História O amor pode ser cego - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kris Wu, Lu Han, Sehun, Tao
Tags Chanbaek, Hospital, Hunhan, Taoris
Exibições 21
Palavras 1.769
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


"Olha so que hora Fumiga veio parecer"
Quem é vivo sempre aparece meus queridos. Eu demorei por bons motivos mas vou deixar para as notas finais

Capítulo 1 - Os medos e eu.


Um medo? Não sei se tenho. Altura? Não, enquanto você não vê chão esta tudo bem. De animais? Eles estão só se defendendo, então só não fazer movimentos ameaçadores. De escuro? Não temos medo do escuro, temos medo do que pode ter no escuro ou do que no escuro pode nos encontrar. De morrer sozinho? Já me preparei para enfrenta-la de frente. De não ter amigos? Já não os tenho, só eu e minha irmã. De perder meus pais? Já os perdi antes mesmo de saber o que é tê-los De perder alguém especial? Já perdi muitos, mas ficaria muito mal caso minha pequenina morresse, apesar de que vou enfrentar tal agonia. De morrer de fome? Aaahhh esse sim. Tenho muito medo de morrer de fome. Sabe quando você chega na sua mãe e diz: “Mae ‘to morrendo de fome” e é daquele jeito então nem quero saber como vai ser esta mortinho da Silva.

Ah sim, como sou mal educado. Me chamo Byun BaekHyun e sou cego. Wow! Não sei se devia ter vos preparado para essa noticia, enfim. Eu moro num dos hospitais mais respeitados de toda Seul com minha irmã. Ela tem câncer e autoimune, com apenas 10 anos. Minha mãe me teve e me deixou em um orfanato, já que ela não queria cuidar de uma criança sozinha, principalmente uma criança com deficiência visual. Oitos anos depois acharam uma garotinha em um beco e segundo os testes de DNA, ela era filha da mesma mãe, ou seja, minha mãe tinha atacado de novo deixando mais um filho só. Mas não quero falar nisso, meu passado esta no passado. Minha irma já esta carequinha de saber, literalmente, que eu odeio falar do meu passado mas a sua pergunta sempre me intriga: por que fizeram teste de DNA na gente? Será que eu pareço aquela coisa? Acho que na hora dela nascer a mamãe ficou com toda a beleza, brincadeira só coisa de irmão.

E como minha irmã esta carequinha de saber disso, eu estou quase ficando careca de tanto que ela mexe no meu cabelo. Céus! O que essa garota esta fazendo com meu preciso cabelo. Tenho muitas experiências traumáticas com isso, ela já ateou fogo no meu cabelo e tive que raspar. Mas pelo menos ela ficou feliz, já que parecia um apoio ao câncer dela.

-“ Terminei – disse ela extremamente animada, diferente de mim –  “Vou chamar o Tao para ele vê como ficou”

-“ Já prevejo as zoeiras e apelidos. Aish, minha irmã não tem jeito mesmo”

Ouvi seus passos sendo cada vez mais baixos alertando que ela já estava longe. Tentei me soltar as algemas que me perdiam na cadeira, para que no tocasse meu cabelo. Como elas conseguiu as algemas? Fácil, com um sorriso doce ou um biquinho, carinha de cachorro abandonado e uma voz manhosa. Minha irmã é bem desenvolvida para a idade dela, é claro que ela puxou isso de mim. Me ajeitei na cadeira enquanto esperava. Estava quase dormindo ate ouvir a porta abrir, e meu amigo soltar um gritinho histérico quase me deixando surdo

-“ BAEKKIE VOCÊ ESTA MAGNÍFICO! VAI PODER PEGAR GERAL”
Como é difícil a vida quando se é cego e tem um amigo igual a Tao, uma bicha barraqueira, que na aguenta só um pau e troca qualquer coisa por 19cm. O pior, além de toda sua linguagem super pura – ironicamente falando – ele tem a audácia de falar perto da minha irmã. Ela já veio me perguntar qual a sensação de sentar num pau. Agora não sei qual é o pior dos dois sinceramente.

-“ Você ficou ótimo Baek. Sua irmã, por incrível que pareça, conseguiu desse vez”

Kris, o corno mais imbecil que já conheci na minha life toda. Perdoa todas as traições do Tao e não se importa, diz que o amor cobre tudo isso. Aiai um dia ele toma jeito

-“Eu fico bem de qualquer jeito mesmo – Digo convencido – Mas se eu ouvir qualquer comentário...”

-“ Será pura inveja”

Tao disse com aquela típica voz de nojo que tinha das inimigas. Sabia que ele estava naquela posição de defesa, quando vemos um sapo ou algo assim
   


                                                                             ¶°¶


Como vocês já devem imaginar, Tao resolveu que meu novo visual merecia uma boa ida a uma balada gay no Happy hour (“hora feliz” estratégia de marketing , onde os preços das bebidas abaixam, para comprarem mais e gastarem mais e da um bom dinheiro). E como é o Tao não pude dizer não e ele exigiu que eu pegasse bastante, ate parece.

Se você pensa que era um lugar calmo e bonito esta redondamente errado. Podia sentir o cheiro de nicotina e sexo exalando, me deixando enjoado. Já Tao parecia acostumado, acostumado de mais para meu gosto. Ele segurou minha mão para que não tropeçasse e caísse pelo caminho.  Para entrarmos foi extremamente fácil, o Tao só sussurrou algumas coisas que não ouvir e me entregou algumas notas sussurrando para que colocasse onde quisesse no segurança. E este parecia saber da minha situação por que comecei a tatear seu corpo para saber onde estava tocando e ele nada fez (eu aproveitei, logico ). Coloquei dentro do bolso da sua camisa e dai dois tapinhas no que eles tanto usam entre as pernas. O que foi? Achou que eu era uma virjona e uma santa? Na frente da minha irmã sou muito, só na frente dela. Mas sei aproveita minha vida, obrigado.


Meu amigo me deixou sentado e pediu para esperar. A música alta quase não ouvir ele dizer ate que tudo parou. Se estava bravo com ele, por me deixar sozinho, o que ele fez agora foi pior. Pude ouvir sua voz ser ressoada no microfone

-“ Gente muita atenção. Está vendo essa gato de coxas grossas e bundão? Pois é. Ele é meu amigo e esta meio enferrujado, faz anos que ele não transa e não da uma curtida. E não se importem esta bom? Ele é cego e nem vai saber que foi você que deixou umas marquinhas nele”

Tao dizia alto e em bom som apontado para mim. Nunca me senti tão envergonhado na minha vidinha monótona, podia sentir os olhares pesados sobre mim e sentia que seria devorado a qualquer momento.


                ¶°¶

Meu deus! Nem sei que hora é agora e como tudo começou, só sei que estou no meio de dois gotosoes só para mim. Um fica passando aquela coisa dura das minhas nádegas e o outro esta estuprando minha boca. É hoje que eu saio da seca. Sorrio vendo os dois garotos começarem a me puxar e logo ouvir um dos garotos avisarem que estávamos subindo as escadas. Sabia bem o que tinha ali, apesar de nunca ter ido ali, em toda boate tem uma espécie de motel em cima. Estávamos no meio da escada quando senti um quinto braço segurar o meu e me puxar. Se ele queria entrar na brincadeira era só falar, sair me puxando.

-“ Hey colega, me solta”

Não tive resposta, comecei a tentar me liberar esperando que os dois tesoes fossem me ajudar, mas não tive esse privilégio. Como queria me livrar daquele cara, o puxei, o beijando para vê se me soltava, ele retribuiu abraçando minha cintura. Foi a última coisa que senti antes de sentir algo contra minha cabeça, um grito esperado e mais nada.


Fiquei um bom tempo apagado ate acordar sentindo o cheiro do hospital. Como eu voltei para casa? Senti uma forte dor de cabeça me fazendo resmungar. Senti um corpo ser jogado contra o meu e uma sequência de soluços e choro

-“ Baekkkkieeeee me desculpas! Foi tudo minha.

-“ Sempre é culpa sua. Mas o que houve?”

-“ Me desculpa, me desculpa”

-“ Esta bom caramba, o que houve?”

-“ Ain – ele bateu no meu braço me fazendo rir mas logo ele começou a chorar de novo – Eu estava bêbado e vi você beijar o Kris e fiquei com ciúmes. Parecia um beijo tão gostoso, então te desci a voadora. Me desculpa, me desculpa. Não queria te matar eu juro. Dou me rabo para você comer em forma de desculpa”

-“ Eu não quero esse cu alargado de tanto pau, passa uma bola de boliche ai”

-“Ain amigo, você é mal”

-“ Claro, eu. Eu que saio dando voadora nos amigos bêbados”

-“ Já pedi desculpa!”

-“okay okay, agora sai de cima de mim”



 
                             ¶°¶


Como a vida fica chata quando: Seus amigos estão se comendo em algum lugar, sua irmã esta na quimioterapia, e não tem nada para fazer. Então só me sobrava andar por ai, igual a uma alma penada. Comecei a andar por aqueles corredores bem conhecidos por mim, cada gota de agua em seu lugar. Mas acho que tem alguém lá em cima que me odeia, por que além de ser cego, e meu dia esta ótimo, minha cabeça doía, um miserável, filho de uma mãe abriu a porta com tudo batendo na minha linda face, me fazendo desequilibrar e cair batendo minha linda bundinha. Resmunguei alto querendo que pessoa ouvisse logo sentindo suas mãos me ajudarem a levantar, e meu deus que cara de porta hein jovem?

-“ Oh perdão, não vi que você estava passando”

-“Tudo bem, eu não deveria sair andando assim sozinho” – Suspiro sentindo como se sangue sair pelas minhas narinas, foi realmente uma pancada forte, mas não a esse nível

-“ Por que não?”

-“Eu preciso de um guia”- Senti o olhar novamente pesado e pena sobre mim, agora que você percebeu

-“ Você é cego?!”- Saiu mas como uma afirmação do que uma pergunta me fazendo rir baixinho

-“ É sou, mas enfim. Me chamo Byun BaekHyun é um prazer, como se chama o moço que quase quebrou meu nariz com a porta?”

-“ Na verdade ele é a porta”

Vi um garoto de traços femininos e rosto angelical atravessar a porta me entregando um sorriso bonito. De início da ate para confundir com uma garota, mas logo percebi ser um garoto

-“ Não sou uma porta, você é uma boneca de porcelana chinesa”

-“ Boneca de luxo, meu filho. É um prazer conhece-lo. Sou o Luhan e esse é meu namorado Sehun”




                 


Notas Finais


Então vocês devem ta pensando "pow ela demora um século e não muda nada". Mas então, primeiro eu demorei por causa dos motivos citados no aviso, o fato de ter uma fic parecida, falta de inspiração e tals. E sobre ser o mesmo capítulo, eu tentei melhorar mas ou ficou pior ou na mesma, então deixei igual e mudei o final. Mudei algumas coisas na estória para não ficar igual aquela a e vou tentar postar o máximo possível.

E caso alguém se interessar (1): Estou escrevendo uma outra Fic e logo deixarei o link se quiserem quando postar

E caso alguém se interessar (2): nosso traileeeer ♡ https://www.youtube.com/shared?ci=wRVV1X-g6L8 Obrigada a Fernanda (Não sei o nome aqui) pelo trailer maravilindo

Reclamações, elogios, puxões de orelha pelas minhas redes. Ainda não tenho tt mas assim que tiver informo

REDES SOCIAIS NO MEU PERFIL ♡

Beijos seus lindos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...