História O Amor Supera. . . - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 41
Palavras 2.532
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Dois


Fanfic / Fanfiction O Amor Supera. . . - Capítulo 2 - Dois


Rick Styles


AH MEU DEUS, EU MATEI A MENINA! Tô ferrado, se minha mãe souber que já no primeiro dia aconteceu isso, eu vou...


Eu vou contar como eu cheguei até lá, e quem de tão “importante” eu iria encontrar.


Não sou o pior aluno mas também não sou o melhor. Eu gosto de curtir a vida, me divertir, muitos me chamam de galinha mas eu costumo me classificar como "conquistador", um nome mais bonito, não é?.


Mas qual o homem que não gosta de ter uma linda garota ao seu lado?


Só os que não gostam da fruta mesmo.


Júlia. Ela foi o motivo de eu ter “atropelado” a garotinha, ela diz ser minha namorada, e eu não à desminto, mas a traio com qualquer uma.


Júlia é muito linda, dona de um corpo cheio de curvas que deixa qualquer um louco, cabelos castanhos com as pontas loiras e longos, eu não sei como chama esse treco.


Enfim, eu só deixo ela pensar isso porque ela é linda e muito boa de cama, mas as vezes ela quer mandar em mim e,eu tenho que lembrá-la que não temos nada.


Eu sou um cara bonitão,onde passo chamo a atenção das garotas.Tenho os olhos verdes, sou alto e tenho um corpo definido com uma tatuagem no peito.


Quando eu fiz minha mãe surtou.


Meus cabelos são pretos e eu só deixo pra cima meio bagunçado.


Meu estilo é igual a qualquer britânico, gosto de roupas rasgadas e um Vans combinando.


Ah, já ia esquecendo,eu tenho um melhor amigo, quase irmão, o Renan. Nossas mães se conhecem desde de jovens e nós nascemos quase juntos a diferença de um ou dois meses.


O Renan è igual à mim na personalidade, somos o que chamamos de "os pegadores".


Diferente de mim o Renan não tem nenhuma garota chata no seu pé, sorte à dele.


A gente divide o quarto desde que entramos aqui.


-E ai cara como anda seu "namoro" com a Júlia?-Renan me perguntou fazendo aspas com os dedos em namoro.


Estávamos no nosso quarto arrumando nossas coisas e conversando, e ele vem me lembrar da grude da Júlia.


-Anda do mesmo jeito.-eu respondo irritado.


Ele sabe que eu já estou cansado dela mas faz questão de me irritar, bom amigo eu tenho.


-Eu já não aguento mais, eu v...-sou interrompido pelo meu celular que apita no bolso da calça, tirei ele e o olhei.


Uma mensagem.


-Falando na diaba!-falei quando vir que era a Júlia. Abri a mensagem bufando, mas arregalei os olhos logo que vi do que se tratava.-Meu Deus!-exclamei surpreso.


- O que foi?-Renan me perguntou se aproximando.


-Por isso eu não largo essa idiota!-eu disse sorrindo malicioso.-Olha, ela me mandou uma foto nua.-eu disse e entreguei o celular pra ele.


-"Para meu amor não esquecer de mim."-ele leu a legenda e eu sorrir, só ela mesmo.-Que garota linda Rick!


-O que ela tem de linda ela tem de chata.-quando eu fechei a boca meu celular tocou nas mãos do Renan.


Já até sei quem é.


-È ela.-ele disse e me entregou o celular.


Não falei?


Peguei e atendi.


-Fala.-digo ao atender de forma grossa.


-Oi, meu amor, gostou do meu presente? -Júlia falou com a voz rouca e eu sentei na cama e sorrio.


Renan sentou ao meu lado e fez sinal pra colocar no viva-vos e o que faço na hora.


-Claro que eu gostei Ju, mas eu gostaria de ver ao vivo.-fiz minha melhor voz sexy.


-Pois venha ver, eu estou no estacionamento da escola, dentro do meu carro, sem nenhuma peça de roupa, lhe esperando!-ela disse e eu e Renan arregalamos os olhos.


Eu já fiquei animado ao imaginar a cena.


-Vem pra cá!-ela continuou querendo ser sensual.


-Estou chegando. -disse levantando e desliguei.


-Essa garota é louca.-Renan disse o óbvio e eu só concordei com a cabeça e saio do quarto.


"Venha rápido, senão eu posso me cansar!"


Ela mandou essa mensagem e eu balancei a cabeça negativamente e comecei a correr.


Ah Júlia, você vai se arrepender de me provocar, eu vou acabar com você!


Sorrir com esse pensamento e olhei pra baixo quando virei o corredor dos armários.


Calma amiguinho, já já você irá ganhar seu prémio!


Olhei para frente e me assustei ao ver que eu estava correndo em direção a uma garota que estava no meio do corredor.


-SAI DA FRENTE!-gritei e ela olhou pra mim e arregalou os olhou.


Não deu tempo dela sair do lugar, pois eu já estava muito perto e atropelei a garota fazendo nós dois caímos no chão.


Eu segurei na cintura dela para tentar não à machucar, mas mesmo assim ela bateu a cabeça.


Ah meu Deus, eu matei a garota!


-Ai.- ela grunhiu de dor ao tentar mexer o corpo.


O cabelo dela estava em todo o seu rosto, eu tirei uma mão de sua cintura e limpei seu rosto do seus cabelos, e vir que sua testa sangrava.


- A.Meu.Deus.-eu exclamo com aquilo.-Você está bem?-pergunto preocupado. Ela não me responde e só me encara estranho por alguns segundos.-Moça eu te machuquei? -ela faz careta.


-Você ainda está...em cima...de mim.-ela disse fraco.


-Oh, perdão!-eu disse ainda com os olhos arregalados saindo de cima dela e limpei minha roupa, ela gemeu ao tentar se levantar eu me toquei.-Desculpe!-eu disse lhe oferendo a mão, ela revirou os olhos antes de aceitar.


Ela ficou de pé, ainda apoiada em mim e de um lado do rosto dela estava manchado de sangue.


Débora chegou toda preocupada com a garota, brigou comigo, só faltava me decapitar ali mesmo, mas a garota disse que estava bem, porém do nada ela me olhou de cima abaixo com uma cara estranha e eu entortei a cabeça tentando entender.


-Ela realmente está bem?-eu perguntei olhando para Débora segurando a garota pelos braços.


-Eu estou bem! -ela disse bufando se soltando de mim e deu um passo para trás mas suas pernas vacilaram e eu a segurei.-Eu acho que eu não estou bem!-ela disse me encarando com aqueles olhos azuis profundos e depois desmaiou, eu a peguei no colo.


-Ela desmaiou, vem, vamos leva-la para enfermaria!-Débora disse quase surtando e olhando para todos os lados, acho que para ver se alguém viu aquilo, o que eu agradeço muito.


Assentir assustado e começamos a andar.


Olho para a garota pequena em meus braços e ela está mais pálida que o normal.


Chegamos à enfermaria e logo um médico nos atendeu e me disse para colocá-la na maca que ele iria examiná-la.


-Ela está bem, só foi um susto. -o médico nos informou depois de alguns segundos e eu soltei um suspiro aliviado.


Ele fez um curativo na testa dela e nos olhou sorrindo.


- Daqui a pouco ela acorda.-ele avisou.


- Os pais dela devem está à procurando.- Débora murmurou atrás de mim.-Fique aqui Rick, que eu irei falar com os pais dela.-ela disse e eu desviei o olhar da garota e à olhei preocupado.


-Você vai contar à eles?-perguntei preocupado.


-Vamos esperar ela acorda, e ela decide.-ela me disse e deixou a enfermaria.


-Fica calmo rapaz, ela está bem.-o médico quis me tranquilizar com a mão no meu ombro e eu sorri fraco.


Se ele soubesse que eu não estou preocupado com isso.


-Eu vou resolver uma coisas e já volto.-ele disse e eu só balancei a cabeça confirmando.


Ele saio da sala e eu começei a andar de um lado para o outro passando a mão nos cabelos.


Se minha mãe souber disso ela tira meu carro, foi o que ela me disse antes de me deixar aqui.


Filho,se você aprontar alguma coisa e eu tiver que vir na escola, você fica sem carro!


Ela disse com sua voz firme e irritada.


Mas a garota está bem, não está?


Olhei para a garota que dormia na maca e ela parecia bem, ainda estava pálida mas ela já è branca por natureza.


Agora que o susto passou,essa garota é bem bonita, parece mais um anjo.


Me aproximei da maca, e ela tem um pouco de sardas no nariz mas quase não dar de perceber, só chegando bem perto, seus cabelos ruivos estão jogados ao seu redor, acho que è um ruivo natural pois eu nunca vir nenhuma garota ruiva com o cabelo dessa cor.


Bom chega de cabelo, o nariz dela è pequeno, mas não só o nariz e sim ela inteira, a garota é tão pequena que acho que na maca caberia duas dela, sorri com esses pensamentos.


Os lábios dela estão levemente rosados -acho que porque ela deve ter passado batom- e carnudos.


Olhei para o corpo dela e ela é bem bonita, como ela usava um vestido justo azul com os últimos acontecimentos subiu um pouco, mostrando sua coxas grossas.


Me deu uma vontade de apertar, mas como eu não sou nenhum tarado pra tocar na garota inconsciente, me contentei só em morder o lábio inferior.


Se controla Rick, mantenha o foco...me alertei.


Ela estava calçada com uma sapatilha mas eu tirei quando chegamos.


Voltei minha atenção para seu rosto quando ouvir um gemido vindo de seus lábios.


Ela estava acordando!


Ela fez uma careta ainda de olhos fechados e levou a mão a cabeça e abriu os olhos lentamente, olhou ao redor e depois me encarou confusa.


-Oi.-eu sorrir fraco.


Vai que ela começa a surtar, eu que não vou arriscar e quem sabe ela não se encante com o meu sorriso e decidi não contar para ninguém, modéstia a parte, eu tenho um sorriso lindo.


- Onde eu estou?-ela perguntou ignorando minha educação.


Ah menina mal educada!


- Você está na enfermaria da escola p...-comecei.


-Por que? -ela me interrompeu me fazendo bufar.


-Eu iria te dizer se você não tivesse me interrompido antes, mas...-respirei fundo.-Bem, porque eu meio que te atropelei. Mas e...-eu disse com calma e receio e ela me interrompeu de novo.


Que garota chata!


- Espera!-ela levantou a mão-Eu estou lembrando.-ela disse e fechou os olhos com força e ficou assim por alguns segundos.-Lembrei, você è muito louco!-ela disse e sentou na maca com algumas caretas de dor.


-Desculpa, eu não tinha te visto!


-Eu percebi, mas tudo bem.-ela disse com um sorriso lindo e eu sorri também.-Não precisa se preocupar, eu não irei te dedurar.-ela tranquilizou sorrindo docemente.


-Valeu.-eu disse aliviado e desconfiado.


Por que ela não estava dando um chilique?


- Eu estou bem?-ela perguntou parecendo preocupada.


-Eu que devia lhe perguntar!-eu disse o óbvio com um sorriso torto no rosto e as sobrancelhas arqueadas estranhando sua pergunta.


-Não, porque eu tenho certeza que o médico já me examinou e te falou alguma coisa.-ela me explicou séria.


Acho que ela não gostou da minha resposta.


Mas ela queria o que com essa pergunta estranha?


-Ah, ele disse que você está bem. Como você se sente?-perguntei me aproximando.


-Só com um pouco de dor de cabeça.-ela disse passando a mão nos cabelos e colocou as pernas para fora da cama.


-Vejo que nossa mocinha acordou!-o médico diz entrando na sala com um largo sorriso.-Como você se sente?- ele perguntou parando ao meu lado.


-Ela está com dor de cabeça!-falei rápido não dando tempo dela responder.


-É só tomar um analgésico que irá passar.-ele disse com um sorriso amigável que ela retribuio.-Você já está liberada.


-Obrigado.-ela agradeceu e olhou pra baixou.


Eu me abaixei e peguei suas sapatilhas e à calcei em meio a seus protestos,como o pé dela è pequeno!


Em seguida me aproximei para ajudá-la a descer, segurei em sua cintura e fiz questão de colar nossos corpos, e a deslizei até o chão devagar, me afastei dela e à olhei, ela estava com as bochechas coradas.


Tão fofinha!


Sorri com isso.


-Até logo senhor...-ela ficou sem saber o que falar meio envergonhada.


-Ah, eu me chamo Marcos Malik.-o médico rir sem graça.


-Obrigado Doutor Malik, foi um prazer.-ela disse entendendo a mão que ele à apertou.


Que garota educada.


- Até Senhorita Maldonado, espero que nos encontramos em outra circunstâncias!-o médico disse bem humorado.- Até rapaz.-ele disse e eu só acenei com a cabeça.


Saímos da enfermaria e caminhamos por alguns minutos em silêncio, eu não sei nem para onde iríamos mas não quis perguntar a menina ao meu lado, ela parecia muito concentrada nos seus próprios pensamentos para me dar atenção.


Eu à chamo de menina porque ela bate no meu ombro e parece uma boneca de tão frágil.


De repente ela parou de andar e eu estranhei e à olhei confuso.


Ela me olhou com um sorriso envergonhado no rosto.


-Você poderia me dizer onde fica o dormitório feminino, por favor?! É que hoje é meu primeiro dia aqui e a Débora não me mostrou ainda onde fica.- ela me pediu gesticulando com as mãos e olhando para o chão.


Era só isso?


Eu não sei para que tanto drama.


-Claro. -eu disse dando um passo em sua direção levantado seu queixo à fazendo me olhar nos olhos e sorri, ela sorrio lindamente.


Não sei o porquê mas essa garota me encantou com o seu jeito envergonhado e sua beleza de boneca, mesmo ela parecendo uma menininha.


- Eu te levo até lá.-falei dando de ombros.


-Mas garotos não podem entrar lá! -ela me disse o óbvio como se eu tivesse xingado alguém.


-Relaxa, como hoje é o primeiro dia e está de dia, ninguém se importa.-eu disse dando de ombros e puxando seu braço, ela hesitou um pouco mas logo me acompanhou tirando minha mão de seu braço.


Garota difícil.


-A propósito, eu me chamo Rick, Rick Styles e você?-Me apresentei.


- Me chamo Esther Maldonado.-ela disse sem olhar pra mim, o que me incomodou, mas por quê?


O resto do caminho foi em um silêncio insuportável, eu até tentei puxar assunto, mas a Esther não estava para papo.


Eu devo ter à julgado mal, ela não è gentil coisa nenhuma!


Como eu sei qual é o quarto dela?


Simples, a Débora me disse, nem sei o porquê mas serviu de alguma coisa.


Chegamos ao quarto dela, ela me agradeceu e eu me desculpei de novo.


-Eu já disse que não foi nada.-ela disse me surpreendendo com um beijo na bochecha, ela teve que ficar nas pontas dos pés.


Eu sorrir com aquele jeito tímido e ela corou.


-Até mais pequenina! -eu disse com um sorriso torto e ela me deu um leve tapa no braço e eu fingir uma cara de dor e passei a mão onde ela bateu - A pequenina até que è bem fortinha!-brinquei.


-Nem foi tão forte assim!-ela se defendeu. -Tchau Rick.-ela disse e acenou com a mão antes de entrar no quarto.


Antes de me afastar completamente ouvir um grito fino vindo do quarto dela, me preocupei mas logo percebi que era as amigas dela, pois uma falava alto o quanto sentia sua falta.


Segui meu caminho mas de repente meu celular apitou avisando que chegou uma nova mensagem.


Olhei o conteúdo e arregalei os olhos.


Me lasquei!


"EU VOU TE MATAR RICK STYLES!"


Droga!


Eu esqueci completamente da grude da Júlia!


Bati a mão na testa me condenando por ter que aturar essa garota enchendo o meu saco depois.


Ela deve ter surtado.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...