História O acordo de um Uchiha - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kizashi Haruno, Mebuki Haruno, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Colegial, Itachi Uchiha, ItachixSakura, Itasaku, Naruto, Romance, Sakura Haruno, SakuraxItachi, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Uchihas
Visualizações 417
Palavras 3.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá leitores! Demorei? Se sim desculpa, andei meio ocupada esses dias /: Mas enfim, aqui está o capitulo! Espero que gostem e leiam as notas finais!

Boa leitura! <3

Capítulo 2 - Briga?


 

Capítulo 2

Briga?

Ino Yamanaka

Universidade de Konoha

 

 

 

Deixei Sakura para trás, já com um plano em minha mente para faze-la tomar jeito e falar com o Uchiha mais velho, eu sabia que ela não faria isso sozinha, e é por isso que estou aqui, vou ajuda-la.

Mesmo que eu não a apoie com Sasuke, pois o cara é um tremendo vagabundo, está a toda hora com aquela cara de quem comeu e não gostou, até com os próprios amigos ele é assim. Acorda todo o dia com uma garota diferente na cama, as festas sempre vão até a madrugada e ainda tem aquele jeito de malandro que eu tanto odeio, mas o que eu não faço pela minha melhor amiga?

Eu sei que o que ela sente pelo Sasuke é intenso, e não quero que ela pense que eu sou uma amiga ruim, Sakura sempre me apoiou em todos os meus podres, então, o que me resta a fazer, é ajudar.

Itachi é um cara gentil, até aonde eu sei. Já me encontrei com ele em uma das milhares de festas do Sasuke, e começamos a conversar no pequeno "barzinho", ele me contou um pouco sobre a sua vida e nada a mais, ele é bem reservado.

Desde então, conversamos uma vez ou outra, e mesmo sabendo que ele é um pouco fechado, sei que vai dar uma mãozinha à Sakura, pois ele é totalmente o contrário de Sasuke, vamos dizer um pouco atencioso.

O intervalo estava prestes a acabar, eu tinha que encontra-lo rápido, ou se não, iria me condenar para sempre por não ter sido capaz de PELO MENOS encontrar Itachi.

Em algumas voltas irritantes que acabei dando em torno a universidade, trombei com alguém. Por pouco não cai pateticamente em um dos corredores em que algumas pessoas passavam.

Olhei para cima, vendo o ser me observando com fogo nos olhos, pronto para pular em cima de mim arrancando meus órgãos. Eu tenho sorte de ser mulher.

    —  Olhe para onde anda, loira de farmácia. — Falou me olhando como se eu fosse o ser mais insignificante da face da terra. Senti meu sangue ferver.

    —   LOIRA DE O QUE? — Esbravejei, pronta para esganar o moreno a minha frente. O que esse filho da mãe tinha de gostoso, tinha em dobro de arrogância.

    —   Você está surda? Loira. De. Farmácia. — Falou pausadamente. Não dei tempo dele fazer aquela cara de bunda para mim, simplesmente segui meu extinto de "durona" e lancei minha mão de encontro ao seu rosto, acertando-o em cheio, vendo o lugar acertado aos poucos ficar vermelho, quando me dei conta do que havia feito, já era tarde demais. 

Uma avalanche de alunos intrometidos se aglomerava ao nosso redor, dando gritos, fazendo piadas e outros olhando assustados pela minha audácia, ninguém, ninguém mesmo, teria coragem de fazer o que fiz, eu estava orgulhosa e ao mesmo tempo com medo, pois o que vi quando olhei para frente foi de tremer até os ossos.

O Uchiha me olhava ferozmente, com uma veia saltada na testa, suas mãos estavam fechadas fazendo uma força de dar medo. Ok, eu estava morta.

Ele levantou sua mão ao alto. Iria me bater? Fechei os olhos com força quando senti sua mão vir em direção ao meu rosto, eu só esperava pelo pior.

Mas não senti nada, exatamente nada. Tomei coragem novamente para abrir meus olhos, então me deparei com uma cena quase que cômica.

Itachi estava segurando o braço erguido de Sasuke, o olhando com raiva. O moreno mais novo estava sem expressão, todos a nossa volta estavam espantados, realmente ninguém esperava pela intervenção do mais velho, nem Deus deve ter imaginado isso. Uma cena maravilhosa aos meus olhos.

    — Você é impossível. — Falou o mais velho ainda segurando o pulso de Sasuke. — Iria mesmo bater em uma garota? Irmãozinho tolo. — Ouvimos murmúrios vindos ao nosso redor, os paparazzis ainda estavam assistindo o Show. Isso estava ficando tenso.

    —   Não se meta, Itachi. — Falou o mais novo, olhando seriamente para o mesmo — Essa garota me tirou do sério, deixe-me acertar as coisas com ela. — Em seguida lançou seu olhar à mim, com frieza.

    —   Não, você não vai. — Ele disse autoritário — Não quero arrumar problemas por sua causa, e se ela fez alguma coisa, foi porque você provocou, eu te conheço. — Já falei que Itachi é incrível? Se não, falei agora. — Agora vá, não estou a fim de te carregar a força. — Soltou o braço de Sasuke, o mesmo lançou um olhar raivoso para o irmão mais velho, que apenas ignorou e ficou parado no mesmo lugar.

Em instantes a barragem de pessoas que assistiam a briga foi se esvaziando, deixando Itachi e eu no corredor. Perfeito.

    —   Obrigada, de verdade. — Agradeci, vendo-o sorrir gentilmente em um sinal de "disponha". Antes que ele saísse chamei novamente fazendo ele se virar me olhando interrogativo. — Estava justamente te procurando. — Ele ficou confuso por alguns segundos mas logo se aproximou botando as mãos nos bolsos da sua calça moletom. 

    —   Prossiga. — Falou apenas, esperando que eu tomasse continuidade do assunto.

    —   É sobre uma amiga. — Ele me encarou tentando entender aonde eu queria chegar — Ela tem algo a te pedir, mas não tem coragem de vir pessoalmente dar início a uma conversa. — Expliquei, ele relaxou a expressão no rosto, me respondendo.

    —  Está bem. — Suspirou. Sorri animada. Sakura, essa é a sua chance de ouro! 

— Vou avisa-la para te encontrar na biblioteca, tudo bom pra você? — Ele concordou com a cabeça, com uma expressão despreocupada.

O moreno estava pronto para ir embora, mas falei novamente. Ele apenas parou ainda de costas ouvindo o que eu iria dizer.

    —   A propósito Itachi — Falei antes que ele se retirasse — O nome dela é Sakura, Haruno Sakura. — Ele murmurou algo que eu não ouvi direito e se retirou, pois o sinal já iria tocar para todos irem à suas respectivas salas, e eu iria para a minha claro. 

Uma longa e chata aula de anatomia me esperava. Vamos, seja forte, Ino.

 

Sakura Haruno

Casa dos Haruno

    


Olhava para o meu reflexo no espelho, eu estava horrível.

Meus olhos estavam inchados, minha boca seca e meus cabelos pareciam que saltariam da minha cabeça, pois tinham fios apontando para todos os lados.

Diferente de dias normais, eu não estava com a mínima vontade de ir para a Universidade amanhã. Na verdade, não estava com vontade de fazer nada. Eu não poderia fazer nada.

Não poderia ligar para Ino e desabafar, jogar tudo para fora e pedir conselhos. Não poderia abraçar minha mãe e sentir seu calor reconfortante de perto. Não poderia ouvir meu pai me dando lições de vida como era diariamente na minha outra casa.

Eu estava sem saída.

Teria que carregar esse peso na consciência sozinha, por causa de um garoto. 

Já estava me culpando por tudo. Era o certo a se fazer? Me entregar para o irmão de Sasuke Uchiha para conseguir seu amor? Eu nem sabia se daria certo, nem sabia se eu teria algum futuro com ele, mas minha consciência teimava em seguir essa trilha, e é o que estou fazendo.

Desci as escadas, indo em direção a cozinha, estava faminta, e apenas uma pessoa poderia me ajudar.

    —  Chiyo? — Chamei a senhora que lavava alguns talheres na pia. Ela me olhou e logo abriu um sorriso acolhedor e gentil.

    —  Sim senhorita Haruno? — Atendeu se virando para mim.

    —   Estou com fome. — Falei — Poderia preparar algo para mim comer? — Perguntei, mesmo já sabendo a resposta.

    —    Claro, o que deseja? — Ela perguntou me olhando com um ar simpático.

    —   Ah — Botei o dedo indicador no queixo pensando — Estrogonofe.

    —  Está bem — Ela concordou — Mas antes vou ao mercado fazer as compras, faltam algumas coisas em casa. — Eu acenei concordando.

Chiyo é a empregada aqui de casa. Meu pai e minha mãe resolveram contratar uma já que minhas comidas eram horríveis e eu não iria viver só de enlatados.

Ela também faz faxina aqui, é muito gentil e sempre que pode conversa comigo. É uma presença agradável.

Eu ia subir as escadas, antes de ouvir a campainha tocar. Chiyo não atendeu, já deve ter ido ao mercado, então eu fui à contra-vontade atender o ser que tocava a merda da campainha de 5 em 5 segundos.

    —   JA VAI PORRA! — Gritei já sem paciência, abrindo a porta com tudo e me deparando com uma cabeleira loira.

    —  Calma Sakura-Chan! — Naruto falou com cara de tacho, me olhando assustado, mas logo voltou ao normal entrando como se a casa fosse dele. 

Mas era quase isso, já que somos melhores amigos ele entra aqui sem se importar se estou dormindo ou no banho, come todas as minhas besteiras guardadas quase que com cadeados e fala alto como se eu estivesse do outro lado do planeta. Esse era Naruto.

    —   Por que não avisou que vinha? — Perguntei fechando a porta atrás de mim, observando o loiro que ia em direção a minha geladeira, tirando de lá uma barra de chocolate.

    —   Você saiu hoje e eu nem te vi! Também não me esperou para eu te dar carona, queria saber se está tudo bem, oras! — Respondeu como se fosse a coisa mais óbvia do mundo, se jogando no sofá e dando uma mordida no chocolate logo ligando a Tv, trocando os canais tentando achar algo interessante.

    —   Estou bem... — Olhei para o meu amigo que agora se lambuzava de doce, ri fraco. — Não se preocupe.

    —   O que acha de vermos umas séries? Faz tempo que não fazemos maratonas como antigamente! — Ele falou animado já colocando na Netflix e acessando meu perfil na mesma. 

    —   Naruto! Eu preciso estudar, deixa para outra hora. — Andei em sua direção arrancando o controle das suas mãos. Ele me olhou indignado.

    —   Não acredito que vai vim com essa de estudar logo no primeiro dia de aula! — Ele se levantou — Deixa de ser chata vai, só alguns episódios! — Fez cara de triste.

    —   Ai para com isso, vai me assustar com essa cara de bicho morto aí! — Cruzei os braços ainda com o controle em mãos. Vi ele rir, chegando mais perto.

    — Se você não vai me devolver eu mesmo pego. — Parou bem em minha frente. Eu o olhei sorrindo.

    — Tente! — Desafiei, saindo correndo pela casa. Vi ele sorrir e correr atrás de mim, deixando o pacote do chocolate em uma mesinha próxima do sofá.

 

(...)

 

    —  NARUTO! — Eu gargalhava alto, mais do que minha garganta permitia. — P-PARA POR FAVOR! — Eu ria descontroladamente sentindo o loiro fazer cócegas por todo o meu corpo. Estava derrotada.

    — Só vou parar se disser que vai fazer a maratona comigo! — Ele falava, brincalhão, eu o mataria com certeza.

    —   T-tá!! — Recuperei um pouco do fôlego perdido — Só pare com isso por favor!!! — Ri mais, esperando que ele me desse um tempo, e então finalmente, parou.

Ele sorriu radiante em minha frente, e com ar de vitória pegou o controle de minhas mãos botando em The Walking Dead. Sério isso? Iriamos assistir uma série de mortos vivos?


    —  Naruto, eu não vou assistir isso. — Virei a cara

    —   Por que? Não me diga que tem medo de zumbis? — Ele já estava pronto para soltar a sua risada escandalosa.

    —  Não, essa série é tosca. — Reclamei

Vi ele revirar os olhos, sabendo que eu não iria ceder.

    —   O que a senhorita quer ver então? Barbie? — Zombou de mim, fazendo careta.

    — Claro que não! — Andei até ele me sentando do seu lado no sofá, tirando o controle de suas mãos — Vamos ver Grey's Anatomy! 

    —   Puff! — Ele bufou, cruzando seus braços em indignação. — Sem graça você. — Olhou emburrado para a Tv que já dava início à série que eu escolhi.

    —  Também te amo. — Ri fraco ouvindo-o resmungar. Encostei a cabeça no seu ombro relaxando.


(...)

 

Naruto havia ido embora, agora eu me encontrava deitada na cama com o meu pijama broxante de unicórnios que minha mãe tinha me dado de aniversário. Ela sempre diz que não importa o que eu diga, sempre vou ser a menininha dela, isso me deixava meio constrangida mas era minha mãe, eu gostava do jeito dela me apelidar, me trazia uma sensação de conforto.

Mas agora ela não estava aqui, eu teria que me confortar sozinha.

A lua fazia com que meu quarto se iluminasse através das cortinas, uma brisa leve entrava, e eu escutava o barulho de lá fora mergulhando em meus pensamentos.

Itachi.

O que ele queria fazendo aquela proposta suja comigo? Eu estava certa aceitando aquilo? Ele iria mesmo me usar como um objeto e me tratar igual as vadias que ele comia por aí? 

Eu estava me sentindo um lixo por não conseguir falar sobre isso com Ino ou Naruto, se algum dia descobrirem que eu menti para eles, ficariam muito magoados comigo, fora o fato do meu relacionamento estranho com Itachi, o que achariam disso? Não quero nem pensar em uma resposta.

 

(...)

 

Acordei cedo. Não estava muito animada para ir à Universidade mas mesmo assim, saí me arrastando pelo meu quarto indo em direção o banheiro, precisava de um banho.

Após tomar uma ducha rápida, peguei o conjunto de uniforme da universidade, composto por uma camiseta com o símbolo de lá, uma saia azul marinho e meias brancas que iam até os joelhos. O clima estava agradável, com um céu limpo. 

Penteei meus cabelos, deixando minha franja a frente, fiz uma maquiagem básica - Lápis, Delineador, Base e Gloss labial - e então desci as escadas botando minha mochila nas costas.

Cheguei na cozinha e avistei Chiyo botando a mesa para mim. Aquele cheiro delicioso de café entrou em minhas narinas e a fome bateu.

    —  Bom dia senhorita Haruno! — Falou a senhora sorridente como sempre.

    —   Bom dia! — Cumprimentei-a e me sentei na mesa, deixando a mochila de lado em uma mesinha de centro próxima.

Tomei meu café tranquilamente enquanto mexia em meu celular. Havia uma mensagem de Ino, resolvi ver o que queria.

Mensagem:

      Então Testuda, como foi? Deu tudo certo? Quero saber tudo e com DETALHES! Também tenho um babado para te contar sobre ontem, como sei que você é lerda não deve estar sabendo ainda. Beijos, te vejo na Universidade!

Senti meu coração apertar. O que eu falaria para ela? E que babado era esse?

Deixei as perguntas de lado e a respondi.

Mensagem:

— Depois te digo, te vejo lá, Beijos.

Me retirei da mesa e fui escovar meus dentes. Peguei minha mochila e sai de casa. Passei o olhar nas ruas de Konoha procurando algum táxi disponível, mas nada.

Ouvi uma soar buzina atrás de mim, pensei que seria atropelada, mas não.

Um carro preto se aproximou e parou ao meu lado, na estrada. Eu o conhecia de algum lugar. Então a janela se abriu, e pude ver a figura morena me olhar de canto. Ou melhor, duas.

    —  Entra aí. — Itachi falou, indicando com o dedão para o banco de trás do carro.

Eu ergui uma das sobrancelhas. Sério isso? Eu andaria no carro dos Uchihas mais cobiçados de toda a Universidade? E outra, Itachi estava diferente de ontem. Mais... Gentil? Não sei.

    —  Vai entrar ou prefere ir até a Universidade andando? — Sasuke falou, bufando. Oh Sasuke, você é tão gentil.

    — É que não é todo dia que eu pego carona com os Uchihas. — Dei ênfase no "Uchihas" para entenderem bem do que eu falava. Itachi riu fraquinho.

    — Ande, entre, é melhor do que ir a pé. — O mais velho disse, destrancando as portas de sua BMW preta super cara.

Sem saída, eu entrei no carro. Era realmente luxuoso e confortável, e o perfume me deixava hipnotizada. Mas uma coisa me incomodava, o silencio.

Eles não trocavam uma palavra se quer. Isso era diário? Que família triste.

Resolvi falar algo para quebrar aquele silêncio perturbador.

    —  Errr, vocês sabem por que não haviam táxis disponíveis aqui perto? Normalmente sempre tem algum... — Virei o rosto confusa.

    —  Greve. — Sasuke respondeu curto e grosso, já estava acostumada.

    —   G-Greve? — Engasguei. E agora? Como eu iria para a Universidade? Resmunguei um fudeu, mas que foi suficiente para que eles escutassem pois Itachi sorriu de canto e Sasuke me olhou com cara de deboche pelo retrovisor.

    —  Quer dizer que a filha dos Haruno vai de Táxi para a Universidade? — Zombou Itachi, com seu típico sorriso provocativo estampado nos lábios.

    —   É, Eu não aprendi a voar ainda. — Dei mais cinismo para a minha voz.

Sasuke observava-nos em silêncio, pois não sabia de onde nos conhecíamos - e nem iria saber - deveria estar confuso, mas ao mesmo tempo, mantinha aquela expressão de foda-se na cara e desviava o olhar.

Então finalmente chegamos, eu já estava até preparada para os comentários curiosos do pessoal intrometido dessa Universidade e de algumas garotas maldosos por chegar  jutamente com eles, os Uchihas denominados gostosões e molhadores de calcinhas.

 Só faltava um tapete vermelho para completar o meu dia de rainha.

Itachi estacionou e então descemos do carro. Caminhamos um pouco mais à frente até avistar um bolo de pessoas em um único lugar. Normalmente isso seria algum tipo de discussão alheia onde idiotas adoram entrar, mas não, havia algo errado.

Em questão de segundos vi Karin sair do meio daquele bolo. Ela estava aos prantos e vinha em minha direção. Fiquei sem reação quando me abraçou fungando em meu uniforme. Olhei para os dois garotos que até agora estavam sem expressão alguma e fiz cara de desentendida.

Karin então levantou seu rosto inchado em minha direção, ela estava aflita.

    —  Sakura por favor, pare eles! Por favor vão machucar ele! Me ajude! — Começou a chorar novamente.

    —  Karin! O que aconteceu? — Separei ela de mim tentando a acalmar. —Fale! Anda! 

    —   É o N-Naruto. — Chorou mais — Está aos socos com Suigetsu! — Ela apontou para onde várias pessoas se amontoavam.

Olhei para ela espantada. Naruto? Suigetsu? Como? Virei minhas orbes assustadas para o lado e só Itachi estava ali, fitando-nos com cara de paisagem enquanto Sasuke caminhava a passos firmes em direção à briga. Eu imediatamente corri até lá, eu iria fazer algo, Naruto não podia se machucar!

Ao chegar no local - depois de passar por várias pessoas histéricas - Avistei uma cena horrível.

Suigetsu e Naruto se socavam, Ora no chão ora se levantavam mas caiam de novo. O sangue escorria nos rostos dos dois. Fiquei desesperada ao ver Naruto daquela forma. 

Em questão de segundos Sasuke entrou no meio pegando Naruto pelos braços e imobilizando o mesmo, enquanto um cara forte de cabelos alaranjados segurou Suigetsu imobilizando-o também.

Sem reação eu me aproximei de Naruto. O ver daquele jeito deplorável me doía o coração. Raramente ele entrava em brigas, algo muito sério deve ter acontecido, e eu iria descobrir, mas agora precisava cuidar do meu amigo cabeça oca.

    —  Naruto!! — Toquei seu rosto, ele fez uma careta ainda furioso, e gritou.

    —   EU AINDA VOU ACABAR COM VOCÊ SEU DESGRAÇADO! — Falava com o fôlego que restava em si.

    —  Cala a boca, Dobe. — Ah é mesmo, Sasuke ainda estava aqui, segurando os braços de Naruto garantindo que não iria partir para cima do garoto novamente.

    ⁃—  Naruto, vamos até a enfermaria, precisa se cuidar. — Tentei levanta-lo mas sem sucesso. — Credo, como você é pesado! — Reclamei de cenho franzido.

    —  Eu estou bem Sakura! Não preciso de remédio. — Disse confiante.

    —  Ah precisa sim! — Tentei levantar o loiro de novo, mas não consegui. Sasuke me olhava com cara de bunda até ver que eu suplicava para que me ajudasse, ele bufou.

    —   Tá. — Revirou os olhos pegando Naruto pelo braço esquerdo e eu pelo direito apoiando-o em meus ombros, indo em direção à enfermaria.


Teríamos um longo dia, e olha que nem começamos ainda.


 

 

CONTINUA


Notas Finais


Então pessoal, gostaram? Levei MUITO tempo escrevendo isso aí, desculpa se não foi o que vocês queriam. Aceito críticas e sugestões, isso é bom para o andamento da fic! Obrigada por lerem e até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...