História O Amor Separado Pela Terra e o Mar - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~MyLadySamy

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Visualizações 31
Palavras 619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello!!!
MyLadySamy na área...
Desculpa a demora!!!

Mas espero q gostem do capítulo!!!

Capítulo 5 - Decisão errada


Povs Mari

Ele pegou a faca e...

Antes que ele fizesse algo comigo, disse algo que me arrependi amargamente:

- Eu te levarei ate a minha casa!

Ele para minha alegria parou de se aproximar.

- Serio mesmo? Mas nem aproveitei do meu mais novo brinquedo.

- Se você tocar em mim... Da minha boca não sairá mais nenhuma palavra! – digo com o tom mais ameaçador que conseguir.

- Haha. E você acha que esta em situação para negociar?

- Anteriormente vocês prometeram que se eu falasse onde esta o meu povo, vocês me soltariam!

- Hum... Acho que esqueci de dizer, mas eu não cumpro com as minhas promessas!

Ele começa a se aproximar novamente. Cada passo que ele dava em minha direção mais ainda aumentava meu desespero. Por isso comecei a gritar o mais forte que podia, esperando que alguém pudesse me salvar daquele louco!

Povs Adrien

Não aguentava mais ouvi-la gritando!

Sair de meu quarto correndo e fui ate a sala onde meu pai estava a torturando.

- Pai! Para por favor! - Ele parou e me olhou incrédulo. Mas meu olhar voltou-se pra aquela sereia. – Faça o que ele esta mandando. Leve-nos ate seu povo.

Ela apenas abaixou a cabeça e percebi que a mesma estava chorando.

- Eu faço tudo que vocês quiserem, mas parem! – ela gritou e voltei meu olhar para meu pai.

- Pronto pai. Ela vai nos levar ate la. Você vai cumprir com o que diz neh? – falo e ela confirma com a cabeça. - Viu?

- Estava apenas mostrando a ela quem é quem manda aqui! – ele grita cheio de fúria e joga a faca pro o outro lado da sala, assustando mais ainda a pobre sereia. – Tire ela da minha frente!

Sem pensar duas vezes corro ate a sereia e a liberto das correntes que a prendiam. Tiro a sereia do chão e a carrego em meus braços em direção ao meu quarto. Entro e fecho a porta, percebo que ela geme com medo de que pudesse fazer algo pior do que meu pai faria, se eu não tivesse chegado antes.

- Não se preocupe, não farei mal algum a você. Trouxe-a para meu quarto, para libertar seus ferimentos.

Ela soltou então um suspiro de alivio.

Povs Mari

Ele era diferente de seu pai.

Ele não queria meu mal, pelo contrario, queria apenas meu bem.

O loiro pega um pano, um balde com agua e começa a limpar os meus ferimentos. Ele era gentil e tinha cuidado ao limpar minhas feridas.

Mas... Eu permanecia em silencio.

Na verdade, eu tinha que falar algo! Eu tinha que agradecê-lo!

- Como é seu nome? – pergunto e seu olhar encontra com o meu.

Aqueles lindos olhos verdes me hipnotizaram.

- Adrien. – o loiro respondeu e logo em seguida, molha o pano novamente e dessa vez passa ele suavemente sobre meus lábios machucados.

- Obrigada Adrien.

Ele sorrir, me deixando mais uma vez hipnotizada, mas aquele momento durou pouco... Muito pouco.

- Finalmente os encontrei! – rugiu aquele homem mal assim que abriu de uma vez a porta. – Chegou a hora de você me levar ao seu cardume sereiazinha!

- Mas ela ainda não esta recuperada... – exclama Adrien colocando-se em minha frente, mas seu pai com empurrão somente, lançou Adrien para longe de mim.

Sem pensar duas vezes, ele puxou pelo o cabelo e saiu me arrastando pra longe do quarto, onde estávamos. Doía bastante, mas aguentei ate que finalmente chegamos em uma cabine, parecia que aquela era a sala de controles. So então pude perceber que estava em um outro barco. Aquele não era o mesmo barco, onde fui raptada pelo o Eudes.

- Vamos! Mostre-me para que direção fica seu cardume!


Notas Finais


Vish...
E agora?? ?
O que acontecerá?? ?
Será que a Mari vai mesmo fazer isso???

Agora é com vc Juh!!
^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...