História O amor entre as trevas - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags O Amor Entre As Trevas, Once Upon A Time, Outlaw Queen, Outlawqueen, Rainha Má, Regina Mills, Robin Hood
Visualizações 54
Palavras 1.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei ♥


Boa leitura.

Capítulo 15 - Lágrimas de crocodilo


Fanfic / Fanfiction O amor entre as trevas - Capítulo 15 - Lágrimas de crocodilo

Incrível, como eu descubro que tenho uma mãe vilã, um pai vilão, uma irmã vilã e uma avó também vilã. Eu posso já até forma uma família das trevas. 


Em uma lugar muito distante, Reino das trevas. 

A fada negra olhava por além do horizonte, ela tinha um olhar silencioso e frio. Seus olhos sem cor,  tinha um sorriso frio nos seus lábios glaciais. 

Seu Corvo preto possou na janela e se transformou em um homem, um homem de cabelos pretos e de olhos escuros, ele tirou de dentro de sua capa um bilhete. 

— Fada negra, deixaram isso endereçada para você. — Fala o Corvo. 

A fada negra pegou o bilhete e fez sinal com a mão para o corvo ir, ela esperou o homem vira corvo novamente e voar, para lê o bilhete. 

Fada negra, tenho notícias. Notícias boas, Rumplestiltskin tem uma filha, o nome dela es Regina Mills. Regina tem os poderes certos para liberta da maldição da invocação.


Floresta encantada. 

Robin arrastou Regina até uma curandeira para afirma se ela estava grávida. 

Regina estava deitada com as pernas abertas e curandeira mexia em sua vagina. 

— Parabéns, vocês teram um bebê. — Fala a curandeira. 

Regina se ajeita e se levanta. Robin da uma moeda para ela. 

— Obrigado. — Responder Robin e Regina apenas sorri.

Os dois sai da casa da curandeira dê mãos dadas. 

— Eu ainda não estou acreditando. — Fala Robin com um sorriso no rosto. — Vamos tem uma filha. 

Regina parar e Robin olhar para ela 

— Não esta feliz? —Pergunta Robin. 

— Eu estou, Robin. Mas e os perigos. Régia deixou bem claro que eu tinha que protegerá dá bisavó, A fada negra. Bem, agora que eu sei que sou filha do Rumplestiltskin, e se os dois se juntarem e machucar a nossa menina. — Fala Regina. 

— Isso não vai acontecer, ok? — Fala Robin e da um selinho em Regina. — Amo você. 

Regina sorri preocupada e responder. 

— Também amo você. — Respoender Regina. 

— Olhe se não são os pombinhos. — Fala Emma. — O que fazem saindo de uma curandeira? 

— Curiosa. — fala Regina balançando a cabeça rindo. 

— Ah, qual é, Mills? — Fala Emma 

— Ainda é segredo, mas vou lhe dizer, Emma. Regina está grávida. — Fala Robin e Emma solta um grito. 

Ela abraça Robin e depois Regina. 

— Meu deus, você são rápidos. — Fala Emma e troca na barriga de Regina. — Ei, garoto. 

Regina a interrompe.

— É uma menina, Emma — Fala Regina e Emma arqueia a sobrancelha. — Longa história, vamos lá em casa e eu te conto. 

Os três seguem para casa dos Hoods. Robin faz um comida a elas e se sentam na mesa. Regina conta desde o começo para Emma. 

— Isso é estranho. — Fala Emma. — Olhe, eu já ouvi fala da fada negra. Ela era uma fada guardiã das crianças, mas se tornou má e começou a rouba bebês, a fada azul a baniu pôr um reino das trevas. E ela só pode fazer sai do reino das trevas através de um invocação. Então, é só não invoca ela e tudo vai fica bem. 

Uma fumaça preta aparece na sala e Rumplestiltskin sai dessa fumaça, ele se ajeita e caminha até a cozinha. 

— Eu não contaria com isso.— Fala Rumplestiltskin, Regina e os outros se levantam na de forma de defesa.— Sentiu falta do papai, querida? 

Regina engole o seco e pergunta. 

— O que você quer? — Pergunta Regina. 

— Ajuda você. Eu irei proteger você e se a fada negra está mentida na história, então, você e o seu bebê estão em perigo. — Fala Rumplestiltskin. — Vamos, da adeus por seus amigos e vamos por castelo. 

Regina solta uma risada. 

— O que lhe faz acredita que eu irei de bom grado com você. Você deu esse maldito bracelete para zelena. Acha que eu acreditarei que você quer me ajuda. — Fala Regina. 

Rumplestiltskin se aproxima de Regina e segura as mãos dela. 

— Eu realmente sinto muito, queridinha. Nunca quis seu mau, só queria o meu bem. E agora eu estou aqui e quero lhe recompensa. Vou tenta ser um bom pai e um bom avó. — Fala Rumplestiltskin e Regina o olhar desconfiada. — Eu sei que você não acredita, mas eu estou arrependido. Só quero tenta de novo. 

Regina rir pelo nariz de forma irônica. 

— Sinto muito mas suas lágrimas de crocodilo nao me convence.— Fala Regina e puxa suas mãos. — Tente outra e talvez eu acredite. 

Regina cruza os braços e Rumplestiltskin da um sorriso de lado pelo jeito marreto dê sua filha. 

— Ok, está certa. Mas eu realmente nunca quis seu mau. E eu promete ao meu menino, bae. Que ajudaria e protegeria você. — Fala Rumplestiltskin e Regina arqueia a sobrancelha. — Você o conhece cono neal.. Neal cassidy. 

Regina se surpreender ao ouvir o nome do neal. Regina se lembrou da vez que conheceu neal, do jeito dele não acredita que as pessoas podeira mudar. 

— Não, não, não. — Repete Regina sem acredita. 

— Sim, queridinha. Neal é meu filho e seu irmão. — Fala Rumplestiltskin. — Então, vai vir por meu castelo de bom grado ou amarrada? 

Regina revira os olhos. 

— Nao irei com você, quer me ajudar? Tire esse bracelete. — Fala Regina e mostra o braço. 

Rumplestiltskin passa mão pelo braço de Regina e tira o bracelete. 

— Então, vamos lá? — fala Rumplestiltskin ia fazer um movimento com a mão mas Regina o parar. 

— Nao irei com você, irei fica. A fada negra só pode vi para esse reino com uma invocação, não é? — Pergunta Regina 

— Sim, é. Mas ela carregar o nosso sangue, queridinha e eu lhe digo. O nosso sangue sempre arrumar uma brecha. — Fala Rumplestiltskin. 

Regina mantém um olhar firme e Rumplestiltskin revira os olhos e decide pegar pesado com ela. 

— Ok? Quer que sua filha em perigo? Pois, não é só a fada negra que pode machuca-la. Tem Zelena e outras milhões de pessoas que podem machuca-la. — Fala Rumplestiltskin e ele troca na barriga de Regina, ela pensa em se afasta, mas não afasta.—  Você quer a sugura da sua filha ou quer ela no perigo? 

— Tá, legal. Mas eles têm que ir. — Fala Regina e aponta para Robin e Emma. — Me sinto segura com eles, não posso deixa de conta que você também me vendeu para zelena. 

— Isso é passado, querida. —Fala Rumplestiltskin e Regina mantém o olhar firme. — Tá bem, eles podem ir, mas não quero bagunça no meu castelo. 

*

Mar da floresta encantada. 

Tinha alguns marujos ajeitando o navio para chegarem na terra firme. 

— Capitão, já vamos chegar na terra firme. — Fala um dos marujos. 

— Certo, homens se preparam. — Fala o capitão. — Me espere, crocodilo. Nossa briga só está começando. 


Castelo de Rumplestiltskin. 

Todos já estávam dormindo, menos Regina e Rumplestiltskin. Regina não conseguia dormir naquele castelo. 

Ela estava na cozinha procurando algo para comer. 

— Senhores das trevas nao precisam comer. Então, peça para Emma swan ir compra comida, querida. — Fala Rumplestiltskin. 

— Eu estou com fome, tem ter algo nesse maldito castelo para comer. — Fala Regina ainda procurando nós armários. 

Rumplestiltskin revirou os olhos e com um movimento de mão fez comida aparace na mesa. Regina se virou e viu a mesa farta.

— Magia, resolver qualquer problema, queridinha. — Fala Rumplestiltskin, ele puxa uma cadeira e pede para Regina se senta, Regina se senta descofiada. — Quer suco? 

Regina assentiu. 

— Então, Regina. Me diga como se sentiu quase matando sua própria irmã? — Pergunta Rumplestiltskin, ele trocou no ombro de Regina cono forma de conforto falso. — Não se preocupe, você está aqui com o seu pai. 

Regina revirou os olhos e toma um gole do suco. 

— Primeiro: Você não é meu pai. Segundo: Não sou obrigada a fala dos meus sentimentos. — Fala Regina.

— Deixe me advinha, filhinha. — Fala Rumplestiltskin se forma debochada e bota uma mecha de cabelo de Regina para trás da orelha. — Uma parte sua queria mais do que tudo esmagar o coração de Zelena. Mas outra parte sabia que aquele era errado. 

Regina bota uma torrada na boca para não responder .

— Sabe que eu estou certo, sabe por que? Porque a primeira vez que eu matei alguém, eu fiquei nesse dilema o poder ou o certo? — Fala Rumplestiltskin. — Então, se quiser posso ensinar você o que fazer nessas horas? Será um tempo de pai e filha? 

Regina solta uma risada debochada e troca no ombro de Rumplestiltskin. 

— Você não me tornará das trevas. — Fala Regina e da um gole do suco. 

— Razão, pois não dá de torna alguém das trevas, se ela já nasceu das trevas. — Fala Rumplestiltskin, Regina o olhar desconfiada.. 

— Posso ter nascido nas trevas, mas eu achei uma luz para eu luta por ela e enquanto eu tive essa luz, eu posso anda nas trevas mas não me tornarei uma parte dela. — Fala Regina. 

Rumplestiltskin se solta uma risada.

— Posso espera essa luz acaba, enquanto isso não acontecer, tentarei mante você viva. — Fala Rumplestiltskin. 

— Responda uma coisa: Por que eu ouço sua voz na minha cabeça? — Pergunta Regina. 

— Queridinha, nos dividimos às trevas. Então, você tem alguns senhores das trevas em você. — Fala Rumplestiltskin. 

Regina deu de ombros e voltou a comer. Rumplestiltskin se levanta mas antes de ir ele da um aviso. 

— Não saia do castelo, por sua segurança e da criatura que você carregar. — Fala Rumplestiltskin. — aliás, eu não gosto do ladrão e nem Swan, então se eles se meterem nós meus negócios, fazeria com prazer arracar o coração deles. 

Regina se levanta e olhar nos olhos de Rumplestiltskin. 

—  Se você troca neles, eu juro que você pagará caro. Eu não me importo com o meu sangue, ele já me mostrou que ele não é digno. — Fala Regina. — Entendeu? 

— Pergunto o mesmo: entendeu? 






Notas Finais


Então??? Como será a convivência deles no mesmo castelo??? Haha, e esse pirata???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...