História O anime perdido - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Anime, Escolar, Romance
Exibições 12
Palavras 778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


oi pessoaas.
eu não demorei desta vez né?
podem falar sei que estão orgulhosos de mim por não demorar kkk
enfim hoje está um pouco mais curto pois não poderia por tudo junto
mas não vou demorar para postar
enfim, espero que gostem, boa leitura
e até la em baixo

Capítulo 22 - Planos


 

Depois disso fui para a aula e nem prestei atenção. Como tudo que eu passei era mentira? Porque esta pessoa estava fazendo isso? E porque ele ou ela escolheu justamente eu? O que eu tenho que especial. Foram os meus pensamentos durante a aula, e nem preciso falara que quando bateu o sinal para ir para casa eu voei em direção da Akemi para falarmos mais sobre isso.

-Ake-

-saia do colégio e me encontre na minha casa, é quatro quadras daqui, não é difícil de encontrar, uma casa de três andares cinza. Espere um pouco antes de sair, pegaria mal se soubessem que estou falando com você- disse akemi arrumando o material, sem olhar para mim

-o-ok- quem diria que a personalidade dela seria tão diferente, isso me surpreendeu. -mas por quê? Este mundo é uma mentira mesmo...

-você é uma idiota mesmo - disse se virando para me olhar- agora que você já tem um “personagem” segue ele. Seria estranho você mudar muito. E vê se faz direito.

-sim... -odiava admitir, mas ela tem razão agora que já entrei nessa vou até o fim.

Já que era hora de ir embora falei para Hideko que iria ficar até mais tarde, pois tinha que falar com a professora, e fiquei andando pelo colégio cerca de dez minutos até fui em direção à casa de Akemi. Chegando à casa de Akemi toquei a campainha e fui atendida pela mesma.

-entra-falou akemi entrando na porta da casa- e fecha o portão. -tudo bem não temos intimidade, mas custa ela ser educada. Mas tudo bem fechei o portão entrei na casa e sentei em uma mesa de frente para ela, respirei fundo e disse:

-então, o que mais?

-eu não sei de tudo, mas detesto admitir que necessito de sua ajuda

-vou ajudar no que?

-a encontrar as outras três pessoas ora essa! Se tivermos mais pessoas podemos reunir mais pistas sobre este lugar ou ate melhor, saber como sair daqui.

-entendi, mas como vamos saber quem é quem.

-não é tão simples, vamos precisar de pesquisas- disse Akemi se levantando e pegando um caderno com anotações- aqui eu anotei todas as informações que eu lembro sobre este caso, principalmente sobre a personalidade da pessoa, idade, seus problemas na vida real e outros detalhes.

-entendi, mas como você sabe tudo isso sendo que o que foi revelado nos jornais era bem resumido.

-minha mãe trabalhava na delegacia então muitas vezes eu entrei no seu escritório, algumas das vezes sem permissão e consegui alguns detalhes sobre vários casos.

-faz sentido e como você me descobriu sendo que eu vim depois de você, não tinha nenhuma informação de mim.

-Eu já disse. Porque é suspeito você chegar aqui no meio do ano e todos acharem normal você estar lá.

-verdade

-então voltando o assusto vamos começar por esta daqui, uma menina de 17 anos, não possuía amigos no colégio, pois era alvo de bullying. A policia achava que ela se matou por causa de pressão psicológica que ela sofria.

-ok, sabemos que ela não é muito sociável, e esta no ultimo ano da escola- legal, eu me sinto um detetive!

-sim, amanha na aula faremos uma procura, adicione meu numero de celular caso descubra algo me mande uma mensagem. -disse Akemi me dando um papel com seu numero - ok, agora que você já tem meu numero, já terminamos por hoje, não faz sentido conversarmos sobre muita coisa.

-verdade, até amanha-disse sorrindo.

-tchau-disse Akemi fria. Ok, terei que me acostumar com a Akemi fria.

Logo sai da casa de Akemi e estava indo para casa e notei que tinhas esquecido meu caderno no colégio

-merda-resmunguei baixinho

Voltei para o colégio e encontrei Kei segurando meu caderno.

-oi-disse Kei vindo em minha direção- esqueceu seu caderno

-oi k-kei-obrigada-disse disfarçando o sorriso

-ta tudo bem?

-ta sim, tenho que ir. Tchau - disse e logo sai correndo. Eu ainda não consigo falar com ele, me dói muito saber que tudo é mentira, pois eu me apaixonei de verdade e ele uma das poucas pessoas que eu confiei de verdade. Até eu superar terei que evita-lo.

Andei calmamente até minha rua e cheguei a frente a minha casa e olhai para casa que ficava a direita de minha, onde o kei mora. Senti meus olhos marejados e entrei em casa para me acalmar, ainda me machucava muito saber que aquilo era mentira e não sabia lidar com isso então eu sentei no sofá e deixai a lagrima escorrer em meu rosto, após me acalmar tomei banho e fui para cama dormir, pois era a única coisa que eu conseguia fazer além de chorar no momento.


Notas Finais


GOSTARAM? ODIARAM?
me digam, eu gosto de ler ar respostas
mas de qualquer forma espero que tenham gostado
e até o próximo capitulo
tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...