História O amor tem olhos castanhos - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gabriel "MrPoladoful"
Personagens Gabriel Tenório Dantas
Tags Gabriel Tenório Dantas, Mrpoladoful
Exibições 102
Palavras 559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Por favor, comentem e sejam mais ativos nos comments dos próximos capítulos, sinceramente estou perdendo a animação em continuar escrevendo por causa do baixo Feedback que estou recebendo.
Me desculpem pelo capítulo pequeno.

Capítulo 34 - Pesadelo


Gabriel's POV

Eu mal pude processar todas as informações, a única coisa na qual pude pensar era sobre a segurança de minha namorada. Aquele homem é maluco, César era um homem possessivo, por isso sua esposa e única filha haviam o deixado anos atrás. O homem perdeu tudo o que tinha, não tudo, pois o mesmo continua rico até hoje, mas perdeu tudo o que restava de sanidade, dando lugar a uma mente sociopata e manipuladora. Sua obsessão era sua antiga esposa, ele não a deixava sair sozinha e monitorava tudo o que ela fazia, porém um dia a mulher cansou da prisão domiciliar de César e foi embora, levando sua filha com ela. Hoje em dia, estar a 5 metros de distância da ex-esposa pode levá-lo à cadeia, e esse foi o único jeito de fazê-lo parar de nutrir sua doença pela mulher. Porém, como toda pessoa desequilibrada mentalmente, ele precisava de uma nova obsessão. O homem amava sua filha, e faria de tudo para agradá-la, eis que eu entro na história, Clarice erdou as mesmas características doentias de seu pai, e com a ajuda dele, ela jurou tornar minha vida um pesadelo.

Até onde ele iria para satisfazer as vontades enojáveis de Clarice?

Eu temo pela segurança da pessoa que eu amo, e farei de tudo para protegê-la, nem que eu tenha de recorrer à medidas drásticas.

-Gabriel? -Elen bateu duas vezes á porta na qual eu estava encostado. -Tá tudo bem ai?

-Tá sim amor, eu só estou com uma dor de barriga. -Menti.

-Que nojo. -Ela riu. -Será que foi a janta?

-Acho que foi alguma coisa que eu comi na rodoviária, sabe como é né, nunca confie em uma coxinha de $1,50. -Disse e ela riu novamente.

-Tudo bem, vai demorar muito ai?

-Vou. -Disse contraindo o abdômen para criar o som de alguém com dor de barriga.

-Cruzes, vou retirar o seu prato da mesa então, boa sorte ai. -Disse ela antes de sair.

Passei minha mão direita pelos cabelos, minha expressão era de puro ódio e medo, não sairia daquele maldito banheiro até que eu finalmente me acalmasse. Permaneci ali, na mesma posição por mais de uma hora, até que todas as luzes da casa fossem apagadas e todos estivessem em seus respectivos quartos.

"Tá legal Gabriel, vamos." Repeti para mim mesmo.

Me levantei do chão e me apoiei na pia, fitando meu próprio reflexo no espelho.

Peguei uma toalha reserva no pequeno armário do banheiro e tomei um banho gelado, me vesti e em seguida subi às escadas em direção ao quarto de Elen, que já estava dormindo quando entrei. Ainda bem que ela já havia pegado no sono, não saberia esconder minha frustração dela, pois a mesma me conhece muito bem e notaria algo de errado comigo no instante em que pusesse os olhos em mim. Me deitei junto a ela na cama e a trouxe para mais perto, a garota instintivamente descansou a cabeça em meu ombro e me abraçou, e eu proximei meu nariz de seus cabelos sentindo o suave cheiro de seu shampoo.

-Eu vou te proteger a todo custo, você será muito feliz meu amor, nem que eu tenha de sumir da sua vida pra isso. -Disse em voz baixa, deixando as lágrimas escorrerem de meus olhos e tocarem os cabelos longos e dourados da pessoa que mais amei em toda a minha vida.


Notas Finais


Por favor, comentem e sejam mais ativos nos comments dos próximos capítulos, sinceramente estou perdendo a animação em continuar escrevendo por causa do baixo Feedback que estou recebendo.

☆Música do capítulo☆
♡Papa Roach - No Matter What♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...