História O Anjo Negro - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Agni (Arshad), Bardroy "Bard", Beast, Charles Phipps, Ciel Phantomhive, Doll, Earl Charles Grey, Elizabeth Midford, Finnian "Finny", Grell Sutcliff, Joker, Lau, Mey-Rin, Personagens Originais, Pluto, Undertaker, William T. Spears
Tags Sebastian
Exibições 59
Palavras 2.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie pessoal, aqui um novo capitulo, espero que gostem!

Capítulo 20 - O mordomo se viciando.


Pov:Sebastian Michaelis

 

 Sarah nao encontrava-se em seu quarto, e em nenhum outro comodo da mansão. 

 Voltei para o seu quarto com esperança de encontrar pistas sobre o seu paradeiro, mas apenas vi a janela aberta. Soquei o vidro com irritação fazendo com que o metal que segurava o cristal ficasse torto...Onde ela foi? Que imprudência! 

 Ouvi um barulho mais a frente e encarei uma silheta feminina parada olhando para a grama, é ela!

 Pulei a janla correndo em sua direção, ela estava ofegante, e parecia palida...Muito mais palida do quê o seu normal.

-Sarah, Sarah...Droga!-Seu corpo foi ao encontro da grama, mas consegui a envolver em meus braços antes que isso acontecesse. -Ei ei...-Ela ja estava desacordada. 

 Encarei suas vestes demoníacas, havia vários cortes e perfurações em suas pernas e braços, assim como na sua barriga exposta. Franzi o cenho reconhecendo os ferimentos...Penas.

 A segurei com cuidado em meu colo e caminhei em direção a mansão, chegando rapidamente em seu quarto. A reposei na cama retirando o travesseiro em sua cabeça deixando sua coluna reta. 

 Não evitei de soltar um suspiro ao ver seu rosto sereno, porem com um cansaço aparente.

-Desculpe-me por isso.-Resmunguei descendo o meu olhar por seu busto e por suas pernas e engoli em seco...Vamos Sebastian, seja um demonio profissional. 

 Retirei as faixas de couro que formavam uma blusa negra nela expondo seus seios bem formados e fartos, as desenrrolei ate o início de sua calça e também a retirei com facilidade deixando sua intimidade a mostra. Peguei o lençol de seda negra que estava o seu lado e cobri sua intimidade.

 Sai do quarto com as imagem de seu corpo perfeito em minha mente...Ela tem um corpo...Perfeito.

 Peguei uma maleta de primeiros socorros e voltei para seu quarto a encontrando ainda desmaiada. Comencei a limpar com cuidado os seus ferimentos que não se fechavam...Maldita seja aquele projeto de anjo...

 Encarei um ferimento na perna direita dela, suas coxas são bem torneadas...Qual seria o gosto da carne de Sarah...Talvez eu devesse retribuir o favor e experimentar um pouco de seu sangue...Ela ira me matar se descobrir...

 Abaixei meus labios até o ferimento, afastei um pouco o pano de seda para cima e mordi com delicadeza ouindo um gemido involuntário escapar de seus labios e sorri ao sentir o sangue dela inundar minha boca...Delicioso...doce, como cerejas maduras...Exitante.

 Lambi o local vendo minha mordida sumir, e com ela o ferimento...espere, o ferimento?

 Franzi o cenho vendo o ferimento causado pelas penas sumir juntamente com minha mordida.

 Impossivel!...Os ferimentos causados por penas de mestiços não eram curados assim!

 Encarei o rosto de Sarah, ela ainda dormia, parecia tranquila, mas a sua aparência fantasmagórica ainda estava lá. 

 Vi os outros ferimentos voltarem a sangrar, maldita hora me que ela se deixou ser atingida por aquele cão leviatã...Repeti o processo sentindo o nectar que era o seu sangue em meus labios, isso é viciante...Ela é viciante.

 Ergui-me analizando o meu trabalho bem concluido, os ferimentos estavam curados e sem nenhuma evidência de que um dia existiram. Sorri contemplando o corpo escultural dela coberto pelo lençol...Linda, e provocante,  uma verdadeira majestade do inferno.

 Encarei o céu ainda escuro, tanta coisa aconteceu hoje .Parece que o tempo voa quando estou proximo a ela...Sarah Meryt é um demonio que vale a pena passar a eternidade...Mesmo com as provocações que desafiam o meu auto controle.

 

Flashback on

 

  Caminhei tranquilamente pelos corredores do palácio, minha memoria não falha...eu creio, não fiz nada de errado pelo oque me lembre...Então qual o motivo de eu ter uma audiência com o rei supremo Lucifer?

 Uma convocação do rei...Isso realmente esta acontecendo? 

 Suspirei apressando o meu passo...Nem quando salvei sua afilhada, a rainha Meryt ele chamou-me. Claro, ganhei prestígio na guarda por eu ser o melhor dos soldados...Que confuso, depois de doze séculos eu ainda não sei o porquê de eu te-la salvo...Confuso.

-Vossa majestade o aguarda. -Um voz calma falou ao meu lado deixando-me surpreso.

  É uma bela mulher de longos cabelos loiros, prendidos em uma trança lateral com rosas a enfeitando, os olhos eram vermelhos como sangue, e sua boca esboçava um sorriso minimo...Ela é atraente, uma pena eu ter preferências por mulheres de cabelos negros.

-Claro.-Foi a unica coisa que consegui dizer, ela deveria ser umas das servas do rei.

-Chamo-me Riely Swort, sou um peão do grande soberano.-Se aprensentou focando seus olhos no correrdor. 

-Sebastian Michelis, soldado do exército de ouro da grande rainha Meryt.-Me apresentei ignorando a risada baixa que ela soltou.

-Fora treinado por ela ou pelo antigo rei Meryt.-Me manti impassivo.

-Pelo antigo rei Meryt e...Pela atual rainha.-Respondi serio.

-Então o seu valor é realmente bom...Chegamos.-Ela comentou e abriu as grandes portas de ouro revelando um salão amplo e bem decorado.-Majestade...-Ela falou quando chegamos mais perto e se ajoelhou, repeti seu gesto perfeitamente.-...Este aqui é o soldado que o senhor mandou buscar.

-Claro, claro.-A voz calma do rei soou pelo salão fazendo um frio passar por minha coluna.-Deixe-me sozinho com ele.

-Como queira, majestade.-Ouvi seus passos se distanciarem de mim, mas continuei de cabeça baixa.

-Levante Michaelis.-O rei pediu e atendi no mesmo momento encarando a sua face.-Assim esta melhor.

 Ele é alguem jovem, cabelos lisos até um pouco acima dos ombros em uma cor dourada semelhante a areia mais fina e limpa das praias, seus olhos eram de um vermelho rubi intenso, sua pele era alva porem sua face corada dar a ele um ar mais saudável. 

 Apoiava seu rosto na mão direta encarando-me com certa curiosidade sem deixar de lado a energia que o envolvia mostrando que ele é realmente alguem forte.

-Oque o senhor deseja de um humilde servo?-Perguntei o mais calmo possivel.

-Humilde?...Bom isso ja mostra que humilde você não é. -Ele sorriu levantando-se.-...Sarah não gosta muito de demônios que se fazem de humildades na frente dos da realeza. 

-Perdão...Mas estas a falar da rainha Meryt? Sarah Meryt?-Perguntei confuso, eu não estava conseguindo acompanhar o seu raciocínio. 

-Sim, dela mesmo, darei a você uma missão Michaelis.-Ele pigarreou e seus olhos pareceram me penetrar.- A missão é que você, acompanhe a rainha Meryt pelo mundo humano, ou para onde ela quiser ir, a protegendo de qualquer perigo com que ela não possa lidar.

 Continuei o encarando firmemente...

-Acompanhar o demônio que salvei por impulso em uma viajem de ferias ao mundo humano?-Franzi o cenho organizando suas palavras em voz alta.-Qual o motivo dessa viajem?

-...Ate onde eu percebo, desde que Sarah tomou posse do trono, nossas defesas vem ficando mais fortes e impenetráveis...Porem, desde que seu pai morreu, ela se culpa pela sua morte, mas mesmo assim continua no poder sem vacilar, creio que seja o correto permitir que ela largue um pouco o fardo que é ser a rainha das batalhas.

-Compreendo.-Resmunguei, mas uma pergunta ainda rondava a minha cabeça. -Porquê eu?

-Como voce mesmo disse...Salvou a rainha Meryt em uma batalha, não encontro ninguem mais recomendável do quê você. 

 Ponderei por um tempo...Esta é uma decisão seria. 

 Largar o posto de soldado, para tornar-se guarda costas da rainha...

-Posso ponderar essa oferta?-Perguntei com receio...Ele é o rei...Melhor sempre ter educação. 

-Claro claro...Sei o quanto isso é difícil, teras até o crepúsculo de hoje para pensar.-Falou como um decreto.

-Obrigado majestade.-Fiz uma longa reverencia e dei as costas para ele.

 Complicado.

 

Flashback off

 

 Suspirei desviando o meu olhar para o seu rosto, ela perdeu muito sangue...Talvez seja o certo eu lhe oferecer um pouco de sangue não?

 Tirei o meu fraque e o dobrei deixando ele aos pés da cama.

 Mesmo que eu e ela não tenhamos um comprometimento carnal, ela ainda é uma rainha...Minha rainha.

 Levantei a manga da minha blusa até a altura de meus cotovelos e mordi meu pulso sentindo o meu sangue começar escorrer por minha boca, sorri me aproximando de sua boca e dei um calmo beijo em seus labios corados, rapidamente pus meu pulso em sua boca deixando o sangue jorrar.

 Senti uma pontada na ferida e logo soube que ela havia mordido novamente o local. 

 Fechei meus olhos sentando-me ao seu lado enquanto o meu corpo se tornava mais relaxado...A boca de minha rainha é a melhor. As correntes de sensações atravessaram meu corpo lentamente,  um misto de embriagues e excitação estava se instalando em mim...Sim a boca da minha rainha é a melhor.

-Voce devia parar com isso Sebastian.-A voz melodica de Sarah soou em meus ouvidos no mesmo momento em que senti seus labios deixando meu braço, ela parecia conter uma certa diversão.-Você sabe que vicia.

-Talvez eu queira me viciar você não acha?-Resmunguei afastando meu braço e lambi a ferida fazendo ela sumir.

-Cachorro.-Ela praguejou e ela afastou o lençol a dando uma melhor visão de suas pernas, onde deveria esta os machucados.-O-Oque você fez cachorro?

-Não sei.-Dei de ombros me deitando no espaço vazio da cama.

-Como não sabe cacho...-Ela parou e me encarou pensativa e vi seus olhos vermelhos ficarem serios.-...Saia do meu quarto Sebastian. 

-Eu estou cansado. -Falei em resposta me sentando, não era mentira, meu corpo estava relaxado de mais.

-Hum.-Resmungou balançando negativamente a cabeça e levantou-se da cama deixando o lençol cair aos seus pes expondo o seu corpo perfeito.-Melhor eu tomar um banho e você também. 

-Isso é um convite?-Perguntei malicioso vendo ela levantar uma sobrancelha duvidosa.

-Oque deu em você hoje?-Ela perguntou e foi para o banheiro fechando a porta rapidamente. 

-Da onde vieram aquelas marcas?-Desviei de assunto e encarei o vaso de flores azuis ao lado da cama.

-De onde voce acha? De um passaro corrompido. -Ela rosnou de dentro do banheiro.-Ela pegou a Larissa.

-Hã?-Levantei-me da cama indo ate o meu fraque lembrando do rosto da cria de Sarah.-...Entendo.

 Larissa, eu me lembro dela. Sarah a transformou a um seculo atrás, eu presenciei a ocasião, uma boa garota, tem grande vocação para ser um belíssimo bispo.

-O quê Ciel comentou sobre nossa peuqena escapada?-Ela saiu do banheiro enrrolada em uma toalha de algodão e foi até o seu guarda roupa...Que belas pernas, sub o meu olhar ate chegar nas duas belas montanhas que eram os seus glúteos...Lindos.-Sebastian, Sebastian. -Arregalei meus olhos surpreso ao ver a boca de Sarah a poucos centímetros da minha.-Você é um cachorro.

-Um cachorro que você gosta de provocar.-Sorri marotamente e a puxei pela cintura a fazendo sentar meu colo... mas eu não contei coma possibilidade de nossas intimidades se chocarem.

-Talvez.-Um leve rubor nasceu em seu rosto e ela saiu de cima de mim.-Saia, eu preciso vestir algumas roupas, tenho muita coisa para fazer hoje.

-Até outra hora my lady.-Sorri fazendo uma breve reverencia a ela e caminhei para a porta.-Tente não se meter em mais confusões Sarah.

-Saia.-Ordenou em um resmungo.

-Claro.-Concordei e sai do cômodo. -Vejo-lhe em outro momento,  tenho meu dever de mordomo dos Phantomhive para cumprir.

 Droga, eu nao posso me descontrolar desse modo!!...

 Mas ela é tao irresistível,  são poucos os momentos em que tenho a oportunidade de admirar a paisagem que é o corpo de minha rainha...Sebastian Michaelis,  voce estaria se apaixonando pelas curvas de uma majestade?

 

Pov:Sarah Meryt.

 

 Encarei a porta por alguns segundos...Sebastian é um demônio difícil de se entender,raras são as vezes em que ele se permite ficar relaxado como acabara de acontecer. 

 Balancei a minha cabeça para afastar esses pensamentos e escolhi uma calça de algodão negro e uma camisa branca de botões tambem negros. Sentei-me na cama cruzando as pernas.Hora de saber como Sebastian me curou...E isso é tecnicamente impossível ja que ferimentos causados por penas se curam sozinho e esse processo demora.

 Dois grandes livros apareceram em minha frente. Todos os dois tinham a capa coberta por uma especie de couro negro, eguei o primeiro e comecei a folhea-lo.

 Havia feitiços, contos sobre as guerras passadas, a arvore genealógica da realeza demoníaca e ate sobre a especie de criaturas que estavam sob o nosso controle...Mas nada que me ajudasse a explicar como eu me urei tão rapidamente. 

 Fecei o livro com cuidado e peguei o outro, ele era consideravelmente mais pesado que o primeiro. O pus e meu colo e abri com cuidado, no início estaa escrito "O livro dos segredos" em letras douradas

 Hagia uma lista de informações sobr minha raça,  como matar, a  escolha de lado, e até os possiveis poderes...Bem interessante. Até que eu encontrei, la estava, escrita em letras florais "A marca do escolhido"

 "Os mestiços da ordem proibida tem direito de reinvidicar a marca de seu companheiro, seja ele um anjo ou demônio"

 "Os mestiços conseguem sentir sentimentos verdadeiros por seus parceiros, seja ele declarado ou não"

  "O sangue do escolhido pode saciar a sede de alma de sua parceira, e  sua saliva pode curar até os mais profundos ferimentos."

   "Para receber a marca de seu escolhido, a mestiça deve trocar sangue com seu parceiro durante a relação sexual e a marca ardera em seu corpo podendo assim dividir sentimentos e outros atributos..."

 Fechei o livro com força e o deixei na cama...Impossivel!

 Sim, impossível! 

 Fechei meus olhos com força e me encontei na cabeceira da cama, o meu parceiro é um demonio da alta classe de guerreiros que nega sentir atração por mim...Que divertido.

 Procurei o meu sobretudo ao lado da cama e tirei um cigarro de seu bolso.

 Eu havia adquirido esse vicio humano a menos de dois seculos, e incrivelmente surte efeito em demônios, fraco, mas surte.

 Levante-me da cama e sai do quarto, os corredores estavam quietos e escuros.

 Ainda é o início do nascer do sol, os funcionários devem esta em suas camas dormindo...Sebastin deve esta fazendo seus deveres de mascote do Phantomhive. 

 O pomar estava iluminado por alguns raios mornos vindo do sol.Vi um pequeno atras de um abusto de amoras, caminhei calmamente até la e sem surpresa nenhuma vi Snake dormindo no chão,  suas coras estavam enrroladas em sua barriga.

 Me sentei ao seu lado e o encarei, sua expressão relaxada.Ele é apenas um garoto, timido isso deve explicar o porquê dele interpretar mais as cobras do quê se expressar. 

 Snake abriu os olos assustado e arregalou os olhos ao me ver.

-O-que...Você quer?-Perguntou hesitante sua  voz original é macia.

-Porquê você é tão timido?-Perguntei tirando o cigarro de minha boca.- Aqui na mansão Phantomhive não precis ser assim.

-E nem na sua rainha Meryt...-O encarei surpresa antes de sorrir.-...Foi George que falou.

-George...Não sei do quê voce esta falando.-Falei e toquei na cabeça de uma mamba negra na barriga de Snake, ela quis me morder porem Snake a empediu.

-Não! -Mandou com a sua voz original e me fitou curiso.-Então você é um demônio mesmo.

-Isso lhe encomoda Snake?-Sorri e dei mais uma tragada em meu cigarro.

-Sim...-Ele resmungou pensativ e se sentou desconfortavel.

-Não deveria.-Joguei o cigarro no chão e o amacei com a mão aagado chama.-Ja qe voce também é um demonio.

-Eu sei disso.-Seu rosto tomou uma coloração rubra de vergonha. -Eu não me sinto confortável com isso.

-No entanto, ser um demonio te deu o dom de se comunicar com cobras.-Retruquei tranquilamente.-Por sorte voce puxou grande parte do lado humano, mas não deixa de ser um nephilin.

-Eu sei.-Repetiu com armagura.-O pessoal do circo estão mortos não é? 

-Sim.-Confirmei e estiquei minhas pernas.-Mas não foi Ciel que assassinou eles...

-Eu sei.-Suspirei entendiada.-Eles faziam coisas ruins.

-Eu sei.-Resmunguei e sorri sarcástica. -Voce não acha chato ter poderes e não usar?

-Não. -Ele grunhiu e vi as cobras se enrrolarem em seu corpo.-São poderes amaldiçoados. 

-Você não tem culpa de nascer com esse dom, não tem culpa se seu pai é um demônio. -Me aproximei deixaneo nossos rostos proximos.-A unica coisa que voce deve fazer é aproveitar Snake..

-Ela esta certa...-Sua voz mudou.-...Foi White que disse.

-Viu, umas das suas cobras até concorda comigo. -Sorri com presunção e me levantei.-Irei me encotrar commo conde para que ele 9ermita que eu lhe treine...

-Quem disse que eu quero?!-Ele me enterrompeu.

-Eu sei que quer Snake.-Sorri por cima do ombro o vendo confuso...Tão timido.

 

"Negocios são negócios,  porem não me deixe confusa com um suposto parceiro."


Notas Finais


Oque acharam?
Pessoal e leitores fantamas, pfv comentem, vocês não sabem como é importante comentar,


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...