História O amor de três pessoas - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Bellemere, Boa Hancock, Buggy, o Palhaço Estrela, Donquixote Doflamingo, Donquixote Rosinante "Corazón", Dracule Mihawk, Eustass Kid, Franky, Jewelry Bonney, Koala, Kureha, Makino, Monkey D. Dragon, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Robin, Nojiko, Portgas D. Ace, Rebecca, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Shanks, Smoker, Tashigi, Tony Tony Chopper, Trafalgar Law, Usopp, Viola, Yasopp, Zeff
Tags Boalu, Intriga, Law X Kid, Lawlu, Luce, Luffy X Sabo, Marce, One Piece, Passado, Revelaçoes, Romance, Sabo X Ace, Zolu, Zosan
Visualizações 60
Palavras 4.002
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, aqui está o segundo capitulo do dia, eu quero lhes avisar, que ele esta bem grande, e foi um pouco complicado, mexer no assunto do pai deles, por eu não saber muito deles, estou atrasado no mangá e no anime, desculpa, e o pai do Zoro principalmente, já que ele nem apareceu ainda, mas bem, fiz meu melhor, o final, ele foi um pouco puxado ao lado sentimental do pequeno livro que a muito tempo, Luffy já veio a ler, e que agora, raramente ele vem fazendo, mas deixando isso de lado, vamos ao resumo para mais informações:

Luffy e Vivi no presente momento, se encontram escrevendo a carta, recebendo a ajuda diversa de Sabo, em duas ocasiões e seu avô somente em uma, no encontro do pai dos dois, com os seus filhos, algo inesperado acontece, quando Luffy chega junto a sua prima, e quando a conversa entre os quatro termina, e ao final do capitulo, palavras de um velho livro são citadas, bem, esse foi o capitulo de hoje, o próximo vai vir esse mês ainda, mas tá acabando, bem, lá no final, eu falo mais, por isso, boa leitura a todos e todas !!! ^^

Revisado por: Humpty_Dumpty.
Escrito por: Namizou.

Capítulo 29 - Destinados um para o outro


Fanfic / Fanfiction O amor de três pessoas - Capítulo 29 - Destinados um para o outro

Voltados cada um para sua casa, eu e minha prima, voltávamos para nossa, para cada um, fazer a parte que foi lhe dada, eu ajudaria pelo menos um pouco a escrever a carta junto a minha prima, mas o que deveria estar contida nela, deveria ser algo muito bom, capaz de os fazer acreditar, como pássaros em uma gaiola, enquanto voltávamos, me deparei mais uma vez, com Chopper, junto a um estranho encapuzado, entrando em um beco, mas naquele momento, eu os deixei de lado e continuei em linha reta, logo chegando em casa, ao chegar na mesma, percebi que Sabo já havia chegado e meu avô, já estava acordado.

- Olha quem voltou para casa, mas o que é mais estranho é vê que a Vivi está junto com você, mas deixa isso pra lá, que bom que você voltou, mesmo eu sendo seu irmão, me preocupei muito, não faça mais isso, não consegui nem me concentrar no trabalho direito, pensando o que poderia estar acontecendo com meu irmãozinho, não suma mais, seu bobo. - O mesmo falou, esfregando meu cabelo com sua mão, ele diferente de meu avô estava calmo, já o mesmo parecia irritado, e pelo visto, já podia esperar pela bronca que o mesmo iria me dar, porém, foi completamento o contrário.

- Você fez o certo naquela hora, ao falar para que eles encarassem esse medo de cara, mas depois que você fugiu, eu assim como todos, me preocupei, pensando aonde você estaria para não ter retornado com as suas desculpas, sei que você me vê como um pressionado que só quer o melhor para você, mas mesmo assim, não faça mais isso, me entendeu ? - O mesmo perguntou, e eu apenas afirmei balançando a cabeça positivamente, o que me deixou curioso, por ele estar tão diferente, depois de tantos anos, pelo visto, o tempo alterou algumas partes de sua personalidade.

- Não vá esquecer o que viemos fazer aqui... Só foi eles te abordarem para falarem sobre isso, que você até esquecer, do objetivo que tínhamos, escrever a carta que dará a chance deles ficarem junto ou não, não é mesmo, primo ? - A mesma falou, me fazendo voltar aos pensamentos do que eu tinha que fazer nesse momento, apenas afirmei, me despedi deles, indo junto a mesma lá para cima, porém, quando pensei que seria em meu quarto, me enganei por completo, a mesma me chamou para dentro de seu quarto, ao qual me impressionei de certo modo.

- Ele é bem arrumado, melhor até do que o meu, e muito mais espaçoso, ainda por cima, é muito colorido, mas esse rosa, tá de certo modo exagerado, mas esquecendo isso, porque não quero discutir com você sobre esse tanto de rosa, vamos fazer a carta tá ? - Perguntei a ela, mas eu tinha razão no exagerado, os travesseiros e a coberta, coxa e os lençóis eram rosa, além dos pequenos animaizinhos de pelúcia que tinham suas próprias corres, eram macios, do lado deles, uma almofada com estampa cor de rosa, junto ao armário também rosa, a escrivaninha no meio, já não era mais, igual ao chão, menos o tapete de entrada, que também tinha a cor rosa.

- Não fale nada, afinal, diferente de você eu sou menina, eu tenho meu próprio gosto, e quando eu quero algo eu o tenho, sendo que muitas vezes eu não consigo, assim como o último dos meus animaizinhos de pelúcia, que quando eu iria conseguir, outra passou em minha frente, e o levou pra longe de mim !!! - A mesma falou de certo modo brava, parece que nessa parte de colecionadora, ela não é muito diferente de mim "Porque será que eu parei de colecionar livros ?", me perguntei mentalmente, não recebendo nenhuma resposta, sabendo que de qualquer jeito, eu não à receberia.

- Bem, não se preocupe com isso, não quis dizer nada que pudesse lhe incomodar, por isso vamos esquecer isso por enquanto, porque afinal de contar, ainda temos uma carta para escrever, no caso duas, porque né, só vamos logo !!! - Falei enquanto a mesma caminhava até a única cadeira que se encontrava na escrivaninha, se sentando, pedindo para que eu me sentasse na cama, e esperasse, porque assim que ela terminasse de escrever, ela me mostraria, pedindo a minha opinião, e de vez enquanto, trocaríamos ideia, do que poderia ter nessa carta.

- Para iniciar eu pensei, em fazer no estilo deles, o do loiro eu até conheço bastante, mas o do esverdeado, nessa parte, vou precisar de sua ajuda, mas voltando, pensei em começar com algo um pouco formal como, que bom que está vindo para me levar embora, porque eu estou preparado para ir, mas não sei bem, será que vai assim, ou complementamos com algo ? - A mesma perguntou curiosa, com a minha resposta, eu sabia que somente aquilo não daria certo, e também, que isso logo mostraria que seria um plano, para fazerem as suas opiniões mudarem, logo, respondi a pergunta que a mesma havia me feito.

- Só isso não bastará para completarmos esse plano, com cem por cento de chances, de nada dar errado, se mandarmos uma carta como essa, comprometeremos o plano antes da hora, por isso, temos que acrescentar algo a mais, como por exemplo, nós nos ferimos muito, perante os dois, e não queremos nos ferir novamente, por isso, pode vir, estaremos esperando os dois no beco ao lado de minha casa, pois já desistimos, para somente, não nos ferir, logo em baixo, a assinatura de Sanji, claro que, terá que ser a dele próprio, ao mesmo tempo na carta do esverdeado, a real dele também. - Falei, enquanto a minha prima de certa forma, mostrava um sorriso de surpresa, apenas soltei algumas risadas, enquanto a mesma, voltava a escrever a carta, mas se precisa colocar a assinatura deles, preciso que os dois, venham imediatamente aqui.

- Eu andei ouvindo a conversa dos dois, enquanto escreviam essa carta, não se preocupe meu irmãozinho, vou lá chamar os dois, prometo não demorar, por isso não se preocupe com isso, apenas foque no que esta fazendo agora, deixe o resto comigo !!! - O mesmo falou, com um doce sorriso em seus lábios, apenas soltei uma gargalhada, logo me virando de volta a minha prima, enquanto escrevíamos a carta, enquanto isso, meu irmão, corria atrás dos dois, para que pudessem colocar o toque final, nas cartas que seus pais, receberiam.

- Bem, a sua ideia de colocar mais isso na carta, foi muito útil mesmo, me deu algumas ideias também, afinal, podemos sim acrescentar mais algumas coisas nela, afinal, agora, identificamos o beco aonde será o encontro, pensei nisso, as sete e trinta, me encontre no beco ao lado da minha casa, eu estarei esperando você lá, sabendo que mais nada, poderei fazer, porém, não fale mais comigo, assim que eu for embora, dessa cidade, o que acha ? - A mesma perguntou, e eu de certa forma, gostei do modo, como ela completou uma grande frase e a expandiu em uma maior ainda, de certa forma, a carta já estava tomando forma, mas para entregar elas, ao respectivos pais, seria um desafio em nossas mãos, apenas suspirei respondendo a mesma.

- Ficou bastante criativa, acho que somente isso, já basta, e quando tivermos a assinatura dos dois, teremos por fim, essa carta completa, e pronta para ser entregue aos dois, mas bem, sinto que ainda falta algo, mas de certa forma, não consigo identificar o que é ? - Falei a mim mesmo, o que de certo modo fez minha prima estranhar, não sabendo, se era uma pergunta ou não, que deveria ser respondida naquele momento, apenas suspirei, e quando percebi, meu avô veio a tona, nos assustando, com sua voz grossa.

- Se esta faltando algo, e a parte mais importante de uma carta, se você não percebeu, só coloquem algo como isso, sinto muito por desafia-lo a tal ato, sabendo que não podíamos ficar juntos, mas mesmo assim ficamos, por isso, me faça a promessa de não machuca-lo, caso a cumpra, irei junto a você, sem resistir, espero que isso ajude, nessa parte que você acha que falta Luffy, estarei em meu quarto, caso precise de algo !!! - O mesmo falou, indo para seu quarto, mas naquela hora, que ele falou todas aquelas palavras, a carta finalmente estava realmente completa, agora eu sentia que estava pronta, só faltava eles, e quando menos esperado, em frente a porta do quarto de minha prima, um esverdeado, totalmente cansado de tanto correr.

- Corri o mais rápido que pude, depois do que o seu irmão me falou, bem, não se preocupe, aonde está a carta, já vou assina-la e me preparar para o pior, afinal, pelo que eu vi em meu relógio, já são, cinco e quarenta e oito, e como havíamos combinado, sete e trinta teríamos que já estar lá prontos, não se preocupe com mais nada, as nossas falas já estão prontas, só falta colocar em prática mesmo !!! - O mesmo havia falado, então realmente estava tudo certo, todos haviam completado suas tarefas, estava na hora, de somente se preparar para tudo, naquele mesmo momento, me aliviei de certo modo, me acalmando mais.

- Obrigada por ter assinado, lembre-se, seis e cinquenta e oito, nos encontraremos lá, e vamos nos preparar para o que esta prestes a vir, por isso, depois de assumir a responsabilidade de continuar com esse plano, não desista agora, afinal, tudo dependerá de como os dois seguirão conforme o plano, entendido ? - A mesma perguntou ao esverdeado, que apenas afirmou balançando a cabeça, indo calmamente para fora do quarto, agora, descendo as escadas, indo para sua casa, se arrumar e preparar suas falas, necessárias para o sucesso, e logo, o silencio começou a reinar naquele pequeno quarto.

- Saindo desse assunto, prima, sabe hoje de manhã, andes de eu chegar aqui, eu fui na biblioteca porque, deis de um tempo atrás, venho me preocupando com Chopper, porque acho que ele esconde algo de mim, e estava certo, alguém com a voz semelhante da do meu pai, falou com ele, e enquanto eu ouvia, o mesmo falou sobre mim, e depois daquilo, sai de lá, de alguma forma, chorando. - Falei finalmente a alguém, o que havia acontecido naquele lugar, mas naquele mesmo momento, minha prima ficou com a cara séria, e começou a falar logo preocupada com que eu havia ouvido ou talvez, querendo saber se não era nada ruim relacionado a mim.

- Eu não acredito que você ouviu coisas relacionadas a você sem ter conhecimento, que isso poderia já estar acontecendo faz um tempo, sinto muito, queria poder estar lá com você, pelo menos, eles se revelariam, de uma vez por todas, mas não pude estar, mesmo assim que bom que eles não fizeram nada a você... - A mesma falou calmamente, terminando, fazendo com que o silencio voltasse a se encaixar naquele local, parecia que tudo iria ficar quieto por longas horas, porém não ficou, assim que pensávamos que mais nada iria acontecer, o loiro chega totalmente eufórico pela correria, assim como meu irmão que parecia já exausto.

- Desculpa demorar, já vou assinar também, porque pelo visto, se o irmão do Luffy já veio para cá, significa, que a essa hora, ele já deve estar se preparando para colocar tudo em ação, por isso não vou demorar, também já estou indo, encontro todos lá !!! - O mesmo assinou, falou e se foi embora, deixando nos três em um momento de silencio novamente, meu irmão, sem se preocupar de quem era o quarto, sentou na cama, ao meu lado, e colocou a cabeça em meu ombro, o mesmo estava quase caindo no sono, de tanto correr e gastar suas energias, logo falei.

- Acho melhor você ir para o seu quarto e dormir, a partir de agora, não se preocupe com nada, nos daremos conta do recado, mas você merece descansar, porque só chamar os dois, já foi mais do que suficiente, obrigado realmente, melhor irmão do mundo !!! - Falei soltando minha gargalhada de sempre enquanto o mesmo soltava seu enorme sorriso, levantando-se da cama, indo para seu quarto, pelo menos descansar, enquanto nos, ficávamos cada um em seu quarto, voltado ao meu quarto novamente, me deitei, e olhei o teto, pensando, no que eles estariam indo fazer naquele pequeno beco, por onde passamos, mas a real pergunta que não se calava "Quem era aquele cara misterioso tampado por um manto preto ?", e sem perceber, acabei dormindo.

Quebra de tempo

Acordei com as palavras de minha prima, dizendo que nos já estávamos atrasados, foi quando olhei o despertador do quarto, e a janela tampada, que eu percebi que já era noite, no caso, seis e quarenta e nove, pulei da cama, e logo sai correndo atrás das roupas que eu iria usar, as pegando e vestindo calmamente, afinal, não queria colocar nenhuma calça, do lado do avesso, ou qualquer outra peça de roupa, logo eu já estava pronto, sai do meu quarto, descendo rapidamente as escadas, quase caindo ao chegar no meio dela, indo até a porta, onde minha prima pelo visto, esperava já brava, por toda essa demora.

- Primeiro, se quer que esse plano dê tudo certo, acorde, assim que lhe chamarmos, agora que está pronto, vamos, e veremos no que isso vai dar, afinal, ainda não estou muito confiante, de que tudo saíra bem. - A mesma falou brava acalmando-se ao chegar no final de sua fala, eu apenas suspirei, pensando se realmente iria dar certo, assim como a mesma havia falado, mas eu tinha confiança de que aqueles dois, iriam fazer com que ele se completasse, eu tenho fé, e sou louco por fazer isso, mas, essa é a única escolha.

- Não temos outro modo de mudar a opinião de dois adultos, que só querem os separar, pelo relacionamento rompido anos a atrás, ou você tem um plano melhor que não envolva, conversar cara a cara com eles, só espero, que eles mesmos, não avancem com intenção, de machuca-los, para os levar embora para sempre. - Falei, e logo senti um pequeno tapa em minha nuca, era minha prima, que ao olhar para ele, vi que a mesma dava um sorriso de confiança agora, e eu, de certo modo, me inspirei nele, já estávamos correndo nesse tempo de conversa, e por onde nos passávamos, estava bem movimentado, as ruas, cheias de pessoas, e os carros, eram poucos, comparado aos outros dias.

- Meu deus, hoje está cheio de gente na rua, então foi assim que você se esbarrou no pai do esverdeado, no meio de tanta gente, que estranho, esbarrar logo nele, sendo que tinha várias possibilidades de se esbarrar em outras pessoas, estranho isso ? - A mesma perguntou estranhando, enquanto de vez enquanto, tinha que parar, para esperar a pessoa passar, para então, ela mesma passar, logo já conseguíamos avistar o beco, ao qual nosso plano aconteceria, mas para nossa surpresa, ainda eram somente sete e duas da noite, mas, os pais e os dois filhos, já estavam de cara a cara, logo fomos nos escondendo, para que não nos vissem, e sem perceber, no local aonde nos escondemos, já estavam, Nami e Usopp, somente olhando aquela cena, logo paramos para ouvir, o que os mesmos, estavam a falar.

- Pai, eu decidi que queria vir para cá, não só para estudar na escola famosa que aqui tem, mas sim, porque aqui, era o único lugar aonde eu poderia rever aquela pessoa a que muito tempo atrás me apaixonei e fui separado, após ser levado por você, por isso, porque não percebe, o quanto eu sou diferente de você, nós dois ficaremos para sempre juntos, porque você não pode nos deixar ficar juntos ? - O loiro falou ao seu pai, que apenas se calou, com apenas um olhar, o loiro paralisou dando passos para trás, seu pai realmente parecia uma figura assustadora, que realmente colocaria medo até mesmo em seus próprios amigos, naquele momento, pensei que tudo iria por água baixo, e pelo visto, estava para ir mesmo.

- Eu Judge, pai e líder da nossa família, vim aqui pensando que você tinha desistido, e que voltaria para casa nesse exato momento, assim que eu colocasse os pés nesse lugar, mas parece que você ainda é muito novo e não sabe as consequências de seus atos, seus irmãos, são mais comportados do que você, seu ingrato !!! - O mesmo falou naquela hora, tais palavras, que agora, quando eu olhava para o rosto do loiro, eu conseguia ver a dor que ele estava sentindo enquanto ouvia aquelas palavras, e Zoro sem poder fazer nada, até que o pai do mesmo chegou, porém, ao invés de falar com os dois, o mesmo se virou ao Vinsmoke a sua frente.

- Desculpa, se eu me intrometer um pouquinho, mas, você não acha, que está sendo um pouco grosseiro com seu filho, eu não acredito no quanto você ainda continua igual, seu monstro, eu ainda não suporto ver a sua cara. - O pai do esverdeado, entrou logo em cena, provocando o outro, principalmente em relação ao próprio filho, naquele mesmo momento, apenas vimos, a cara irritada de um homem, se transformar em um ódio imensurável, ao qual, não sabia o que poderia vir a acontecer, apenas esperamos, quando em seguida o mesmo respondeu.

- Já chega dizendo isso, nem mesmo para dizer, a quanto tempo já faz que não nos vemos, sério mesmo, também, estou bem irritado com você, e ouvi-lo não é mais importante, do que levar meu filho para casa novamente, seu filho sempre foi e sempre será uma má influência para o meu, por isso tire ele de perto do mesmo, agora !!! - O pai do loiro, logo falou olhando diretamente nos olhos do outro pai, que apenas começou a ter uma expressão zangada se manifestando em seu rosto, os dois já estavam perto de se matarem ali, já estávamos pensando em ir impedi-los, mas foi quando, o loiro falou.

- Sei que vocês se odeiam, mas nos, não temos nada haver com o passado que foi deixado lá atrás a muito tempo, esse é o presente, esse somos nos, temos nossas próprias escolhas, nossos destinos, e diferente de vocês, não nos largaremos um do outro, nunca, isso eu posso apostar, por isso, nos deixem ficar juntos, afinal, nós nos... - Naquela mesma hora, o mesmo não pode terminar sua fala, quando sentiu os doces lábios do esverdeado na sua boca, a reação ou expressão dos dois pais nesse momento, não tinha uma explicação concreta, mas de certo modo, os dois estranharam tal ato cometido.

- Eu não imaginava que seu filho seria capaz de fazer isso no meu, por isso a linhagem Vinsmoke está manchada, porque aquilo que aconteceu no passado está para se repetir, e para que isso não aconteça, vou leva-lo a força embora, mesmo que você não queira, sou seu pai, e você deve me obedecer, ouviu garoto ? - O mesmo falou, quando foi impedido de se aproximar dos dois, pelo pai do esverdeado, que nesse momento, parecia mais confiante, e que acreditava que agora, mais do que nunca, talvez os dois, seriam diferentes da relação que os mesmos tiveram, logo vindo a falar.

- Eu vi algo neles, após se beijarem, que eu não sentia em você quando nós nos beijávamos, eu acho que de certa forma, o relacionamento que eles estão criando poderá ser até melhor do que o nosso já foi, eles ainda estão no primeiro já indo para o segundo degrau, mas sei, que eles conseguirão, chegar até o quinto e último, por isso, porque não vemos e acreditamos em nosso filhos dessa vez ? - O mesmo falou a Judge, logo percebendo que o mesmo se mantinha fixado nos olhos reluzentes do pai do esverdeado, e logo depois de alguns minutos com o silencio reinando o local, o mesmo decidiu se pronunciar, quebrando o silencio, que havia se formado.

- Faz tanto tempo, que não vejo esses olhos lindos brilharem, nem sei porque faço essas coisas, ou até mesmo penso nelas, como estou pensando agora, aqueles tempos lá atrás eram ótimos mesmo, eu te amava, mas aquelas mulheres foram a causa de nosso rompimento, acho que... Posso dar uma chance ao relacionamento dos dois. - O mesmo falou quando todos os dois, mais o pai do esverdeado ficaram mais felizes e confiantes de que, o futuro que os aguardava, agora seria somente para eles, e que aquele relacionamento, criado a partir de uma rixa entre pais, e um amor infantil, crio assas para se tornarem livres, a ficarem juntos.

- Obrigado por aceitar nosso namoro pai, eu prometo que dessa vez, a história que os dois tiveram, não irá se repetir, eu juro, afinal de contas, não seria capaz de me apaixonar por outra pessoa além dele, o meu único amor, deis do orfanato, anos atrás... - O loiro falou limpando as pequenas lágrimas que dele escorriam, assim como o esverdeado as fazia, com as lágrimas que de seu olho caiam no chão, tinha realmente acabado, uma rixa de anos atrás, um amor que agora será para sempre, logo nos levantamos indo até os mesmos, o que de certa forma, assustou os quatro de primeira, logo percebendo quem nos éramos.

- Não nos assustem desse jeito pessoal, mas eu quero saber.... Então vocês estiveram escondidos lá atrás durante essa conversa toda, e ouviram tudo que comentamos aqui, realmente vocês são os amigos mais loucos que eu já conheci até hoje !!! - O esverdeado falou, logo vindo a gargalhar, assim como nos, e lá atrás os dois pais, davam seus melhores sorrisos, para os dois, que agora tinham um relacionamento que nunca poderia ser quebrado, nem por ninguém, e nem por nada, logo o pai do esverdeado, veio a tossir chamando a atenção de todos, aos dois, que pareciam querer falar algo.

- Bem, eu e o Judge, queríamos que mesmo assim, vocês viessem morar, claro cada um com seu pai, em nossas casas, não se preocupem, compramos casas perto daqui, não muito longe, da onde os dois estudam, então, se aceitarem morar com agente... - Antes mesmo de terminar de falar, os dois, logo falaram "Claro que aceitamos !!!", e por fim, tudo havia sido resolvido, e nada tinha sido deixado para trás em branco, mas naquele mesmo momento, eu comecei a pensar em Chopper e no cara encapuzado, mesmo querendo os esquecer por completo, durante algum tempo, pelo visto, havia isso, ainda incompleto, e eu precisava resolver, porém, acho que não agora.

Logo que tudo tinha se resolvido, e a rixa, terminado, pelo menos, a parte de não quererem que os dois ficassem juntos, porque de certo modo, os dois na certa ainda se odeiam bastante, tudo começou a ficar mais tranquilo, já era noite, e eu me encontrava lendo novamente o livro que a muito tempo atrás eu não parava de ler e reler, incansavelmente, folhei as páginas que eu já havia lido, percebendo que eu já havia passado de um monte delas, pelo menos, umas trinta e cinco ou trinta e sete, logo chegando em uma nova, que ocorria, depois desse presente momento.

"Após passar por muitos desafios, e conseguir ajudar seus dois amigos, o garoto, começou a ter mias animo, mas no fundo, algo lhe incomodava, e era difícil de esquecer, o que isso era, ele não sabia mais, porque afinal, ele pediu para esquecer...", as últimas palavras lidas, antes do livro ser fechado, e colocado ao lado da cama, a luz que antes acessa estava, apagada era, a janela aberta, com a sombra das árvores, o barulho dos carros, e o som de tudo a sua volta, logo se fechava, e eu, apenas me deitava, sem perceber que já estava dormindo, pensando, no que poderia acontecer, no dia seguinte.

Continua...


Notas Finais


Estamos aqui no final mais uma vez, lembrando, já estamos no final dessa temporada, mais dois capítulos, o próximo já é penúltimo, tá triste, mas, lembrem-se, segunda temporada vai ocorrer aqui, então ainda não vai acabar, pelo menos, tão cedo, continuando, esse finalzinho, eu fiz, abrindo com o tema que vai acontecer muito na segunda, para a terceira, que é relacionada a Chopper e o cara encapuzado, mas os outros personagens também estão ganhando destaque agora, vamos ver o que acontece em seguida, nos veremos em um próximo capitulo, por isso aguardem, porque logo volto com o próximo, beijinhos nevados e abraços de panda kung fu, nos vemos até lá !!! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...