História O anjo (T3ddy) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 5
Palavras 2.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Agora vai falar!


Fanfic / Fanfiction O anjo (T3ddy) - Capítulo 4 - Agora vai falar!

Estacionei na garagem da base, peguei uma corda no porta-luvas e abri o porta malas, amarrei ela pra não fugir e trouxe ela pra a sala de tortura, prendi ela na cadeira e percebi ela acorda 


-onde estou?-falava meio desnorteada 


-Você tá no parque de diversões ie- falei sarcástico pegando uma barra de ferro muito quente-Você vai querer falar o que vocês estão tramando do modo fácil ou difícil?-me aproximei dela e ela cuspiu na minha cara!-Ótima escolha- falei e encostei a barra na perna dela ouvindo ela gritar de dor-Vou pergunta só uma vez, o que vocês estão tramando?-falei com o tom de voz um pouco moderado mais preciso


-Estamos brincando de quem vai morrer primeiro- ela sacaneou e deu uma risada maléfica, peguei uma furadeira e falei na frente dela 


-Eu acho que eu vou ganhar essa brincadeira!- sorri e quando comecei a fura-lá no joelho, ela estremeceu e gritou de dor, tirei a de dentro dela e pro segui


-vai falar ou não?-falei já sem paciência


-não!-falou rindo


Comecei a fura-lá de novo e de novo até que troquei por um maçarico  e comecei a queima-lá depois de um bom tempo ela desistiu


-TÁ BOM EU FALO! -ela gritou e desliguei o maçarico no mesmo instante-algum tempo atrás os vampiros tinha uma grande maré de azar em busca de comida, todas as vezes que iriam atacar alguém chegava alguem e os matavam, depois de um longo período um de nós teve uma idéia e pensaram na idéia mais estúpida, criar uma balada pra nós alimentar, no início parecia uma idéia merda mais depois trouxe resultados e esses resultados são suculentos...- ela fez uma cara de prazer que me deu nojo-mais parece que alguns desse resultados escaparam e agora o lugar esta falindo , mais nosso chefe teve uma plano, contratar funcionárias gostosonas para uma a uma serem brinquedos comestíveis dos meninos-ela soltou uma risada maléfica e disse por fim-   claro que tem para mim afinal eu sou a unica vampira mulher ja que mataram minha irmã mas isso não vem ao caso afinal hoje a noite tem mais uma prato no cardápio.


-Onde fica o lugar?- falei 


-porque diria? já contei tudo! - ela deu um olhar de zombação


-FALA ONDE FICA A DROGA DO LUGAR!- gritei e ela se surpreendeu mais depois deu uma risada


-Também só porque sou boazinha vou fala, fica na ************** -ela falou e me olhou de cima a baixo mordendo o lábio inferior-acho que alguém precisa desestressar!.


Eu não aguentei, peguei minha arma e atirei na cabeça dela, sai de lá com a blusa suja pelo sangue dela, fui ao escritório do comandante e entrei sem bater ele se levantou de um susto e me olhou furioso, antes dele me dar sermão comecei


-Comandante,ela falou tudo!-falei e ele respirou aliviado mas ainda sério expliquei tudo e ele ficou surpreso


-se infiltre no local, descubra quem é a vítima e a salve, veremos o que vamos fazer com eles depois!-falou determinado.


Sai da sala dele e fui ao meu dormitório,tomei banho quando sai coloquei acessórios mais seguros que diariamente afinal eu ia entrar na toca deles, coloquei armas em locais discretos do meu corpo,vesti uma calça preta com uma blusa azul com capuz e mangas curtas junto de um tênis cano alto cinza, depois de me preparar , fui na garagem e peguei meu carro sai 220 por hora, passei por várias ruas desertas até chegar em uma que tinha uma casa com luzes coloridas e pessoas com tinta e roupa néon no corpo, a música estava alta mais isso não vinha ao caso, Estacionei o carro em frente a casa perto de outro carro,desci travei o carro e entrei no rumo de dentro da casa,quando entrei ví várias mulheres se esfregar em caras chapados e outras coisas que me deixaram surpreso e com nojo, como já sábia que a vítima era uma funcionária fui  até o bar dessa casa e quando fui pedir um ice vi aquela garota, a mesma que eu salvei daquele vampiro, saí do bar em segundos antes dela se virar, será que é ela quem eles querem?




                P.O.V Camily




Cheguei em casa depois de ter resolvido outras coisas na rua além de arrumar meu emprego,fui logo fazer meu dv da faculdade afinal eu tinha que fazer vinte questões  elaboraradas hoje e entregar amanhã, passei longas horas fazendo e fazendo,ate terminar , iupiii! 


Olhei o relógio e ví que dava tempo me arrumar, tomei um banho com água gelada(afinal tava com sono)lavei meu cabelo , saí do banho e fui em direção ao meu armário, como era uma balada escolhi um uma blusa curta preto que dava pra ver meu abdômen e uma saia rodada azul marinho com um tênis cano alto preto, penteei meu cabelo é saí, peguei meu carro e fui em direção a balada, estacionei meu carro enfrente a balada e entrei, fiquei atrás do balcão limpando o mesmo com um pano,um homem pede uma vodka e me viro pra pegar a garrafa quando  do nada sinto uma pessoa me observando me viro de uma vez e não tem ninguém de estranho, volto ao que estava fazendo e entrego a bebida a esse cara, vem mais pessoas pedindo bebidas e eu as atendo..


.


                      ●●●




Já é quatro horas da manhã e faltava meia hora pra fechar o lugar, já tava meio vazio e eu estava servindo  alguns caras sentados no balcão, uns me davam cantada e outros só olhavam prós meus peitos (já que eu tinha peito e bunda um pouco avantajados) eu ignoro afinal eles só vão vir pra cima de mim se eu deixar, ate que eu vejo um rosto no fundo,é o mesmo cara que matou aquele babaca na minha frente, olhei ele mais o mesmo tinha entrado no banheiro, fiquei surpresa pois o cara tava lindo demais! Tô babando!Derrepente sinto alguém me puxar pelo braço em direção ao fundo da balada, olhei quem poderia ser mas ele estava olhando pra frente,consegui percebe que ele tava com metade do rosto tampado e com capuz então não consegui ver o rosto todo, ele abre uma porta que era a saída dos fundos e enfrente tinha um carro estacionado, tentei correr mas ele foi atrás de mim, puxou meu cabelo é me deu um tapa no rosto como não queria deixar barato dei um soco no rosto dele, tentei correr outra vez e consegui chegar até o lado da casa mais ele me puxa pelo cabelo, gritei involuntariamente e ele  me bate forte no rosto caio com o impacto e ele me alevanta pelo braço e me leva até a traseira do carro e assim me jogando dentro do porta malas ele fecha a porta e abre a porta do carro entrando junto com outras pessoas pelo que pude ouvir, eu tô com o nariz sangrando por conta do soco, ele dá partida no carro e depois de um tempo ouço as rodas passando em uma estrada de terra, era tudo muito silencioso, quando o carro para ouço eles rirem quando abrem o porta malas eles me olham com cara de tesão mordendo o lábio inferior, tento fugir mais é inútil já que era cinco homens, um deles me leva no ombro enquanto os outros zombam de mim Derrepente sinto um tapa estrelado na minha banda


-essa aqui vai dar e sobrar- o cara que me segura fala e todos começam a rir


Eles chegam em uma casa que parece abandonada a anos eles entram e amarraram minhas mão por trás de uma cadeira e começam a passar a mão no meu corpo rasgando minha roupa me deixando com a minha langerie cor de pele, o cara que estava com a metade do rosto coberta  tira o pano e fica na minha frente com um taco de basebool me olhando malicioso, ate que ele bate com aquele taco no meu abdômen sinto uma dor tremenda e uma falta de ar insuportável, eles começam a rir começando uma série de risos e batidas com aquele taco ,eu não consigo entender porquê estão fazendo isso comigo? Eu nuncai ví esses caras na minha vida,  porque eles fazem isso comigo?, Eu já tava toda roxa e sangrando até que ele solta o taco pega uma faca que estava numa mesa no canto da parede, e começa a corta minhas coxas, grito de dor, minhas coxas estavam sangrando muito e eu já tava muito cansada e muito mal, ele solta a faca e vai pra cima do meu pescoço e os outros quatros vão em direção a minhas coxas sinto eles lamberem todo o meu sangue, e o cara que estava encima de mim sinto ele furar meu pescoço e extrair meu sangue com a boca, eu começo a me sentir fraca e perde as esperança de sai de lá viva,quando ouço um barulho e a porta sendo aberta brutalmente eles começam a sair de cima de mim e ir em direção aquele cara que era o mesmo que tinha me salvado, começo a ficar com a vista turva mais com o resto de consciência vi ele atirar na cabeça de três e depois fico inconsciente...




                 P.O.V Lucas


Eu  estava cansado de vigia ela, fui até o banheiro e fiquei um tempo, quando saí ela não estava mais lá fui em direção a calçada do lugar e fiquei olhando se achava ela ,olhei pro lado e pro outro mais não a ví até que ouço um grito, olho pra trás e ela estava do lado da casa sendo arrastada pelos cabelos até os fundos, corro até o lugar mais ele já estava dando partida no carro, fui em direção ao meu carro entrei e dei partida e o segui sem ele perceber até que ele entra numa estrada de terra muito deserta,paro em um lugar para me esconder, eles seguem uns metros a frente chegando numa casa abandonada eles abrem o porta malas ela tentar fugir sem sucesso,um deles pega ela é a coloca no ombro ouço risadas e eles darem um tapa na bunda dela, eles entraram na casa e eu fui em direção a casa como era um pouco longe de onde eu estava fui na caltela afinal não sabia se tinha mais alguém pra me atacar de surpresa, cheguei em frente a casa e fui vigiá pela janela o que eles estavam fazendo para atacar no momento certo, quando olhei percebi que ela estava só de roupas íntimas sangrando,toda roxa e eles bebendo o sangue dela na hora a raiva subiu de uma vez chutei a porta que fez um barulho grande chamando a atenção deles, comecei a entrar em uma lutar corporal com eles atirei na cabeça de três deles e os outros dois foram pra cima de mim tentando me morder dei socos e chutes até que consigo me soltar deles, pego minha arma e atiro neles, respiro ofegante e vou em direção a garota, ela tava muito machucada peguei a faca que provavelmente usaram nela por conta que ela estava com as coxas mutiladas,cortei as cordas que prendiam suas mãos e ví que seus pulsos estavam  marcados pela corda, peguei ela nos braços e a levei até meu carro abri a porta do passageiro da frente e botei o cinto de segurança nela, entrei e olhei o rosto dela, ela me lembra muito a minha melhor amiga de infância...ESPERA! Dei partida no carro acelerando, fui em direção a base estacionei na garagem e tirei o cinto de segurança dela,percebi que ela estava muito pálida então abri a porta do motorista e indo em direção a porta do passageiro segurei ela em meus braços e sai correndo da garagem em direção  ao hospital(já que tinha um hospital dentro da base), no caminho ví outros soldados me olharem confusos não dei atenção e continuei correndo até o hospital, abri a porta e logo coloquei ela encima da maca tentei acompanhar mas a enfermeira não deixou, fiquei sentado na cadeira, como não percebi que era ela ?! Não importa, vou proteger ela nem que seja a última pessoas que vou salvar na vida, custe o que custar! 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...