História O amor de uma Fada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 4
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Tentei encontrar a o mas parecido que eu imaginei.
Significados de nomes:
Nicolau D’ Levantis :Do grego: Nikólaos, Que vence com o povo. O sobrenome Leventis foi criado por mim que tem o "Levan" do 11 em inglês, sendo dois números repetido e que da a impressão de setas para cima.

Mery Yori:Variação do nome Mary.Do hebraico myriam ("vidente", "senhora soberana").Yori: Japonês: Dependência.

Benjamim: Significa "filho da felicidade", "filho da mão direita", "o bem-amado". (o sobrenome é o mesmo de Nico)

Lancelot: GUERREIRO DO REI ARTHUR. ( mão teno um sobrenome para lele a inda aceito sugues tao)

Capítulo 3 - Meu nome é Mery


Fanfic / Fanfiction O amor de uma Fada - Capítulo 3 - Meu nome é Mery

A garota ficou encarando o rapaz em sua frente, não sabia quem era, muito menos o que iria fazer com ela,estava com medo.

Ângelo se aproximou devagar da cama na qual a pequena garota se encontrava, quando chegou perto o suficiente agachou-se para tirar as algemas , esticou-o braço mas parou bruscamente. Ao notar que a garota se encolhia, ele recuou e falou com um tom baixo e doce.

_esta tudo bem, não vou te machucar--. falou transmitindo confiança--. Só quero te tirar daqui.

A menina encarou o garoto nos olhos e confirmou com a cabeça, permitindo que ele seguisse em frente no que estava fazendo.

Ângelo se aproximou devagar para não assusta-la, pegou as algemas nas mãos e com a outra chave destrancou-a, em seguida afastou-se da menina,estendendo a Mao para ele segurar.

--Este tubo bem. Venha--.convidou-a.

Com um pouco de medo pegou a mão, e moveu o corpo para sair da cama, mas ela estava fraca e acabou caindo para frente por causa do peso.

Ângelo a pegou antes que ela pudesse se machucar, vendo que ela não iria conseguir andar a pegou no colo, ela ficou parada não sabia o que aquele homem iria fazer com ela.

Ângelo, não querendo, mas ficar ali, saindo quarto, e desceu as escadas, avistando Benjamin rígido e Lancelot atento a qualquer movimento dos caçadores. Assim que viram o seu senhor, trataram de montarem guarda e se dirigiram a saída do local.

Ninguém se atrevia a entrar em seu caminho, não só apenas por causa dos dois homens que estavam armados, mas sim pelo homem que estava sendo escoltado e que agora carregava uma garota consigo. Pós todos sabiam de quem se tratava e não queriam vê-lo zangado.

Assim que os três homens saíram se dirigiram a seus cavalos, Ângelo tomou o máximo de cuidado com a menina ao colocar em cima do seu cavalo, assim que o fez montou no cavalo e partiu em direção ao castelo do Rei, com os cavaleiros logo atrás dele.

_________________********************___________________

Quando os cavalos atravessaram o portão do castelo os guardas foram em direção a eles, os três homens pararam os cavalos no pátio central.

Uma senhora com uma moça, quando os viram foram em direção para recebe-los.

Ângelo desceu do cavalo e com cuidado pegou a menina no colo, indo em direção à senhora e à jovem. A senhora vendo que os seu Senhor estava acompanhado por mais uma pessoa, ficou com medo, se perguntando o que tinha acontecido na caçada.

--Bem-vindo de volta, meu Senhor. —Comprimento curvando-se e a jovem que estava atrás dela a imitou olhando para a pequena grota que estava sendo carregada.

--Aconteceu algo Senhor?- questionou a senhora olhando para o jovem em sua frente.

--Sim, madame Salovar, preciso que a senhora prepare um quarto e roupas para ela. —entregou a garota para a senhora. — E chame o médico para ela, sim?

-- Sim meu senhor. Venha, vou cuidar de você. —Falou virando-se para a garota que apenas balançou a cabeça. Madame Salovar passou os braços em torno da menina e a guiou para dentro do castelo, com a sua aprendiz logo atrás.

Ângelo se virou para Lancelot e falou:

--Quero que escolha alguéns soldados para escoltar aqueles caçadores, quero que fale para eles não machucarem nenhum, que os levem até a próxima cidade e não os deixem desviar do caminho. —Começou a andar na direção contraria a qual levaram a menina, Benjamim e Lancelot o seguiam.

--Mas senhor, vai deixá-los simplesmente irem? —Questionou Lancelot.

--Claro que não, Sir Lancelot. Escreverei uma carta ao lorde Deike pedindo para prende-los, irei cumprir com a minha palavra de que eles não serão presos nessa terra, mas isso não se aplica na outra cidade. —Disso com um sorriso maroto no rosto.

Lancelot e Benjamin sorriram para o seu senhor. Sabiam que ele não iria deixar aqueles caçadores saírem impunes, afinal Ângelo era conhecido por ser um Rei justo, que defendia seu povo ou qualquer um que ele achasse digno de justiça.

_____________***********______________

 

Um homem de jaleco brancos de cabelos e olhos castanhos bem claros, e rosto jovial, apesar de ser bem mais velho do que aparentava, levantou-se e sorriu para a pequena menina em sua frante, a mesma ficava quieta todo esse tempo.

-- pronto.

O médico parrou a mão nos cabelos da menina em um gesto de carinho como recompensa por ser uma boa paciente. Se virou para a governanta do castelo e falou.

--Ela está um pouco desnutrida, de um pouco de comida leve e espere um pouco, não de muito de uma vez. Também passarei alguns remédios para ela, apenas para amenizar as dores. —disse pegando em sua bolsa alguns frascos de remédios. —Troque os curativos pelo menos duas vezes por dia e ela ficara boa rapidinho. —falou entregando os frasco para a senhora.

--Muito obrigada Dr. Cami. —Agradeceu fazendo uma pequena reverência.

-- Não foi nada. E você descanse e tome os remédios, está bem, criança?—disse se virando para a menina, sorrindo carinhosamente.

A pequena balançou a cabeça confirmando e virou-se para a porta do quarto, na mesma hora ela se abriu, Ângelo entrou no quarto, e foi em direção ao médico o cumprimentando.

-- Dr. Cami, como ela esta? —falou se virando a cabeça para olhar para a menina, que agora o encarava.

--Majestade. —comprimento fazendo uma reverencia.—Ela está bem, apenas alguns ferimentos nada muito sério, se cuidar bem se curara rápido.

Ângelo deu um sorriso de lado confirmando com a cabeça.

-- Muito obrigado dr.

--Sempre as suas ordens, se me der licença. -Falou fazendo uma reverencia e logo em seguida caminhou em direção a porta sendo acompanhado pela senhora.

Ângelo esperou que a porta se fecha e fica-se sozinho com a menina, aproximou-se devagar, sentando-se no chão em sua frente.

--Olá, me chamo Nicolau D’ Levantis. – apresentou-se para ela não se importando em colocar o “Rei” na gente do seu nome.

-- Você pode me falar o seu nome.

A menina apenas ficou o olhando sim falar nada.

-- Hum, se você não quiser...

--- Mery.- falou em um tom baixo.

-- Desculpe, não pude ouvir, pode repetir?

-- Meu nome é Mery.- falou com um tom doce e calmo.

Nicolau amou ouvir o som da sua voz, um sorriso mínimo brincou em seus lábios.

-- É um lindo nome, assim como você- falou a última parte sim ao menos pensar, assim que percebeu corou, “não, espera porque eu estou corando, não tem como eu estar atraído por ela, ela apenas é uma garotinha”. Balançou a cabeça na tentativa de esquecer o pensamento, quando retornou seu olhar a menina, percebeu que suas bochechas estavam levemente rosadas.

-- hum..., você possui um sobrenome ou família? Para que possa falar onde você esta?- perguntou olhando no olhos da menina.

--N-não Senhor- respondeu abaixando a cabeça.- Eu não tenho família e eu não seio meu sobrenome.

“Então ela é uma órfã. ”

-- Ok, se você quiser, pode ficar aqui. —Falou simplesmente.- E por favor não me chame de senhor, apenas de nico.

-- Sim Senh... Nico.- corrigiu-se quando ele levantou uma sobrancelha para ela. – E eu agradeço por ter me salvado e de deixar ficar aqui.

--Não precisa agradecer.- falou sorrindo para ela.- E não se preocupe, cuidaremos bem de você. Neguem irá fazer mal para você aqui, se precisar de algo fale comigo ou qualquer pessoa daqui, está bem?

-Sim.- falou abrindo um pequeno sorriso.

Nico achou a coisa mas lindo de todas.


Notas Finais


vocês devem esta se perguntando porque eu não falou seu sobrenome. E por que o sobrenome do Nico não é Ângelo. Bem isso vocês só vão descobrir mas para frente.

beijinhos congelados e a te a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...