História O amor é um mar de horrores ou rosas? - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Homossexual, Lemon, Romance
Exibições 103
Palavras 1.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpe a demora!
Desculpe o erro ortográfico!
Desculpe por ser uma fanfic simples!
Sou nova porra!
Mals e.e
Desculpem-me leitores.
"Não estou com uma cara boa hoje e tive que escrever agora mesmo."
"As vezes a preguiça me persegue mas eu faço por vocês e a mim mesmo."
~ Kisu ;33

Capítulo 9 - Cap IX- Preocupação


Fanfic / Fanfiction O amor é um mar de horrores ou rosas? - Capítulo 9 - Cap IX- Preocupação

 

Ethan P.v.o

“ Isso pode até sido um acidente, mas tenho uma leve impressão de que foi planejado por ela só pra fazer minha família se dar bem com aquela cobra. Ainda bem que esta mensagem chegou ao fim, preciso me concentrar na resposta que darei a ela.” – pensei mentalmente.

“ Mamãe, estou muito ocupado. Sinto muito se não tive tempo de conversar com você.

Sinceramente, eu já esperava esta surpresa.

Desculpe por ter que fazer mistério a você, mas surpresa é surpresa.

  Em relação sobre a casa nova, espero que não seja muito longe da onde morávamos porque tenho esse problema de direção. Você sabe muito bem disso. Me envie o endereço depois, não importando a cidade, estado e país principalmente.

  Sobre a Lindsay, tenho me afastado dela porque não tive interesse nela. Sinto muito, mas é a pura verdade e não é uma desculpa por ela estar no hospital. Desculpe mãe, mas peça a ela que pare de saber sobre a minha vida e que ela siga em frente porque não tenho um sentimento profundo como ela tem sobre mim.

 Até a próxima,

De seu filho Ethan. ”

 

- Agora posso ter descanso agora... – suspirei e ouvi a porta ser aberta e fechada.

 

Encarei o ser, James para ser mais específico. Estava ele com uma sacola na mão e com a sobrancelha erguida.

 

- O que está fazendo?

 

- Eu não pretendia invadir sua privacidade, só... precisava escrever pra minha mãe.

 

- Entendo. – ele sorriu e senti que foi verdadeiro.

 

- Desculpe... – ergui minha cabeça mas senti sua mão levantar minha cabeça.

 

- Não precisa se erguer a mim. Você pertence a mim e nada mais, não precisa se erguer porque não teria coragem de fazer nada para te machucar ou prejudicar.

 

- J-James... você mudou. – corei, nunca imaginei ouvir esse tipo de coisa muito menos saindo da boca de James.

 

- Você me mudou. – ele sorriu. – Trouxe cappuccino e pão. Está com fome?

 

- S-Sim...

 

- Ok, vamos comer.

 

Ele foi em uma direção e segui ele, chegamos a uma cozinha americana. Tudo em preto e branco mas com a geladeira cinza grande. Me sentei e ele me serviu com o cappuccino e um misto, agradeci e depois ele fez o mesmo pra ele.

 

- Não comeu ainda? – ele pergunta.

 

- Como não estou sozinho, eu como junto a pessoa. – sorri meio bobo.

 

- Entendi, então vamos nos servir.

 

Senti que James está mudado hoje, está mais carente ou carinhoso. Como explicar? Está diferente depois que saiu.

 

Quando terminamos, lavei os pratos contra a vontade dele e depois saímos pra passear. As dores no meu corpo tinha parado então tudo bem, não preciso ir ao médico ou algo do tipo porque não está tão grave.

 

Enquanto passeávamos, encontramos com Lory tirando fotos de dois meninos abraçados. Ficamos vendo ela, acabei rindo porque a Lory estava com uma cara de psicopata muito hilária e James me acompanhou na risada.

 

A Lory acabou nos vendo e foi na nossa direção.

 

- Oi meus amores, sentiram saudade? – sorriu ela.

 

- Eaí Lory? Sentiu minha falta? Claro que sentiu. – disse James um pouco animado, até demais na minha opinião.

 

- Claro, como esquecer do novo casal da minha vida? Como vai meu uke?

 

- B-Bem...

 

- Que fofo! Lindo como sempre não concorda James?

 

- Com certeza. Ele sempre foi e sempre será fofo.

 

Corei com esse comentário e os dois começaram a dar risada da minha cara super envergonhada.

 

- Vamos passear um pouco? – perguntou ela.

 

- Vamos.

 

Fomos passeando pela praça e senti as mãos de James segurar a minha e entrelaçar seus dedos nos meus enquanto o mesmo ficava conversando com a Lory. Acho que estou ficando muito antissocial, espero o motivo não seja a Lindsay.

 

- Você tá muito quieto Ethan. – comentou Lory.

 

- Também acho. – disse James com a sobrancelha arqueada.

 

- Desculpem, acho que to passando por alguns problemas em casa.

 

- Qual seria? Bem, se quiser não precisa dizer. – perguntou Lory.

 

- Tá, eu falo. – suspirei.

 

Nos sentamos no banco da praça e falei sobre a Lindsay, ela esta me preocupando já que ela é obcecada por mim desde criança.

 

- Tudo bem, essa vadia ai não fará nada. – disse Lory com um sorriso convencido. – Sabe por quê?

 

- Por quê? – pergunto.

 

- Porque eu estou aqui e não vou deixar ela separar o casal que pretendo juntar, qualquer obstáculo não passará por mim! – disse ela com orgulho.

 

- Então tudo bem...

 

Encarei James e ele estava inquieto, será que é por causa da Lindsay ou outra coisa? Sinto que ele está muito perturbado.

 

Depois dessa conversa, Lory tinha que ir embora então fomos também. James disse que estava machucado ainda e teria que ter um pouco mais de repouso, tem “hematomas no meu corpo” falou ele.

 

Quando chegamos em casa, me sentei na cama um pouco cansado e deitei. James ficou me encarando até vir na minha direção com um olhar diferente. Quase igual a Lory quando vimos ela na praça olhando pros dois meninos e tirando foto.

 

- O que foi J-James?

 

- O que a Lindsay significa pra você? – perguntou ele grosseiramente enquanto segurava meus pulsos com uma mão e a outra se enfiava por dentro da blusa que uso.

 

- E-Ela não significa n-nada pra mim... – gaguejei envergonhado, sua mão brincava com os meus mamilos e isso era um pouco... embaraçoso, ao menos pra mim.

 

- Como pode ter certeza?

 

- Eu te juro que s-significa nada pra m-mim... J-James...

 

- Prove.

 

Como eu poderia provar a ele que ela não presta pra mim? Hum...

 

James P.v.o

 

Não consigo acreditar que ele não goste dela ou algo do tipo, não sei o que estou sentindo e isso me irrita. Mas o que me mais me faz me descontrolar é o sentimento que ele sente por ela,  quero que ele prove que ela signifique pra ele.

 

Em um movimento rápido que nem prestei muita atenção , ele me tomou os lábios e entrou com sua língua na minha. Permiti que continuasse e não pude me controlar ao que estava fazendo, queria mais... muito mais que isso mas antes que pudesse fazer alguma coisa, ele soltou suas mãos do meu e subiu em cima de mim.

 

“O que ele vai fazer?” – essa pergunta se ecoava na minha mente.

 


Notas Finais


Comentem porque a opinião de vocês importa muito >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...