História O Amor Se Fez Presente - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gustavo Stockler (Nomegusta), Kéfera Buchmann
Personagens Gustavo Stockler, Kéfera Buchmann
Tags Gustavo Stockler, Kéfera Buchmann
Visualizações 134
Palavras 1.332
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem ta às 05:00 da manhã pra postar um capítulo? Euuuuu!!!
Deveria estar domirndo? Sim
Vou ter aula às 07:00? Vou
Vai ter duas aulas seguidas de português? Vai
A professora é lagal? Não
Mas mesmo assim to aqui, então mereço um pouquinho de consideração, né? Né

Capítulo 28 - Trabalho


Anteriormente

Ficamos conversando por mais alguns que precisava resolver uns últimos assuntos da revista pra poder me devolver a minha belezinha. Por mais que fosse tudo muito corrido eu amava aquele lugar, é como a minha segunda casa

...........

Tinha acordado um pouco mais disposta, hoje teria que voltar a trabalhar e por incrível que pareça estava bem com isso, gosto do meu trabalho, é muito cansativo mas gosto dele.

Acordei às 06:00 da manhã, tinha que estar no meu escritório às 07:00 no máximo 07:30, tinha algumas coisas coisas pra revisar antes de "voltar" a ativa no meio daquela bagunça toda. Tomei um banho não muito demorado me preparando para a pior parte, escolher uma roupa.

"Vamos lá Ké, você consegue fazer isso!!!"

Olhei para o meu guarda-roupa, respirei fundo e fui a procura de uma roupa. No final das contas nem demorou tanto assim, optei colocar uma saia azul escura que ia até o meio das minhas coxas, uma blusa branca de seda e um scarpin preto. Peguei uma bolsa azul marinha e coloquei tudo que iria precisar dentro.

Bruna: Se você descer agora tem alguma, mínima, possibilidade de não chegar atrasada.

Olhei para o relógio e quase tive uma parada cardíaca, 07:15. Desci o mais rápido que eu pude, Bruna ia me dar uma carona até o trabalho e de lá ela iria resolver alguns problemas pendentes, como ela falou. Descemos ambas atrasadas, mas assim o trânsito também não tava ajudando.

Ké: Por acaso você falou com o Vitor?

Bruna: Não, ainda não.

Ké: Vai falar com ele hoje?

Bruna: Talvez...

Ké: Odeio quando você faz isso.

Bruna: Isso o que?

Ké: Fica falando como se eu não te conhecesse, como se eu já não soubesse que você ta louca pra falar com ele.

Bruna: Eu não to louca pra falar com ele!

Ké: Aham, sei... E a terra não é redonda.

Bruna: Não, a terra é plana e a NASA mentiu todo esse tempo.- ela diz em um tom sério mas logo começa a rir.

O caminho foi cheio de conversas, fazia tempo que eu não ria tanto com a Bruna, naqueles 30min dentro do carro a gente parou pra conversar sobre tudo, não só o ciúmes dela de ontem mas também de outras coisas.

Bruna: Já que a gente ta falando de tudo, eu tenho uma coisa pra te contar.

Ké: Meu Deus!!! Eu já vou ser titia???

Bruna: Não idiota... Sabe a emergência no meu trabalho?

Ké: Aquela que você teve que voltar pra cá e me deixar naquela casa sozinha com um bugre? Sei!

Bruna: Ela meio que...

Ké: Meio que...?

Bruna: Meio que foi um pretexto pra eu poder passar uns dias sozinha com o Vítor.

Ké: E O QUÊ BRUNA?

Bruna: Não precisa gritar!!!

Ké: Você me deixou sozinha naquela casa pra ficar com o Vitor?

Bruna: Veja pelo lado positivo da situação

Ké: Qual??

Bruna: Você e o Gusta não estariam juntos agora.

Ké: Não pode ter tanta certeza

Bruna: Posso sim, te conheço e sei que você não iria dar mole pra ele se eu estivesse lá.

Ké: Por que você acha isso?

Bruna: Porque você é dura na queda, se faz de difícil na frente dos outros.

Ké: Eu não me faço de difícil.

Bruna: Quer um exemplo?

Ké: Quero!

Bruna: Matheus.

Ké: O que tem ele?

Bruna: O coitado é louco por você.

Ké: Ele não é louco por mim.

Bruna: Tá na cara que ele é, você não vê por que não quer.

Ké: Ele é só um amigo, nada além disso.

Bruna: Sei...

Matheus era um amigo que eu conheci à algum tempo, ele era meu médico na época em que eu estava grávida da Alice e me ajudou a superar a perda dela, apesar de só ver ele como um bom amigo eu sei que ele não me vê assim, já percebi algumas tentativas de aproximação mas nunca dei bola, por mais bonito que ele fosse não conseguia olhar pra ele com outros olhos.

Cheguei no meu escritório às 07:55, daria para rever algumas coisas e voltar de vez para o trabalho. Entrei no meu andar e todos me olharam com uma certa curiosidade.

Ké: Gente, eu passo dias fora e é assim que vocês me recebem?

Todos começaram a rir e eu andei até a minha sala. Quando entrei dou de cara com uma ruiva sentada me esperando, Senhorita Gabriela Fernandes.

Ké: O que a Senhorita deseja?

Gabbie: Falar com uma certa morena que tem o nome meio estranho, sabe quem ela é?

Ké: Morena? É que tem tantas aqui... - Acabamos rindo.

Gabbie: Tenho que te contar umas coisas.

Ké: Fala Ruiva.

Gabbie: Sabe o Nando?

Ké: O fotógrafo? Sei!

Gabbie: Ele sofreu um acidente de carro e está internado no hospital, parece que o estado dele é grave.

Ké: Como isso aconteceu?

Gabbie: Um motorista bêbado bateu no carro dele, o carro chegou a capotar algumas vezes.

Ké: Ele tava sozinho no carro?

Gabbie: Ele tava indo buscar um amigo na balada, não sei, mas o motorista fugiu da cena do crime, só chamou uma ambulância e depois foi embora.

Ké: Filho da puta, mas e como ficou a situação aqui?

Gabbie: O irmão de uma amiga minha é fotógrafo então eu pedi pra ele substituir o Nando, até ele se recuperar.

Ké: E esse fotógrafo novo...?

Gabbie: Deve estar no estúdio arrumando algumas coisas.

Ké: Vou lá falar com ele

Gabbie: E eu vou voltar para o nau cargo, foi bom ser chefe enquanto durou.

Nos duas rimos e ela foi para sala dela, que por sinal é ao lado da minha. Tinha alguns papeis para assinar e acabei adiando a minha ida até o estúdio para conhecer o novo fotógrafo, mas ele provavelmente já deve saber se virar sozinho por aqui. No meio do dia recebi uma mensagem do Gusta falando que não poderia almoçar comigo hoje, como tínhamos combinado ontem, pois a nova chefe tinha chegado e eles não haviam sido apresentados, eu disse que tudo bem e que também tinha algumas coisas pra fazer. Já perto da hora do almoço decido ir logo no estúdio e finalmente conhecer o tal fotógrafo novo.

O estúdio ficava no andar de cima então eu peguei o elevador e subi. Andei até a porta do estúdio e bati antes de entrar, ele estava de costas destraido com alguma coisa no notebook e provavelmente não me ouviu entrando.

Ké: Então você é o novo fotógrafo?

Xxx: Sim, eu... - Ele se virou para me encarar e eu fiquei paralisada, como?

Ké: Gusta? Ta fazendo o que aqui?

Gusta: Eu que te pergundo.

Ké: Sou a diretora da revista.

Gusta: E eu o novo fotógrafo.

Ké: Porque não me falou que trabalharia aqui?

Gusta: Porque não me falou que trabalha aqui?

Ké: Você não perguntou.

Gusta: Muito menos você.

Ficamos nessa por mais alguns segundos até o silêncio tomar conta do local. Não que eu não quisesse ele aqui, muito pelo contrário, mas era estranho ver ele no meu local de trabalho, ainda mais estranho pelo fato de eu ser a chefe dele. O Silêncio ainda tomava conta do ambiente, vi os olhos do Gusta passar pelo meu corpo e senti minhas bochechas queimarem.

"Que isso Kéfera? O cara já te viu com muito menos peças de roupa e você não ficou com vergonha!"

Gusta: Você ta linda hoje!

Ké: Obrigada - Disse desviando o olhar. A gente namorava, certo? Então por que eu estava me sentindo tão estranha com ele aqui?

Gusta: Ta mais linda ainda com as bochechas vermelhas.

Ké: Você é um idiota.

Ele se aproximou mais de mim e pegou no meu queixo, me forçando a encara-lo, ele não disse nada apenas me deu um beijo calmo, correspondi sem nem ao menos lembrar que estava no trabalho. Ele tinha esse efeito sobre mim, me fazia esquecer de tudo, tinha vezes que era difícil lembrar o meu próprio nome. O ar foi faltando e o beijo precisou ser parado, eu ainda estava de olhos fechados mas sabia que ele estava me olhando, era como se eu pudesse sentir os seus olhos queimar a minha pele.

Gusta: Porque você fica tão linda quando ta com vergonha?

Ké: Eu não to com vergonha - Disse abrindo os olhos

Gusta: Você ta vermelha e quando você fica vermelha é por que ta com vergonha.

Ké: Já disse, não to com vergonha - Disse dando um leve tapa no ombro dele.


Notas Finais


Para tudo, para tudo!!!!!!
Matheus????
Gusta trabalhando na revista da Ké?????
Calma calma.
Como diria o meu parceiro Roberto Carlos "São muitas emoções"
Vai vim coisa boa por ai!!!!!
Mas eu sou malvada e não vou contar nada, vão ter que esperar os próximos capítulos 😝😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...