História O Adeus de Outubro - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adeus, Carta, Drama, Família, Morte, Romance, Trágico
Exibições 36
Palavras 847
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


É minha primeira Drabble, espero que gostem!! 💕

Capítulo 1 - Primeiro e último Adeus.


Fanfic / Fanfiction O Adeus de Outubro - Capítulo 1 - Primeiro e último Adeus.

Uma dose a mais ou uma a menos não vai amenizar minha dor, afinal, esse whisky já está passado.

Estamos no mês de outubro, e hoje, dia vinte e quatro, eu fui em seu funeral.

Você estava belo, com seu terno, sempre te achei muito bonito assim, seus lábios estavam rosados, eu não tenho conhecimento suficiente pra saber se você deveria estar com cor em seus lábios, mas vou aceitar isso como a última vez que vi seus lindos lábios rosados que a propósito, eu quis beijar instantaneamente, acho que não me acostumei com a idéia de que você partiu.

Quando se tratava de você tudo sempre foi tão…

Inconstante

Incessante

Surpreendente

Especial.

Talvez por isso, eu sinta falta de seus beijos, eles transformavam o céu que tenho dentro de mim em uma tempestade gigantesca, que fazia rios pelo meu corpo, inundavam-me de borboletas no estômago e me fazia ter terremotos nas pernas, nem mesmo eu tinha controle à tudo que era posto sobre mim consequentemente por apenas um sorriso teu.

Era amor.

Era caos.

Sempre vou nos definir assim, pois, éramos assim, você era o caos que proporciona-me tempestades diversas pelo corpo todo e agora você se foi.

No seu velório havia café, jurei por um momento que você fosse levantar para pegar um xícara. Você adorava café.

Lembro-me de ter a mais bela visão de você com uma xícara de café avistando o pôr do sol da sacada de nosso apartamento. Tão sereno…

Sabe, acho que talvez irei me mudar, ir para um apartamento em Copacabana ou perto do Ipanema, este apartamento tem seu cheiro, eu acordo todos os momentos achando que você está aqui, mas vê-lo deitado sobre aquele caixão me fez perceber que eu estou ficando louca em sentir você aqui, é talvez seja essa a definição.

Desculpe, isso deveria ser uma carta mais sensata, mas você sabe o quanto eu sou propícia a mudar o assunto várias vezes, você sempre achou isso engraçado, sempre dizia;

“Você tem que achar seu ponto de partida e continuar nele.”

Vou lhe contar uma novidade, acho que descobri nesse instante qual era meu ponto de partida, é estranho dizer isso só agora já que fora sempre óbvio que quem me dava um caminho para seguir era você.

Você se foi e agora eu estou melancolicamente perdida em uma floresta de desespero, eu estou em caos e dessa vez seus beijos não ofuscaram minha tempestade interior.

Você se foi levando tudo de mim e não é como se eu pudesse pedir para que me devolvesse.

Você se foi da maneira mais egoísta sem deixar nem um resquício para mim, você simplesmente se foi, não acredito que todo esse tempo nosso destino foi traçado dessa maneira, bem, apesar de eu nem acreditar em destino.

Isso me lembra uma certa vez que entramos em um longo debate sobre destino e você insistia em me convencer.

“Destino é algo traçado, é quando duas amarras se separam, se cruzam, se embolam mas no fim permanece unidas, são como um fio e uma tomada que quando posto juntos transportam energia sendo capaz de ligar/dar a vida à outras coisas.”

Você tinha esse dom de filosofar sobre tudo, você tinha o dom de brincar com as palavras e era muito bom nessa brincadeira.

Eu sinto tanta falta de brincar disso.

De seu cheiro de café e amaciante

De sua respiração descompassada após uma noite de amor.

De seu “bom dia” com a voz rouca logo pela manhã.

De sua risada baixa quase inaudível mas tão serena e relaxante como ondas quebrando na costa.

De seu cabelo bagunçado em que eu adorava fazer cafuné.

Eu sinto falta do caos que você fazia dentro de mim, você me agitava e me acalmava ao mesmo tempo, em suas mãos, eu era uma pequena tempestade que vira e mexe se acalmava e agitava novamente.

Mas você se foi.

Não podemos prever o futuro mas se eu soubesse que um dia você teria que ir, eu faria tudo novamente e repetiria nossos dias até eu morrer, pois, para mim, foram os melhores de toda minha patética vida.

Você foi minha luz, foi meu farol, foi minha chuva no deserto.

Você iluminou meus dias mais sombrios.

Você me dava controle, você me dava amor.

E eu sou grata por ter tido você, mas agora, infelizmente preciso terminar essa carta dizendo adeus, antes de qualquer coisa, espero que nós nos encontremos, apesar de que você possivelmente estará em um lugar bem melhor do qual não poderei ir.

Eu irei seguir minha vazia vida sem você.

E você irá ser eternamente feliz, eu espero que de onde você estiver saiba que sou grata por te amar e ser amada, obrigada pelos longos debates filosóficos e suas risadas que serviram de calmante por muito tempo para mim.

Eu anseio de mais, não irei mentir, sou uma viciada e você era minha droga, mas de qualquer maneira, estou sendo obrigada a largar o único sentido da minha vida.

Você se foi e a única coisa plausível que posso dizer nesse momento é:

Adeus.


Notas Finais


Eu fiquei extremamente surpresa com a intensidade que isso foi tomando mas, não vou negar, eu amo o efeito que transmite!!! 💕 Obrigada por ler, espero que goste!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...