diretamente abaixo da recepção do prédio, aquela sala também era uma recepção. Em cima do balcão da recepcionista se via escrito em branco no fundo vermelho a sigla RRT.

Tudo estava vazio, mas ainda sentiam o ki de Isabela e Ney próximo de onde estavam.

-Provavelmente eles estão depois daquela porta, preparado? – Perguntou Trunks apontando para uma das 4 portas da sala.

Goten confirmou com a cabeça. Trunks começou a andar em direção a porta quando foi puxado pelo braço por Goten, ele olhou para trás curioso.

-Eu sei que nós somos saiyajins e que estamos lidando com humanos, mas mesmo assim...tenha cuidado - Disse Goten.

Trunks sorriu e virou-se para o amigo.

-Me prometa que vai sair inteiro dessa que eu também prometo.

-Eu prometo – Respondeu Goten.

-Então eu prometo também.

Os dois apertaram as mãos sorrindo. Os dois ficaram um tempo sem se mover, só aproveitando o contato físico, os dois lembrando daquele quase beijo de mais cedo. Até que Trunks soltou sua mão.

-Vamos acabar logo com isso – Disse Trunks determinado.

Juntos abriram a porta e se depararam com Isabela e Ney encolhidos do outro lado da sala onde entraram. Na mão de Ney uma grande mala semi-aberta deixando ver um grande quantidade de dinheiro.

- Sejam bonzinhos e cooperem – Disse Trunks – Se entreguem para a polícia e talvez a pena de vocês não seja muito grande.

Isabela começou a rir descontrolada.

-Vocês acham que assustam agente? – Perguntou ela – Estávamos esperando a vinda de vocês. Bem vindos aos seus túmulos.

Isabela sacou uma arma, Ney nem se mexeu, estava muito machucado da noite anterior seus olhos percorriam a cena mostrando medo e receio.

-Você acha que assusta agente com isso Bela? – Perguntou Goten rindo – Nós não somos humanos normais, balas não são nada para agente.

-Sei disso – Disse ela e disparou a arma.

Trunks notou uma entonação estranha na voz dela e se desviou do tiro, mas Goten nem se mexeu recebendo o impacto. A arma que Isabela segurava não disparou uma bala, mas sim um raio vermelho que fez Goten voar fora da sala e se chocar contra a parede da sala anterior. Trunks vendo seu amor ser atingido daquela maneira disparou uma bola de energia na arma que a mulher segurava, mas Isabela foi rápida o suficiente e ergueu a outra mão diante do raio desviando-o.

- Invenções número 1000 e 1001 – Disse ela orgulhosa – Essa arma dispara raios anuladores de energia, ou ki, como vocês chamam; Goten deve estar muito fraco agora, vai ficar assim durante umas 12 horas. Eu consegui desviar o seu ataque através desse anel que tenho no meu dedo, ele produz um escudo energético que desvia qualquer tipo de energia.

Trunks olhou assustado para a garota.

"Desde quando esta tecnologia existe?" perguntou-se ele.

Isabela mirou a arma na direção de Trunks e disparou, mas ele conseguiu desviar e transformou-se em supersaiyajin.

-Vamos ver se seu brinquedinho agüenta isso. –Trunks reuniu energia na mão e disparou.

Isabela ergueu a mão, e parou a energia diante de si, lutou um tempo, pareceu que ia conseguir desviar de novo, mas a barreira se quebrou e ela foi lançada para trás, chocando-se com a parede e caiu desacordada. Trunks rapidamente foi até Ney e deu-lhe um soco, fazendo-o ficar desacordado, mesmo ele mal se mexendo devido a surra que Goten o dera, Ney ainda podia ser perigoso, Trunks não queria arriscar.

Rapidamente o saiyajin correu até Goten para ver como ele estava. Não parecia muito ferido, apenas alguns cortes e hematomas.

-Acho que quebrei nossa promessa, desculpe – Disse Goten dando um sorriso, mas sem se levantar do chão.

-Seu idiota – Gritou Trunks ajoelhando-se do lado do amigo – Quando atiram em você, espera-se que você desvie.

-Mesmo de balas?

-Mesmo de balas.

Algumas lágrimas começaram a escorrer pelo rosto de Trunks.

-Nunca mais me assuste assim – Disse ele segurando a mão do amigo e apertando-a - Consegue levantar?

Goten confirmou com a cabeça e ergueu o braço e com a mão limpou as lágrimas do rosto de Trunks.

-Você é um chorão – Disse Goten rindo.

Trunks ajudou o outro a se levantar e levou-o até uma cadeira.

-Senta aí um instante, você está sem energia nenhuma.

Goten fez cara de surpresa e fez cara de concentração, passado uns instantes olhou para Trunks assustado.

-Não consigo voar.

-Aquela mulher disse que você vai ficar sem energia durante 12 horas.

Goten fez uma careta.

-Isso é possível?Quero dizer, anularem nossos poderes?

-Sim. Minha mãe já conseguiu fazer isso com meu pai, mas a tecnologia é secreta e muito avançada. Fico imaginando onde Isabela conseguiu essa arma. Mas deixa isso para depois. – Falou Trunks pensativo.

Trunks foi até a sala onde tinha acontecido a batalha e depois de alguns minutos voltou com a mala de dinheiro, a arma e o anel no dedo.

-Os amarrei com alguns fios. Peguei as armas dela e o dinheiro, parece estar todo aí, não deu para contar. Agora vamos lá para cima, eu te dou uma carona, vou te deixar na recepção, liga para a polícia e avisa o que vou apagar o incêndio.

Trunks colocou a arma dentro da mala para ficar com um braço levantou-se com dificuldade e abraçou Trunks que segurou sua cintura com o braço e juntos flutuaram para fora dali.

Isabela esperou os dois saírem para poder avaliar direito sua situação, tinha fingido estar desmaiada durante todo o tempo. Os fios que envolviam seu corpo estavam muito apertados, uma vingançazinha de Trunks. Ela se debateu muito, mas não conseguiu se soltar. De repente um zumbido alto a fez parar de tentar se libertar, sabia que estava salva.

A parede a sua frente parecia comum, toda lisa. Mas, com a chegada desse zumbido, a parte central da parede ganhou o contorno de uma porta que se abriu lateralmente, como as dos elevadores, revelando a figura de um senhor. Ele andou direto até Isabela e parou a uma pequena distância dela.

-Reporte-se – Disse ele severo.

-A missão foi um sucesso, eu vi a transformação deles. A arma absorve os poderes e o escudo consegue desviar uma certa quantidade de energia, mas não resiste a um disparo direto deles, quando transformados.

-Muito bem. Precisamos realizar mais testes para entender melhor a natureza dos saiyajins.

O homem tirou do bolso o que parecia uma caneta e apontou para Isabela, um pequeno raio laser saiu da ponta da caneta e cortou os fios.

-Vamos embora, não há mais nada para se fazer aqui.

-Mas e os computadores? Eles têm a ficha completa de todos os membros da RRT da cidade e das cidades vizinhas.

-Isso não tem importância. A Red Ribon Teen é uma grande piada, nós só escolhemos uma pessoa de cada sede, você foi a escolhida desta. Você agora é uma recruta oficial da Red Ribon. Sua ficha foi apagada destes computado
Isabela não pode deixar de sorrir.

-E o Ney? – Disse ela apontando para o garoto amarrado.

-Lixo. Nós vamos precisar de alguém para levar toda a culpa e ele foi o feliz sorteado.

Isabela confirmou com a cabeça. Juntos eles entraram no elevador, a porta se fechou e a sala logo voltou a mergulhar no silêncio.

Trunks tinha acabado de apagar as chamas quando ouviu sirenes, anunciando a chegada do corpo de bombeiros.

"Tão lentos..." Pensou ele.

Desceu para o térreo rapidamente pelo poço do elevador, queria saber como Goten estava. Encontrou-o sentado encostado num pilar, com os olhos fechados. Ajoelhou-se ao se lado e não pode deixar de admirar como ele era belo, tinha um rosto angelical.

"Você me conquistou mesmo..." Pensou Trunks "Será eu poderia beijá-lo agora?"

Decidiu não ficar debatendo consigo mesmo e inclinou a cabeça na direção da do amigo.

-Goten – Falou baixinho perto do ouvido dele.

Ele abriu os olhos e olhou nos olhos de Trunks. Os dois ficaram se olhando durante um tempo, parecia que um feitiço tinha os dominado. Até que finalmente Goten começou a aproximar sua boca da de Trunks, que por sua vez começou a se aproximar também. Fecharam os olhos. Quando os lábios estavam quase se tocando, o celular de Trunks tocou alto. Os dois abriram os olhos e Goten se afastou, ficando vermelho. Trunks pegou o celular com raiva, tinham estragado aquele momento de novo. Olhou para o visor externo do celular para ver que estava ligando, na tela estava escrito 'Tanya'.

"Eu mato" pensou ele.

Trunks contou até 3 e atendeu,

-Tanya você está bem? – Perguntou ele entre os dentes.

-Que raiva é essa? Eu estou ligando para dizer que deu tudo certo aqui.

-Fico feliz de ouvir isso – Disse ele relaxando um pouco – Mas você me paga – acrescentou falando baixo para Goten não ouvir.

-Que seja. O Jack atirou em mim, mas o colete a prova de balas que a polícia me deu funcionou bem. Eu desmaiei por causa do choque, e quando ele foi terminar o "serviço" os policiais o cercaram. O gravador que eu estava usando por debaixo da roupa gravou tudo direito, eles tem todas as provas que precisam. O plano foi perfeito. Deu tudo certo aí?

-Sim, só o Goten saiu ferido. Eu estou bem.
-Ótimo, fico muito feliz com isso. E Trunks...a gravação também deu provas para os policiais prenderem Goten.

-Eu já imaginava, eu vou desligar o telefone com você agora e ligar para meu advogado.

-Certo. Agente se vê mais tarde.

Tanya desligou e Trunks começou a digitar o um número no celular, seus olhos fixos em Goten que parecia dormir encostado no pilar.

Notas Finais


E aí o que acharam? A Red Ribon está de volta. Mas ela sai de cena por enquanto, na continuação dessa fic ela aparece mais uma vez. Fiquei meio na dúvida sobre o destino do Goten, mas não achei correto ele escapar dessa, pois apesar de por uma boa causa ele cometeu um crime. Mas, não se preocupem esse fic não termina mal.

Queria pedir desculpa pelo OoOoOoOo era para se negrito só que eu não dou conta de colocar en negrito, sobre essa fic vo falar que vai ter mais 2 cap, e a do Goku e Vegeta sera lançada en breve...
Outra coisa que queria conta, a mais lembrei que não posso mais acompanhem a fic que vocês vão saber...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...