História O Amor Supera. . . - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 22
Palavras 2.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Oito


Fanfic / Fanfiction O Amor Supera. . . - Capítulo 8 - Oito

Rick Styles

Quando Esther entrou naquela sala acompanhada por aquele pé no saco do Beto, sei lá eu sentir uma coisa no peito, mas eu me nego a pensar que seja ciúme, e o infeliz fez questão de me provocar.

Por isso eu fui meio indiferente com ela, eu não posso deixar uma pirralha daquela mexer com o meu coração, mas ao mesmo me sentir mal pela pequenina.

Depois da aula eu fui para o meu quarto tomar banho pra depois ir almoçar, o seboso do Renan foi direto. Eca.

Tomei um banho demorado e sair com uma toalha enrolada na cintura e secando o cabelo com outra, quando olhei pra frente me deparei com Esther parada no meio do quarto e fiquei surpreso. Ela olhou para o meu corpo e arregalou os olhos e desviou olhar para outra coisa já vermelha.

A gente conversou e ela não me olhava nos olhos, parecia nervosa e desconfortável, pois ela se mexia na cama impaciente.

Ah, a pequenina está envergonhada, sorrir de canto. Perguntei porquê ela não me olhava e ela não conseguia dizer nada sem gaguejar, parece que eu tenho o mesmo efeito que ela tem sobre mim.

Perguntei o que a incomodava e a pequena me pediu para vestir uma roupa.

Ah, meu amor mas eu não visto mesmo!

Nessa hora eu já não me aguentei, coloquei a pequena mão dela no meu peito e nossa a mãozinha dela estava tão quente, Esther como sempre envergonhada nessas horas começou a morder o lábio e eu como sempre não aguentei e a beijei, os lábios da minha pequenina são tão doces.

Nosso beijo foi calmo e até...Como se chama mesmo? É...apaixonado. É isso aí. Mas depois Esther resolveu me provocar, passou as unhas de leve no meu peito e eu acabei deitando por cima dela na cama e dessa vez beijei ela com desejo, ela tentou acompanhar, mas...

Eu sei que eu estou indo rápido de mais, mas eu não consigo me controlar perto dessa garota.

O clima começou a esquentar e eu me surpreendi por Esther está deixando chegar tão longe.

Quando eu estava já bem acordado, se você me entende? Esther me empurrou e levantou da cama, eu fiquei um pouco frustrado e perguntei o que tinha acontecido, ela começou a se explicar e já estava vermelha, e não parava de falar!

Levantei da cama e ela cobrio o rosto com as mãos. Parei na sua frente e olhei entre seus dedos,ela me olhava, dei um sorriso calmo.

-Ei, olhe pra mim!-disse tirando suas mãos de seu rosto e ela mesmo assim não me olhou. Segurei seu rosto com minhas duas mãos e ela finalmente me olhou.-Ei, não precisa ficar assim. Eu não vou te obrigar a nada, eu até me surpreendi por você deixar chegar tão longe. -tranquilizei, ela ia dizer algo mas eu fui mais rápido.- Eu amei isso, eu não te acho uma vadiasinha Esther. Não fizemos nada de errado, não se preocupe!-eu disse e ela pareceu avaliar minhas palavras, ela baixou a cabeça e eu a abracei beijando o topo da sua cabeça, ela me abraçou apertado e fungou.

Ah, meu Deus, agora ela vai começar a chorar!!!

E acho que qualquer homem fica sem saber o que fazer diante de uma garota chorando.

Apertei mais ela contra meu corpo e afoguei meu rosto no pescoço dela sentindo aquele cheiro doce que ela tem, a pele dela é macia e lisinha, e o cabelo nem se fala.

Me afastei para olha - lá nos olhos e limpo com os polegares suas bochechas molhadas por lágrimas e dou um sorriso para ela ver que está tudo bem, ela não retribui só me fita com curiosidade e inocência, é esse olhar que me intriga; essa menina as vezes chega a ser prepotente e firme e outras parece tão frágil e inocente.

Puxei ela de novo para os meus braços e dessa vez eu que aperto sua cintura contra meu peito, ela ficou surpresa mais logo retribuiu apoiando sua cabeça no meu peito, beijo seus cabelos e me separo dela, pego em sua mão e a puxo rumo a minha cama, nos sentamos de frente um ao outro e ela não olhava nos meus olhos corada, me aproximei e levantei seu queixo com meu dedo indicador.

-Eu já disse que não precisa se envergonhar!-eu disse firme e sério pra ver se ela entende dessa vez, ela assentiu e levantou o queixo imponente e sentou igual indiozinho na minha cama e sorriu sem graça.-Você ainda não me disse o porquê veio.-Eu disse me dando conta que ela realmente não me disse.

-Ah.-ela lembrou e deu um tapa na própria testa rindo.-Desculpa,eu esqueci. É que o diretor hoje cedo me avisou que hoje não precisamos fazer como todos os dias,temos que ir no shopping comprar algumas coisas para a festa.-ela disse de uma vez e dessa vez ela pareceu esquecer como eu estou, pois disse me olhando nos olhos.

-Que horas temos que ir?

-Por volta das 15:30. Mas tem um problema!-ela parece preocupada e mordi o lábio inferior,e eu para me controlar olho pra frente.-Eu esqueci de perguntar para o diretor como nós vamos.-ela disse devagar como se eu fosse brigar com ela.

-Sem problema,podemos ir no meu carro.

-Mas o diretor vai deixar?-ela levantou as sobrancelhas.

-Claro, eu tenho carteira.

-Tudo bem, então nos encontramos na garagem por volta das 15:20, está bom para você?

-Tá, sim.-sorri olhando para ela.

-Então, eu já vou indo. Eu aviso para o diretor que vamos no seu carro. -Ela disse e levantou da cama colocando a saia no lugar e olhou para mim.

-Até mais tarde.- falei meio sem graça, sem saber direito o que fazer e cocei a cabeça. Acompanhei ela até a porta e à abri.

-Tchau Rick.-ela sorrio e me deu um beijo na bochecha e foi embora.

Fechei a porta e respirei fundo, o que aconteceu aqui?
Afastei esses pensamentos e fui me vestir.
Coloquei meu uniforme e fui para o refeitório.

Cheguei e procurei com o olhar o Renan, mas parei quando vi em uma mesa Esther rindo com as amigas, fiquei paralisado por alguns segundos vendo seu sorriso lindo, balancei a cabeça e continuei procurando Renan.

Achei!

Ele estava em uma mesa com alguns amigos da nossa sala e a grude da Júlia, revirei os olhos e fui pegar meu almoço e depois caminhei para a mesa deles.

Logo quando me viu Júlia abriu um largo sorriso,e eu sorrir falso para ela.

-Oi,meu amor.Eu já estava com saudade!-disse com sua voz irritante levantando da mesa e praticamente se jogando no meu pescoço.

-Júlia,acabamos de nos ver na sala.-falei me desgrudando dela e colocando a bandeja em cima da mesa.

-Mas mesmo assim eu tava com saudade do meu amor!-ela fez uma cara de apaixonada com seu "bom" português.

-Tá bom Júlia.-suspirei cansado e sentei na mesa com os outros e ela do meu lado.-E aí meninas.-sorrir para elas que corresponderam na hora. A pobre da Júlia chama elas de melhores amigas, mas as duas já passaram por as minhas mãos.-Fala irmão.-fiz um toque de mão com o Renan e cumprimentei com um sorriso o resto do povo. Comecei o meu almoço.-E aí do que vocês falavam?-perguntei sem olha - los olhando para minha comida.

Que delícia!

-Ah, as meninas falavam que tinha que comprar os vestidos...-Renan falou cansado e eu rir.-Não rir, não. Você devia está aqui comigo, aguentando essa garotas.-ele me deu bronca e rir mas logo levantei as mãos em rendição.- Mas pensando bem, deve ter sido melhor lá no quarto com...-ele parou quando viu meu olhar fuzilador.

-Com quem Rick?-Júlia pergunta sem entender e olha de mim para Renan,e eu lanço um olhar para ele dizendo: "Resolva isso".

-Com ninguém Julinha,eu só estava brincando com o Rick.-ele tentou consertar mas Júlia olhou desconfiada para mim.

-O que?-me fiz de inocente.

-Eu quero uma explicação Rick. Com quem você estava se "divertindo" no quarto?-questionou fazendo aspas com os dedos em divertindo.

-Ah Júlia. O Renan já não disse que era só brincadeira? Se você não acredita problema seu!-fiz pouco caso e continuei comendo minha comida que é mais importante.

-Como assim problema meu? Rick você é meu namorado,e me deve sastificação!-insistiu me fazendo perder o resto de paciência que eu tinha.

-Quando eu fiz o pedido? Júlia eu estou cansado de você com essa de "namorados",eu e você não temos nada sério,entendeu? Nada. A gente ficar as vezes não quer dizer que eu sou sua propriedade!-falei sério e com desdém e todos,até as amigas dela fizeram um "Uh".

Júlia ficou paralisada me olhando com os olhos arregalados e a boca em um perfeito "O" mas logo ela assumiu uma coloração vermelha de raiva.

-Você é meu sim!-rosnou quase gritando e eu revirei os olhos.

-Para de drama Júlia,até parece que todos esses anos você só ficou comigo!-falei sem me importar e ela bateu a mão com força na mesa que quase derrama meu suco.

Desgraçada!

-Isso não vai ficar assim,entendeu? Não vai ficar assim!!!-gritou apontando o dedo na minha cara e saio pisando duro com suas "amigas" atrás,mas claro antes elas me lançaram um sorriso malicioso e uma até me mandou beijo no ar.

E eu,bom,eu gargalhei. Isso mesmo, gargalhei,essa garota não tem amor próprio?

Olhei para todos na mesa que mantinham os olhos em mim.

-O que?-falei sério,todos desviaram seu olhar meio sem graça e focaram nas suas comidas,todos menos o meu amigo que mesmo com a minha cara para poucos amigos insiste em encher o meu saco.

Suspiro,porque já sei o que ele vai perguntar.

-Agora que elas saíram, fala aí Rick,como foi lá com a...? Aí. -parou de falar quando eu por de baixo da mesa dei chute na perna dele.

-O que foi?-perguntou um ser qualquer que estava na nossa mesa. Renan sorriu fraco para todos e me fuzilou com o olhar.

-Nada. Só me lembrei de uma coisa.-ele inventou.Pilantra.-Gente,eu e meu amigo aqui...-segurou no meu ombro com a mão direita.-...já vamos para o nosso quarto.-ele disse e eu olhei para ele com as sobrancelhas levantadas.
-Hum?

-É Rick,a gente já terminou e vamos para o quarto.-falou devagar me passando com o olhar o recado.

-Eu não,ainda não terminei,se quiser,vá você!-dei de ombros e bebi um pouco do meu suco.

-Rick Styles você vem comigo!-rosnou levantando da mesa.

-Eita, acho que vocês estão andando demais juntos,tão até querendo ir para o quarto juntos!-um idiota fez piada e todos riram,menos é claro eu e Renan.

-Nossa muito engraçado você,por quê não monta um circo?-fingir uma risada falsa e me levantei da mesa,quer saber? Cansei desse povo,sair sem esperar por Renan.

Fiz questão de passar perto da mesa da Esther,mas parece que ela não notou minha presença. Ainda pude ouvir ela dizer:

-Vou comprar meu vestido hoje!-ela disse entusiasmada. Acho que deve ser o vestido da festa.

Cheguei ao corredor e Renan me alcançou.

-Espera Rick!-ele pediu vindo atrás de mim e eu parei de andar.

-O que você quer?-falei quando ele parou na minha frente com uma cara nada boa.

-Nossa,você está irritadinho,em?-falou em tom de brincadeira e eu bufei revirando os olhos e cruzei os braços.-Tá bom,você não está para brincadeira,entendi.-constatou e eu balancei a cabeça confirmando.-Vem,vamos para o quarto,lá você vai me contar como foi com a ruivinha.-me puxou pelo braço.

Chegamos no nosso quarto e eu me jogo na minha cama.

-Pode ir começando.-Renan foi logo falando sentado na sua cama.

-Sabia que você está parecendo uma menininha fofoqueira? -falei irritada e ele não se importou,só sorriu presunçoso,é não tem jeito.

Suspiro e sento na cama com os cotovelos apoiados nos joelhos.

-Eu estava no banho e quando eu sair do banheiro encontrei ela no meu quarto olhando as coisas.-contei.
-É,eu trouxe ela até aqui.

-Ela disse. Ela ficou toda vermelha quando me viu só com uma toalha na cintura e ficou toda atrapalhada,nem me olhava direito nos olhos.-sorri ao lembrar do jeitinho sem jeito dela.-Ela veio aqui para dizer que temos que ir no shopping hoje há tarde.Para ela dizer isso não parava de gaguejar e corar,até a pequenina me pedir para vestir uma roupa,pois se alguém visse poderiam pensar mal dela,e é claro que eu não coloquei, eu queria ver até onde ela ia conseguir chegar. Depois disso a gente se beijou e dessa vez,quero deixar claro,foi diferente,um beijo mais quente e ao mesmo tempo mais...-falei viajando nas lembranças da minha pequenina nos meus braços,parei de falar ao me dar conta no que eu estava me transformando,mas o que está acontecendo comigo? Levantei da cama e andei pelo quarto nervoso.

-Agora o que deu em você Rick? Estava contando todo animado e de repente fica assim!-ele estranhou. Parei de andar e olho para ele preocupado.- Por que essa cara de preocupado?

-É que eu me dei conta do modo que eu estava falando.

-Como assim? -perguntou confuso,mas logo essa expressão confusa saiu do seu rosto e agora ele mantinha uma de "Você está ferrado amigo", o filho de uma...da minha tia estava sorrindo da minha cara.-Ah,já entendi amigo,mas eu já te disse. Você nunca agiu assim com nenhuma outra garota,ou se importou com elas como vocês faz com a ruiva,até a Júlia você dispensou!-ele falou contendo o riso.

-Mas você sabe que da Júlia já estava cansado!-me defendi.

-Sim,mas você nunca falou com ela daquela forma.-falou e ele tinha razão. Voltei a sentar na cama.-É meu amigo,parece que você está gostando da garota.-e com essa ele não aguentou e começou a dar risada,mas rio tanto que deitou na cama com a mão da barriga.

-Terminou?-perguntei bravo quando ele foi parando de rir.

-Espera.-pediu com a mão e rio mais um pouco.-Agora sim.-falou quase sério e voltou a sentar na cama.-Me desculpa Rick,é que é muito engraçado,justo você. Você. O cara que não se amarra está gostando de uma menina.-rio outra vez.

-A Esther não é uma menina,a maioria dos caras desse colégio querem ficar com ela.-falei de punhos cerrados só de imaginar ela com outro.

Oh,não!!!

-É você tem razão,e um desses é o Beto e ele está investindo muito na ruiva.-Falou como amigo dessa vez.

-É,eu sei.-falei com raiva lembrando dele me provocando ontem.

-O que você vai fazer?
-Conquista - lá primeiro,mas eu não estou amarrado.-deixei claro e ele rio.- Você pode até ter razão de eu gostar dela mais que das outras,mas isso não que dizer que eu vá namorar com ela.-expliquei para ele não encher meu saco,mas como sempre meu amigo é um mala.

-Boa sorte amigo,não só para conquista - lá,mas para não se amarrar como disse.-voltou com o seu tom brincalhão de sempre e rio.-Mas que a pequena Esther é gos...bonita,isso é.-parou ao ver meu olhar e sorriu.

-Seu idiota.
-Por isso somos quase irmãos.-rimos.
-E você?-perguntei mudando de assunto.

-O que tem eu?

-Como anda você e a Fernanda?
-Não tem eu e a Fernanda.-falou um pouco irritado. Hum,está provando do próprio veneno amigo!

-Tá bom,se não quer dizer,tudo bem.Mas o pior cego é aquele que não quer ver.-falei esse verso cliché e ele jogou o travesseiro em mim,mas eu a parei no ar e gargalhei com sua reação.

Passamos o resto do tempo assistindo um filme de ação que lançaram ressentimento, muito bom, até dar a hora de ir me arrumar para encontrar a Esther.

Tomei banho e vestir uma roupa legal e vou encontrar minha pequenina Esther.


Notas Finais


Foto dos pais dela.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...