História O Amor e o Poder - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Tags Alex Vause, Orange Is The New Black, Piper Chapman, Vauseman
Exibições 466
Palavras 3.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, FemmeSlash, Ficção, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem gente... Devido a tantos pedidos, eu resolvi convocar minha inspiração e durante a viagem que fiz essa semana para o sítio de minha família, consegui escrever este capítulo. Não ficou tão grande quanto eu gostaria, mas acho que ficou bem legal... Bem, é isso... Não tenho muito a dizer pq ainda não consigo raciocinar, acabei de chegar de viagem e estou exausta, preciso comer e dormir um pouco! Kkkkk'
Para o pessoal que comentou o último capítulo e eu ainda não respondi, acalmem-se que eu farei isso ainda hoje, estarei respondendo a todos. É que eu andei meio ocupada com umas coisas e esses dias no sítio me deixou sem internet pq lá não dá sinal! Rs'
Mil beijos para todos! ;-*
Aaaaaaaaaaah, já ia esquecendo... Nas notas finais tem indicação de fanfic nova !!!
Boa leitura a todos! <3

Capítulo 32 - Planos...


Fanfic / Fanfiction O Amor e o Poder - Capítulo 32 - Planos...

PIPER

 

- Anda Piper, me diz... O que é que eu não posso saber?

Eu sentia que estava fudida. Se eu contasse a Alex, iria arranjar um grande problema. Se eu não contasse, arranjaria outro maior ainda.

- Oi Alex, não sabia que você vinha! – Dei um sorriso nervoso e sem graça.

- Não vou trabalhar durante a semana, resolvi vir pra cá e te fazer uma surpresa mas parece que quem teve a surpresa foi eu, né... Então, não vai me dizer o que está escondendo de mim? – Alex estava fria, me deixando mais nervosa.

- Ela está decidida a ir para Nova York este final de semana para conversar com Larry. – Congelei quando ouvi aquela voz com sotaque russo falar ao chegar na sala.

- COMO É QUE É? – Alex gritou olhando para Red e depois para mim.

- E ela quer ir sozinha. – Red continuava a falar.

- Alex, eu... Eu... – Eu não sabia o que falar.

- PIPER, QUANDO QUE VOCÊ IA ME CONTAR? – Alex estava muito nervosa, eu sentia meu coração disparar. Estava começando a passar mal.

- Ela não ia. – Eu tava me ferrando cada vez mais.

- RED !!! – Gritei olhando pra ela.

- Se você não vai contar, eu vou. Você sabe que eu não acho certo. – Ela me falou e eu me sentia contra a parede.

- Ok, já chega! – Resolvi dar um basta. – Red por favor, me deixa sozinha com a Alex, nós precisamos conversar! – Pedi me sentando no sofá.

Red saiu nos deixando a sós. Alex estava séria, sentou de frente pra mim e cruzou as pernas, isso era um claro sinal de que ela estava mais puta da vida do que eu esperava.

- Então... O que você tem a me dizer? – Seu tom de voz era assustador.

- Al... – Fiz uma pausa para respirar. – O Larry me ligou hoje, ele parecia desesperado. Eu preciso resolver logo essa situação, mais pelo bem dele do que pelo meu. – Eu dizia calmamente.

- O que ele disse? – Ela se alterou.

- Ele pedia perdão, chorava e dizia que não queria ter atirado. – Estava tensa.

- E por que eu não podia saber? – Ela me perguntou, sobrancelha levantada, braços cruzados. Ela estava prestes a explodir.

- Porque eu sabia como você ficaria e... Quero ter essa conversa sozinha com ele. – Abaixei a cabeça.

- Sozinha você não vai! – Ela levantou.

- Alex, eu preciso! – Tentei esclarecer meu pensamento.

- Ele está totalmente desequilibrado! – Eu sabia que ela tinha razão.

- Sim, ele está! Mas se você for comigo, será bem pior! Alex, acredita em mim... Ele não fará nada. – Procuro convencê-la.

- Eu vou com você! – Alex decide.

- Não! – Sou direta.

- Então tá bom... – Minha namorada dá de ombros.

- Como assim? Não vai esbravejar e insistir? – Pergunto desconfiada.

- Não. Se você não quer que eu vá, eu não irei insistir. Quem sabe é você! – Ela parece muito tranquila e eu estranho.

- Então... – Eu fico desnorteada.

- Então, dou esse assunto por encerrado. – Alex pega sua bolsa. – Vou tomar um outro banho, te espero no quarto. – Ela me dá um beijo e sai.

Eu fico ali, sentada e sem saber que reação tomar. Eu esperava tudo de Alex, menos ela agir dessa forma, como se eu fosse na padaria da esquina. Estava tentando entender os fatos quando Red chegou sentando ao meu lado e tocou minha perna.

- Está tudo bem? – Ela me perguntou.

- Acho que sim, não sei... – Ainda olhava para o nada.

- Por que? – Ouvi me perguntar.

- Red, não se faça de tola... Eu sei que ouviu toda a conversa. – Me virei para ela.

- Não sou fuxiqueira... Mas ela não desistirá fácil... – Red ri de forma diferente.

- Sei não... Conheço ela mas não sei o que pensar... – Levanto.

- Então é melhor começar a tentar... – Red deu dois tapas em minha mão.

- É, pois é... – Respirei fundo – Vou para o quarto, Alex já deve ter saído do banho. – Após me despedir, reiteir-me.

Cheguei até o quarto e Alex estava com o notebook na mão, parecia concentrada. Usava uma regata branca, sem sutiã, um short curto e largo azul marinho. Cabelo amarrado em coque com um fio solto de cada lado do rosto, seu óculos de grau inseparável. Eu admirava tanta beleza enquanto permanecia parada na porta. Decidi me aproximar, eu não sabia muito o que falar ou como chegar, mas não podia agir como se nada tivesse acontecido.

- Está hesitante por que? – Ela falou sem sequer tirar os olhos da tela de seu notebook.

- Por nada. – Engatinhei na cama até chegar próxima a ela e notei várias pastas à sua volta– O que você está fazendo? – Perguntei curiosa enquanto olhava alguns papéis em mãos.

- Adiantando alguns relatórios para enviar amanhã para a Hill. Minha chefe me liberou do escritório essa semana mas isso não significa que eu não tenha que trabalhar e enviar os processos bem analisados junto aos seus relatórios dentro do prazo. – Ela explicava enquanto já desligava o notebook.

- E vai enviar por email? – Fiz mais uma pergunta curiosa.

- Os relatórios, sim. Os processos, talvez seja necessário um motoboy vir buscar. Ela tem que anexá-los. Para ela não se confundir, organizarei de acordo com a ordem de envio por email e então lhe passarei as informações.Você sabe como eu sou...  – Alex parecia tranquila, isso me assustava.

- É, eu sei... E também sei como se organiza  relatório de um processo. – Me ajeitei.

- Ciúmes? – Ela me olhou, arqueou a sobrancelha e deu um sorriso meio de lado do tipo quando quer insinuar algo.

- Não. Só acho que ela está te dando regalia demais. – Voltei ao meu lado da cama.

- Ciúmes. – Ela afirmou – Olha... Ela não está me dando regalias, hoje eu dei muito duro, trabalhei demais e senti dor. Ela só viu que eu não estava tão recuperada quanto eu disse e como eu uma excelente funcionária, decidiu aliviar o meu lado me dando essa espécie de folga. – Alex me encarou séria.

- Tudo bem... – Disse assim que fiz sinal de que queria deitar em seu peito fazendo-a deitar – Al... Sobre mais cedo... Eu só não quero causar mais confusão, por isso que quero ir sozinha falar com Larry em Nova York. Eu ia te contar... – Eu decidi tocar no assunto.

- Não, você não ia... Provavelmente, ia me deixar uma carta ou me ligar quando já estivesse em Nova York. Te conheço Chapman... Mas esquece isso, só quero que você se cuide. – Ela me respondeu e depois me deu um beijo.

- Tudo bem... – Falei em um fio de voz.

Eu deveria parecer tranquila quanto essa repentina compreensão dela, mas algo me dizia que estava bom demais para ser verdade. Essa não é a Alex que eu conheço e por isso, preciso ficar mais atenta. Depois de tantos pensamentos em silêncio enquanto Alex me fazia cafuné, acabei pegando no sono direto e em paz por estar nos braços de quem eu realmente amo.

 

ALEX

 

É, eu sei. Eu deveria explodir e me impôr por não querer que Piper vá sozinha ver o palerma do Larry, mas na verdade não ia adiantar e só ia deixar nós duas nervosas e ela ainda poderia passar mal devido ao seu atual estado de saúde. Então em meio a confusão me deu um estalo, uma idéia e foi por isso que eu pareci concordar com a decisão de Piper. Assim que ela adormeceu, dei um jeito de tirar ela de cima de mim com cuidado para não acordá-la, peguei meu notebook e fui até a sala. Olhei o relógio e vi que ainda dava tempo. Conversaria com Nicky.

Logo que a vi online mandei uma mensagem querendo saber se ela podia falar e assim que recebi sua resposta afirmando que sim, solicitei uma chamada de vídeo.

 

- Hey, rainha das sapatões, o que você manda? Já faz uma semana que não nos falamos! – Nicky atende toda animada.

- Estava com saudades, Nichole? – Zombo.

- Na verdade, só estava preocupada... Você não é do tipo que some, principalmente depois de me mandar uma sms dizendo que levou um tiro pelo ex-marido louco da outra, sem sequer explicar direito a história... – Minha amiga tentou fingir que estava nem aí.

- Okay... Eu vou contar, mas a versão resumida porque não aguento mais essa história. – Reviro os olhos mas antes vejo que ela faz um gesto com a cabeça concordando com o que eu digo – Eu estava com a Piper na sala conversando, ele chegou bêbado e então começamos a discutir, aí ele sacou uma arma e atirou em mim mas a bala pegou de raspão, só que a Piper inventou de partir pra cima dele tirar a arma e ele disparou na barriga dela. – Disse tudo de uma vez.

- Uau! – Nicky arregalou os olhos – Mas como ele sabia que você estaria lá? – Ela parecia curiosa.

- Semanas antes ele esteve na casa dela e nos flagrou na cama. – Expressei-me tentando me conter pois ao lembrar sua cara de idiota no dia, me dava vontade de rir.

- Uau... Quer dizer... Uau de novo! – Nicky parecia mais espantada agora – Você realmente sabe como enlouquecer alguém... Literalmente! – Percebi que suas chacotas iam começar.

- Foi maior correria e tudo mais... Mas ainda tem mais que você não sabe... – Me preparava para contar a novidade – Nessa confusão toda, entre os exames que os médicos fizeram pra descobrir onde a bala estava alojada, descobriram que Piper está grávida... Um pouco mais de dois meses... – Falei cautelosa, esperando por sua reação.

- Nossa Vause, seus dedos são poderosos mesmo... Devo te dar os parabéns?! – Ela debochou.

- Nicky, não tem graça... Você sabe que é do marido dela... – Disse séria.

- Sim, eu sei mas quis ser solidária... Só quis descontrair antes de perguntar o que você vai fazer... – Ela deu de ombros.

- Muito solidário de sua parte... – Dei um sorriso um pouco hostil – Eu to feliz, vi a primeira ultrassom, uma manchinha redonda, apelidei de cookie. – Ri alegre ao lembrar.

- Opa, opa, opa... Pode parando por aí, conheço essa cara abobalhada, você não está pensando em criar esse garoto, né? – Nicky resolveu dar uma de amiga preocupada.

- Se for necessário, por quê não? – Perguntei.

- PORQUÊ ELA É CASADA, ALEX! PIPER VAI CONTAR AO PANACA, OS DOIS VÃO VOLTAR E SER UMA FAMÍLIA FELIZ À ESPERA DE SEU PRIMEIRO PIRRALHO !!! – Ela gritava.

- Não grita! Piper está dormindo no quarto aqui perto! – Pedi – Ela não vai voltar pra ele... Ela disse que esse final de semana vai à Nova York pra conversar com ele sobre o divórcio e contar sobre o bebê. – Falei confiante.

- E você acha mesmo que ele não vai convencer ela de eles criarem essa criança juntos? Vause, esse seu amor por ela está te deixando cega mesmo... – Nicky desdenhou.

- Ai cala a boca, Nicky! Piper mudou, não acho que ela fará isso... – Usei de minha sinceridade – Mas eu quero te pedir um favor. – Tentei firmar um semblante sério.

- Eu não vou seguir ela e nem tentar escutar a conversa dela com o cara, já aviso logo! – Ela logo se pronunciou.

- Não é isso, quer dizer, mais ou menos, eu vou te explicar... – Respirei fundo – Ela acha que eu aceitei bem o fato dela não querer que eu vá com ela, mas eu não vou deixar ela ir com esse louco. – Fiz uma pausa – Ouvi ela falando com Carl quando eu cheguei e descobri dessa viagem. Eu preciso que você dê um jeito de descobrir se ele sabe qual será o vôo dela e que horas, com certeza ele deve ir buscá-la no aeroporto então deve ficar avisado sobre esses detalhes. – Expliquei.

- Ah não Alex, eu não vou dar uma de Alex Munday em As Panteras! – Minha amiga reclamou.

- Você está mais para a desastrada da Natalie Cook... – Zombei – Por favor, vai! – Fingi implorar.

- Pode ser, ela também é gostosa... Mas porra, por quê você só me mete em furada?! – Sinto que isso é um sim de sua parte.

- Valeu Nicky, sabia que você ia me ajudar! – Fiquei feliz – Eu só preciso que você fique de olho, não deve ser tão difícil, você trabalha na mesma sala que ele! – Voltei ao meu tom normal.

- Tá bom, vou ver o que consigo pra você... Mas por favor, não me mete em confusão! – Ela me pediu.

- Pode deixar leãozinho... – Sorri.

- Cara, você é péssima com apelidos... – Ela revira os olhos.

- Sempre te chamei assim, pra te irritar... – Falei debochando.

- Mas cookie... É péssimo para um bebê, eu prefiro e.t... – Ela começou a rir.

-Mas a Piper gostou... – Afirmei.

- Claro, ela é sua... O que vocês são mesmo? – Nicky parecia em dúvida.

- Namorada. Ela me pediu em namoro há alguns dias depois que... Bem, enfim... – Tentei não entrar em detalhes.

- Depois que treparam, devo deduzir... Nossa, o que uns orgasmos não são capazes de fazer... – Nicky foi sarcástica.

- Cala a boca, imbecil! – Fiz uma cara diferente.

- Vou reformular... Vocês fizeram amor e então ela muito satisfeita e sensível pela gravidez recente, te pediu em namoro. – Nicky estava sendo idiota e eu só revirei os olhos.

- Isso. – Fui mossilábica – Ai, mas ela está tão linda, mais do que já é, sabe... Na próxima semana, ela tira os pontos e também fará uma ultra e eu vou com ela... – Me senti sorrindo feito boba.

- Já sei, o tal brilho das grávidas... Cara, você está a cada dia mais gay depois que voltou para a Piper... – Ouvi quieta – Mas eu quero saber... É verdade todo esse lance de apetite sexual das grávidas? – A Nicky pervertida estava aparecendo.

- Credo Nicky! – Fingi espanto.

- O que? Tenho curiosidade, ué... Nunca transei com uma grávida, pelo menos não que eu saiba, e espero que Lorna não venha com essa idéia nem tão cedo! – Ri de tamanha cara de pau.

- Eu juro que não vou falar de minha vida sexual com a Piper pra você! – Digo ainda entre risos.

- Ah, qual é Alex! É só dizer sim ou não... Eu não to afim de saber detalhes! Não quero imaginar ela em cima de você feito louca! – Ela brinca.

- Tá legal... Sim, é diferente... Mas para mim não tem nada a ver com apetite sexual e sim, a admiração por ela, por sua beleza. Ela fica cada dia mais linda e radiante... – Mais uma vez abro um sorriso bobo.

- GAY !!! – Ela disse um pouco mais alto, zombando – Cadê aquela sapatão que eu conheci, que comia geral? – É divertido a forma com que ela fala.

- Deu lugar a uma mulher madura, responsável e apaixonada... E agora boba com esse bebê que está a caminho... – Falo com orgulho.

- Eca! – Nicky faz cara de nojo.

- Como se você não estivesse assim pela Lorna. – Jogo na cara dela o maior fato de todos.

- Pode ser, só tem duas diferenças aí... Uma é que eu não fico com essa cara de idiota e falando pra todo mundo, e a outra é que Lorna não está esperando um bebê... – Ela fala com uma voz de tédio.

- Que seja... Não me importo, esse bebê é um pedaço da Piper e eu vou ajudar ela, vou amá-lo como a amo, na verdade acho que já amo esse garotão... – Novamente me sinto boba ao falar.

- Ajudar? Amar? Garotão? – De novo Nicky parece confusa – Alex, sério, esse bebê não é seu, ele não é responsabilidade sua... Você está se apegando demais... – Sua voz adquiria um tom mais sério.

- Sim, eu já me apeguei e acho sim que é responsabilidade minha... Mude a visão dos fatos... Se eu e ela não tivesse nos reencontrado, ela estaria com o Larry e logo, ela não teria sido baleada por querer tomar a arma dele depois de eu quase ser acertada diretamente, ou seja, tenho uma parcela de culpa nisso tudo sim... – Tento justificar – Eu já disse, vou ajudar ela com o bebê principalmente durante a gestação... Disse a ela que se o panaca lá não quiser assumir, eu dou meu sobrenome a ele. – Termino de falar firmemente.

- DAR SEU SOBRENOME? VOCÊ ENLOUQUECEU, MULHER? – Ela grita – Não tente arranjar desculpas para se culpar... Definitivamente Boston não vem te fazendo bem não... – Nicky solta um comentário.

- Nicky, eu não estou buscando me culpar e estou mais lúcida do que nunca... Pela Piper e pelo bebê, eu sou capaz disso sim e se quer saber, sou capaz de muito mais... – Me firmei mais ainda.

- Você está apaixonada mesmo... Ou então ela que é muito gostosa, se é que me entende! – Agora minha amiga parece rir.

- Cala a boca, Nichols! – Mando em tom de descontração.

- Bom, você que sabe... Mas eu ainda acho loucura! – Ela dá sua opinião.

- Você fala assim, mas se fosse sua namorada você faria o mesmo! – Afirmo.

- Faria não! – Ela contradiz.

- Faria sim! – Insisto.

- Ok, talvez eu pensaria na possibilidade de fazer... – Ela muda de idéia, sabia que era o mais próximo de um sim que eu conseguiria dela.

- E acabaria fazendo... – Eu finalizo e ela fica sem palavras – Eu já tinha esquecido... Posso ficar na sua casa quando eu for a Nova York esse final de semana? – Pergunto.

- Você tem o dom de mudar o assunto da conversa tão rapidamente... – Eu concordo – Mas claro que sim, Lorna não irá se importar e mi casa és su casa! – Não consigo segurar minha vontade de gargalhar com a sua tentativa de falar espanhol.

- Obrigada! – Respondo assim que eu consigo me recuperar – Não vou deixar ela ir sozinha... Ela disse que ele ligou hoje desesperado, está na cara que ele é um desequilibrado ou ele não teria aparecido com uma arma carregada e bêbado... – Inspirei e expirei o ar – Sei lá, depois desse tiro eu não duvido de mais nada vindo dele e não quero dar sorte para o azar... – Retiro o óculos e passo a mão por meu rosto.

- Olha, confesso que até eu fiquei surpresa com esse surto dele mas também, ver a mulher tendo orgasmos proporcionados por outra mulher na cama que seria dele... – Nicky faz uma pausa quando eu a olho séria – Você está certa, ele pode cometer uma loucura, vai saber... – Me surpreendo quando ela me dá razão.

- Pois é... Olha, preciso ir agora, não quero que Piper acorde e dê falta por mim no quarto, ela pode precisar de algo... Alem do mais, eu amanhã tenho faculdade e a tarde um monte de relatório pra fazer e enviar para minha chefe por email, não vou essa semana ao escritório mas preciso entregar tudo a tempo... Cara, ainda bem que faltam só 3 meses pra eu me formar! – Explico e desabafo ao mesmo tempo.

- Queria que Carl me deixasse fazer os relatórios também, mas não vou ficar com inveja porque seu braço ainda ta aí ferrado... Mas olha eu também já não estou aguentando, sabe que me formo nesse tempo também, por isso que te entendo... Na verdade acho que um mês depois ainda porque tive que refazer uma disciplina... – Nicky também parece desabafar a pressão – Mas vai lá boba apaixonada, nos falamos outra hora! – Ela caçoa de mim.

- Nicky, por favor, não esquece do que eu te pedi! – Relembro.

- Pode deixar, vou tentar ver o que consigo descobrir dessa viagem dela! – Nicky finge se entediar – Agora vai logo dormir antes que a patroa acorde reclamando! – Só pra variar, ela usa de seu sarcasmo – Tchau! – E se despede.

- Obrigada... Tchau leãozinho! – Agora sou eu que caçôo dela.

- Vai se fuder Vause! – E é assim que ela me responde antes de encerrar a chamada.

Logo depois que desligo o notebook, me levanto e me assusto ao dar de cara com Red parada no portal que dá acesso a cozinha.

- Sabia que não ia desistir fácil. – Ela me diz sorrindo.

- Que susto, Red... Não sei do que você está falando! – Tento desconversar.

- E eu vou fingir que Papai Noel existe... – Ela soa irônica – Me desculpe pelo susto... – Depois se desculpa.

- Tudo bem... Olha, eu não vou deixar ela ir sozinha, não por ciúmes mas porquê eu não confio nele... – Vendo que eu não tenho escapatória, tento expôr meu ponto de vista.

- Eu concordo com você... Não deixe ela ir sozinha, mesmo que isso faça ela ficar contrariada. – Seu tom compreensivo me deixa mais aliviada – Pode ficar tranquila que eu não direi nada a Piper. – Red se prontifica a guardar segredo.

- Obrigada! – Sorrio

- De nada. Agora vá dormir, provavelmente Piper já deve estar se revirando na cama sentindo sua falta. – A senhora que já considero minha amiga, me aconselha.

- Vou sim... Boa noite, Red! – Me despeço.

- Boa noite! – Ela diz e em seguida eu me retiro.

Chego no quarto e percebo que realmente Piper se move bastante, tento me acomodar sem que ela acorde mas é em vão, logo ouço ela me chamar.

- Alex... Ainda não dormiu? – Ela me pergunta.

- Sim baby, eu só levantei para ir ao banheiro. Volte a dormir, está tarde já! – Respondo abraçando-a.

- Tudo bem... Eu te amo! – Ela diz e se ajeita em meu peito.

- Eu também meu amor! – Respondo e lhe dou um beijo.

Não demoro a pegar no sono, o cansaço me vence sem ter que lutar muito para isso. Mas eu durmo com a consciência de que estou fazendo a coisa certa para proteger a mulher que eu amo e essa nova vida que ela gera e que já é especial pra mim.


Notas Finais


Bem galera, é isso... Espero que tenham curtido!
Antes de indicar a fanfic, gostaria de agradecer e dar as boas-vindas novamente para a galera que entrou no grupo de whatsapp para leitores de fanfics OITNB através do link que eu disponibilizei no último capítulo. Para quem ainda não entrou e deseja participar, é só ir até as notas finais do último capítulo. Lembrando que tem que ser maior de 16 anos e assim que entrar, se apresentar com nome, idade, dizer de onde é e se desejar, pode mandar foto e dizer estado civil e orientação sexual. Nós do grupo não possuímos preconceito com ninguém! Rs' Tbm lembrando que é necessário interagir sempre que possível, pois membros "fantasmas" nós excluímos. Bem, agora eu vou me calar! Kkk

A fanfic que irei indicar é Um Sonho de Vause. Ela é escrita pela excelente autora e minha amiga querida e amada, Mel, ou para os leitores, ~Touche. Ela é autora de fanfics vauseman como Em Seu Lugar e Uma Cowgirl em Minha Vida (sou fã dela!). Começou recentemente é já parece ser ótima, como sempre! Imaginem, Alex toda poderosa e toda interessada na babá de seu filho, Piper! Kkkkk'
Deixarei o link aqui para quem quiser conferir, vale muito a pena! Rs'
Link: https://spiritfanfics.com/historia/um-sonho-de-vause-7071842

Vou descansar da viagem! Hehe'
Até breve, bjs! ;-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...