História O amor ao caos - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Ação, Bts, Violencia, Yaoi
Visualizações 2
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiee olá olá👋

Me desculpem pela demora, meu celular deu um bug, e tive que refazer o capítulo.

Boa leitura, bjosss da Jujuba😘

Capítulo 11 - Uma futura reconciliação....ou não.


*Jeon Somim on*

Vou até o quarto de que eles saíram e abro a porta do mesmo.

Dou de cara com Namjoon, que parecia estar dormindo, fui andando até ele com todo o cuidado pra não tropeçar ou bater em algo sem querer, não sei pra que um quarto de hospital tão grande e com tantas coisas.

Cheguei na frente da maca, ficando cara a cara com Namjoon, que devia naquele momento estar em seus melhores sonhos, para conseguir o que eu queria teria que entrar neles, o que não deve ser fácil, mas eu sou boa nisso, se consegui com Seokjin eu consigo com qualquer cara.

Fui até ele, ficando do lado da maca, fiquei pensando em como conquistaria Kim Namjoon, nem sei se sou seu tipo ideal, e se eu for?

Peguei um dos vários papéis que tinham num armarinho perto da janela e rasguei um pedaço, peguei uma caneta em minha bolsa e escrevi um recado pra ele:

"Eu te amo, mas estou confusa, vou tirar um tempo pra mim mesma, pensarei em você, você tem meu número, me ligue, mas só daqui três semanas, estarei disponível e com sua resposta na ponta da língua"

Não coloquei nome, ele saberá que sou eu.

Coloquei o papel entres uma de suas mãos, que estava em cima da maca, assim será a primeira coisa que ele lerá quando acordar.

Dei um pequeno beijo em sua bochecha e me direcionei em direção a saída do hospital.






                            (…)






Entrei em meu carro, foi quando recebi uma mensagem.

Era de Yoongi

16:30-YOONGI:- Onde você está? Sabe que esse horário é o seu horário de trabalho! Devia estar aqui ajudando em vez de estar não sei aonde farreando! Venha logo.

Ignorei a mensagem, não vou lavar louça agora não.Eu não vejo a hora desse divórcio sair.

Me dirigi até o centro da cidade, o trânsito estava uma porcaria como todos os dias, era carro pra tudo que é lado buzinando, pedestres indo e vindo toda a hora, por isso eu odeio dirigir, além de toda a movimentação, a Coréia é muito pequena e quase não tem calçadas, os pedestres vivem no meio da rua, depois que são atropelados reclamam.

Estou perto de chegar no restaurante/casa, ouvi uma viatura de polícia, os policiais gritavam que nem loucos, o que dirigia parecia o Jin, mas minha mãe não deixaria ele ser um policial, ela o odeia, e segundo o idiota do meu irmão ele estava bem longe, não podia ser ele, eu só estava delirando.

Eu realmente não queria voltar pra lá, mas até daqui três semanas eu não tenho opção.

Tive uma brilhante idéia, estaciono o carro na rua de trás, não queria que eles soubessem que eu cheguei, Yoongi estava certo, é meu horário de trabalho como garçonete, mas eu iria ir faze-lo hoje, eles conseguem se virar, mesmo só sendo eles três.

Fui andando calmamente até o restaurante, na frente dele coloco algumas mechas de meu cabelo na frente do rosto para não ser reconhecida, paro na janela, bem no cantinho e vejo o Yoongi com o avental que costumo usar, admito ficou fofo nele, até tirei uma foto.

E atrás dele vinha seu pai, não estava de avental, mas trazia várias bandejas consigo, estava todo atrapalhado, não conseguia servir nenhum prato direito, ainda mais que o restaurante estava em seu horário pico, quando está mais movimentado.

O restaurante é famoso e eu sou a única funcionária deles, e eles só me contrataram por causa de Yoongi, ver eles sofrendo por minha causa é tão engraçado.

Tirei mais algumas fotos do Yoongi de avental e fui até a concorrência de minha "família" do outro lado da rua.

Pedi um hambúrguer e um refrigerante médio, paguei e fui comendo no caminho da delegacia, vou aproveitar a minha "folga" para resolver alguns problemas.






                          (...)






Não demorei muito pra chegar, a delegacia fica a apenas cinco ruas de onde moro.

Fui até a porta da delegacia, tinha dois guardas em sua frente, com toda a educação do mundo falei:

SOMIM:- Com sua licença, poderiam me deixar passar? -Eles me olharam estranho e deram um sorriso de lado.

???:- E se a gente não deixar você passar? - Um deles disse me olhando de cima a baixo enquanto o outro gargalhava sem parar.

SOMIM:- Terei que chamar a delegada aqui! -Disse estudando o peito e encarando os dois policiais idiotas.

???:- E se você chamar ela vem? -Perguntou o outro policial idiota se vangloriando do distintivo que portava no uniforme.

SOMIM:- Se eu chamar ela vem sim! -Falei a ele dando um peteleco em sua orelha, ele não era tão grande, só um pouco mais alto que eu.

???:- E você quem é pra achar que a delegada desperdiçará tempo com você? -Ele olhou pro amigo dele e começaram a rir, odeio esse tipo de policial.

JOO:- Ela é a minha filha! -Ouvimos a voz de JOO de longe, uma voz firme e forte, que foi dita com uma confiança de se dar inveja.

Os dois guardas se viraram imediatamente, espantados, pediram desculpas pra mim e voltaram ao seus postos, enquanto minha "querida" mamãe os encarava em sinal de rejeição, com o seu olhar de fogo.

JOO:- Mas o que temos aqui? Um milagre de Deus! -Ele falou e veio me abraçar.

SOMIM:- Milagre? Eu sempre lembro de minha mãezinha querida! -Revirei os olhos e ela caiu na gargalhada.

JOO:- Me diz uma única vez em que você veio me ver depois daquele dia? -Ela arteou as sobrancelhas.

Ela tem razão, desde o incidente da ponte eu nunca mais vi ela, e era por isso que eu estava aqui.

Tinha que acertar as contas com Joo, só assim ela toparia me ajudar.

SOMIM:- Me diz você uma única vez em que eu não vim te ver.

JOO:- Quando você foi embora com um estranho e não falou nada pra mim, nem quem ele era, do porque vocês fugiram, porque você terminou com o Jin!

SOMIM:- É... -Ela me olhou com um olhar arrepiante.

JOO:- E ainda por cima, só me procura depois de anos! -Ela colocou o copo que estava em sua mão em cima do litro d'água.

SOMIM:- E é por isso que vim que vim aqui, precisamos conversar, irei te contar tudo.

*Jeon Somim off*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...