História O Amor que ultrapassa barreiras - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Bugglady

Postado
Categorias Originais
Visualizações 5
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Culpada novamente e um reencontro emocionante


Davis on

Depois de sair do quarto do Adilah, vou para a cozinha e faço um simples miojo (Comida rápida, fácil e pratica hehe), logo Rayna volta.

- Cade a Adilah?! – ela pergunta desesperada, mas o que será que aconteceu?!

- Ela ta no quarto, mas porque... – ela sai da cozinha, me deixando num perfeito vácuo afff.

Me levanto e vou atrás dela ate chegar no quarto da Adilah.

- Adilah. – ela senta na cama e a chama. – Acorde!

- Hum?! – ela começa a acordar. – O que aconteceu?!

- O juiz precisa te ve!... – exclama Rayna, mas porque será?!...

Davis off

Adilah on

-... Acorde! – foi a primeira coisa que ouço ao abrir os olhos.

- Hum?! – estava tonta, nossa eu dormi que nem percebi direito.

Quando acordo, me pergunto mentalmente onde estou, sei la tudo parecia tão esquisto, so que ai me lembro que estou nos Estados Unidos e não em minha casa...

- O juiz precisa te vê!... - Era a Rayna que tinha me acordado... Perai! O juiz precisa me vê, porque?!

- Mas eu não fiz nada! – retruco. – Por que ele quer me vê?!

- Ele... – ela respira fundo e nessa hora vários soldados entram no quarto. – Acho melhor você nos acompanhar. – ela diz triste e dois soldados me prendam em seus braços e eu não entendo porque!...

- Me soltam! Eu não fiz nada! – grito enquanto sou arrastada pelos soldados!

Por que eles estão fazendo isso comigo?! Eu não fiz nada!

Adilah off

Rayna on

Doia meu coração ao vê a Adilah ser arrastada como um criminante!... Mas eu não podia fazer nada!...

- Por que estão a levando para o juiz?! – O Davis pergunta desesperado, pensei que pra ele tanto fazia se a Adilah estivesse bem ou não.

Mas eu não respondo aquela pergunta, somente abaixo a cabeça como sempre faço quando tento ajudar, mas so sirvo pra atrapalhar. Ou quando vejo algo injusto acontecer e sei que não posso fazer nada...

Começo a me afasta do meu irmão e vou para meu carro. Dou partida no carro para acompanhar Adilah no carro dos soldados que tinha a prendido, ate que meu irmão entra na frente e freio o carro bruscamente para não atropelá-lo, mas o que ele quer?!

Davis sai de frente e entra no carro, sentando ao meu lado.

- Se você não quer me contar! – ele olha no fundo dos meus olhos. – Eu vou descobri!

Apenas olho para frente e dou novamente partida no carro. Logo chegamos ao mesmo prédio que a pouco tempo havia saído, trazendo comigo vários soldados que agora levavam Adilah para frente do juiz.

Saio do carro rapidamente com meu irmão, e atravesso a porta sem ao menos cumprimentar a Susie.

Logo chegamos a sala, onde a Adilah já se encontrava sentada a uma cadeira em frente ao juiz.

Davis fica paralisado, por isso tenho que puxá-lo junto comigo para se sentar no banco.

- Adilah você esta aqui presente por conta de uma acusação! – começa o juiz a falar, e sinto um enorme arrepio por ser culpada por isso.

- A-A-Acusação?! – ela olha pra mim e como sempre abaixo a cabeça. – Que acusação?!

- Sim, uma acusação de que, você tenha participação do trágico de armas que vieram no navio em que você naufragou!

- Que armas?! Eu não sei de armas nenhuma! – ela grita desesperada.

- Essas armas! - o juiz manda que trouxesse a carga de armas que entram na sala, deixando Adilah paralisada, principalmente porque tinha a marca de seu país.

- Eu juro! Eu não sabia disso! Eu e meu povo so queríamos sair do nosso país que estava sendo invadido!...

- Sera mesmo?! – o juiz era sempre frio, mas agora estava passando dos limites!

- Peço permissão pra falar! – digo e espero que ele me permita falar.

- Permissão negada! – droga! Olho para Adilah, me levanto e reúno forças pra falar mesmo não sendo permitida.

- Se ela diz que não tem culpa, porque não podemos ao menos ouvir o que ela tem a dizer?! – o juiz me encara e congelo na hora.

Sabia que ele tinha poder maior do que eu e que agora mesmo se por decisão dele, eu podia esta na rua! Mas isso não pode acontecer, porque sou a única que sustenta a casa!

- Seja sensato Lucas! – exclama Davis se levantando também ao meu lado, mas ainda olhando pra o juiz. – Deixe que a vitima fale.

Fazia muito tempo que ambos não se encontrava e na hora que Lucas bateu seu olhar em Davis ficou triste, acho que naquele momento ele se lembrou do quanto um dia ambos foram grandes amigos.

- Esta bem... – ele volta o olhar para Adilah. – Você tem a palavra Adilah.

Suspiro aliviada e me sento, esperando que Adilah se saísse bem nas palavras que me convenceram da ultima vez que ela falava a verdade...

Rayna off

Adilah on

E agora?! O que eu digo?! Estava tão apavorada que não sabia ao certo o que dizer! Olho para Rayna, mas ele concentrava seu olhar para o juiz, mas ao virar um pouco meu olhar, me deparo com um par de olhos castanhos, assim como o meu, me olhando. Era Davis que sorri confiante pra mim, me fazendo senti vergonhada, mas ao mesmo tempo, forte para falar a verdade!

- Senhor juiz!... Sou de um pais pobre que foi invadido por soldados que mataram á muitas famílias, dentre elas... – faço uma pausa por lembrar-se de meus pais. – A minha... – deixo uma lagrima sai de meus olhos. – Mas meu namorado e eu tentamos salvar nossas vidas, e a única solução era o navio que nos levaria para um destino sem rumo! A única coisa que queríamos era nos salvar! Deixemos para trás... Nossa casa, nossa família, nossos amigos, e o nosso casamento... O senhor não faz a mínima ideia de como isso é horrível! – nesta hora percebo que estou gritando e que o juiz olhava pra mim frio.

- Eu sei, eu também pedi minha família. – ele diz e manda que os soldados que havia trazido as armas saíssem e trouxesse uma pessoa... Quem será essa pessoa?!

Os soldados saem e logo a porta por onde entrei é aberta de novo, revelando os mesmo soldados que haviam saído agora pouco, trazendo consigo uma pessoa algemada, uma pessoa que nunca mais viria...

- Felix?!...


Notas Finais


Vish, ferrou tudoooooo kkk.
Agora sim, será impossível nosso Shipp se tornar real kkk.
Obs: O amor ultrapassa barreiras.
Hehe. Até o próximo capítulo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...