História O amor cura. (Camren) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fic Camren Colegial, Norminah
Visualizações 71
Palavras 3.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HEYYYYYYYYY OLHA EU AQUI GALINHADA.
Bom, do nada a ideia pra essa fic surgiu e se eu não escrevesse eu iria ficar beeeem bloqueada em relação a minha outra fanfic. Essa daqui tem um estilo totalmente diferente do que eu escrevia e é mais leve pra mim. Realmente espero que curtam.

Vamos lá.

Capítulo 1 - Aluna nova.


Karla Camila Cabello ON  

Mais um dia de aula como qualquer outro. Me sentei à frente de Dinah, uma das melhores amigas da minha vida. Estar no terceiro ano do Ensino Médio não era fácil, muita pressão por conta da faculdade e do mercado de trabalho; muitos projetos para entregar e muita gente criando expectativas em cima de você. Se não fosse a loira eu estaria arrancando meus cabelos.  

- Bom dia, bundão.- Me cutucou.  

- Bom dia pra essa minha guarda costas linda.- Sorri e me virei em sua direção.  

- Ouvi por aí que hoje entra uma aluna nova...- Ergueu as sobrancelhas enquanto balançava a cabeça levemente em um sinal positivo.  

- Já é a terceira vez que esse boato chega até mim, Jane...Tudo baboseira, até agora ninguém chegou.- Duvidei  de sua fala.  

- Camila, você sabe que minhas fontes não mentem...Pode demorar um pouco, mas acontece.- Sorriu confiante.  

- Você fez o dever? Ontem fiquei estudando a porra dessa Física e não fiz.  

- Fiz sim, mas acho que tu não vai ter muuito tempo pra copiar...- Respondeu sinalizando com os olhos que a professora havia acabado de entrar.  

Sabe aquele olhar que somente você e sua melhor amiga entendem? Aquela olhada cúmplice que passa muito mais informações que uma frase? Bom, eu e Dinah usávamos e abusávamos dessa estratégia.  

Poucas aulas depois lá estava eu focada em um texto base para a atividade quando escuto um coro em ''Uhhh'', me virei em direção ao som e dei de cara com um pivete com a mão no rosto, seu olhar estava em Austin que também o encarava com raiva. A cena era óbvia: briga.  

- De novo isso?- Me questionei irritada fechando meu caderno quando a sala mergulho num mar de gritaria e afobação.  

- Mano ele tá sangrando...  

- Dj esse povo é sem noção.  

- É por isso que eu não suporto esses idiotas.  

- Vai ficar aqui?- Olhei para o fundo onde estava se formando uma pancadaria, várias pessoas começaram ou a participar ou a se afastar do grupo.  

- Nem fodendo.- Levantou pondo sua mochila nas costas e já me arrastando para fora.  

- Cadê a professora?- Olhei perdida para a cadeira que estava vazia.  

- Sei lá!  

Saímos da sala e começamos a seguir pelo corredor.  

- Para onde as senhoritas estão indo?- A voz irritante da coordenadora soou atrás de nós, a mão de Dinah que estava junta a minha se fechou com força automaticamente, me fazendo tentar segurar uma careta de dor.  

- Só estamos saindo de uma sala que por acaso está rolando uma briga e não tem exatamente nenhum responsável na mesma...Assim somente estamos escapando de umas cadeiradas.- Se virou respondendo a mulher com sarcasmo. Dinah não suportava a Senhora Barcelar, na verdade eu não sei quem suportava. A mulher era extremamente irritante e prepotente.  

- Senhorita Jane. Eu só não te chamo para batermos um papo na minha sala porque eu tenho outros problemas para resolver, mas não ache que eu vou me esquecer disso.  

- Nossa! Acho que eu não vou dormir hoje.- Cutuquei a mulher na tentativa que ela parasse com aquilo antes que a peste voltasse atrás. Mas a cada momento a cara de desprezo de Dinah só crescia.  

- Me surpreende você, Camila...- Encarei a mulher que do nada me incluiu na conversa.  

- E eu fiz o que mesmo?  

- Suas companhias não condizem com você...Eu conheço seus pais e eles não aprovariam essas suas amizades.- Ouvi a risada de deboche da minha amiga e encarei a mulher incrédula por conta da intimidade que ela achava que tinha comigo.  

- Com todo respeito senhora Barcelar, mas de minha vida cuido eu,  você não sabe nada sobre mim. Se eu ando com a Dinah é porque eu quero, é porque eu gosto, a senhora não tem nada pra fazer não? Faça-me o favor e me deixe em paz.- Me virei totalmente indignada com a fala da desgraçada e puxei a loira para começarmos a andar, minha amiga tinha um sorriso vitorioso no rosto.  

- Agora foi que eu vi! Querer se meter na minha vida, ahh vá para a puta que pariu!- Reclamei.  

- Tá vendo? Essa mulher é o diabo...Camilinha toda nervosa, batendo boca com a coordenadora...Quem te viu, quem te vê.- Riu.- Não vou mentir, adoro!- Ri com ela.  

- O jeito vai ser entrar na próxima aula, tu acha que a professora vai voltar e dar assunto?  

- A aula já estava no final, não vai ter mais porra nenhuma.- Respondeu simples.  

- Verdade.  

- Merda...Camila a Normani tá saindo do treino.- Parou de frente pra mim e sussurrou. Me inclinei levemente e vi a garota que vinha suada do ginásio, junto com suas amigas.  

Dinah era apaixonada por Normani Kordei, uma jogadora de basquete que era de outra turma.  

- Ela tá vestida como?- Me perguntou levemente nervosa.  

- Não sei...Vira você e olha.  

- Camila!  

- Dinah! Como você quer conquistar ela se tu nem tem coragem de encara-la?- Pus as mãos na cintura esperando sua resposta.   

- Eu...Argh! Ela está ao lado de mais gente.  

- Bora...Ela nem está olhando pra cá...- Sussurrei essa mentira, já que a negra olhava em nossa direção.  

Dinah finalmente virou e encarou Normani, para minha surpresa a loira sustentou o olhar e não desviou quando viu que a garota estava sim olhando para nós.   

- Vamos antes que você abra a boca e comece a babar.- A cutuquei em sinal de que ela me acompanhasse e assim ela fez.  

- Camila! Caralho ela piscou pra mim! Vei! Ahhhh!- Falou eufórica enquanto se sentava na cadeira do refeitório.  

- De nada...- Ri e me sentei em sua frente.  

- Velho ela nunca fez isso nenhuma das vezes que eu fui nos jogos ou nos treinos.- Sim, todo treino minha amiga ia assistir, assim como todos os jogos e óbvio que ela me arrastava.  

- Tu vai na festa?  

- Lógico! Ela vai...- Olhou de rabo de olho para Normani e disse como se a resposta fosse óbvia.  

Me referi a festa que haveria no colégio, no sábado, iria ser uma festa à fantasia e eu sinceramente estava louca para ir. Dançar, relaxar e me divertir. Tudo que eu estava ansiando para fazer.  

- Já tô vendo que eu vou segurar vela, ein?  

- Tomara que sim!- Sorriu e pegou seu celular na mochila.- A não ser que você se pegue com a Keana, né?- Continuou distraída no aparelho.  

- Eu...Eu não sei.  

- Tu fica mais lerda do que eu com a Normani quando está com essa garota.  

- Ela me olha como se estivesse me fazendo um raio-x.   

Keana Marie era da nossa sala e bem mais velha do que eu e Dinah. Ela era muito linda e parecia ter uma pegada muito boa, não sei explicar mas ela me fitava praticamente toda hora, confesso que só sei disso pois também a fitava praticamente toda a hora. Ninguém é de ferro.  

Voltamos para a sala como havíamos combinado, o professor de química entrou e com ele veio uma menina. A sala que estava fervendo em pura gritaria ficou silenciosa. Me virei e encarei Dinah levemente curiosa se aquela era a aluna nova, a mulher apenas ergueu uma sobrancelha com quem falasse ''eu disse'', rolei meu olhos e voltei a observar a garota, ela vestia uma calça jeans com alguns rasgos; uma blusa, maior que ela, preta bem básica; seus sapatos também eram pretos. Seu rosto carregava um semblante aparentemente confuso, percebi seus olhos verdes como esmeraldas caírem sobre mim, acenei gentil e ela abaixou a cabeça rapidamente, fazendo com que seus cabelos negros e ondulados caíssem em frente a seus ombros  

- Turma, essa é a nova aluna, Lauren Jauregui.- Ela acenou tímida.  

''Porra tu é gostosinha, ein?'' Ouvi algum dos garotos gritar e os outros rirem com o otário. No mesmo instante meu corpo pareceu entrar em combustão e eu me virei encarando o grande idiota.  

- Você tá maluco cara?!- Ele pareceu se assustar com a minha reação.- A garota acabou de chegar na porra da sala e você não tem o mínimo de respeito? Larga de ser vacilão pelo menos uma vez na vida e aprende que isso que tu faz é idiotice! 

- Gente! Por favor!- O professor tentou controlar a sala quando outras garotas começaram a se pronunciar sobre a merda que o pivete havia dito, inclusive Dinah que praticamente o ameaçou.  

Pude ver o garoto se encolher na mesa antes de voltar para a minha posição inicial, vi o professor indicar uma carteira, mais ou menos no meio da sala, para Lauren se sentar.   

Meu coração batia forte, eu estava indignada com o que havia acabado de ocorrer. O que deve passar na mente de uma pessoa que faz isso? Porra, faz de um tudo para se aparecer e mostrar que é o ''machão'' que pega todas e as trata como um mero objeto sem valor. Eu tinha muitas coisas que não desciam pela minha garganta, uma delas era o machismo. Esse pensamento ridículo de que as mulheres estavam à mercê dos homens me dava nojo e cada vez mais força para continuar a tomar coragem e me meter em uma cena como aquela. Só quando você passa por isso tu sabe qual é a dor, só quando você sente o que é ser reduzida a um pedaço de carne, que qualquer um pode fazer o que bem entender, você percebe que qualquer ajuda em uma situação como essa é bem vinda. Cabe a quem está ao redor estender a mão para essa pessoa e ajuda-la a entender que ela não tem culpa.  

- Walz...Respira bem fundo e se acalma..- Fechei os olhos quando ouvi Dinah sussurrando, ela sabia o quão enfurecida eu ficava. Tentei canalizar aquele sentimento mas não era fácil! Eu me colocava no lugar da pessoa de tal forma que às vezes parecia que eu conseguia sentir a dor dela. Se isso é um defeito ou uma qualidade? Não sei dizer.  

Minha amiga começou a fazer um leve carinho no meu ombro, alisei sua mão e a puxei para deixar um beijo em agradecimento.  

Fui me acalmado com o decorrer da aula mas não prestei atenção em nada praticamente. Minha mente vagava no ocorrido, com toda aquela explosão de adrenalina acabei nem prestando atenção em Lauren, ''Como ela estaria se sentido?'', essa pergunta martelava em minha mente, me virei para vê-la mas ela estava focada no quadro e seus belos olhos não desviavam dele por nada, analisei um pouco o seu perfil mas logo voltei a minha posição.   

Quando a aula finalmente acabou eu apenas havia copiado a atividade que o professor tinha posto no quadro. Pelo menos isso.  

- Vou ao banheiro.- Minha amiga disse depositando um beijo rápido em minha testa e se encaminhando para a saída.  

Procurei Lauren e a vi arrumando sua mesa, me levantei e caminhei em sua direção, ajeitei o colarinho da minha camisa xadrez de maga longa e pensei no que eu iria falar. Agachei-me ao seu lado e só então ela percebeu a minha presença.  

- Er...Oi...- Disse meio desajeitada me encarando com seus olhos clarinhos.  

- Oi! Me chamo Camila...Como você está?  

- Eu tô bem, Camila...Muito obrigada, pelo o que tu fez no início da aula.- Sorriu fraco.  

- Não precisa me agradecer por aquilo, você quer ir na diretoria ou algo assim?- Sugeri me levantando.  

- Não!- Me assustei com sua resposta tão imediata.- Não, eu...Não é necessário.  

-  Tem certeza?- Eu estava um tanto quanto incrédula com aquilo.  

- Tenho...- Seus olhos focaram em algo atrás de mim.  

Virei meu corpo um pouco para ver o que era e me esbarrei em Keana, acabei pisando sem querer em seu sapato e quando retirei meu pé depressa me desequilibrei por um instante e cambaleei para trás, suas mão se firmaram na minha cintura com força e me puxaram para si me arrepiando no mesmo instante, me segurei em seus ombros o que contribuiu para que nossos corpos colassem mais. Porra universo, valeu! Minha respiração começou a ficar agitada, ficamos uns breves segundos naquela posição, seus olhos desceram para os meus lábios e os meus já estavam nos dela há muito tempo. Como eu disse pra vocês, ninguém é de ferro.  

- Uou!- Riu me soltando. Tudo havia sido tão rápido que eu estava um pouco desnorteada.  

- Nossa...eu...- Olhei minhas mãos em seus ombros e as retirei com pressa.- Me desculpe.- Sorri sem jeito e cocei minha nuca.  

- Sem problemas, Camila.-  Ela não retirava aqueles olhos castanho claro dos meus por nada.- Sabe, te ver assim de perto compensou.- Mordi meu lábio inferior quando um sorriso sacana surgiu em seus lábios.  

- Te ver de perto também me agradou, Keana.- Seu sorriso só aumentou após minha frase.  

- Isso é bom...Muito bom por sinal...- Jogou seu cabelo para o lado oposto.- Eu tenho que ir mas, cê sabe, a gente vai se esbarrando por aí.- Sorriu com graça e piscou quando começou a se afastar.  

- Com certeza.- A acompanhei no sorriso e esperei ela virar totalmente para poder soltar um ar que eu nem sabia que estava preso em meus pulmões.  

Demorou um tempo para eu me lembrar de que eu estava conversando com Lauren, me virei em sua direção e a garota parecia um pouco desconfortável com o que havia acabado de ocorrer entre eu e Keana.  

- Hey! Foi mal, bom, qualquer coisa é só me procurar.- Fui o mais simpática que eu consegui.  

- Obrigada por isso, Camila. Você não precisava ter vindo aqui.  

- Vai ser um prazer te ajudar no que precise.  

Eu juro! Eu juro que eu não disse isso num sentido malicioso, mas baseado na minha conversa com Keana a novata deve ter entendido isso.  

- Não! Eu me refiro aos assuntos escolares.- Tentei amenizar a situação quando vi que ela havia se assustado com o que eu havia dito.  

- Está tudo bem.- Sorriu parecendo ver graça na minha reação. Seus dentes da frente eram maiores que o resto, seu sorriso era muito fofo de se ver.  

Dinah entrelaçou nossas mãos assim que saímos da sala, as aulas do dia já haviam terminado e a loira iria para minha casa. 

- Viu que minhas fontes são verdadeiras? 

- Mordi minha língua, ein? 

- Como sempre... 

- Dj eu fui falar com ela. 

- Ela quem? 

- Lauren. 

- E aí? 

- Bom...Ela me agradeceu mas não quis ir a diretoria.- Falei meio indignada. 

- Ai, Chancho. Vai ver ela não quer fazer barulho, ela me parece ser bastante tímida. 

- Também me pareceu...Tu não sabe! 

- O quê?! 

- Quase caí sala.- Fui interrompida pelo barulho que Dinah fez ao tentar segurar o riso.- Não dei de cara no chão porque Keana me segurou. 

- E vocês se beijaram? 

- Não! 

- Pra que você tá me contando então? Pensei que finalmente tinha tomado a frente. 

- Fica falando de mim, mas na frente de certas jogadoras se desmonta toda. 

- Minha situação é diferente, Cabello. 

- Ata. 

Nos sentamos em um banco na frente do colégio enquanto esperávamos minha mãe, ela havia insistido em nos buscar naquele dia. 

- Velho, a gente ficou coladinha, parecia que ela ia me agarrar ali mesmo.- Continuei narrando o momento enquanto gesticulava com as mãos. 

- Eu quero saber o que tava faltando pra vocês se pegarem forte ali mesmo.- Levou sua mão até o queixo esperando minha resposta. 

- Porra, Dinah! A Lauren estava conversando comigo...- Baixei meu tom de voz ao citar o nome da garota. 

- E ela por acaso é sua namorada? 

- Tu não acha falta de educação eu começar a beijar alguém enquanto falo com você?- Perguntei e ela pareceu compreender, já que ameaçou rebater mas se calou. 

- Tu tem razão.- Espremeu os olhos em minha direção como quem não acreditasse totalmente no que eu havia dito.- Ainda acho que não foi só isso... 

Fui salva do interrogatório que estava prestes a ocorrer quando meu celular começou a vibrar em meu bolso. Peguei o aparelho e vi “Amor mío’’ no identificador de ligação. 

  - Mama!- Posicionei meu dedo indicador erguido em frente aos meus lábios quando minha amiga ameaçou falar. 

- Hija, estou no engarrafamento aqui na rotatória, preciso que venham andando até o carro, Salvador está um inferno! 

 - Como sempre.- Morar em Salvador tinha suas desvantagens, a cidade era um caos nos horários de pico. Mas para mim aquela bela vista que você conseguia obter em qualquer praia fazia qualquer perrengue valer a pena.- Temos que ir agora?- Segurei no braço de Dinah e fiz menção de me levantar. 

 - Sim, tomem cuidado. 

 - Está bem! É pertinho.- Sorri com seu excesso de proteção. 

 - Beijo. 

 - Outro!- Encerrei a chamada com minha amiga me encarando curiosa. 

Me levantei e estendi a mão para ela que segurou e me acompanhou. 

 - Mais um engarrafamento daqueles? 

 - Acertou.- Sorri e a encarei ao meu lado. 

 Observei o perfil de Dinah, seus longos e ondulados fios loiros dançavam ao vento, seu rostinho de bebê estava atento a movimentação na rua. Apertei minha mão na sua involuntariamente e ela me encarou. 

- Bate uma foto que dura mais. 

- Af... 

- Estava me olhando assim por que então? 

- Só estava pensando no quanto eu te amo.- Disse simples e a mulher sorriu. 

- Ah Camila! Pare de ser tão fofa!- Me abraçou de lado sem parar de andar.- Te amo também, Walz.- Beijou com carinho o topo da minha cabeça e desfez o abraço desajeitado. 

Dinah me conhecia com ninguém, nós conversávamos sobre tudo que estava acontecendo em nossas vidas. Conheci ela em uma festa que teve na escola, nós erámos fundamental dois só que a loira era de outra sala. Damos risada todas as vezes que lembramos sobre o dia. Eu estava só no local, já que minhas amigas da época haviam sumido da minha vista, na verdade eu acho que aquelas desgraçadas haviam me despistado, afinal elas não queriam a presença de uma nerd no meio de uma festa, resolvi procura-las pela segunda vez e foi aí que eu me bati com Dinah. Literalmente. Derrubei o copo que a garota possuía em mãos no chão sem querer, de cara eu jurava que ela iria me quebrar em mil pedacinhos e depois joga-los para os cães, mas tudo que ela fez foi me encarar e dizer que estava tudo bem quando eu comecei a pedir desculpas compulsivamente. Quando nós estamos conversando sobre isso ela diz “Só não te mandei pra puta que pariu porque eu tinha ido com sua cara de menina perdida.”. Depois eu a acompanhei até o local onde as bebidas estavam sendo servidas, perguntei se ela não havia visto as garotas que tinham evaporado e ela como resposta me deu um copo com a bebida, que não possuía álcool, só pra constar. Aquela noite eu pude me sentir tão bem que parecia que nós nos conhecíamos há muito tempo. Dinah me puxou para o meio de suas amigas e nós dançamos e conversarmos praticamente a festa toda. Ela havia sido um amor comigo e no dia seguinte nós não perdemos o contato. Foi assim que essa amizade tão única e especial nasceu, numa esbarrada.  


Notas Finais


Então é isso galeraaaaa, vejo vocês em outro cap. Não esqueçam de me dizer a opinião de vocês. BEIJOS.

Minha outra fic:
https://spiritfanfics.com/historia/reviravoltas-e-sentimentos-camren-7770366


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...