História O acaso inesperado. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope
Tags Bangtan Boys, Bts, Hokeok, J-hope, Romance
Exibições 42
Palavras 1.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Ecchi, Fantasia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa novamente kkkk fiquei muito tempo sem publicar cap novo, mas assim que passarem minhas provas eu vou postar capítulos mais frequentemente.
Espero que gostem desse cap, e vejo vcs nas notas finais.

Capítulo 13 - Sozinhos em casa.


Fanfic / Fanfiction O acaso inesperado. - Capítulo 13 - Sozinhos em casa.

- S/N, você não está desconfortável assim?*perguntou a mãe do Hope com a feição preocupada*

  Me levantei e percebi que tinha acabado dormindo ali, não era atoa que o que pescoço estava doendo.

- Não senhora. *respondi à ela com um sorriso*

- Vamos conversar lá fora, o Hoseok está dormindo. *ela disse e nós duas saímos*. Bem S/N, eu queria te pedir um favor, eu sei que vou exigir muito de você assim, mas eu preciso...

- Pode dize sogra *nem acreditei que já tive a intimidade de chama-la de sogra, mas como ela não se importou resolvi continuar*

- Você sabe que eu e meu marido trabalhamos o dia todo, e a irmã do Hoseok praticamente não fica em casa por causa dos estudos. Com o Hoseok assim, eu preciso de alguém que fique com ele em casa, não precisa ser o dia todo, mas sabe... Entre os seus intervalos de aula, ou quando você não tiver aula, você pode até dormir lá se quiser...

- A senhora quer que eu cuide dele sogra?

- Sim *ela falou com um tom meio vergonhoso, parecia a primeira vez dela pedindo algo assim a alguém*

- Sogra, a senhora não precisava nem me pedir assim. Eu sei que a culpa do Hope estar assim é minha, então eu sinto mais do que a obrigação de cuidar dele dando o meu melhor. Eu vou cuidar dele sogra, todo o meu tempo, fora da faculdade, vai ser voltada para ele sem dúvidas.

- Obrigada S/N, eu dei muita sorte de poder ter uma nora como você 8ela fala e me abraça, não preciso nem falar o quanto aquilo tocou o meu coração*

  Enquanto acabávamos de conversa um médico se aproximou de nós duas e começou a falar com a mãe do Hope.

- A senhora é a guardiã do paciente Jung Ho Seok?*perguntou ele à mãe do Hope*

- Sim doutor.

- O seu filho já pode receber alta hoje. A perna dele está imobilizada e ele precisa ficar assim por no mínimo 3 meses, logo após isso ele deve começar a fisioterapia. Ele não deve fazer muito esforço físico, ainda mais já que eu ouvi que ele é um dançarino. Cuidem bem dele que tudo vai dar certo. *ele se despediu e foi embora*

   Logo após isso eu a mãe do Hope entramos e fomos arrumar as coisas para levar o Hope para casa.

   Quando chegamos na casa dele éramos apenas eu, ele e a sua mãe. A irmã dele estava no colégio e seu pai trabalhando. Eu sabia que a mãe dele teria de sair daqui a poucos minutos, já que precisava trabalhar. Todos ali eram muito ocupados.

  Eu ajudei o Hope a ir ate o sofá, fazendo o possível para que ele não fizesse muito esforço, enquanto a sua mãe guardava as coisas dele no quarto. Eu coloco o Hope no sofá e ajeito vários travesseiros, principalmente em sua perna, para que ele se sentisse o mais confortável o possível. Sua mãe desse já avisando que precisa voltar ao trabalho e sai. Éramos apenas eu e o Hope naquela casa agora.

  Não sei o motivo, mas eu estava meio sem graça com aquela situação. Ficamos sozinhos lá, o silêncio tomava conta de tudo, não tinha assunto. Eu precisava cortar aquele clima ruim, então me levantei e comecei a falar:

- Eu vou pegar as receitas que te passaram no hospital pra ver se devo fazer alguma coisa agora. *quando me viro para pegar os papeis que estavam lá em cima o Hope me puxa pelo braço e me faz cair ao seu lado, bem encostada ao seu corpo, então ele me abraça e começa a falar*

- S/N, posso te perguntar uma coisa?

- Claro Hope.

- Por que você veio na minha casa naquele dia? Justo quando a Kang ShiNyo estava aqui?

  Eu tento me levantar para olhar o seu rosto, mas ele me abraça mais forte ainda me impedindo.

- Apenas me fale. 8disse ele me segurando*

- Fazia dias que não nós víamos, e naquele dia eu tinha encontrado ela no mercado e ela me falou que queria namorar você... Então eu precisava te ver, acho que o meu medo de te perder foi maior que a nossa briga.

- Você sabe o que ela estava fazendo aqui em casa?

- Tentando te conquistar, é óbvio. *falei em um tom sarcástico*

- Não. Ela se encontrou com a minha mãe na rua e a ajudou a trazer algumas compras, então a minha mãe convidou ela para o jantar, já que sabia que nós éramos amigos a muito tempo. A respeito de ela “querer namorar comigo”, quando você me falou isso antes do acidente eu meio que já saia, na verdade tinha percebido isso dela, por isso eu abaixei a cabeça daquele jeito. Eu ia tentar te explicar isso, mas eu estava tão envergonhado de agir como uma criança e ficar tanto tempo sem falar com você, e também do nada...

- Não fala isso*eu o interrompi, não queria ouvir novamente do acidente, eu queria deletar aquela cena da minha memória*. Eu também fui uma criança em não te procurar antes, em sair correndo e não te escutar, além do mais, foi eu quem começou essa briga naquele dia. Se não fosse por mim você não estaria assim. *falo com os olhos já quase transbordando*

- Ya! Eu já disse, esse acidente não foi sua culpa. Eu não sei o que teria feito se o carro tivesse pegado você e não eu, se eu te visse jogada no chão, acho que a minha vida teria acabado ali.

- E como você acha que eu me senti seu bobo?! Eu quase dei um treco quando de vi no chão naquele estado.

- Mas não deu, pelo contrario, você me salvou S/N.

- Quem salvou quem aqui? *falei em um tom retorico e ele riu, incrível como ele tem humor até para essas horas*

  Ele me solta um momento, o que faz com que ele me levante e fixe meu olhar ao dele. Ele então me encara e chega perto do meu rosto, parecia querer falar algo sério, então depois de algum tempo assim ele me diz:

- S/N?

- Sim Hope?

- Eu estou com fome, faça algo para eu comer? *a sua expressão passa de séria para um bebê lerdo em questão de segundos*

- Sério isso?

- Vaaiiii, eu estou com fome! Você não faz ideia de como é a comida do hospital.

- Pode apostar que eu sei.

- Por favor, S/N! Você não quer que o seu namorado fique subnutrido, não é? * ele fazia uma cara de pidão enorme, e ainda mais com aquele beicinho, não tinha como resistir aquele garoto*

- Táááá! Eu vou fazer, mas se você falar que está rui você é um homem morto. *falei e me levantei em direção à cozinha enquanto ele comemorava*

    Depois de fazer a comida – strogonoff – e lavar tudo, eu e o Hope ficamos vendo tv esperando a sua mãe chegar. De repente o telefone toca, o Hope atende – por ficar do lado dele.

- Era a minha mãe.

- Ela já está vindo?

- Não, meu pai precisou ir em uma reunião de negócios de última hora e ela e a minha irmã tiveram de ir com ele. Só voltam amanhã de noite. Acho que alguém vai ter que dormir aqui hoje *ele fala alegre me abraçando*

- Yah!  Quem disse que eu vou dormir aqui? Amanhã cedo eu tenho aula.

- Você vai deixar o seu lindo namorado sozinho aqui nesse estado? *fala apontando para a sua perna*

- Aff, ok. Mas amanha cedinho eu saio. Nem pense em fazer alguma arte enquanto eu não estiver. E eu também vou precisar ir no seu departamento para avisar que você vai faltar por um bom tempo.

- Aish, o que eu poderia fazer de arte?

  Eu olho pra ele com cara de desconfiança, depois me levanto eu vou fechar a casa. Depois de tudo trancado eu volto para a sala e ajudo o Hope a se levantar para ir no quarto. Quando estava subindo as escadas uma coisa venho em minha mente.

- Hope?

- Sim?

- As enfermeiras não te deram banho lá, deram?

- Não.

- Suspeitava...

- Por que S/N?

- Porque você vai ter que tomar banho agora, e trocar os curativos, e eu não vou mentir, vai doer.

   Ele me olhou com uma cara meio assustada, meio sem entender, não sei explicar direito. Pensei que ele iria falar várias coisas, como se remédio do curativo ardia, ou se  tinha uma maneira indolor, mas o que sai da boca dele é totalmente diferente:

- S/N?

- Sim Hope?

- Você vai tomar banho comigo, não vai?

CONTINUA...


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Se tiverem sugestões comentem elas, por favor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...