História O Acordo Dos Reis - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach, Durarara!!, Naruto
Personagens Byakuya Kuchiki, Ichigo Kurosaki, Izaya Orihara, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Shizuo Heiwajima
Tags Bunny, Fox, Neko, Wolf
Exibições 56
Palavras 1.700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha eu aqui de novo.
bom espero que gostem
e obrigado pelos comentários e os favoritos da semana passada.
boia leitura.
OBS: Na imagem estão Mairu Kururui e Izaya os três irmãos.

Capítulo 2 - A Inesperada Revelação


Fanfic / Fanfiction O Acordo Dos Reis - Capítulo 2 - A Inesperada Revelação

A Inesperada Revelação

O castelo estava silencioso só se ouvia o som dos empregados arrumando a bagunça da festa da noite passada até que um grito alto e estridente foi ouvido e pela voz pode-se dizer que o príncipe Izaya está extremamente furioso.  

-COMO ASSIM VOU ME CASAR? Gritou o príncipe com raiva.

“Eu não estou acreditando no que está acontecendo, como ele pode fazer isso comigo, sou seu filho, como ele tem coragem de me dar assim de bandeja para aquele velho rabugento, isso não pode estar acontecendo, eu só posso estar sonhando.” Pensava o príncipe desesperado.

-Você vai se casar com o príncipe Byakuya, unificaremos nossos reinos e a paz voltara. Disse o rei calmamente.

-Mais que merda de acordo foi esse afinal? Perguntou o príncipe ainda não acreditando no que estava ouvindo.

-O rei Sojun propôs ontem durante nossa conversa na sua festa, ele disse “Você deve casar um primogênito de Eteria com meu filho Byakuya, dessa forma poderei esquecer nossas antigas desavenças e formar uma aliança mais forte do que antes”.  Disse repetindo a frase de Sojun. 

-ISSO E LOUCURA! Papai eu não vou casar com ninguém, e o senhor não vai me obrigar. Disse Izaya furioso, para ele o amor era muito importante e jamais casaria com alguém que não amasse.

-NÃO LEVANTE A VOZ PARA MIM MOLEQUE. VOCÊ VAI SE CASAR COM O PRÍNCIPE E VAI HONRAR SUA FAMÍLIA. PELO MENOS PARA ISSO VOCÊ VAI SERVIR. Gritou o rei perdendo a paciência.

“Como ele ousa dizer isso, a culpa não é minha por ter nascido um ômega, como ele tem coragem de jogar isso na minha cara dessa maneira.” Pensava o príncipe triste pelas palavras que o pai cuspira na sua cara.

-EU NÃO VOU ME CASAR COM NINGUÉM QUE EU NÃO AME, NEM MESMO PELO SENHOR. Gritou Izaya.

-CALADO! VOCÊ VAI SE CASAR E VAI SERVIR SEU MARIDO COMO UM ÔMEGA, QUE É O QUE VOCÊ É, VAI HONRAR O NOME DA FAMÍLIA ORIHARA, JÁ QUE POR SUA CAUSA ELA ESTA EM RUÍNA E DESONRA. Gritou o rei dando um basta de uma vez na discussão.

O príncipe saiu correndo e chorando pelos corredores do palácio até chegar ao seu quarto, ele se jogou na cama aos prantos. Em sua cabeça ele dizia “Eu jamais pensei que um dia isso fosse acontecer, ele nem deve ter proposto outra solução para o acordo. Sei que ele me odeia desde o dia que descobriram que era um Ômega. Sei que por minha causa a família foi criticada pelos reinos vizinhos, o primogênito da família real um Ômega. Ser um Ômega quer dizer que eu sou inferior, jamais poderia subir ao trono, e só porque posso gerar um filho, a vida é injusta, mas o povo é ainda mais injusto”.

O príncipe volta a si quando batidas na porta são escutadas, ele se sentou na cama recompondo-se, não queira que o visem chorando. O Príncipe sabia que pelo fato de ele ser um ômega todos o tinham como afeminado, mas mesmo assim ele ainda tinha seu orgulho. 

-Pode entrar. Falou já mais calmo.

-Maninho o que ouve? Nós ouvimos você e o papai brigarem, aconteceu algo? Perguntou Mairu Adentrando o quarto junto de kururi.

-Não foi nada meninas, eu e o papai só estávamos discutindo sobre um assunto meio complicado. Falou o príncipe fingindo um sorriso.

-Que assunto? Por acaso tem algo a ver com a visita do rei Sojun na sua festa de aniversario? Perguntou Kururi se sentando na cama.

-Tem sim. Eu vou me casar com o príncipe Byakuya. Disse ele tentando parecer feliz para não preocupar as meninas.

-Como assim, mas isso é tão repentino, maninho você esta de acordo com isso? Perguntaram as duas juntas preocupadas.

-Mais é claro que sim, será um orgulho me casar com o príncipe Byakuya'' Disse ele segurando as lagrimas para não deixá-las tristes.

-Bem se você está feliz com isso nos também estamos né Kururi? Perguntou Mairu a irmã.

-Com certeza se você está feliz Kururi fica feliz. Disse a pequena sorrindo.

As gêmeas o abraçaram e saíram correndo porta a fora, em seguida a rainha entrou no quarto e observou o filho olhando pela janela por longos segundos. Em seus olhos podia ser visto tristeza e arrependimento, ela jamais quis isso, ela se culpava por todos esses anos por seu filho ter nascido um ômega. Quando o príncipe virou ele viu sua mãe chorando silenciosamente.

-Mamãe o que foi? Perguntou Izaya preocupado.

-Nada meu amor eu só estava lembrando-me de quando você era criança, de como você corria por esse castelo sempre alegre e sorridente.

-Por que isso agora mamãe? Perguntou o Príncipe confuso.

-Eu sinto muito meu filho, Não queria que nada disso tivesse acontecendo, me desculpe eu não posso fazer nada estou com as mãos atadas meu pequeno. Falou ela deixando suas lagrimas rolarem sem hesitação.

-Não é culpa sua, nem de ninguém, sei o que devo fazer, e prometo que não vou mais envergonhar nossa família, vou me casar com o príncipe Byakuya e unificarei os reinos cumprirei com o desejo de meu pai o rei. Falou o príncipe tentando parecer firme, mas por dentro ele queria correr e chorar, implorar para que ele não tivesse de se casar com um completo desconhecido que ele não ama.

-Querido você não... Tentou argumentar a rainha sem sucesso, pois foi impedida pela entrada do marido no quarto.

-Kyouko pare de fazer tanto drama, não vê que ele já se conformou, pelo menos uma vez vejo que você tomou uma decisão digna de um príncipe, como meu primogênito você deve honrar sua família e trazer prosperidade ao reino. Falou o rei firme sem demonstrar nenhuma emoção.

-Mas querido isso não está certo, ele é seu filho e... Tentou argumentar mais uma vez sendo impedida de novo.

-JÁ CHEGA! ESSE ASSUNTO NÃO LHE DIZ RÍSPIDO KYOUKO. Gritou o rei se alterando.

-COMO NÃO? ELE E MEU FILHO TAMBÉM, SEU MALDITO COMO PODE DA-LO EM TROCA DE UM ACORDO, TENHO NOJO DE VOCÊ... Gritou a rainha se descontrolando.

-VOCÊ NÃO ENTENDE NADA KYOUKO, EU ESTOU PENSANDO NO NOSSO FUTURO O QUE VOCÊ ACHA QUE VAI ACONTECER COM NOSSO FILHO QUANDO NOS DOIS MORRERMOS, PELO AMOR DOS DEUSES COMO UM ÔMEGA FICARIA NO PODER, NINGUÉM O RESPEITARIA E O QUE SERIA DE MAIRU E KURURI? Justificou o rei.

-ISSO NÃO TEM NADA A VER COM O FATO DE ELE SER UM ÔMEGA VOCÊ SÓ QUER SE LIVRAR DELE... ESBRAVEJOU A RAINHA INDO PARA CIMA DO REI.

- EU NÃO QUERO ME LIVRAR DE NINGUÉM PELO AMOR DE TODOS OS DEUSES KYOUKO, IZAYA É MEU FILHO TAMBÉM SABIA DISSO... Argumentou o rei segurando os punhos da sua esposa que tentava desesperadamente bater nele.

-EU SEI BEM QUE ELE É SEU FILHO, MAS NESSE MOMENTO EU GOSTARIA DE QUE ELE FOSSE FILHO DE OUTRA PESSOA, EU ME ARREPENDO DO DIA EM QUE ACEITEI ME CASAR COM VOCÊ, DE TER VIVIDO TODA MINHA VIDA COM UM HOMEM QUE VAI DAR MEU BEBE PARA UM DESCONHECIDO. Disse a rainha desesperada chorando.

-KYOUKO, NÃO OUSE DIZER ISSO NOVAMENTE SE NÃO EU... Falou o rei bufando de raiva

 -JÁ CHEGA! Gritou o príncipe desesperado assustando o rei e a rainha.

-Meu bebe? Perguntou a rainha atônita já se acalmando.

- Mamãe eu sei que eu vou sofrer no começo, mas o melhor a fazer é obedecer ao papai, não quero a senhora, Mairu e kururi sofrendo por minha causa, pelo meu egoísmo. Essa é minha obrigação como filho primogênito, meu dever, eu devo cumprir com o acordo dos reis, bom pelo menos sei que me casando o reino estará em paz.

Não se preocupe comigo eu ficarei bem, prometo vir visitar vocês em todas as datas comemorativas e sei que tudo dará certo no final. Disse o príncipe sorrindo tentando transparecer que estava conformado, mas eu sua cabeça ele estava destruído seus pensamentos estavam totalmente contrários ao que ele dizia para sua mãe. “A cada palavra que eu dizia meu desejo de viver ia se esvaindo como a água de um copo furado, minha liberdade estava quase desaparecendo por completo e deixando apenas uma casca vazia e fria, sem vontade própria”.

-Bom isso me deixa orgulhoso meu filho. Falou o rei já calmo.

-Não estou fazendo isso por você, estou fazendo pela mamãe e minhas irmãs. Falou o príncipe ríspido sem olhar para o pai.

-Isso não importa só espero que cumpra com a sua palavra, agora eu tenho alguns assuntos para resolver já que isso já foi resolvido. Falou o rei seco deixando seu filho com sua esposa com cara de profunda tristeza.

O rei saiu do quarto sem olhar para traz ele não se importava com o fato de dar seu filho em troca do acordo, não se fosse o único jeito de salvá-lo. Ele o amava, por mais que não demonstrasse, mas o amava, sabia que esse era o único jeito de deixá-lo a salvo das garras dos reis dos reinos vizinhos e graças ao acordo do rei Sojun não só seu reino como também seu filho estariam salvos das ameaças que vinham sendo feitas contra o reino e sua família.

-Escrivão! Chamou o rei quando chegou a seu gabinete.

 -Sim meu rei? Perguntou o escrivão.

 -Quero que escreva uma massagem para os lideres dos quatro países e depois copie o que eu disser para mais três cartas. Falou o rei enquanto olhava o horizonte pela janela.

-Tudo bem majestade pode começar a falar. Disse o escrivam já com o papel em mãos.

-Escolha um de seus melhores homens para partir numa viagem até o reino de Temia. Com o objetivo de levar e proteger o príncipe Izaya para que ele possa firmar matrimonio e unificar os reinos. Essa missão deve ser mantida em total sigilo para a proteção do meu filho. Seu escolhido devera comparecer no País Central ha exatamente seis Dias depois do recebimento dessa mensagem. Com os comprimentos de seu Rei Shirou Orihara. Finalizou o rei colocando seu selo em todas as quatro cartas escrita pelo escrivão.

 E assim quatro águias foram soltas levando a mensagem do rei para os lideres dos países Norte, Sul, Leste e Oeste. 


Notas Finais


O que acharam do capítulo?
Devo continuar?
Se quiserem podem deixar suas opiniões para melhorias
bjs até mais. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...