História O Acompanhante Profissional - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Kaisoo, Menção A Chanbaek
Visualizações 340
Palavras 3.086
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!
Vocês viram a capa? Gostaram?? Digam que sim ahsuahus Minha amiga chegou dizendo que tava fazendo uma capa pra fic, mas que não sabia se ficaria boa (um raro momento de modéstia da parte dela cof cof) porém ficou essa coisa super fofa e eu quero agradecer de novo, prq acho que não foi o suficiente ainda rsrs

ENFIM vou deixar vcs com o último cap prq o anterior foi motivo de muitxs assassinxs em potêncial aparecerem...

Capítulo 6 - Final


1 mês depois

Kyungsoo arrumava suas coisas para poder ir embora depois de mais um dia de trabalho, conferiu se não estava esquecendo de nada e saiu fechando o escritório, por ser o gerente do seu setor muitas vezes era o último a deixar o local, e algumas vezes era também o primeiro a chegar.

Seus passos eram apressados até o cinema principal da cidade, havia ganhado um par de ingressos para um filme que tinha estreado há pouco tempo e se sentia animado a ir, mesmo sem companhia. Assim que recebera os ingressos tentou inutilmente devolvê-los  a Chanyeol com a desculpa que ele e Kai não poderiam ir, mas o outro insistiu e ele acabou ficando. O mais novo ainda achava que o relacionamento era de verdade e que tudo estava indo bem, Kyungsoo não tinha coragem de desmentir ainda.

Sua relação com Chanyeol era algo totalmente normal agora no seu ponto de vista, os dois conversavam uma vez ou outra e Kyungsoo conheceu melhor Baekhyun, descobriu que a companhia do rapaz era muito agradável e divertida. Em um dia qualquer enquanto recordavam da viagem Byun comentou que passava uma boa parte do tempo com Kai pelo hotel já que ambos não tinham muita coisa pra fazer.

Porém pensar em Kai o deixava com uma dor no peito que ele não sabia explicar, se lembrava como se fosse ontem as últimas horas deles juntos, foi tudo tão estranho e triste. Os dois não se falaram mais que o necessário depois da conversa no quarto, ele achava que ao menos manteria uma amizade com o outro, mas foi impossível tentar terminar tudo amigavelmente quando se sentia tão arrasado, no fim tudo não passou de uma transação de negócios.

Do se aproximou da bilheteria e retirou os ingressos pra entregar ao rapaz do outro lado do balcão, olhou novamente para o segundo ingresso que deveria ser do Kai e se perguntou o que ele poderia estar fazendo agora, talvez com um novo cliente? Era tragicamente engraçado como pensava que o que estava sentindo por Jongin na viagem fosse uma paixonite de momento, ao menos era o que ele queria fielmente acreditar, mas já se passara um mês e sua cabeça continuava rodeada de pensamentos sobre o moreno.

— O senhor está aguardando alguém? Se importa de ficar um pouco mais no canto pra não atrapalhar a fila? - O rapaz da bilheteria perguntou apontando para os dois ingressos na mão de Kyungsoo.

— Ah, eu… - Do não foi capaz de terminar sua frase, as palavras se sufocaram na sua garganta e seus olhos se abriram em espanto, não poderia estar vendo aquilo, certo?

— Desculpe, eu acabei me atrasando um pouco. Aqui dois ingressos para o filme das 22h. - Kai falou gentil para o balconista enquanto pegava os ingressos da mão de Kyungsoo e o entregava, o menor queria reagir, mas quando voltou a si o moreno lhe levava pra longe da bilheteria.

— O que pensa que está fazendo? - Kyungsoo enfim reagiu, puxou sua mão do aperto do outro e o encarou.

— Desculpe, mas eu preciso falar com você…

— O que mais você tem pra me falar? - Kyungsoo realmente não esperava encontrar o outro tão repentinamente. — Olha, eu realmente não quero saber o que você tem pra me falar, por favor me deixa ir. - Ele realmente não queria soar grosseiro, mas qual seria a melhor forma de dizer que estava se sentindo desconfortável na frente do moreno?!

— Por favor, me escuta…

Kyungsoo suspirou ao ouvir o pedido do outro e olhou seu relógio constatando que tinham bastante tempo até o filme começar, e estava realmente curioso pra saber o que Kai tinha para lhe dizer, e ainda mais sobre como o tinha encontrado e sabia dos seus dois ingressos, era estranho demais.

— Certo, mas antes me explica como você sabia que eu estaria aqui e com dois ingressos pro filme.

— Eu sabia porque foi eu quem comprei os ingressos e pedi que o Chanyeol te entregasse.

— Como? - Agora Kyungsoo não entendia mais nada do que estava acontecendo, estaria em um sonho? Essa era a explicação mais plausível para aquilo tudo.

— Olha, só me deixa explicar tudo do começo e você pode me perguntar o que quiser depois, ou somente ir embora, mas só me escuta, por favor. - Kai pedia com um leve tom de súplica na voz e Kyungsoo se sentia ainda mais curioso e confuso com toda aquela situação.

— Okay, pode começar a falar.

— Certo. - Kai suspirou aliviado, fitou o menor nos olhos e começou a falar com um semblante sério, Kyungsoo o olhava atentamente esperando que começasse a contar, estava na expectativa de entender tudo que se passou. — Duas semanas atrás eu fui a festa de aniversário de uma amiga minha da faculdade e por coincidência encontrei Chanyeol lá, parece que a menina é amiga do Baekhyun. Quando o orelhudo me avistou logo perguntou se eu estava sozinho, eu não tinha entendido muito bem na hora e disse sim, depois percebi que ele estava querendo saber de você, me surpreendeu ele ainda achar que estamos namorando. Enfim, em algum momento da festa ficamos apenas nós dois conversando e ele me veio com uma história, que a princípio eu estranhei muito, de que vocês tinham voltado a serem amigos, não como antigamente, mas pra ele já era mais que o suficiente porque você era alguém muito legal, e que eu deveria continuar te fazendo bem porque no dia que vocês dois conversaram e resolveram tudo, você tinha dito que queria ser feliz ao meu lado. Aquilo me chocou muito porque eu achava que você ainda estava sofrendo pelo orelhudo, mas quanto mais ele me falava que o nosso relacionamento só te fez bem na opinião dele, mas eu percebi que eu talvez tenha visto as coisas de forma distorcidas… - Kai falava tudo olhando nos olhos do menor, queria capturar cada reação dele durante a explicação, tinha planejado aquele reencontro pra ser esclarecedor e teria que dá certo. — Depois de muito conversarmos eu só queria te reencontrar e resolver tudo, foi então que tive a ideia de pedir a ajuda do Chanyeol, disse que queria te fazer uma surpresa de namoro e perguntei a ele se podia me ajudar, ele aceitou na hora dizendo que adorava a ideia, tinha até feito umas pro namorado dele que fez questão de me contar animado e eu fiquei um pouco traumatizado… Acredita que ele se fantasiou de Deadpool pra eles fazerem-

— Kai, me poupe dos detalhes e pule pra parte que se refere somente a nós dois, por favor.

— Ah, desculpa… Bem, onde eu tava? Ah sim! Eu lembrei que você disse que era fã de filmes no estilo noir e eu vi que esse iria estrear, então comprei dois ingressos e pedi que ele te entregasse com a desculpa de me chamar para o cinema etc e vim aqui atrás de você pra dizer que… Eu menti pra você, eu não tenho namorado nenhum, na verdade eu estou apaixonado por você… A semana que eu passei ao seu lado foi o suficiente pra você mexer comigo, desde o momento que nos beijamos você não sai da minha cabeça e eu fiquei muito mal depois que nos separamos. Tudo que tentei durante a viagem foi te fazer sorrir, mas depois fui eu que te deixei mal dizendo que tinha um namorado, eu não estava esperando aquela reação e quase voltei atrás. Aliás… você já olhou seu sorriso no espelho? É um dos mais lindos que já vi, você deveria sorrir mais.

— Você não tem um namorado…? - Kyungsoo se sentia atordoado, era muita informação para seu cérebro assimilar. — Por que você mentiu pra mim…?

— Não, eu sou solteiro, eu menti quando falei isso pra você… Eu achei que você ainda estava gostando do orelhudo e estava apenas me vendo como alguém pra passar o tempo.. e eu estava tão envolvido com você, como nunca tinha ficado com outra pessoa que fiquei com medo de só ser machucado… Eu te via sempre triste quando algo envolvia o Chanyeol, e no luau foi que pareceu mesmo, suspirava direto e quando nos beijamos eu gostei, mesmo mesmo, mas imaginei que tudo não passava do efeito do álcool e me senti tão mal. Desculpa, desculpa mesmo…

Kyungsoo não sabia o que dizer, estava atordoado cada vez que Kai lhe revelava mais alguma coisa e se sentia com raiva pelo outro ter mentido pra si. Como Jongin queria que ele adivinhasse que estava envolvido romanticamente consigo, se tudo poderia ser apenas o jeito dele trabalhar?

— E se não tem namorado por quê tem a regra idiota de não permitir beijos?

— Você queria que eu beijasse e fizesse sexo com todo mundo que pedisse?! Eu prefiro fazer esse tipo de coisa com quem eu realmente gosto, não queria que fosse algo tratado como serviço comercial, já bastava a minha companhia…

— Idiota, mil vezes idiota…

— Você tá com raiva por causa dessa regra? Eu aqui me declarando e-

— Não! Eu estou com raiva de você, de tudo isso, eu nem sei… como você achou que eu estava suspirando no luau por causa do orelhudo? Eu já estava decidido a seguir em frente, e eu disse isso pra você no dia anterior!! Eu estava triste porque ficava pensando na gente toda vez que olhava aqueles casais todos melosos lá e nós éramos apenas uma farsa, eu queria que fossemos reais! Eu já estava me apaixonando por você e aquela mentira toda me irritava. Ainda me irrita.

— Espera… Você estava apaixonado por mim? Você ainda está…? - Kai perguntou um pouco incrédulo, tinha vindo esclarecer as coisas apenas para tentarem ser amigos, não tinha esperanças que o menor lhe correspondesse os sentimentos. Uma alegria enorme começava a lhe invadir o peito.

— Idiota… - Kyungsoo virou o rosto vermelho pra longe do maior, tinha falado tudo tão rápido que não se deu conta quando revelou os seus sentimentos. Encarou o outro e voltou a falar. — Sim, sim. Eu estou apaixonado por você antes mesmo de nos beijarmos… - Seu rosto estava mais vermelho do que ele achava possível, mas não tinha como voltar atrás com suas palavras.

— Isso é sério?! Oh my, eu estou tão feliz que eu só quero te beijar! Eu não imaginava que você gostasse de mim.

Kai falava animado se aproximando do menor, mas suas palavras apenas irritaram mais Kyungsoo, como Jongin não tinha esperança se tudo que ele fez foi tentar lhe dá claros sinais que estava gostando de si? Tudo bem que foi apenas nos últimos dias, mas o outro deveria ter percebido alguma mudança no seu comportamento.

— Nem se atreva ou eu te bato, ainda estou com muita raiva por você ter mentido. Tem noção do quanto eu me senti um tolo enganado quando você disse que tinha namorado?

— Desculpa, mas eu não sabia como me sair da situação e essa foi a melhor forma que achei…

— Não precisava sair da situação! Olha, só vamos assistir o filme porque eu estou vendo pessoas entrarem na sala e eu quero realmente assistir, me acalmar…

— Sim, vamos sim! - Jongin falou animado andando lado a lado com menor. — Esse vai ser meu primeiro filme no estilo noir, eles são bons mesmo?

— Eu gosto… - Kyungsoo falou segurando o sorriso que queria escapar de seus lábios, se sentia irritado pela mentira, mas se sentia muito mais contente por ter o outro ao seu lado, nem nos seus sonhos mais aventureiros imaginava se encontrando com o maior e tendo toda essa reviravolta. Um sentimento de recomeço lhe inundava por completo.

— Hm… espero gostar também.

Os dois estavam sentados nas cadeiras mais ao fundo, Kyungsoo se mantinha focado na tela a sua frente e Kai o olhava de canto admirando suas expressões, sua mão se moveu lentamente até se entrelaçar com a do menor o fazendo virar o rosto para lhe encarar, então Jongin se aproximou rapidamente e colou seus lábios em um selinho breve, depois outro, e outro, até que seus lábios se abrissem aprofundando o contato entre eles. Do aumentou o aperto das suas mãos que estavam unidas quando sentiu a língua do moreno invadir-lhe a cavidade bucal e todo o turbilhão de sentimentos lhe tomar novamente como na noite que se beijaram pela  primeira vez, porém bem mais intenso, pois agora Kyungsoo sabia que eles eram reais.

O beijo foi suavizando até se findar, Kyungsoo abraçou Kai escondendo seu rosto no peito alheio por alguns minutos, então levantou a cabeça minimamente apenas para sussurra no ouvido do maior.

— Jongin… quer namorar comigo?

Kai ficou surpreso com a pergunta, ele planejava fazê-la ao menor mais na frente. Kyungsoo estranhou o silêncio do maior e se afastou para olhar seu rosto.

— Você… não quer…?

— Não! Quer dizer sim, sim eu quero, eu quero muito. É por quê eu fiquei surpreso não esperava que fosse você que fizesse o pedido… eu estava planejando fazê-lo depois de qualquer forma, então não tem porque eu negar.

— Eu não queria esperar pra quando você decidisse fazer, demorou tanto pra me encontrar depois que soube do mal entendido, imagina o quanto não demoraria pra pedir em namoro.

— E você está com tanta pressa assim pra ser meu namorado? - Kai perguntou rindo.

— Cala a boca… - Kyungsoo apenas virou o rosto vermelho para longe da visão do outro. — Ah, sobre seu trabalho... a sua regra de não beijos e nada de sexo vai continuar, não é?!

— Você não se importa de eu continuar trabalhando como acompanhante?

— Pra ser sincero eu me importo sim, mas você tem que ganhar dinheiro, o que eu posso fazer? Mas se me trair… - Kai não conseguia controlar o sorriso que lhe estampava o rosto.

— Eu não sou mais acompanhante. Um amigo meu me pediu pra substituir ele em uma peça e a staff gostou tanto de mim que pediram pra eu continuar trabalhando fixo com eles em outros títulos. Esse foi um dos motivos de eu ter demorado um pouco pra vir atrás de você, queria te encontrar sendo apenas Kim Jongin o estudante de teatro. Ah! E eu quero te devolver o que você gastou comigo… eu não quero lembrar da viagem como algo relacionado a transações financeiras entre nós dois.

— Nossa, você realmente me apareceu cheio das surpresas… sei nem o que dizer, mas é bom saber que não vou me preocupar com seu tipo de trabalho.

— Não, não vai. Eu sou único e exclusivo seu a partir de hoje.

— Idiota, a gente tá em público as pessoas vão interpretar errado se ouvirem…

— Kyung, as pessoas se ouviram essa parte da conversa devem ter ouvido todo o resto também.

— Tá, tá… podemos voltar ao filme? - Kyungsoo falou se virando pra frente, mas já tinha perdido uma boa parte do filme e não conseguia entender como os personagens chegaram a tal cena que passava no momento. — Ah se eu não entender o restante do filme você vai ter que comprar outro ingresso pra mim.

— Mal começamos a namorar e você já está me explorando, que eu saiba o mais rico entre nós dois é você.

— Sinto muito, gastei minhas economias com um acompanhante profissional que só me trouxe problemas.

— Hey, que problemas?

— Silêncio quero assistir ao filme…

— Nossa, agora me senti na história que inventamos de como nos conhecemos…

— Ah! Vamos continuar usando essa história quando nos perguntarem, a verdadeira é vergonhosa pra minha imagem.

— Mas, mas Kyung…

— “Mas” nada, e espero que já tenha o dinheiro dos próximos ingressos separados. - Kyungsoo falou apontando pra tela preta que subia as letras de créditos do filme.

— Mas já acabou?! Eu não queria me separar de você agora. Hm… o hyung quer ir na minha casa? - Kai falou manhoso. Kyungsoo analisou a expressão do outro a achando muito fofa, ele também não queria se despedir agora do outro.

— Tudo bem. Você mora muito longe daqui?

— Não, são apenas três quadras. - Kai se aproximou do ouvido do menor e falou em um sussurro. - Eu tenho mais surpresas preparadas… - O comentário fez Kyungsoo corar.

O apartamento de Jongin era pequeno, porém confortável, do tipo comum aos universitários que moram sozinhos. Kyungsoo estava sentado na cama do maior olhando o próprio celular enquanto esperava que o moreno voltasse com a tal surpresa, o menor achava que era apenas brincadeira do outro, mas pelo visto havia mesmo algo.

— Surpresa!  - Kai falou entrando no quarto de supetão fazendo Kyungsoo se assustar, não apenas pela sua volta repentina.

— Que fantasia é essa..? Não acredito que Chanyeol tem culpa por você ter esses tipos de ideia. Você não disse que tinha ficado traumatizado?! - Kyungsoo falava rápido e nervoso, seu rosto estava completamente vermelho. — Tira isso, sério.

— Eu achei que você iria gostar… tem até-

— Só vai se trocar. - Kyungsoo devia admitir que Jongin estava lindo e sexy com a fantasia, mas quanto mais o olhava mais ficava nervoso e tímido. — O que você está fazendo?

— Hã? Tirando a roupa, não foi você que pediu?

— Não aqui na minha frente!

— Diz isso, mas no hotel você vivia me olhando quando eu ficava andando no quarto de toalha… - Kai se aproximou do menor com o torso completamente nu. — Agora você pode ficar a vontade, pode até tocar se quiser… - Sussurrou com os lábios roçando o do menor e se inclinando lentamente por sobre seu corpo fazendo Kyungsoo se deitar na cama.

A mão direita do maior acariciava a lateral do corpo menor, descendo em direção ao cós da sua calça e desabotoando lentamente os botões um por um, enquanto sua boca experimentava cada centímetro da pele alheia, sugando-lhe e marcando cada pedaço como seu.

Kyungsoo se sentia amolecer entre os braços do outro, seu corpo se entregava aos poucos para o maior até se sentir inteiramente pertencente ao moreno. Sentia uma inquietação no seu interior cada vez que a boca alheia lhe tocava em um novo local.

— Idiota…

Kyungsoo falou quase em um gemido, puxando o maior para mais um beijo, para mais perto de si, uma das suas mãos agarrava-o pela nuca pressionando as bocas para ficarem unidas enquanto a outra descida pelo corpo moreno até alcançar os glúteos alheios, pressionando os dedos no local, apertando e puxando para que suas intimidades se tocassem. Ansiava por mais contato, queria fazer o maior sentir na pele o desejo que lhe consumia por dentro e queimava o que lhe restava de sanidade, o enlouquecendo de prazer.

— Mas sou seu idiota…


— FIM —


Notas Finais


Então foi isso... Fui muito má cortando bem no lemon? Mas eu me senti insegura pra escrever o resto e sei lá... relevem, por favor.

Eu espero que vocês tenham gostado, apesar de tudo... E quero agradecer muitíssimo a todos que leram, que comentaram e que favoritaram (Eu não imaginava que teriam nem 10 favoritos e me surpreendi muito). Quero agradecer a minha amiga que me incentivou a postar a fic, talvez se não fosse ela a fic teria ficado lá quietinha no google docs... então é isso... sou muito grata a todos! ^.^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...