História O amor de três pessoas - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bellemere, Boa Hancock, Buggy, o Palhaço Estrela, Donquixote Doflamingo, Donquixote Rosinante "Corazón", Dracule Mihawk, Eustass Kid, Franky, Jewelry Bonney, Koala, Kureha, Makino, Monkey D. Dragon, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Robin, Nojiko, Portgas D. Ace, Rebecca, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Shanks, Smoker, Tashigi, Tony Tony Chopper, Trafalgar Law, Usopp, Viola, Yasopp, Zeff
Tags Boalu, Intriga, Law X Kid, Lawlu, Luce, Luffy X Sabo, Marce, One Piece, Passado, Revelaçoes, Romance, Sabo X Ace, Zolu, Zosan
Visualizações 17
Palavras 3.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem vindos ao mais recente capitulo dessa história, depois de algumas semanas, estou trazendo um novo capitulo, com mais informações em relação ao namoro de Zoro e Sanji e a chegada de seus pais, assim que lerem, entenderão melhor o que virá nesse capitulo, mas bem, só digo, que dessa vez, eu vim mais com a base do começo de como o plano será realizado, para mudar a opinião dos pais dos dois, por isso, vamos ver no que da, fanfic acabando, mais três capítulos, mas vamos lá, agora, resumo rápido do que os espera mais a frente:

Após sair da casa do pai do esverdeado, Luffy, revê um amigo ao qual veio pensando muito esses dias, e ao ir atrás dele, o mesmo ouve coisas, que não queriam ouvir, saindo do lugar e esquecendo por enquanto disso, começando a fase ajudar a mudar a opinião do esverdeado e do loiro para que os dois mudem a opinião de seus pais, com ajuda de Vivi, Nami e Usopp, os quatro encontro os mesmos no parque, junto ao pai do esverdeado, e por fim, começa o plano, bem, o resto só leiam, mas desejo a todos, uma ótima e agradável leitura !!! ^^

Revisado por: Humpty_Dumpty.
Escrito por: Namizou.

Capítulo 28 - A escolha que tomei


Fanfic / Fanfiction O amor de três pessoas - Capítulo 28 - A escolha que tomei

Enquanto eu corria de volta para minha casa, para contar tudo do que eu havia conversado com o pai do esverdeado, eu vi que a cidade estava bem mais movimentada do que os outros dias, porém não liguei muito, quando do outro lado da rua, eu vi uma silhueta, de alguém que de longe se dava para reconhecer, principalmente pelos pequenos chifres, e o pequeno rabinho, pensei que não poderia ser ele, mas quando ele se virou preocupado, era realmente ele, entrando em um lugar que eu nunca tinha ido, decidi ver isso antes de falar com os outros, passei pela faixa de pedestres antes do sinal, favorecer os carros parados e entrei naquele mesmo local, pelo visto, era uma biblioteca, logo fui em direção a moça que ficava ali, sempre cuidando do local.

- Bom dia, eu queria lhe fazer uma pergunta, por acaso você viu uma pessoa com pequenos chifres e um pequeno rabo, passando por aqui, ele é meu amigo sabe, e eu queria conversar com ele, sobre a escola ? - Perguntei, de certo modo, mentindo no final, porque afinal, não posso vir e falar simplesmente que estou o perseguindo, porque sei que ele esta escondendo algo de mim, ela na mesma hora poderia até chamar os seguranças, porque eu sei que isso não se faz, mas, eu estou com medo, de algo ruim tenha acontecido a ele.

- Sim, eu vi ele por aqui, segundo andar, no corredor três, ele me disse que queria falar com uma pessoa importante, que pediu que ele viesse aqui hoje, acho melhor você subir e esperar um pouco, afinal, a conversa deles, parece que vai demorar um pouco, pelo que ele me disse. - A mesma falou, e assim a agradeci pelas informações, logo subindo ao segundo andar, ao qual logo de cara vi os três corredores, porém todos bem pouco iluminados, fui para mais perto de um deles, nada ouvi, fui ao segundo logo lembrando, que ela havia mencionado o corredor três, e por fim, ouvi a conversa, reconhecendo uma das vozes que era a de Chopper, porém a outra não.

- Que bom que ela ainda não descobriu nada, pretendo me revelar para ele, um pouco mais tarde, afinal, eu não estou pronto, e acho que ele não está pronto para me ver novamente, obrigado por estar mantendo esse segredo guardado e por não ter o contado a ninguém, confio em você, confio essa missão a você, me entendeu ? - A segunda voz que falava naquele vasto escuro, me lembrava a de muitas pessoas, principalmente a de meu pai, porém, não poderia ser ele, afinal, a muito tempo atrás, ele faleceu, após um tornado muito forte, mas logo parei de pensar nisso, e ouvi a resposta do novo Chopper.

- Claro que eu vou guardar esse segredo para você, mas acho que ele não merece isso, afinal, eu tenho medo de que um dia, ele faça algo pior do que somente pedir para que eu o conte, por isso, ande rápido com isso, ou serei breve em curto, em recusar, de guardar esse segredo por mais tempo. - O mesmo falou para o outro, dono da voz que eu não reconhecia, que pelo visto, naquele momento só deu uma simples gargalhada, baixa e sarcástica, o que não me fez mais entender qual seria o rumo final dessa conversa, mas logo percebi que já estava acabando e que logo eu teria que sair dali, mas antes que eu fosse a sair, parei ao ouvir ele pronunciar....

- Luffy já é muito grande, e deis de criança ele foi muito amigável, ele não seria capaz de machucar seus amigos nem mesmo se quisesse, ele é uma alma bondosa sei disso, mas de certo modo, ele é a pessoa mais burra que eu já vi, no passado, ele fez muitas loucuras com seus irmãos, e no final, eu sempre ia ao resgate dos três. - Naquele momento, pequenas lágrimas brotaram de meus olhos, andei com calma, até chegar as escadas, logo saindo correndo assustando a moça ao qual, eu havia conversado quando entrei ali, eu não podia acreditar, no que ele havia falado "Ele não pode ser meu pai, ele morreu, Shanks sabe sobre essa história, mas ele não estava naqueles momentos presentes, então quem mais, estava lá, ou será que eu estou ouvindo coisas ?", perguntei a mim mesmo, enquanto agora caminhava para minha casa, limpando as lágrimas que de meus olhos escorriam, logo comecei a conseguir ver a mesma do lugar aonde eu estava.

Passei pela faixa de pedestres, continuei andando, por mais alguns pequenos minutos, por fim chegando na porta da mesma, a abrindo, percebendo que tudo estava bem apagado, fui com calma, me lembrando que se eram sete e trinta da manhã lá, significava que a esse momento, todos já deveriam estar em aula, logo me assustei, percebendo que hoje, pela primeira vez, eu levaria falta, porém quando entrei no lugar, percebi que meu avô ainda se encontrava dormindo no sofá, só que dessa vez todo esticado, mas ao longo do caminho, não vi mais ninguém, porém, ele não deveria estar trabalhando, levei um susto, quando alguém de repente pulou em minhas costas, quando percebi era minha prima Vivi, limpando as lágrimas que de seus olhos escorriam.

- Seu primo idiota, você saiu correndo de casa, e deixou todo mundo preocupado, e você nem sabe como deixou, e se você já chegou só pensando na escola, e poder estar atrasado, ou do porque o nosso avô não estar trabalhando, é porque o diretor ligou pessoalmente para todos, avisando que hoje não haveria aula, porque a escola meio que inundou, uma das privadas do banheiro masculino, o cano estouro e molhou toda a escola, impossibilitando as aulas, mas me explica, aonde você estava ? - A mesma havia falado tanto que nem me toquei na hora que ela fez a pergunta, que até mesmo acordou meu avô que no sofá pelo que parecia, estava tirando um bom cochilo, eu não queria falar somente para ela, mas sim para todos juntos, mas resolvi falar mesmo assim.

- Desculpa ter sumido, mas graças aquilo, eu conheci o pai do Zoro... Eu acabei meio que esbarrando nele, e ele me levou para a casa dele, já que não sabia aonde ficava a minha, por eu estar nocauteado pelo simples esbarrão, foi quando ao amanhecer eu conversei com ele, e juntos tivemos a ideia, de que somente Sanji e Zoro juntos, são capazes de mudar a opinião de seus pais. - Falei, por fim terminando, o que de certo modo, me deixou preocupado, foi a expressão que a mesma fez após eu ter terminado de falar aquelas palavras, logo a mesma me deu um sorriso, logo falando também.

- Pelo visto você passou por várias coisas, em tão poucas horas, mas que bom, que você conseguiu mudar a opinião de um, mas o problema não é nem esse, após a chegada da carta do pai do esverdeado, a do loiro chegou, trinta minutos depois, do seu sumiço, e na carta dele, estava escrito coisas piores do que na do esverdeado, receio que hoje a tarde, muitas coisas vão acontecer ao entorno deles. - A mesma falou, enquanto eu começava a ficar desesperado, afinal, eu ainda precisaria dessa tarde para ter tudo pronto para iniciarmos o plano, mas se realmente não tem aula, o único jeito, seria bolando um plano, a pura velocidade, logo respirei fundo, olhando diretamente minha prima.

- Sei que esse não é o meu costume, que eu sou sempre aquele menino feliz e tal, mas quero lhe pedir uma coisa, vá a casa do loiro agora de manhã e o convença, de que a única chance que eles terão, será convencendo seu pai, eu vou até a do esverdeado, temos que por um fim nisso, me entendeu, eu faço isso porque... Foi a escolha que eu tomei, e a escolha que eles tomaram. - Falei por fim, vendo que a mesma se mantinha ainda com um sorriso no rosto, um, que agora estava um pouco maior, logo ela me olhou, aquilo já era uma resposta e tanto, mas antes de ir cada um a casa de um, a mesma me perguntou.

- Se ele não aceitar, eu tenho que o convencer de todas as formas possíveis, mesmo que eu tenha que falar sobre seu encontro com o pai do esverdeado, e a mudança que você causou na opinião do mesmo, certo ? - Logo a respondi, dizendo que sim, essa era única escolha, e logo nos separamos, cada um, indo para seu lado, esperando que o mesmo estivesse em casa, logo percebi que eu mau tinha chegado em casa, e já estávamos saindo de novo, e mau havia contado a ela, sobre o que eu havia ouvido naquela biblioteca, mas é melhor esquecer isso, por enquanto.

Enquanto eu corria pelas ruas da cidade, desesperado para chegar na casa do esverdeado, me mantive eufórico e preocupado com que ele pudesse não estar em sua casa, e bem, no final, quando eu cheguei, ele realmente não estava, além da cidade ser enorme, aonde os dois poderiam ir em tal momento, pensei bem, logo vindo a minha cabeça, que poderia ser os lugares calmos, aonde eles além de poderem esfriar a cabeça, pudessem pensar melhor no que fazer, se vão se render sem lutar, ou se vão enfrentar esse medo de cara, porém eu não tinha um lugar em mente aonde eles pudessem fazer isso, foi quando ouvi uma voz familiar me chamando.

- Ei, Luffy aonde você esteve, todos ficaram preocupados quando você saiu correndo lá da sua casa, nos tentamos de procurar na noite, porém, a cidade estava muito movimentada e além de ser um local grande, demoraria muito tempo, o que aconteceu, e só pra saber, ele não está em casa, já faz uns treze minutos ? - O narigudo perguntou, logo dizendo o que eu precisar ouvir, significa, que faz bem pouco tempo que ele veio a sair, tempo o suficiente para eu vir a encontra-lo novamente, mas primeiro preciso lhe responder, depois perguntar, se ele sabe pelo menos para onde ele foi.

- Bem, aconteceu tudo muito rápido pra ser exato, eu sai correndo de casa enquanto chorava, por ter dito aquelas coisas para eles, ainda me arrependo por ter dito, mas foi necessária, porque pelo visto quando eu não tinha mais voltado para casa, eu acordei na casa do pai do esverdeado, para ser mais claro, consegui mudar a opinião do pai dele, mas para mudar a dos dois juntos, eu preciso que os dois cooperem nesse plano bobo, que é mudar a opinião de seus pais !!! - Eu terminei por fim falando as minhas últimas palavras, porém esquecendo de perguntar se ele sabia aonde os dois estariam nesse momento, logo percebi que o mesmo estava respirando fundo antes de vir a falar.

- Bem, pelo visto, você passou por muitas só noite passada e hoje de manhã, mas mudar a opinião de um dos pais deles, foi incrível, mas não sei contanto ao plano, porque, fazer com que os dois desistam de os separar, acho que isso, não vai ser tão fácil, mesmo querendo. - O mesmo falou, de certo modo, me desanimando um pouco, mesmo assim, essa era a única escolha, afinal "O que mais poderia ser feito para mudar a opinião de duas pessoas que no passado, terminaram seu relacionamento por causa de uma mulher para cada ?", foi o que eu pensei naquele momento, logo vindo a falar novamente.

- Eu sei disso Usopp, mas se não tentarmos, os dois podem acabar se separando mais uma vez, porque afinal, depois de tudo que passaram, acho que eles não aguentariam ficar um sem o outro, eu tenho que tentar, mesmo que eu tenha que sofrer as consequências junto, sabe para onde ele foi, e se o loiro iria junto ? - Depois de falar, perguntei ao mesmo, sem temer o que ele dissesse, mesmo que insistisse para que eu por fim desistisse, eu não me importaria, mas que vou seguir esse plano eu vou, e não vou desistir, até ter a vitória em minhas mãos e nas deles.

- Primeiramente, eu não consigo acreditar que irá levar as consequências sozinho, porque não vai, irei junto, afinal somos amigos de longa data e sempre seremos, e segundo, eu sei sim, eles marcaram de se encontrar no parque, talvez eles pensem em se despedir, só espero que eles realmente não pensem em desistir assim tão fácil, pois iremos ajudar, não é mesmo ? - O narigudo falou, enquanto eu olhava a palma de sua mão que se posicionava em minha frente, e logo bati na mesma, concordando com mesmo, com lágrimas escorrendo por meus olhos, logo as limpei dando um imenso sorriso, enquanto corríamos para o parque, esperando, não estarmos atrasados.

Voltando a correr pela terceira vez pelas ruas da cidade, eu limpava as lágrimas que de meus olhos escorriam, enquanto meu sorriso não era desfeito de jeito nenhum, por estar principalmente do lado de um grande amigo, e também, porque sei que ele estará lá para me ajudar, nesse plano maluco, atravessávamos várias faixas de pedestres, passávamos por várias lojas, mercados e restaurantes, e parecia que chegar até o parque, não seria tão fácil assim, mas por fim, já se era visível o mesmo, finalmente estávamos chegando nele, faltava pouco, e quando chegamos na entrada, nos deparamos com Vivi e Nami, que pelo visto pareciam cansadas, mas pelo que parece, as mesmas chegaram antes de nos.

- Eu não acredito no que você fez a minha pobre amiga passar, você realmente é uma pessoa muito ruim, um primo muito mau, mas que bom que está bem, eu me encontrei com a sua prima enquanto ela se aproximava da casa do Sanji, então ela me contou tudo, e se possível, também quero ajudar, afinal, eu fiz parte do plano, se você se lembra ? - A mesma perguntou sarcástica no final, mas aqueles olhos nunca me enganaram, ela estava hiper brava, por eu ter deixado minha prima, preocupada durante uma noite toda, pensando no que poderia ter acontecido comigo.

- Desculpa, eu já falei tudo que havia acontecido, e tudo porque eu me arrependi de ter falado para eles enfrentarem seus pais cara a cara, sem antes eles estarem preparados, mas se você quer ajudar nos, a deixa-los prontos para o pior a vir, tudo bem, mas lembre-se as consequências vão cair em cima de nos quatro também, caso algo dê errado, vocês estão comigo nessa ? - Perguntei, sabendo que o narigudo estaria, e logo percebi ao ver que as duas colocaram suas mãos uma em cima da outra, logo colocando em cima das nossas, que elas também aceitavam, qualquer tipo de consequência, não importa qual fosse.

- Então vamos atrás deles, não vai ser tão difícil acha-los por aqui, afinal, esse é o menos parque dos dois, o outro, fica um pouco mais longe, que sorte eles terem escolhido esse, tenho certeza, de que eu não aguentaria correr até lá, principalmente, quando isso com certeza iria me deixar cansada de mais para fazer qualquer coisa. - Minha prima falou, e logo soltamos algumas gargalhadas, entrando no parque, caminhamos durante alguns minutos, olhando para todos os lados, não querendo os perder de vista, porém logo depois de alguns minutos, conseguimos os avistar, sentados um do lado do outro, enquanto a frente deles, estava o pai do esverdeado, logo corremos até onde os mesmos estavam.

- Oi, está tudo bem né, você ainda vai cooperar no nosso plano, ou você veio aqui, porque vai acabar cooperando com o lado inimigo, você deu sua palavra, que mesmo sendo um plano bobo esse, você ainda deixaria que acontecesse, por favor, me fale ? - Perguntei, mas quando vi a risada dos três, logo percebi o que era, os mesmos não iriam se separar, e ele não tinha vindo os separar, mas sim, eles estavam conversando sobre o plano, pelo que o loiro logo veio a falar, logo soltamos gargalhadas junto aos mesmos, mas ainda assim fiquei curioso, para saber, como eles sabiam que o mesmo estava por aqui, logo o esverdeado veio a falar.

- Bem, sei que você deve estar se perguntando sobre muitas coisas, pra começar, eu e o loiro, marcamos para virmos aqui, assim que fomos para nossas casas, quando você desapareceu, nos viemos, mas quando chegamos na entrada do parque, eu revi o meu pai, eu pensava que era o fim, foi quando ele contou sobre a conversa que teve com você nessa manhã... - Por fim, o esverdeado parou enquanto o loiro logo vinha a se levantar ficando do lado do mesmo, aquilo de certo modo, me acalmou muito mais do que eu realmente estava precisando, respirei fundo, e logo o pai do mesmo veio a falar.

- Por fim eu falei sobre o que havíamos conversado, sobre o plano e tal, eu tinha vindo aqui, para fazer outras coisas, e não esperava que o encontro com meu filho ou o do Vinsmoke seria assim tão rápido, mas acabou sendo, e aproveitei e lhe disse o que teriam que fazer, e eles por fim aceitaram, agora, precisamos saber o que fazer para que nada dê errado. - O mesmo falou, concentrando seu olhar em cima de mim, de certo modo, a áurea dele era muito pesada, mas por fim, o mesmo deu um sorriso, e tínhamos tudo certo até o ponto crucial, mas ainda tinha outras coisas, que também seriam importantes, para que o plano desse certo.

- Se você está pensando o mesmo que eu, não precisa mais se preocupar, eu o grande Usopp, tenho a solução, um amigo muito próximo meu, passa pela rua aonde o loiro mora, e pelo visto, lá, tem um beco sem saída, que pode ser muito útil, além de ao anoitecer, é mais fácil de fugir caso de errado, e se esconder, sem precisar envolver pessoas de fora nessa fuga, o que acham ? - O narigudo falou abrindo um grande sorriso olhando para todos nos, que estávamos impressionados com o mesmo, até soltar a sua gargalhada, fazendo com que ao mesmo tempo, nós ficássemos animados com tudo isso, rimos e por fim, decidimos que seria assim, agora só precisaríamos bolar o fim disso.

- Como ele não terminou tudo, também posso dar uma mãozinha, além de isso acontecer, antes de fazer isso, mandaremos uma carta para ele, pedindo que venha as sete e cinquenta da noite, no beco perto da casa do loiro, e nesse bilhete estará escrito, que o loiro desiste, e que esta pronto, para ir para casa, na real, não estando e quando ele chegar, os três já estarão o esperando, e nos, num lugar um pouco afastado, porém, que de para ouvir, caso precisem de nossa ajuda, e ai, assim está melhor ? - A alaranjada terminou sua fala, surpreendendo mais uma vez a nos, além de ser o narigudo, até ela, estava se mostrando promissor em algo, e esse plano, não teria como falhar, caso ninguém saísse de seu papel é claro, mas o pai do esverdeado ficar junto ao mesmo, acho que não daria muito certo.

- Bem, eu gostei do plano dos dois, e sei que o resto também gostou, mas eu, quero fazer uma alteração, se o pai do Zoro estiver com os dois, será um grande problema, além de ele perceber rápido, que vocês tentaram convence-lo de mudar de ideia, ele verá que o mesmo desistiu de o levar e por fim, quis deixa-los juntos, se ele pensar isso, o plano irá para o fundo do poço, por isso faremos uma carta para você, e assim que ele chegar, você chega alguns minutos depois, mais ou menos dois, tudo bem ? - Perguntei, e o mesmo apenas concordou, tudo isso, sendo feito, em tão pouco tempo, sendo que seria hoje a noite, então nem tempo tínhamos, era mais uma correria, para não deixa-los separados, como se a corda fosse agente, e eles os donos, prestes a corta-la.

- Então temos tudo combinado, mas ainda precisamos saber o que falar lá na hora, não podemos simplesmente chegar e falar qualquer coisa, tenho certeza que isso comprometerá tudo, mas eu não tenho ideia do que poderei dizer, afinal, é o meu pai de quem estamos falando, e se me lembro bem de como ele é, não será muito fácil não. - O loiro falou com certo nível de medo, mas não podíamos recuar nesse momento, afinal, daria tudo certo se o tempo que tivéssemos fosse um pouco maior, mas não é, e teremos que bolar isso o quanto antes, mas eu também pelo visto, não tinha ideia nenhuma em minha mente, logo minha prima veio a se pronunciar em meio ao silencio que estava se formando.

- Suas falas, não serão escritas por nenhum de nos, nem mesmo por vocês, nem por ninguém, elas serão feitas, a partir do que vocês sentem um pelo outro, pelo amor que formaram quando se apaixonaram, vocês vão demonstrar isso em palavras, como se fosse algo normal de seu dia a dia, querendo ou não, o amor é algo belo, e deve ser demonstrado, principalmente quando é tão belo quanto o de vocês dois, espero que tenham entendido ? - A mesma perguntou dando uma pequena risada e os mesmos balançaram a cabeça positivamente demonstrando que haviam entendido ao que a mesma havia se referido, e por fim nos despedimos, indo cada um para sua direção.

Mas antes, claro, marcando, de nos encontrarmos uma hora antes do plano começar, e que minha prima, seria responsável de enviar as cartas falsas, dizendo que os dois haviam desistido, e que por fim, seria o reencontro inevitável dos dois, essa seria a ultima vez que eles estariam juntos, ou a ultima vez, que alguém iria tentar os separar, isso ninguém sabia, até que a noite chegasse, e aquelas duas figuras aparecessem em frente aos dois jovens que de mãos dadas estavam, com os olhos bem fixados e prontos para mudarem as opiniões dos dois adultos que em suas frentes, esperavam para saber, o do porque de terem vindo aqui, se nem mesmo haviam desistido.

Nos estamos aqui, para acabar com isso, de uma vez por todas...

Continua...


Notas Finais


Bem, o capitulo terminou por aqui, mas acham que era só isso hoje, bem, estão enganados, logo o segundo capitulo do dia estará saindo, porque hoje é, dia do estudante, vamos comemorar, mesmo não sendo um feriado, é muito bom lembrar, que esse dia, é para aqueles que estudam e se esforçam para passar de ano, parabéns a todos, e bom, deixando isso de lado a continuação ainda sai hoje, por isso fiquem ligados, logo irei postar, beijinhos nevados e abraços de panda kung fu, e até daqui a pouco !!! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...