História O amor entre as trevas - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags O Amor Entre As Trevas, Once Upon A Time, Outlaw Queen, Outlawqueen, Rainha Má, Regina Mills, Robin Hood
Visualizações 51
Palavras 2.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei ♥


Boa leitora.

Capítulo 14 - Dor


Fanfic / Fanfiction O amor entre as trevas - Capítulo 14 - Dor

Eu e ele não podemos ter sindo criados juntos e ter vivido em séculos diferentes mas somos mais irmãos do eu e ela. 


12 anos atrás.

Regina procurava um livro em uma das patilheras a cima, ela ficou nas pontas dos pés e levantou sua mão para tenta pegar o livro, mas sem sucesso. Ela bufou. 

Neal que viu de longe ela procurando o livro, decidiu se aproxima da irmã. 


— Deixe eu ajuda a senhorita. — Fala Neal e pegar o livro para ela e entregar, mas antes ele lê o nome do livro. — Humm, dupla personalidade? 

Regina ajeita o livro na mão e sorri. 

— Trabalho da escola. — Responder Regina. — Neal, não é? 

— Sim, lembra de mim ainda. — Fala Neal. — Trabalho nessa biblioteca a duas semanas e já percebi que você é louca por livros. 

Regina gargalhar e nega com a cabeça. 

— Não sou louca, só gosto de lê nos meus tempo livro. Lê traz conhecimento. — Fala Regina. 

— Ok. Se fosse escolhe um livro para mim, qual seria? — Pergunta Neal. 

Regina faz um careta divertida como se tivesse pensando. Com um gesto de mão ela chama ele para ir em outra fileira. 

— Clássicos? —Pergunta Neal ao lê que ele entrou na fileira dos livros clássicos. 

Regina somente sorriu. E pegou um livro da patilhera e entregou para neal. 

— Belle e a fera ?— Pergunta Neal e rir. — Pôr que esse livro? 

— Lembra do que me disse há uma semana, do seu pai? — Fala Regina e neal afirma. — Então belle aprendeu a ama a pior fera, porque ela sabia que lá no fundo tinha algo bom nele, ela acreditou e não desistiu em nenhum momento, por mais que eles fossem difíceis. 

— E sim é essa fera tivesse feito mau a muitas pessoas, e uma dia ela promete abrir mão do poder, só que ela quebra a promessa e te obriga a vive sozinha no mundo?— Pergunta Neal, Regina engole o seco. — Então, a fera irá merece uma segunda chance, que dizer, terceira chance? 

Atualmente, Nova York. 

Rumplestiltskin passou pelo espelho, e saiu do espelho e deu olhada no local. Ele não reconhecia uma lugar desse. Tinha vários quartos e um única porta no meio no final do corredor. 

Ele bateu na primeira porta que viu e logo uma moça atendeu a porta. 

— Olá, como posso ajudar? — Pergunta a moça. 

— Olá, eu estou procurando....neal.— Fala Rumplestiltskin. 

— Espere aqui, irei chama-lo. — Fala a moça e fecha porta. 

Segudos depois a porta é aberta e neal olhar dos pés a cabeça a Rumplestiltskin. Ele sai de dentro e fecha a porta rapidamente.

— Como me achou? — Pergunta Neal. — O que faz? 

— Bae, meu menino. — Fala Rumplestiltskin e abraça neal contra a vontade dele. — Sentir tanta sua falta. 

— Pois bem, eu não sentir a sua. —Fala Neal. — Responda como me achou.

— fiz um acordo com Zelena e ela me entregou o espelho. — Fala Rumplestiltskin. 

— O que você entregou para ela? — Pergunta neal. — Deve ter sindo algo valioso, só assim para ela entregar o espelho mágico. 

— Eu... Entreguei uma bracelete dourado há ela. — Fala Rumplestiltskin. — Agora eu tenho você, meu filho. Sabe o quanto sinto por ter deixando você ir. 

— E sua outra filha? Não sente falta dela? — Pergunta Neal. 

— Você sabe de Regina. Como? — pergunta Rumplestiltskin. 

— Conheci um cara que me falou de uma irmã minha. E eu a encontrei. — Fala Neal, Rumplestiltskin desvia o olhar. — Você já a encontrou, não foi? 

— Sim, ela é muito bonita. — Fala Rumplestiltskin. 

— Ela está na floresta, não é! — pergunta Neal. — Ela sumiu há um mês, ela está na floresta encantada? 

— Sim, ela está. E  ela esta morta ou está das trevas. — Fala Rumplestiltskin. 

— Esse bracelete prende a magia de Regina, não é? — fala neal sem acredita. — Você vendeu sua própria filha? 

Neal passa a mão no cabelo com raiva. 

— Você realmente é uma fera. — Fala neal. — Vá embora e volte a ser Rumplestiltskin. 

Neal entra dentro do apartamento e fecha a porta. Rumplestiltskin bate na porta e fala. 

— Meu filho, me perdoa. Me fale o que quer e eu faço. — Fala Rumplestiltskin. 

Neal aberta a porta e fala. 

— O que eu quiser? 

Floresta encatanda.

Assim que os três subiram em uma fumaça branca, cora foi atrás deles. 

Ela aparaceu na vila mais um vez com uma fumaça roxa. Ela sem medir premissa entrou na casa dos Hoods. E encontrou Regina e os outros tristes. 

— Regina, minha filha. — Fala Cora. 

— Não, pare. Não sou sua filha. Está feliz, não está? Sua filha conseguiu o que queria. — Fala Regina. — Agora, deixe eu em paz, Mãe. 

Cora engoliu o seco. 

— Deixe eu recompensa o que Zelena fez, posso da uma enterro digno a sua mãe. — Fala Cora olhando para Robin. 

Antes Robin pudesse responder, Emma se apressou e falou. 

— É o mínimo depois do que sua filha fez — Fala Emma.

*

O velório ocorre do lado de fora da casa dos Hoods, Regina mantém distância deles e se senta em um banco afastado. 

Ela até tentou se aproxima mas Robin deu um olhar frio nela, mais cedo e então ela quis deixa quieto, afinal, ela é culpada por tudo. 

Seu pensamento parar em Zelena, as duas era irmãs e se amavam, e Zelena ainda teve coragem de prender a magia dela. Regina sentiu uma raiva grande enchendo seu coração, ela tinha que ter esmagando o coração de Zelena quando teve chance. 

Emma que estava no lado de belle, percebeu o olhar que ele deu em Regina, e quando ela se afastou. Emma se sentiu mau por Regina, Emma sabia que Regina estava se culpando pelo o que aconteceu, e ela conversaria com Robin sobre Regina, Afinal, Regina é era a mais vítima de todos.

Ela viu o olhar de Regina muda, uma forma fria se formou no olhar de Regina e Emma sentiu um arrepio passa por sua espinha. Ela se afastou de Robin e caminhou em direção a Regina. 

Ela parou na frente de Regina e a mesma nem percebeu. 

— Ei, você não é culpada. — fala Emma. — O que aconteceu, podia ter acontecido com qualquer um. 

Regina a olhou mas não fez mostrou nenhuma reação. Ela queria acreditar que não era culpada, mas alguma coisa dentro dela,sabia a verdade. 

Ela era culpada pela morte de Henry, de Daniel e agora culpada pela morte de isabel. Tudo que ela troca se destrói. 

Emma viu a lágrima escorre pelos olhos castanhos da morena. A loira enxugou a lágrima que escorria dos olhos da morena e a puxou por um abraço. 

Regina não se conseguia parar de chora, ela sentia ódio, sentia tristeza, sentia dor. Emma abraçou mais forte a morena quando ela começou a chora ainda mais. 

Robin observava às duas de longe, ele não desvio o olhar nenhum promento quando Emma saiu de seu lado. Ele queria ir e abraça Regina e disse que tudo queria bem. Mas ele também queria fica só, sozinho com sua dor, ele mesmo odiando ele a culpada, afinal, ele vivia bem até a morena aparace na sua vida. 

Ele balançou a rapidamente para afasta o pensamento, por mais que ele quisesse que tudo voltasse a normal, mas seu coração doía so em pensa em vivi sem Regina. Ele amava, mas estava com raiva. 

Ele desviou o olhar de Emma e de Regina e olhou por seu filho que estava no colo de belle. O olhar do menino estava triste, droga, segunda vez que seu filho ve alguém que ama morre nas mãos da zelena. 

Ele pegou Roland no colo e entrou na casa. Ele deu banho no filho e o botou na cama. 

— Papai, por que a rainha sempre machuca alguém na nossa família? — Pergunta Roland. 

— Não sei, filho. Durma, amanhã será um dia melhor. — Fala Robin. 

Não demora muito e seu filho cai no sono, ele sai do quarto e da de cara com Regina. Ela aberta a boca e fecha. 

— Sinto muito. Eu nunca quis que isso acontecesse. — Fala Regina e sente as lágrimas dublarem a sua visão, ela esfregar os olhos e continua. — Se pudesse voltava no tempo. Desculpa.

Robin nao expressou nenhuma reação, ele continua a olhando neutro. Por mais que ele quisesse abraça-la e dizer que amava, ele não conseguia o sentimento de raiva ainda estava lá. 

— Também sinto, muito mesmo. — Fala Robin. — Sinto por não conseguir disse que "está tudo bem", sinto por esta com raiva... O sangue que você carregar sempre traz desgraças. Quem vai se o próximo? Meu filho?

Regina não segura as lágrimas e deixa escorre de seus olhos. Ela passa a língua no lábio e respira fundo. 

— Posso ir embora, se quiser. — Fala Regina. — Cora pode abrir algum portal para mim volta para casa. Talvez, evite mais desgraças. 

Robin a olhar sem acredita nas palavras delas. Ele sente o enfeito das suas palavras a ela. Ele sente culpado e tem votande de bater nele mesmo. 

— Não, eu.....eu só preciso de um tempo, ok? Não vá embora, por favor. — Fala Robin. 

Regina balança a cabeça afirmando. Robin da um leve aperto no braço de Regina de forma de conforto e passa por ela. 

Ela entra no seu quarto e se deita na cama, ela se encolhe e fecha os olhos e mais lágrimas cai dos seus olhos até ela dormi. 

*

Robin pegar um copo água e nem perceber a presença de Emma na cozinha. 

— Então, cade Regina? — Pergunta Emma. 

—Lá dentro. — Respoender Robin friamente 

— Eu sei, eu ouvi sua conversa com ela.—Fala Emma e Robin a olhar. — O que? Ela está péssima, Robin. 

—Eu sei, mas eu também estou péssimo. — fala Robin. — Eu perdi minha mãe hoje, Emma. 

— E ela descobriu quem é seu pai, ela descobriu que sua irmã, que amava no passado, é uma vadia. — Fala Emma. — Robin, eu conheço Regina há seis meses, eu era enfermeira dela, eu drogava ela, ela... Ela perdeu tudo no passado, Robin. E hoje era também perdeu alguém que gostava. Ela também está sofrendo pela morte de isabel. 

Sonho de Regina.

Ela esta sentada num banco vendo um lago azul, ela sente uma mão no seu ombro e ela levanta o olhar para cima e ela sorri ao vê-la. 

— Olá, posso me senta? — Pede a garota. 

— Senta. Fique a vontade. — Responder Regina e a menina se senta ao seu lado. — Posso sabe seu nome ?

A loira sorri pela pergunta é responder. 

— Me chamam de Régia. — Fala a garota. 

— Régia. — Repete Regina. — Um nome bonito. Siginicar rainha e vem do nome Regina.

A garota sorri e se levanta. Ela estende a mão para Regina, que a mesma pegar na mão de Régia. Régia puxa Regina por um abraço e dizer. 

— Fique bem, Regina. 

Off sonho. 

Robin entrou no quarto e viu Regina dormindo, ele se sentou na cama e tocou no rosto dela. Ele percebeu que ela tinha chorando. Ele sentiu um nó na sua garganta e pensou no que Emma falou. 

“ Régia” Regina surrurrar com um pequeno sorri nos lábios. 

— Régia? — Repete Robin, ele segura a mão de Regina e com a outra mão ele carícia o rosto dela. 

Regina acorda com uma mão em cima da sua. Ela se assusta e se senta rapidamente. Ela dá um suspiro aliviado ao vê Robin. 

— Oi. — Fala Regina. 

— Oi — Respoender Robin.— Posso sabe quem é Régia ?

Regina sorri ao ouvir o nome, a garota dos seus sonhos. 

— Ah, não sei disse que ela é. Mas ela aparareu para mim nos meus sonhos. A primeira vez que eu sonhei com ela foi ela pedido para eu proteger ela dá fada negra — Fala Regina. — E agora, eu também sonhei com ela, e eu perguntei o nome dela e ela me disse.

Robin continuou o olhando para Regina, mas seu pensamento foi para o sonho que ele teve na noite anterior, “ Regina.. Regina Mills ”.

— Regina, como é essa menina? — Pergunta Robin. 

— Ela é loira e tem olhos azuis, pele clara e.... — Fala Regina e Robin a interrrope. 

— Regina, eu sonhei com essa garota. — Fala Robin. — Uma garota desse jeitinho que você descreveu aparaceu no meu sonho e me disse para não desiste dela e da mãe dela.  Eu perguntei quem era a mãe dela, ela disse que era você. 

Regina leva a mão na boca de forma surpresa. Seria possível, ela grávida. 

Vômitos. 

Desmaio.

— Robin, os vômitos e o desmaio. São sintomas de uma grávidez. — Fala Regina. — E se a mesma garota dos meus sonhos e a garota dos seus sonhos, fosse nossa filha. Robin, a garota é loira e tem seus olhos. 

12 anos atrás. 

— Antes de tudo, me responda. Por que essa pessoa virou uma fera? — Pergunta Regina.

— Para proteger a pessoa que ele mais amou na vida. — Responder neal.

— Então, por que desisti dele? Ele com certeza sabia que aquilo o transformaria em um monstro, mas assim mesmo ele continou para proteger as pessoas que ele amava. — Fala Regina. — Talvez ele só precisasse de uma pessoa que o entedia e não o julgasse.

Neal riu e negou com a cabeça.

— Não, a única coisa que ele precisava era do poder. — Fala Neal.— Ele era muito covarde para abri mão do poder, e covarde para amar.

— Talvez, ele era realmente a fera, talvez ,ele sempre foi uma fera e não era por medo de amar que ele escolheu o poder. Foi por medo que ninguém o amasse de verdade. — Fala Regina. — Pois é impossível alguém ama uma fera, não é mesmo?

— Ele teve alguém para ama ele, Regina. Uma pessoa que o amou, só não conseguiu viver com o mau que havia nele. — Fala Neal. — Uma pessoa não ama sozinho

— Realmente, Neal. Mas talvez essa fera amasse so que tinha medo que esse amor virasse uma fraqueza. —Fala Regina. — Belle mesmo sedo ignorado por um por tempo pela fera, ela não desistiu. Pense, neal. Talvez essa pessoa que amou a fera não foi o suficiente, talvez a fera realmente amava essa pessoa, mas não era o suficiente para abrir do poder. Talvez, essa fera só precisasse de outro amor que o realmente o entedia.

Neal sorriu para as palavras de Regina.

— E se esse outro amor fosse também um fera. Só que ainda pior? — Pergunta Neal.

— Então a pessoa que amou a fera no primeiro caso, fosse a pessoa que era a esperança deles. — Fala Regina. — Por mais que a uma pessoa diga que é uma fera, ele ainda tem uma luz dentro de si. Todos têm uma luz dentro de si.

— Eu vou lê, a belle e a fera. — Fala neal. — Depois digo sobre o livro.




Notas Finais


Então???Rumplestiltskin volta e ajuda Regina? Regina e Robin???? E Zelena, ela ficará quieta por muito tempo???

Se vemos em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...