História O Aluno Novo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Chouko, Gender Bender, Hino, Inojin, Leeko, Naruko, Nejimi, Sakur, Sasky, Shika, Shin, Tenji
Exibições 12
Palavras 1.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yo, ninjas! Faz tempo que eu não atualizo, mas é que eu fiquei em um p*** castigo, sem ler ou escrever fanfics, ou seja... Esse tempo todinho sem tocar no computador[lê: chorando com o Gai e o Lee]
Enfim, aproveitem.
;P

Capítulo 2 - Revendo o baka do meu pai


Tenji Mitsashi

  Após meu padrinho começar a copiar, acompanhei tudo bem direitinho, mas minha mente estava em outro canto. Mais precisamente, na garota a minha frente. Não sei o que ela tem que não me faz parar de pensar nela, e eu a conheci hoje.

  Nas cartas que eu troquei com minha irmã [A: carinha antiquado/T: sem comentários], ela disse que tinha uma amiga que era bem desejada e não dá bola pra ninguém. Só podia ser ela, outra prova que eu tive também, é que muitos garotos ficaram olhando pra ela e ela nem ligou. Isso vai ser interessante...

  — Alguém pode me dizer a resposta disso aqui? – perguntou o Tio Kakashi. O chato é ter que chama-lo de Kakashi-sensei aqui, já to tão acostumado com Tio Kakashi.

  Eu e Nejimi levantamos a mão. A maioria se surpreendeu. Claro, Tio Kakashi só faz pergunta difícil, mas tudo que eu sei eu aprendi com ele, baby! Apesar da distância. Ele apontou pra Hyuuga, que respondeu corretamente. Hum... Além de bonita é inteligente?

  — Vocês querem que eu faça mais algumas perguntas? – brincou o sensei, a sala inteira gritou “não”, soltei uma risada baixa – Certo então, vamos fazer um exercício, sim, vocês não mandam em mim, mas será dupla. – pelo menos isso, né – E eu vou escolher. – ele riu com o desespero dos alunos, ai, ai – Tenho impressão de que essa será minha melhor dupla: Tenji Mitsashi e Nejimi Hyuuga – Tio Kakashi, eu te amo! –, Rotsu Leeko e Kimimaru Kaguya – vi minha irmã corar, opa, o que é isso aí? –, Sakon e Ukon, Tayuya e Jirobo... – e foi assim até se formarem todas as duplas, depois ele entregou uma folha pra cada dupla.

  — Então, Nejimi-san, quer responder à primeira? – perguntei colocando minha cadeira ao lado da sua e dando um sorriso malicioso. Ela olhou pra mim arqueando a sobrancelha esquerda.

  — Olha, Mitsashi, não sei por que fez aquilo mais cedo, então que isso não se repita. – disse fria. Perolada, não faça isso que eu gamo. Dei mais um sorriso malicioso.

  — Eu fui educado para ser um cavalheiro. – disse batendo o punho fechado no peito – É de se esperar se for criado por uma mulher. – sorri tristemente nessa parte.

  O motivo de eu ter ficado tanto tempo longe de Konoha, foi a separação dos meus pais, Gai Maito e Natsumi Mitsashi. E depois de um acidente, o Tio Kakashi ganhou minha guarda, mas manteve o sobrenome da minha mãe. Fui criado por uma amiga dele e então ganhei uma bolsa em uma escola militar de Tóquio, e fui estudar lá. Agora voltei.

  — Bem, só não quero que faça aquilo de novo. – disse e se remexeu desconfortável na cadeira, apertando a caneta com força. Não pude evitar sorrir com isso, ela está curiosa, é evidente – Vamos começar?

  Dei de ombros e começamos a resolver. Antes de vir para cá, achava que era a única pessoa capaz de resolver os exercícios do Tio Kakashi, então aparece essa garota! Esse vai ser um desafio e tanto.

***

Nejimi Hyuuga

  — Larguem os lápis. – mandou Kakashi-sensei, bom, eu não precisei obedecer, já que havia terminado há muito tempo — Um de cada dupla me mostre o que fizeram, seus pontos serão baseados nas questões resolvidas.

  Os alunos reclamaram. Tenji-san se ofereceu para levar a folha, sorrindo. Dei-a parar ele e ele foi entregar ao Kakashi-sensei. Leeko se virou pra mim.

  — O que achou do meu irmão? – questionou sorrindo. Não evitei minha vontade de revirar os olhos e bufar.

  — Nada a declarar. – desviei o olhar para a janela, até me lembrar de uma coisa, e me virei para a Maito com um sorriso malicioso – E o que achou de fazer o dever com o Kaguya-san? – ela corou. É bom, né?

  — Hey, Leeko-chan. – chamou o “irmão” dela. Eu ainda não acredito que eles são irmãos – Qual é a próxima aula? Eu esqueci.

  — É Educação Física, com o otou-san. – ela respondeu sorridente, enquanto que o garoto fechava a cara. O que havia acontecido com essa família?

  — Certo, eu... Vou me sentar. – falou Tenji puxando a cadeira para onde estava antes.

Tenji Mitsashi

  Tio Kakashi nos dispensou da sala, o que significa rever meu pai. Sinceramente, eu podia passar mais um tempo sem vê-lo, não me importaria. Após me despedir da Leeko e da Nejimi-san – tenho a impressão de que ela não gosta de mim – e de todos os alunos terem saído, me dirigir a mesa do Tio Kakashi, que me olhou preocupado.

  — Posso dizer que passou mal. – sugeriu.

  — Não precisa, Tio Kakashi. – sorri triste – Teria que ver ele de novo um dia ou outro.

  — Tudo bem. – suspirou. Me encaminhei para a porta, preparando-me psicologicamente para encarar Gai – Boa sorte, garoto.

  Assenti. E fui em direção ao ginásio, o único caminho que eu sabia de cor.

  Por onde passava os alunos sussurravam. Então era mesmo verdade que sempre falavam de mim. O que eu tinha de tão especial afinal?

Gai Maito

  — Leeko, o novato chegou hoje? – perguntei anotando a lista de presença na prancheta, depois que os outros alunos foram aos vestiários.

  — Chegou e, otou-san, é o Tenji! – derrubei a caneta no chão arregalando os olhos. Tenji...

  — Cheguei meio atrasado, onde é o... – não! Não pode ser. Por favor, Kami, que não seja ele – Leeko, onde fica o vestiário? – ouvi seu tom seco e fechei os olhos com força.

  — Mostre a ele, Leeko. – mandei.

  — Certo. Vem, Tenji. – os ouvi se afastarem e abri os olhos.

  Cambaleei até sentar no banco. Ele voltou... Meu filho tinha voltado e me odeia. Essa é a pior alegria que eu já tive!

Tenji Mitsashi

  Leeko me mostrou o vestiário masculino e eu entrei. Logo vi aquele menino de cabelo rosa o de olhos perolados que estava com a ela e a Nejimi-san mais cedo, eles estavam com um loiro também. O rosado me viu, e acenou, me chamando. Fui até eles.

  — Acho que não nos apresentamos direito, né? – falou o rosado de olhos verdes – Me chamo Sakur.

  — Hino. – disse o moreno azulado com os mesmos olhos da Nejimi-san.

  — Inojin. – fala o loiro de olhos azuis.

  — Tenji. – falei.

  — Já sabemos. – olhei confuso ao loiro – Seu nome está em cada corredor da escola.

  Suspirei.

  — O que tenho de tão especial, afinal? – perguntei. Eles não souberam responder direito. Sakur-san disse que era só um bando de putas querendo um corpo novo para provar. Deu pra perceber que ele tem certa repulsa por elas.

  — Deixa disso, Sak. – disse Inojin-san bagunçando os fios rosa de Sakur-san – Elas são bem divertidas. Vai dizer que você não queria ficar com a Sasky-chan? – finalizou com um sorriso malicioso.

  O rosado bufou virando o rosto.

  — Vo-Você vai deixar ele com raiva. – disse Hino-san. Gente, eu achei que só garotas seriam tão fofas, mas Hino-san prova o contrario.

  — Ah, sim. Esse é seu armário. Seu uniforme está aqui. – informou Sakur-san.

  — Obrigado. – sorri agradecendo. Abri o armário e vi um short preto e uma blusa branca. Peguei a blusa e vi que tinha o símbolo da escola gravado bem no meio.

  Tirei a parte de cima do uniforme ali mesmo. Só tinha homem. Coloquei a blusa da Educação Física. Tirei a calça e coloquei o short. Antes de sair, Hino me parou e me deu uma bandana com o símbolo da escola também.

  — Tem que usar nas aulas do Gai-sensei e nos Jogos. – explicou. Vi que ele usava no pescoço, Inojin-san usava como um cinto e Sakur-san usava na testa. Amarrei a minha na testa.

  — Vamos ao treinamento do exercito! – exclama algum aluno e logo nos saímos do vestiário. Encontrando as meninas. Inclusive algumas que não estavam com eles hoje mais cedo.

  Uma de cabelo castanho claro e olhos ônix, meio gordinha, com aspirais em cada bochecha.

  Outra de cabelo castanho escuro e olhos ônix, um desenho de presa em baixo de cada olho.

  Outra de cabelos e olhos negros, com o cabelo amarrado em um rabo de cavalo espetado.

  E a ultima cabelo castanho escuro e óculos escuros.

  Logo meus olhos encontraram o corpo esbelto de certa Hyuuga. Sorrindo maliciosamente, caminho até ela.

  — Olá, Nejimi-san. – digo. Ela revira os olhos.

  — O que quer? – perguntou.

  — Alunos! Venham com sua força da juventude para cá! – gritou o Gai. Dessa vez quem revira os olhos sou eu, ato estranhado pela bela Hyuuga. Ela caminhou até o professor e eu fui logo atrás, com a cara fechada. Pus-me ao lado dela.

  — Qual vai ser a tortura de hoje? – ouvi Sakur, que está ao meu lado, se perguntar baixinho.

  — Muito bem. – disse Gai – Deem dez voltas na quadra, seguido de quinze flexões e cinquenta polichinelos! Então poderemos começar! – ele faz aquela pose dele, com o polegar pra cima e o sorriso que parecia brilhar. Os alunos começaram a correr e, quando eu ia, ele me chamou – Exceto você, Tenji. Quero falar com você.

  Eu andei, ou melhor, me arrastei até ele. Não é como se eu tivesse alegre para vê-lo. Claro que não! O que ele fez não tem perdão. Não sei como Leeko vive com ele.

  — O que é, velho idiota? – perguntei rude, ele não pareceu ligar, só sentou no banco e me encarou, com um olhar triste. Cruzei os braços, eu não caio nessa.

  — Só conversar. – ele disse.

  — Vem correr, mané! Ser filho dele não lhe dá vantagem aqui! – ouvi um aluno gritar, me vire e vi o baka. Sakon, reconheci, lhe encarei com raiva.

  — CALADO! – ordenou Gai – EU ESTOU FALANDO COM ELE, SE NÃO PERCEBE.

  — Uuuuuuu! – fizeram os outros alunos.

  Me virei para o Gai. Com a mesma expressão.

  — Fale logo.

  — Queria perguntar se você quer voltar a morar comigo e com a Leeko. – pediu. Desviei o olhar para Leeko, que corria a frente de todos a toda velocidade. Não seria ruim voltar a morar com ela, mas com o Gai? Desculpe-me, irmã, mas não posso.

  — Não. – falei já indo me juntar aos outros.

  — Mas, Tenji... – o interrompi.

  — Eu disse “não”. Vou continuar morando com o Tio Kakashi e a Tia Rin. – logo comecei a correr. Estava com tanta raiva que concentrei tudo enquanto corria, nem percebi quando já tinha corrido as dez voltas.

  — Calma, nii-san. – disse Leeko colocando uma mão sobre meu ombro.

  — Cara, como você conseguiu correr isso tudo e não tá cansado? – perguntou Inojin-san, arfando. Olhei o resto, todos estavam pra cair. A quadra é grande e dez voltas não é nada pouco.

  — Genética. – respondi ao mesmo tempo que Leeko.

  — Aposto que já estão é acostumados. – disse uma morena de olhos ônix se apoiando em Sakur-san, que não pareceu ligar – A propósito, meu nome é Sasky Uchiha.

  — Cof puta. – tossiu o rosado.

  — Eu ouvi, amorzinho. – disse ela cruzando os braços, destacando os seios, para ele, mas sorrindo. Sakur-san virou o rosto, um pouco corado.

  — Não liga, Tenji-kun. Eles são seeeeeempre assim. – falou a loira de marias-chiquinhas e olhos azuis – Sou Naruko.

  — Já deve saber meu nome. – sorri. Afinal, ela estava lá fora mais cedo.

  — Sei sim. – ela sorriu animada – Se apresentem, turma! Bando de mal educados.

  — Também te amamos, Naruko. – disse a morena de rabo de cavalo espetado – Sou Shika Nara.

  — Kira Inuzuka.

  — Chouko Akimichi.

  — Shin Aburame.

  — Prazer. – me curvei de leve.

  — POR QUE ESTÃO PARADOS? – gritou o sobrancelhudo – AINDA TEM MAIS COISA! PAGUEM QUINZE, VAI!

  Ouvi o resmungo dos alunos. Gai noz fez ficar enfileirados e logo começamos a fazer. Eu e Leeko fizemos rápido e já partimos pros polichinelos, já o resto...

  — Vai lá, Shika-chan! – disse Leeko em um tom brincalhão, enquanto fazíamos os últimos polichinelos. A Nara lhe lançou um olhar que poderia matar minha irmã. O que a fez rir – É tão engraçado implicar com ela nas aulas do otou-san. – nos paramos.

  — Que ótimo ver vocês dois assim. – disse Gai colocando uma mão no meu ombro e uma no de Leeko – Eu me lembro de vocês quando crianças. – tirei sua mão do meu ombro de forma rude e fui sentar no banco. Se ele pensa que vai me conquistar assim, está MUITO enganado.


Notas Finais


Uniforme
Gai: https://www.polyvore.com/konoha_gakuen_uniforme_dos_professores/set?id=209264013
Alunos: https://www.polyvore.com/konoha_gakuen_uniforme_de_educa%C3%A7%C3%A3o/set?id=209200649
~*~
Gostaram? Odiaram? Comentem aí embaixo.
O que vocês acham que o Gai fez?
Eu torno a pedi-los sujestões de nomes feminino para Sai e Gaara. O de Kankuro e Temari eu já arranjei.
Se eu não tiver um nome paro Sai, terei que fazer Yaoi entre Inojin e ele, e eu não quero por que eu acho que o Yamanaka tá mais para o super pegador de K.G. Sem preconceito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...