História O amor cura feridas. (Camren) - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~Elly_Cabello

Postado
Categorias Austin Mahone, Becky G, Fifth Harmony, One Direction, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Becky G, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Ally, Allycat, Camila Cabello, Camz, Dinah, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Lolo, Manibear, Normani
Exibições 101
Palavras 1.429
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee amores, tudo bem?

1- as coisas vão piorar muito partir daqui, mas logo vão se concertar.

2- por que só a Tati se ferra? Porque não consigo fazer as meninas do 5H sofrerem

3- cometem e favoritem, querem que eu continue?

Capítulo 23 - Desenterrando o passado. Cap.8/Temp.2


Fanfic / Fanfiction O amor cura feridas. (Camren) - Capítulo 23 - Desenterrando o passado. Cap.8/Temp.2

Normani P.O.V

Arrumamos todas as coisas e entramos na Van, fomos para a casa das meninas e assim que chegamos lá cada um foi para seus quartos, hoje eu ia dormir com a Dinah, como eu sentia falta disso, o cheiro dela, o abraço, os beijos, como todos estavam em casal creio que alguns quartor ficariam vazios. Assim que chegamos na casa Dinah, Tati, Lauren, Keana e Louis colocaram as sobras dos doces e salgados na cozinha, algumas flores vieram com a gente, arrumamos elas pela casa, me sento no sofá e vejo DJ vir em minha direção, sorrio e ela se senta ao meu lado, olho nossas alianças:

- Você sempre teve bom gosto não é mesmo?

Ela deita a cabeça em meu colo e eu começo a fazer carinho em seus cabelos:

- Na verdade não, só comecei a ter depois que conheci a negra mais linda desse mundo!

Sorrio e dou um tapa fraco no braço dela:

- Você é muito besta.

Vejo ela me olhar e sorrir:

- Faço de tudo para arrancar de você um sorriso ou uma risada.

Nego com a cabeça e vejo a mesma se sentar no sofá de novo:

- Eu te amo Normani, e só quero que me prometa que nunca mais vai ir embora.

Ela falou enquanto me puxava para sentar em seu colo:

- Vou pensar no seu caso Dinah...

Falei brincando mais me arrependi pois seus olhos perderam a cor, seu rosto de feliz foi para triste, realmente a nossa separação acabou com ela:

- Ei meu amor...

Coloco o dedo no queixo dela e faço ela olhar para mim:

- É brincadeira, eu nunca mais vou sair de perto se você, eu sou só sua para todo o sempre!

Ela sorri e me abraça, aproxima nossos rostos e inicia um beijo calmo que logo começa a se esquentar, que saudade daqueles lábios, que saudades daquela garota, que saudade de Dinah Jane! O melhor de tudo é que agora estamos juntas de novo e nada vai nos separar, sou obrigada a separar o beijo quando meu pulmão começa a arder porque precisa de ar, puxo o lábio dela e sorrio:

- Vão se comer aí mesmo? Querem camisinha?

Olho para trás e vejo Vero rindo, Tati estava sentada no outro sofá olhando para o teto, parecia bastante pensativa:

- Você está bem Tati?

Ela parecia estar longe, então não me escutou, taquei uma almofada nela e ela me olhou:

- Tudo bem?

Ela soltou um suspiro bem pesado:

- Sim só... tentando organizar as coisas na cabeça, bom... Vou ir tomar um banho.

Se levantou e subiu.

(...)

Acordo e me aconchego mais nos braços de Dinah, sorrio ao lembrar de nossa noite, me levanto com cuidado para não acordar ela, assim que me levanto vejo que meu corpo ainda estava nu, sorrio mais largo ainda é vou para o banheiro, entro no box e ligo o chuveiro, tomo um banho demorado em baixo da água morna, saiu com um roupão de banho, vou até o closet da DJ, coloco uma calcinha nova, um sutiã dela, uma camisa que ia até minhas coxas e um short curto.

Fui até a cama e me sentei, beijo todo o rosto de DJ e a vejo sorrir:

- Bom dia meu amor

Disse enquanto observava seu corpo nu apenas coberto por um lençol:

- Bom dia minha rainha.

Ela sorria de uma forma tão encantadora, tão verdadeira:

- Se arruma, temos que descer pra tomar café

Sorrio e vejo ela se levantar, depois de alguns minutos descemos, apenas alguns de nossos amigos estavam lá, suspiro ao ver Tati e Ally discutindo? Vou até elas e mesmo não querendo pergunto:

- Está tudo bem?

Ally me olha meio brava e suspira:

- Ela não quer me contar o passado dela

- Ok, se você quer saber, eu vou contar, só que não quero ninguém sentindo dó, ou me tratando diferente só por causa dessa merda de passado que tenho!

Tati disse meio nervosa e foi para a sala, esperou todos descerem e se juntarem a nós, vi que ali o assunto seria mais do que sério.

Tati P.O.V

Depois de alguns segundos tomando coragem por saber que todos estavam me encarando começo a falar:

- Eu fui abandonada por minha mãe biológica, na verdade eu nasci intersexual porque ela tentou me abortar mais a tentativa foi falha, um dia depois que nos liberaram da utei ela me deixou no lixo

Ao lembrar daquilo já sentia meu coração sendo arrebentando, meus olhos já não continham lágrimas, aquilo doía tanto:

- Uma mulher muito bondosa me achou e me pegou, ela cuidou de mim até meus 6 anos, so que durante esse tempo o marido dela, ele..... ele me estuprava quando ela estava trabalhando, eu nunca tinha contado a ela, porque não sei se ela aguentaria, já tinha o peso das dívidas, do trabalho, de me ajudar com as tarefas de casa...

Desabo e não consigo falar durante alguns minutos por estar com a voz trêmula e embargada:

- Ela era um mulher pobre, que mesmo sem condição me dava sempre do melhor, um dia ela foi liberada mais cedo do serviço pois estava fazendo muitas horas extras, então o chefe dela decidiu compensar ela subindo ela de cargo, aumentando seu salário e deixando ela descansar naquele dia...

Pego um travesseiro e abraço com todas as minhas forças:

- O marido dela, o.... André me amarrou minutos depois que ela saiu, tirou minhas calças e começou a me estuprar, o ranger da cama era tão grande que ele não escutou a porta sendo aberta por ela, quando ela chegou no quarto e viu a cena expulsou ele da casa, ela queria que eu fosse ao médico, mas eu disse que estava tudo bem, que tudo tinha sido apenas um mal entendido, porque ele disse que se eu contasse a alguém ele iria matar ela, ele iria matar a mulher que me amou, que cuidou de mim, que me deu carinho quando mais ninguém se importava...

Senti alguém me abraçar e olhei para ver quem era, claro que era Ally, mas Lauren também me abraçava:

- Eu não fazia ideia...

Disse DJ me olhando, olhei para todos da salas e eles tentavam conter o choro, já outros choravam:

- Me deixa terminar, se não vou perder a coragem...

Olhei para DJ e ela assentiu, suspiro pesado e volto a a baixar a cabeça:

- Ele foi preso por agressão, estupro e roubo, ele roubava vizinhos e ela, à Mari nunca ficou sabendo, ele usava ela apenas para se esconder da Polícia, ele se comportou bem, e no Natal pode sair para ver a família, so que ele foi até nossa casa, estávamos tendo uma ceia de família, a família dela, a minha família, ela estava tão feliz, tinha esquecido ele, estava conhecendo novas pessoas, seu sorriso contagiava qualquer um que o visse. Quando ela abriu a porta levou três facadas, caiu no chão e gritou de dor, corri até a porta e não tinha mais ninguém, apenas ele correndo da cena, peguei ela em meus braços e fiz de tudo para que ela ficasse comigo, mas ela morreu aguniando em meu braço.

Abro minhas mãos e fico olhando para as mesmas que tremiam:

- Fui obrigada a ir para um orfanato, foi lá que o apelido "aberração" tomou origem...

Não aguentei terminar e desabei no choro.

Lucy P.O.V

Desde o começo até a onde a loira parou eu chorei feito uma criança, eu consegui sentir sua dor, todos que estavam na sala não estavam muito diferente, choravam e choravam, ela churou até pegar no sono ali no sofá mesmo:

- Eu sempre reclamei de coisas fúteis, ela sim tevê uma vida complicada e mesmo assim sempre sorridente, sempre fazendo todos rirem

Disse enquanto olhava ela dormir:

- Pois é, eu amo essa garota, parece que agora esse amor triplicou

Disse Ally enquanto fazia carinho no rosto dela:

- I-Isso não é tudo...

Lauren disse baixo e atraiu todos os olhares para ela:

- Como não Lauren? - Vero

- Tem mais, muito mais - Lauren

- Não vamos fazer ela contar agora, deve ser difícil desenterrar isso do passado - DJ

- Vamos fazer algo especial para ela? Algo que ela goste de comer, depois algo que ela goste de fazer - Camila

- Concordo, não quero ver ela pra baixo, ou até mesmo em depressão, quero a Tati sorridente e boba! - Mani

Todos concordamos e se dividem para fazer as tarefas:

- Ok, pelo que ela me contou ela ama comida brasileira, e por coincidência estamos no Brasil, então ela gosta de comer, Lasanha com frango assado, macarrão e salada de maionese.

Ally disse e os encarregados de cozinhar foram para a cozinha:

- Ela ama jogar bola, seu sonho é ser jogadora profissional

Assentimos e saímos de casa, alugamos uma quadra ali perto mesmo, compramos três bolas, e roupas para jogarmos.


Notas Finais


Ate amanhã, beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...