História O Amor Não Tem Limites. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Eiri, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Isaak de Kraken, Julian Solo, June de Camaleão, Miho, Miro de Escorpião, Pandora, Personagens Originais, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shunrei, Thetis de Sereia, Tokumaru Tatsumi
Tags Comedia, Eiri, Hyoga, Ikki, June, Pandora, Personagens Originais, Romance, Seisao, Seiyori, Shiryu, Shun, Shunrei
Visualizações 179
Palavras 857
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, queridos leitores, sejam muito bem vindos a minha mais nova história, antes de começar o capítulo, gostaria de esclarecer algumas coisas:

*Saint Seiya não me pertence, pertence ao Kurumada-sama, e eu não ganho absolutamente nada escrevendo essa fanfic, mas me divirto muito e conheço novos amigos.

*Essa fanfic é a continuação da one-shot O Fim das Lágrimas .

*Aceito críticas e sugestões, desde que elas sejam construtivas, qualquer comentário que for postado unicamente com o propósito de me insultar será denunciado e deletado.

*Eu trato todos os meus leitores com muito carinho e respeito, pois se não fossem por vocês, minha fanfic sequer existiria. Portanto, não precisam ficar acanhados, sintam-se para expor suas opiniões sobre o meu trabalho.

*Se a personalidade de alguns personagens estiver um pouquinho diferente do habitual, relevem, pois a mesma foi baseada no Mangá, não no anime.

*Apenas uma personagem que aparecerá ao longo da trama, é de minha autoria.

Espero que tudo isso tenha ficado esclarecido, beijos, boa leitura! .

Capítulo 1 - Te amo.


Uma  gota  de  suor  escorreu   pela  face  da  moça,  seus  dedos   já   estavam   doloridos  de  tanto  escrever,  e  sua   visão   já   estava   começando   a   embaçar,   tamanho  o   esforço   que   fazia   para   enxergar  aquelas  minúsculas  letras. 

A  jovem   Kido   encontrava-se   em  seu  escritório,  sentada  numa  mesa,  preenchendo   uma  infinidade  de  papéis -  documentos  da  Fundação  Graad.  Tarefa  que  era aparentemente  simples,  mas  que  para  Saori,   lhe  era  maçante  e  demasiadamente  tortuoso.   Saori  já  era  uma  adulta   madura,  e   ela   sabia   muito   bem   as  suas  responsabilidades  e  obrigações,  mas   ter   que   dirigir   uma  das   empresas   mais   ricas   e   influentes  do  Japão,  e  ainda   carregar   o   nome   de   Atena  e  ser   a  padroeira  do  mundo,   já   estava   enlouquecendo-a! 

Às  vezes,   Saori   se   sentia   um   pássaro  engaiolado,   e   aquelas   imensas  paredes  pintadas  de  branco,   que   eram   a   sua   mansão,  pareciam   querer  aprisioná-la   em   um   mundo   de  responsabilidade  e  compromisso.    A   roxa   se   sentia  enclausurada,   presa, sem   liberdade,   sozinha. 

Pra  fechar   com  chave   de   ouro,  ela  ainda  temia  que   algum   ser   maligno,   ou   algum   deus   maluco  despertasse   novamente   e   ameaçasse   a   paz   na  Terra.  Quer  dizer,   os   Deuses   haviam   feito   uma  trégua,   e  decidido   que   não   mais   haveriam   lutas  por   um   milênio,   mas   a   Kido   se   perguntava:   será   que   essa  paz   era   duradoura?   Será   que   esse   acordo  de  paz  era  verdadeiro,   ou   apenas   um   disfarce   que  ocultava   uma  guerra   ainda   mais   cruel?   Quem   garantiria  que   ninguém  iria   quebrar   essa   trégua? .

Todos   esses  medos   e   receios   atacavam  a  mente  e   coração   da   Deusa  sem   piedade,   e   ela  já  não   conseguia   mais  conter   as   lágrimas   que   insistiam  em  descer  pela   sua   alva   face.   A   Divindade   já   estava  prestes   a   se   entregar   aos   soluços,  até   que   foi   inesperadamente  "desperta"   pelo   estridente   som   de   batidas   na  janela. 

Assustada,   a   jovem   levantou-se  de  supetão  da  mesa  em   que   estava   sentada,   e   virou-se   para   ver  de  quem  se  tratava. 

Através  do  vidro  transparente  da  janela,  um  rosto  alegre  e   jovial,   sorriu   para   a   moça.   Saori  suspirou  aliviada:

- Seiya,  é   você? -  A  arroxeada  indagou,  atônita. 

-  Oi,  querida! .

Saori  foi   até  a   janela,  abriu-a,  e   quando  Seiya  já  tinha  entrado,  fechou-a  novamente. 

-  Tudo  bem,  Saori?  Te  assustei? -  O  castanho  perguntou,  levemente   preocupado. 

-  Eu   estou  ótima,  Seiya! -  Saori  respondeu.   Ela  colocou  as  mãos   na   cintura  e   fingiu   irritação:  -  Por  que   você  veio   assim,   do   nada,  e   por   que   está  vestido  assim? -   Ela   indagou,   finalmente  percebendo  em  como   Seiya   estava   trajado:  com  um  smoking  preto. 

-  Ora,   me  desculpe  se  a  minha  entrada  foi  um  pouco  inusitada   demais,   mas   eu   não  pude   deixar  de  perceber  o   quanto   a   Lua  está   bonita,   hoje!   Por  isso,  quis   te   fazer   uma  surpresa! -   Seiya  respondeu,   em  um  tom   exageradamente   dramático,   como   se   estivesse  encenando  uma   peça.    Saori   riu   do  jeito  engraçado  do amado.    Seiya   puxou   a   jovem   para   si,  e   a  beijou  com  necessidade  e  louvor,   o  gesto   foi   muito  bem  retribuído. Quando  finalmente   se   separaram,  ambos   já  estavam  arfantes. 

-  Eu  te adoro, hime!  -  O   castanho  declarou,  fitando-a   com   paixão   e   carinho,   mas   nem  por  isso,  insento  de  certa   malícia. 

-  Eu  também  adoro  você! -  A  roxinha  correspondeu,  olhando-o   da   mesma  maneira. 

Saori   já   estava   se   sentindo  mais  calma  e  contente,   era   quase   surreal   o  efeito   acalentador  que  o  guerreiro   regido   pela   constelação   de   Pégaso  causava  sobre   ela,    Saori   poderia   estar   aos   prantos,   desesperada,    mas   era  só   o   Seiya   aparecer,   com  aquele  sorriso   maroto;   aquele   andar   de   quem  sabe  o  que   quer   da   vida;   o   olhar   castanho-avermelhado  que  só    emanava  determinação   e   puro   charme,   que  ela  logo    se   acalmava. 

O   rapaz  retirou   uma  rosa   do  bolso  e  colocou-a  nos  curtos   cabelos   da   namorada.   Saori  ficou  encantada  com   tal   gesto. 

-  Uma  flor   para  outra  flor! -  Ele  declarou,  dando  uma   piscadela. 

-  Ai,  Seiya,  você  não  tem  jeito mesmo! . 

Seiya   congelou   ao   notar   uma   pequena  vermelhidão  nas   pupilas   da   amada. 

-  Minha  nossa,  Saori,   você  andou  chorando??  O  que  foi  ??   Aconteceu  alguma   coisa??  -   O  castanho  perguntava,   aflito. 

-  Quê? -  Saori   corou   ao   lembrar   que  estava  chorando -   Er....   Sim,  sim,   mas   não   foi   nada  demais,  por  favor,   não   se   preocupe! .

-  Nada  disso -  Seiya  retrucou -  Se  a  minha  hime  andou  chorando,   é   porque   aconteceu  alguma  coisa,  sim!  E   como   seu   Cavaleiro  e   amado,  é   meu  dever  confortá-la.   Fique  tranquila,  hime,   pois  agora  mesmo  eu irei   leva-la   para   um   lugar   especial   só   nosso! .

-  Oh,  Seiya,   fico  lisonjeada  com  a  sua  preocupação,   mas   agora   eu   não  posso  sair,   estou  muito  ocupada! .

-  Seu  trabalho  pode  esperar! .

E   assim  dizendo,   o   sagitariano  tomou  a  virginiana  nos   braços,   e   com   todo  o   cuidado  do  mundo,    se   jogou   da   janela.    Sem  outra  alternativa,  Saori    se  deixou   levar   por   aqueles   braços   fortes   e  acolhedores,   que  sempre   estavam   dispostos   a   protege-la,   em   qualquer   situação.   Os   batimentos  cardíacos  de  Seiya  soavam   como   uma   suave   e   relaxante  melodia  aos   ouvidos   dela. 

Correndo  a   velocidade  da  luz,  Seiya  conduziu  sua  amada  até   um   simples,   porém   animado,   restaurante.  Lá   eles   riram,  namoraram,  dançaram,  conversaram  trivialidades,  enfim,   se   divertiram.   E   pela  primeira  vez  na   vida,   Saori   se   sentiu   uma   garota   normal. 

 

Continua....


Notas Finais


Bem, pessoal, esse foi o primeiro capítulo, espero de coração que vocês tenham gostado. Por favor, deixem um comentário! .

Beijos! .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...