História O amor é um mar de horrores ou rosas? - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Homossexual, Lemon, Romance
Exibições 234
Palavras 1.254
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi, trago mais um cap xD
~~ LOKA ~~
sqn.
enfim, boa leitura pra vocês!
Desculpe se tiver algum erro ortográfico!
kisu ;33
.NA [FN] SERÁ ESCRITO QUEM É ESTA MENINA DA FOTO

Capítulo 8 - Cap VIII- O Acidente


Fanfic / Fanfiction O amor é um mar de horrores ou rosas? - Capítulo 8 - Cap VIII- O Acidente

 

-- Cap Anterior –

 

- Ethan.

- S-Sim?

- Eu...

 

-- Cap Atual –

 

- Eu... quero que seja meu amigo.

 

Ethan P.v.o

Então quer dizer que ele quer quer mandar em mim? Não, isso é algo improvável mas tem chance de isso acontecer. Bem, eu não sei o que realmente sinto por ele mas acho que deve ser amizade, talvez. Provavelmente, James deve sentir o mesmo então por isso ele quer ser meu amigo. Vou aceitar porque se eu recusar, com certeza vou me arrepender pelo resto da minha vida, eu acho.

 

- Também quero.

 

- Ótimo. - sorriu ele, mas não foi cínico. 

 

Senti minhas pálpebras pesar e meu corpo ficar cansado então adormeci em seguida.

 

James P.v.o

Ethan aceitou... achei que fosse ser mais difícil, será que estará tudo bem agora entre mim e ele? Pra ele poderia ter sido mais fácil e pra mim um sacrifício só pra pedir um pedido de amizade pacífica. Melhor eu dormir, amanhã é sábado então não vai ter aula e posso muito bem melhorar as coisas amanhã, farei questão de prestar mais atenção a ele.

 

AM 9:00

 

Acordei com um cansaço de matar mas quando olhei pro lado, estava Ethan dormindo com uma expressão serena. Estava tão lindo e perfeito, não sei como puder pedir a amizade só agora? Como não pude perceber que era amor de amizade até agora?

 

Ethan P.v.o

 

Acordo com um pouco de dor de cabeça mas nada que não pudesse aguentar, olhei pro lado e James não estava, apenas um bilhete.

 

" Ethan, bom dia.

 

 Fui sair e já volto, aproveitando pra comprar o café da manhã

 

 Volto logo.

 

 James. "

 

- Acho que James deve ter um por aqui... – falei enquanto eu revirava o armário dele, James não deve se importar se eu usar emprestado. - Achei.

 

James P.v.o

 

Cheguei no quarto da minha mãe e estava meu futuro padrasto do lado dela a fazendo rir como nunca junto a um livro do lado dela, não queria interromper esse momento então fiquei fora da sala esperando o doutor sair. Fui no banheiro pra lavar e mão e sequei, voltei pro quarto e estava minha mãe lendo um livro que provavelmente tenha ganhado do doutor agora a pouco.

- Mãe?

- Oi meu filho. - sorriu ela, deixando o livro de lado. - Se senta, pelo que percebo quer falar comigo.

- Sim... - falei me sentando na poltrona ao seu lado.

- Me diga.

- Então...sabe o Ethan? - ela assentiu. - Então... eu não sabia o que realmente sentia por ele e descobri ontem.

- Sério? - sorriu minha mãe.

- Sim, é amizade.

- A-Amizade? - ela desfez o sorriso.

- Não está feliz por mim mãe?

- Não é isso, é que acho que você confundiu.

- Como assim confundi?

- Não é apenas amizade, você não sente que tem algo mais profundo que isso?

- Não, acho que é amizade mesmo.

- Então vou te dar uma forcinha... amigos se beijam? 

- Amigos... se... beijam? - repito a pergunta mas pra mim mesmo.

- Descubra meu bem e posso te garantir que não é amizade muito menos colorida.

- Está bem, vou me esforçar. - falei me levantando, beijando a bochecha da minha mãe e acenei pra ela quando estava saindo do quarto.

 

Ethan P.v.o

 

Estava nas minhas mensagens pelo notebook e vi duas mensagem da minha mãe.

 

" Oi meu filho, não sabe o quanto estou feliz.” - li mentalmente.

 

“Espero que seja algo importante, ela sempre está feliz por qualquer coisa.” – pensei mentalmente.

 

“Seu pai não está me traindo, ele estava me evitando. Não sei o que dava nele mas agora descobri que foi porque escondia o meu presente de aniversário de casamento!”- li mentalmente.

 

“Finalmente foi entregue, espero que ele tenha feito nada de errado. Afinal, ele sempre erra o gosto da minha mãe quando está desesperado então compra qualquer coisa.”- pensei mentalmente.

 

“Sabe o que eu ganhei? Sabe o que eu ganhei? Não vou dizer mas saiba que estou totalmente feliz! Mas... ainda quer saber o que eu ganhei?” – li mentalmente.

 

“Quanto mistério, diga logo... ou melhor esteja escrito. Tanto suspense por causa de um mero presente? Contanto que a faça feliz.” – pensei mentalmente.

 

“Ganhei vários vinhos antigos e da melhor qualidade, como dizem: quanto mais velho o vinho, melhor o sabor!” – li mentalmente.

 

“Como pensei, meu pai comprou qualquer coisa. Mas ao menos não foi liquidação de sabonete, vassoura ou pratos. Realmente, ele se superou desta vez e acertou em cheio. Minha mãe ama vinho e não importa de qual país, ela ,literalmente, ama.” – pensei mentalmente.

 

“Estou muito grata por ser conselho, estava muito desconfiada mas agora esta tudo bem. Espero ansiosa para quando você for nos visitar, ah. Acabamos de nos mudar, sabe?” – li mentalmente.

 

“ De novo eles se mudaram? Eles não cansam de comprar casas, em pouco tempo teremos muitos territórios e não será boa coisa.” – pensei mentalmente.

 

“Quero que escreva mais, tenho certeza que está se divertindo e não fala nada. Me conte!” – li mentalmente.

 

“Ela é apressada mas vou fazer este favor pra ela.” – pensei mentalmente.

 

“ Com amor,

Mamãe. ” – li mentalmente.

 

“ Final clichê mas ela ainda é a minha mãe que me mima demais.” – pensei mentalmente.

 

Abri outra mensagem dela.

 

“ Oi, visitei sua amiga a Lindsay no hospital. Ela sempre está perguntando como você está.

Por quê não escreve pra ela também? Vocês sempre foram muito chegados, por quê não estão se dando bem agora? ” – li mentalmente.

 

“ Droga. Por quê ela foi visitar a Lindsay? ” – pensei mentalmente.

 

Flash back On – 2 anos atrás

Lindsay não parava de falar, ela era uma arara muito falante que dava nos nervos. Como ela consegue falar sem respirar por cada cinco minutos?

- Lindsay, chega.

- Desculpe... é que estou tão cansada...- disse ela colocando sua cabeça no meu ombro e encostando os seios no meu braço. Ela não cansa de agir como puta perto de mim?

- Cansada de movimentar ou falar?

- Movimentar...

- Mas você está aqui sentado faz duas horas.

- Você não entende nada sobre mulher, não é mesmo? – sorriu ela maliciosa.

Ela começou a sentar por cima da minha perna e chegou a rebolar no meu membro, não... ela não está fazendo isso.

- L-Lindsay, pare com isso.- tentei afastá-la mas ela logo voltava então me levantei e sai correndo.

Entrei no meu quarto e tranquei a porta, Lindsay não parar de chutar a porta.

- Ethan, eu sempre te amei desde criança! Não pode me rejeitar, não agora que estou disposta a te fazer gostar de mim!

- Não gosto de você e nunca vou gostar, está ouvindo?

- Não, isso é inaceitável! Todos os garotos da escola me ama, por que você não?

- Porque não gosto de putas como você!

- Ethan , está com ciume só porque sou mais bonita que você!

- Isso não conta! Minha beleza pra mim não importa e sim o caráter!

- Ethan, eu te odeio! – disse ela por fim e saiu correndo pela escada.

- LINDSAY!!!!!!!!!!- gritou a minha mãe lá de baixo, não acredito...

Flash back Off


Notas Finais


curiosos(as)? bom saber xD bora esperar o próximo cap?
( quem é? quem imaginou que seria acertou - Lindsay. )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...