História O amor é um jogo, quer brincar? - 02 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Aspen Leger, Celeste Newsome, Lucy, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave
Tags Amexon, Asperica, Romance
Exibições 196
Palavras 1.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente, não me matem por favor😂😂
Tenho uma explicação pelas minhas promessas não cumpridas
Bom, o Spirit tava com uma palhaçada muito grande de não colocar os parágrafos quando postados pelo celular, então eu esperei pra postar pelo pc. Mas aí, o pc tava num carro que não tava na garagem de casa, ou seja, não deu pra postar mesmo
Espero que me perdoem😂😂
E, bom, esse capítulo é dedicado a uma pessoinha que tá bem animada pra essa fic
@Ma8du esse capítulo vai pra você❤
Espero que gostem, amores

Capítulo 2 - Um salve para o ex


- Eu não vou ter calma! - Quase grito.

Celeste revira os olhos e prende seu cabelo em um coque, provavelmente cansada de tentar me acalmar. Marlee e Celeste tinham me puxado para dentro de casa, longe daquele babaca.

- Olha, a gente sabe do que aconteceu entre vocês dois, mas isso já faz 5 anos! O que passou, passou, Meri. - Marlee fala calmamente, olhando para seus pés.

Por um momento penso que ela está pensando no seu namorico com Aspen. Em pensar nele, o vejo surgindo atrás da loira.

- Ei, tá tudo bem?

Não queria que ele me visse assim por causa de outro homem. Mas tinha um lado bom na nossa relação: a nossa amizade nunca acabou. Pouquíssimas pessoas sabiam que nós éramos namorados, só os mais próximos. O restante pensava que éramos melhores amigos.

Afundo a minha cabeça no seu ombro, sentindo o cheiro do seu perfume.

- Está sim, foi só o momento.

Dou uma olhada para Marlee e Celeste, pedindo silenciosamente para elas saírem. Marlee hesita um pouco, mas logo sai.

- Me desculpa. - Peço, levantando a minha cabeça. Ele dá um beijo na minha testa.

- Não precisa de desculpar. Você sabe disso.

Suspiro, me afastando do seu corpo. Dou um sorriso tímido, e me lembro o que me trouxe aqui.

Eu ia conhecer minha nova irmã. E não ia deixar com que meu ex atrapalhasse isso.

- Vamos voltar? - Pego na não de Aspen. Não esperando a sua resposta, voltamos para o jardim juntos.

Uma das meninas que eu não conhecia ficou me encarando feio. Não liguei, e estampei um sorriso de orelha a orelha.

Maxon estava ao lado da garota, e agora que eu percebo um braço em volta do pescoço da garota.

Que palhaçada é essa?

- Tá tudo bem, filha? - Me sento ao lado da minha mãe, que começa a sussurrar pra mim. - Depois eu te explico tudo o que tá acontecendo, okay? Tenta aproveitar agora, a Gina deve...

De repente, vejo uma menina com cabelos loiros escuros abraçar a minha mãe por trás. A mesma abre um sorriso enorme, então suponho que seja a minha irmã.

Dou uma olhada pelo canto de olho em direção a Maxon. E eu estava certa, uma das garotas estava o beijando loucamente.

Meu Deus, será que eles não tem consciência que tem criança por perto?

– Essa é a minha irmã, mamãe? – Me olha a loirinha, com um sorriso sapeca. Foi impossível não sorrir com o ato.

– Sim, filha, é a sua irmãzinha.

Mamãe também sorria, e muito. Abro meus braços, trazendo Gina para os meus braços.

– Olá, Gi. – Sussurro no seu ouvido, escutando a sua risada no meu pé de ouvido. – Senta aqui, vem.

Bato nas minhas pernas, dando um sinal pra ela se sentar. E é o que Gina faz.

– Você vai me dar conselhos de namorados? – Me surpreendo pela sua pergunta, e olho para minha mãe, que está achando a situação engraçada.

– Eu não sou uma das melhores pessoas pra isso. – Não evito de dar uma risada também.

Sinto alguns olhares queimarem em cima de mim, mas ignoro. Achei estranho todo mundo estar conversando uns com os outros, e Maxon e sua suposta namorada não. Ele parece que tá em outro mundo.

(...)

– Como foi lá? – Pergunto para Aspen, assim que ele entra no quarto. Ele tinha ido visitar os pais logo após o churrasco, dizendo que voltaria de noite.

Dou um selinho rápido nele e continuo a organizar as minhas roupas.

– Matei a saudade de todo mundo. – Eu não estava o vendo, mas sabia que estava sorrindo. — Sabe, mudou muita coisa nesse meio tempo que passamos fora.

– Eu sei.

Solto um suspiro.Sinto seus braços me envolverem. Os braços de Aspen eram muito reconfortantes.

– A gente pode falar disso depois. – Sussurra. – Que tal um banho agora? Eu e você?

Suas mãos pousam nos meus ombros. Um banho com ele seria bem relaxante, mas não esqueço do que eu e as meninas marcamos mais cedo.

– Desculpa, mas agora não posso. Prometi sair com Celeste e Marlee.

– E posso saber para onde vocês vão?

Ele deposita um beijo no meu pescoço. Se Aspen quer me enlouquecer, ele está conseguindo.

Mas se não fosse pela Gina entrando igual a um furacão no quarto, eu cairia na sua tentação. Me deparei rápido demais de Aspen, rezando para que Gina não tivesse percebido o que estava prestes a acontecer.

A sua cabeleira loira estava um pouco bagunçada. Acho que ela estava correndo.

– As meninas já chegaram. – A sua respiração estava bem ofegante. É, com certeza ela tava aprontando.

E antes de que eu possa falar alguma coisa, Gina corre para fora. Com quem ela estaria brincando uma hora dessas?

– Bom, eu vou descer. – Coloco minhas mãos nas bochechas de Aspen e roço nossas bocas.

– Eu vou cobrar mais tarde, tudo bem?

Dou um tapa de leve no seu braço, rindo. Ele decidiu tomar um banho, e enquanto isso eu desço as escadas.

Eu ainda não parava de sentir uma nostalgia disso tudo.

– Pensava que tinha morrido lá em cima! – Marlee cruza os braços, estreitando os olhos.

– Não enche.

– Vamos logo, America! Não temos a noite inteira para nós. Ainda bem que amanhã é domingo.

Celeste sussurra a última parte, já me puxando para fora de casa. Já tinha avisado para meus pais que ia sair com as meninas, então não me preocupo de avisa-los de novo.

– O que vamos fazer? – Indago.

– Bom, já que você voltou e teve aquela imagem desnecessária de Maxon na sua frente, decidimos fazer algo diferente para nós. – Celeste explica.

Entro dentro do carro de alguma das meninas, no banco de trás. Ainda não entendi o que nós vamos fazer.

– Tá, e o que é que tem?

– Vamos sair pra tomar uma. Só isso. – Marlee estava radiante.

Acho que fazia um bom tempo que ela não saía assim. Mas, espera...

– Aspen não gostaria disso. E garanto que Elise também não.

Celeste tinha me apresentado a sua companheira depois daquela pequena discussão. E, sim, uma namorada. Eu não sabia da bissexualidade dela, não sabia mesmo. Mas estava feliz por ela.

Eu quase caí pra trás quando soube disso. Celeste, a que pegava todos os garotos?

– Eles não precisam saber, Meri. Vamos fazer um salve para os nossos ex's hoje.

– O quê?

Dei risada do que Marlee tinha acabado de falar. Só elas mesmo...

– Nada de contar a ninguém, okay? Só vai ficar entre a gente.

Reviro os olhos e me encosto no banco. É, se for assim do jeito que elas estão falando, a noite vai ser longa.

(...)

Viro o copo de novo, saboreando aquele gosto amargo na minha garganta.

– Para Maxon. – Digo e sorrio.

As meninas e algumas pessoas, que fizemos amizade aqui no bar, riem. É impossível não estar feliz.

– Vou no banheiro, já volto.

Me levanto e sinto uma leve tontura. Meu Deus, vem comigo e não me deixar cair.

Rio desse pensamento, já me direcionando até o banheiro. Qual será o masculino e feminino? A minha visão estava um pouco embaçada, por isso não conseguia ver.

Não tem a mínima ideia como Aspen vai reagir depois que descobrir isso. Se descobrir.

Adentro em um banheiro que julgo ser feminino. Não tem ninguém dentro, mas também não me preocupo.

Entro dentro de um dos boxes não demora pra fazer minhas necessidades. Eu realmente tava bem apertada. Também, depois de tá tos goles de bebida.

Vou até a pia e lavo minhas mãos, depois abaixo minha cabeça e molho meu rosto.

A sensação era tão gostosa.

Levanto a minha cabeça e pego um papel para me enxugar.

– Eu mereço um brinde?

Me assusto quando escuto uma voz grave atrás de mim. Qual é o garoto que entra no banheiro feminino?

Olho através do espelho o pervertido. Só podia ser ele.

– Olha só quem apareceu depois de anos, não é Maxon? 


Notas Finais


Tenho uma história super hiper mega bombástica pra indicar pra vocês
Esse aqui é o link: https://spiritfanfics.com/historia/teen-madness-7063070
SIMPLESMENTE É MUITO BOA, E AUTORA É MUITO LINDINHA❤😂
Até mais, bolinhos🍃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...