História O Amor Depois Da Morte - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Divergente
Personagens Albert (Al), Andrew Prior, Beatrice "Tris" Prior, Caleb Prior, Cara, Christina, Eric, Ezekiel "Zeke" Pedrad, Jeanine Matthews, Lynn, Marcus Eaton, Max, Natalie Prior, Personagens Originais, Peter, Shauna, Tobias "Quatro" Eaton, Tori Wu, Uriah, Will
Exibições 24
Palavras 595
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voooolteeeeeiiii!!!!

Resolvi madrugar escrevendo mais um capítulo para vocês!!!!

Então...

Boa Leitura! 📖 ❤♥❤

Capítulo 2 - Vivo Estou!!!!


Fanfic / Fanfiction O Amor Depois Da Morte - Capítulo 2 - Vivo Estou!!!!

  P.O.V QUATRO

Meu nome é Quatro, tenho 18 anos e moro em Chicago. Mas daqui seis meses eu irei me mudar para uma mansão que eu comprei em New York. A corretora me disse que aquela casa era de um casal e de uma jovem, mas eles morreram à dois anos atrás.

  Neste exato momento, eu estou na escola. Sim...na escola. Estou no penúltimo ano escolar, graças à Deus! Não aguento mais ficar ouvindo os professores falando o dia todo!!!! Ainda bem que falta só mais um ano!!!!

  -Bom alunos, nós queremos fazer uma viagem de fim de ano para New York, mas não tem lugar para ficarmos- o professor de Física fala.- Então,  se algum de vocês souberem de um lugar para nós ficarmos, por favor me fale.

  -Professor! -O chamo e ele me dá permissão para falar.- Esse nós se refere a quem?

  -À essa turma. -Ele me responde.

  -Então... Eu tenho um lugar pra gente ficar- falo.- Mas quanto tempo a gente vai ficar lá?

  -Que ótimo! Nós vamos ficar lá seis meses. -ele responde - Os três meses das férias e mais três do ano letivo.

  -Então nós podemos ficar na sua casa, amor? -Nita pergunta.

  -Sim.-respondo seco.

  Nita era minha namorada, mas há dois anos atrás, ela me traiu com um garoto de New York. Ela sempre me pede desculpa e fala que foi um momento de fraqueza etc. Mas...se ela teve um "momento de fraqueza" uma vez, por que não teria outros?!

  -Ótimo! Vou falar com o diretor! Como hoje é o último dia de aula, vocês estão livres o resto dia!-o professor anuncia e sai da sala.

  Fico fuçando no meu celular e ignorando as tentativas da Nita de falar comigo. O professor volta e avisa que nós iremos no sábado, às 10:30.

  -Eai cara, você vai?- Pergunto à Zeke, meu melhor amigo.

  -Lógico que sim né cara! Meu irmão mora lá, vou poder zoar ele todo dia!- Ele me responde.

  -Mas da última vez que a gente foi lá ele tava todo desanimado... -Falo.

  -É que ele estava com saudade de uma amiga dele.- Zeke fala.

  -E por que ele não foi ver ela?- Pergunto.

  -Porque ela morreu.-Ele fala meio triste- Ela era uma garota legal, extrovertida, meio maluca e muitoooo gata!

  -Nossa! Você gostava dela?-Continuo fazendo perguntas.

  -Sim...ela era como uma irmã pra mim. -Ele fala com o olhar distante.- Uma irmã alguns meses mais nova...mas mesmo assim, uma irmã.

  [...]

  Estou arrumando minhas malas para ir.  Já vou deixar tudo pronto e empacotado, porque depois é só ligar para o caminhão de mudança e esperar eles levarem minhas coisas para lá.

  Quando eu sair, não posso esquecer de trancar bem o meu quarto, porque senão Marcus vai entrar no meu quarto e fuçar em tudo.

  Marcus é meu "pai" e... digamos que ele não é um bom exemplo de pai...nem de ser humano. Marcus me batia quando eu era pequeno, sempre que minha mãe não estava em casa. E quando ela estava, ele batia nela.

  Quando eu tinha 12 anos, minha mãe morreu. E desde então, Marcus foi mais violento comigo. Me batia todos os dias, me trancava no armário do corredor, me deixava horas ou até mesmo dias sem comer e ainda me dizia:

  "-Isso é para o seu bem, Tobias"

  Só depois que eu criei músculos e aprendi a me defender que ele perdeu a coragem de me enfrentar.

  Pois é. Esse sou eu. Tobias "Quatro" Eaton, órfão de mãe e com um passado desagradável. Popular, encreiqueiro e pegador. Sem amor, sem dor.


Notas Finais


Essa foi a apresentação do nosso Tubaias!!!! ❤♥❤

Se não estiver muito bom, sorry! Mas é que eu tô capengando de sono... Mesmo não sendo tão tarde ainda!

É só isso mesmo... Espero que tenham gostado do capítulo!

Bjos!!!! ❤♥❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...