História O amor nem sempre começa da melhor maneira. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Baekyeol, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 463
Palavras 1.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem do capítulo, tá bem amorzinho.
TEM XIUCHEN PRA DAR E VENDER, MDS hsuahsuah
Boa leitura, até.

Capítulo 19 - Capítulo 18


Fanfic / Fanfiction O amor nem sempre começa da melhor maneira. - Capítulo 19 - Capítulo 18

Algumas horas antes.

Entrei na cozinha e me deparei com a cena de um Chen novamente chorando.

-ChenChen, você quer conversar? - perguntei indeciso se devia ou não estragar aquele momento que era apenas dele.

-Você quer me ouvir? - perguntou sem me fitar.

-Quero.

-Eu não havia nem nascido ainda quando o ódio por mim começou. Minha omma quando engravidou tinha certeza que eu tinha 50% de chance de ser ômega e 50% de ser alfa, mas ela já estava com oito meses de gestação e eles ainda não sentiam o meu cheiro. Eles foram ao médico, estavam preocupados, imaginavam que havia algo de errado. O médico avisou que eu era um beta e quando eu finalmente nasci, eu fui largado como um nada. Ninguém cuidava de mim, carinho era algo que eu nunca havia sentido até os meus 14 anos. Eu dormia em um quartinho que antes era de uma empregada e comia sozinho o que as empregadas quisessem me dar. Eu sempre me esforcei na escola para dar orgulho a eles, mas tudo o que eu recebia quando mostrava minhas notas, eram eles me virando as costas e dizendo que não adiantava eu estudar, que eu nunca seria ninguém. Eu tive meu primeiro relacionamento com 14 anos, estava no ensino médio e já era acostumado com tudo o que envolvia a minha família. Namorei por três anos, até que um dia ele veio me dizer que eu não era bom o suficiente pra ele, que ele poderia arranjar um alfa que pudesse o proteger e que pudesse dar uma vida boa. Foi meu primeiro e único relacionamento, depois daquele dia eu não me achava bom o suficiente pra ninguém. Quando completei meus dezoito anos eu fui embora de casa, eu já trabalhava e tinha conseguido uma bolsa em uma ótima faculdade. Minha vida estava finalmente nos eixos, mas nem tudo são rosas. Quando eu já havia terminado minha faculdade e já trabalhava no hospital, minha família foi me visitar… - ele parou de contar e respirou fundo, ele estava contando tudo como se narrasse a vida de outro alguém e não a sua, mas agora ele voltava a chorar.

-ChenChen, se não quiser me contar mais, tudo bem, podemos deixar isso pra outro dia. - disse fazendo um afago em seus cabelos.

-Não, tá tudo bem, eu consigo terminar. - ele me olhou como se esperasse uma confirmação, acenei com a cabeça e ele continuou. - Eu estava voltando do meu expediente quando os encontrei na rua do meu apartamento. Eles disseram que queriam ir até minha casa, mas em momento algum eu vi um sorriso, via apenas o olhar de desgosto. Eles entraram e reviraram meu apartamento todo, me perguntaram onde eu estava que havia demorado. Contei que eu trabalhava no hospital e sabe o que eles fizeram?, Eles foram no hospital no outro dia e reclamaram dizendo que nunca que iriam querer ser atendido por um beta, que eles poderiam morrer nas minhas mãos porque eu não era competente para o serviço. Meu chefe não deu ouvi a eles e ainda mandou embora do hospital. Eles apareceram no meu apartamento na mesma semana e disseram coisas tão horríveis, que sinto como se eles ainda estivessem aqui falando. Já se passaram quatro anos e eles ainda insistiam em ir até a meu apartamento, apenas para me insultar. Por isso que desde o começo do ano eu estava guardando dinheiro pra comprar uma casa de verdade e longe deles. Minha omma engravidou de novo no começo desse ano, eu estava encarregado de cuidar da cirurgia, mas tudo o que aconteceu foi eles gritando dizendo que não queriam que eu os tocasse, que não confiavam em um beta pra nada. Eu sempre tentei mostrar a eles o quão eu podia ser prestativo. Ninguém nunca morreu nas minhas mãos. Eu nunca, nunca me senti como alguém daquela família, porque eu realmente não era. E agora ver vocês tão juntos e tão unidos me chamando para participar disso junto, me assusta. Me assusta a ponto que eu só quero fugir, mas ao mesmo tempo, eu quero ficar.

-Então fique. Eu nunca, nunca mesmo, deixarei você ir embora. ChenChen, me prometa que de agora em diante você vai parar de achar que não é o suficiente pra alguém. Não importa se você é um beta, um alfa ou um ômega, o que importa é o seu coração. Você é uma pessoa de ouro, é uma em um milhão, eu e minha família nos sentimos honrados de te conhecer. Eu me sinto tão feliz em saber que estou nutrindo sentimentos por uma pessoa tão maravilhosa. Espero que comece a se acostumar com carinho, porque aqui é o que mais vai receber. Não apenas porque somos uma família e sim porque gostamos muito de você. ChenChen, eu te amo. - naquele momento eu não sabia quem chorava mais, Chen me olhou surpreso e me abraçou apertado, eu sabia que a partir daquele momento, nossas vidas iriam mudar.

Momento atual.

-Baek, pare um pouco de sorrir, já está me dando medo, parece um psicopata. - disse kyungsoo fazendo todos rirem.

Chanyeol estava sentado na cama com baek ao seu lado, os dois estavam abraçados. Suho estava sentado em uma poltrona e lay em seu colo. Kris estava sentado na cama e tao estava sentado no meio das pernas do marido, de costas para o mesmo. Kyungsoo, jongin, chen e minseok estavam sentados em um colchão improvisado no chão.

-Cala a boca, kyung. - disse baek manhoso.

-Então, chanyeol, quando vai poder sair? - perguntou jongin.

-Eu ainda não sei, mas o doutor me disse que estou tendo melhoras significativas e que se eu continuar assim, poderei sair antes do meu filhote nascer. - disse fazendo um carinho na barriga de baek.

-SÉRIO? - gritou baek assustando a todos.

-Sim. - disse chanyeol sorrindo, mas logo deixou o sorriso morrer. - Eei, o que foi?, Tá sentindo dor?, Alguém me ajuda. - dizia desesperado. - Baek, o que foi?, Não chora, tá me deixando preocupado.

-Eu tô tão feliz. - disse baek abraçando chanyeol que olhou confuso para suho e lay.

-São os hormônios, ele tá muito sensível. - disse suho rindo.

Todos riam da cena de um baek chorando e um Chanyeol tentando o acalmar. Só que foi apenas uma tentativa falha e no momento em que chanyeol falou algo que não devia, baek o bateu e saiu chorando para o colo dos pais, arrancando mais risadas de todos.

A noite foi passando agradavelmente, eram risadas, beijos roubados e um luhan agitado.

-Contagem regressiva - disse kris. - 3...2….1. Feliz natal a todos. - disse alto. - feliz natal, meu amor. - puxou tao para um beijo e depois se levantou para abraçar todos que estavam naquele quarto.

Foi um momento mágico, todos se abraçando e muitos beijos sendo trocados.

-Feliz natal, Minnie.

-Feliz natal, ChenChen. - e mais um beijo foi trocado. Todos aplaudiram, o que rendeu os dois envergonhados e tentando esconder os rostos.

-Eu quero um pedido oficial, Ok? - disse suho rindo e abraçando os dois.

-Tudo bem. - Chen respirou fundo e encarou minseok. - Senhor Kim. - começou, fazendo todos o olhar surpreso. - Peço aqui, diante de todos, a sua permissão para namorar seu filho.

-É claro que eu deixo, meu genro. - disse suho mais uma vez abraçando Chen. - mas é será que ele quer? - sussurrou no ouvido de Chen. - Não acha que deve pedir a ele?. - Chen apenas balançou a cabeça e se ajoelhou no chão. Não fazia ideia de onde havia tirado aquele coragem.

-Minnie, você aceita namorar comigo? - após terminar de dizer, prendeu a respiração, suas mãos suavam e sentia que estômago borbulhar de ansiedade.

-Aceito. - disse sorrindo e se abaixando para beijar o, agora, namorado.

E mais uma vez houve aplausos. A felicidade estava estampada no rosto de cada um ali dentro.

Já estava na hora de irem embora, todos se despediram de chanyeol e o deixaram no quarto com o baek.

Chanyeol se aproximou do menor e se abaixou, levantou a camiseta de baek e deu um beijo na barriga do mesmo.

-Appa te ama muito, meu pequeno luhan.  - deu mais um beijo ali e se levantou. Baek estava chorando mais uma vez. - Baekkie, eu te amo. - e pela primeira vez em três meses, eles se beijaram.

Começou com um breve selar, mas chanyeol estava com tanta saudades de seu pequeno que o puxou para um beijo de verdade. Os gostos se misturavam, as mãos fazia um carinho singelo em cada local que conseguiam alcançar, os corações batiam descontroladamente e o sorriso no final do beijo provava o quanto aquilo era bom.

-Eu também te amo, channie, muito. - disse abraçando o alfa.


Notas Finais


Tá aí, ficou um pouco pequeno, mas a intenção era apenas explicar o passado do Chen e contar um pouquinho do natal, e é claro, colocar mais um pouquinho de Chanbaek ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...