História O Anonimato - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Gastina, Lutteo, Simbar
Visualizações 219
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


GENTEEE. CÊS VIRAM O CAPÍTULO DE ONTEM DE SOU LUNA? MEU JICO E YAMIRO TÃO VIVO!
VOCÊS O COMERCIAL DO PRÓXIMO CAPÍTULO? TEM SIMBAR MEU POVO! *kjkakenlxmslwmwldkrkzj* MORRI! A ÂMBAR JÁ TÁ APAIXONADA POR ESSE MEXICANO!
Vamos Para Mais um Capítulo.

Capítulo 7 - "Encontro"


Fanfic / Fanfiction O Anonimato - Capítulo 7 - "Encontro"

Pov Simon.

Quinta-feira, 14:00.

Nina: ... aí eu encontrei essa carta. - ela nos mostra a carta.

Luna: ai que fofo. A carta mais fofa que o Anonimato fez para ti. 

Simon: ele realmente te ama! 

Nina: Sim, que legal e tals... Mas quem pode ser esse Anonimato? 

Simon: aí eu não sei.

Nina: Sinto que conheço ele, mas não sei explicar o porquê disso.

Luna: a questão é, quem pode ser esse Anonimato? Pode ser qualquer garoto que nós conhecemos.

Simon: Não tem nenhum palpite sobre quem seja?

Nina: Na Verdade? Não! Se o Anonimato gosta de mim, por que ele não fala? 

Luna: Não sei. Pode ser medo, vergonha...

Nina: do quê?

Simon: se você rejeita-lo? Ninguém gosta de ser rejeitado! 

Nina: Sim, eu sei. Mas também, podemos ser amigos.

Luna: eu acho que não é só amigos que ele quer ser de você. Leu essa carta direito?

Nina: só não quero iludi-lo pensando que gosto dele também. Ok? Eu não tô gostando de ninguém.

Luna: Ainda! - corrige e eu rio - Não sei porquê você tá rindo. É quase o Anonimato, ama e não confessa.

Simon: e quem eu estou Amando, senhorita Luna Valente?

Luna: como quem? Âmbar! - Responde óbvia.

Simon: Por favor, Luna. Não gosto dela.

Luna: ah claro e eu sou um pinguim. - diz sarcástica.

Nina: por que não admite que gosta dela e pronto?

Simon: Porque não gosto dela. Por que não acreditam?

Luna e Nina: Porque você gosta dela.

...

18:00.

Âmbar: Simon! - me chama.

Simon: oi Âmbar.

Âmbar: queria saber se o nosso "encontro" tá de pé ou você desistiu? Se desistiu, não tem problema ok. Tá de boas.

Simon: Não desisti, Âmbar. Vamos sair sim.

Âmbar: Ah... Então não se atrase, por favor. Odeio atrasos.

Simon: Eu vou te buscar? - ela assente - mas foi você que me chamou.

Âmbar: Simonzinho, eu não vou te buscar. Então me encontre no lado de fora da mansão às 19:00. Sem atrasos! - deixa a ultima parte bem claro.

Simon: Ok. Não vou me atrasar!

...

Sexta-feira, 13:45.

Nina: Então... - aquelas duas já estavam me perturbando enquanto trabalhava.

Simon: Então o quê?

Luna: pronto pro seu encontro com Âmbar? - sorri sapeca, logo estranho.

Simon: Sim... por que não estaria?

Luna: ai, Nina. Eu preciso contar!

Nina: não... Você não vai! 

Simon: falar o quê? 

Luna e Nina: Nada Não! 

Simon: agora podem contar! - dou minha atenção a elas. - Desembuchem.

Nina: quero deixar bem claro que descobri isso hoje. 

Luna: Sabe Simon, ontem fui no quarto de Âmbar e apostei o tão sonhado milkshake que ela queria tanto, se ela te beijasse! 

Simon: Então agora eu sou a marionete de todos? Essas apostas tão sempre me envolvendo.

Nina: não queria que a Âmbar te beijasse, Simon? - arqueia uma sobrancelha maliciosa.

Simon: Não disse isso. - sussurro.

Nina: disse algo?

Simon: nada de importante. 

Luna: Não respondeu a pergunta de Nina! 

Simon: Não..? - elas negam com a cabeça. - Então né...

Nico: Simon, pode vir me ajudar aqui?

Simon: Sim, já vou!

Nina: Mas não respondeu minha pergunta.

Simon: Que pena, Nininha. Quem sabe a próxima. Tchau! 

...

18:59.

Faltando um minuto para 19:00 e já estava na porta da mansão. Ela disse que não gostava de atrasos. 

"Já tô aqui,Âmbar!"

 

"Ok. Tô descendo!"

 

Leio a mensagem e fico esperando ela chegar. 

A porta se abre, e vejo ela ali. Estava Absurdamente linda!

Simon: Está muito bonita! - elogio-a. 

Âmbar: eu já sabia, mas Obrigada! - brinca e Rio de leve. - pontual. Ganhou pontos comigo! 

Simon: isso significa que vai me beijar para ganhar um milkshake? - pergunto rindo.

Âmbar: como você sabe?

Simon: Luna, meio que, abriu a boca. 

Âmbar: em minha defesa, ela que começou essa aposta! 

Simon: estou muito ofendido por me acharem como a marionete de todos vocês. - me faço de ofendido e ela revira os olhos.

Âmbar: Simon, cala a boca e  vamos antes que eu desista.

Simon: Então Vamos!

Caminhamos até um restaurante mexicano, que não era muito longe da casa dela, mas também não era perto.

Âmbar: Não acredito nisso, Simon. 

Simon: é sério. Comida mexicana são, geralmente, muito apimentadas. Quando era mais novo e provei uma bem apimentada mesmo, corri como louco na rua a procura de água.

Âmbar: pobrezinho do pequeno Simon!

Simon: pobrezinho mesmo. Esse dia foi tenso. 

Âmbar: deve ter sido mesmo! - chegamos no restaurante e sentamos numas das mesas. - o me recomenda para que eu coma? Não sei muito sobre comida mexicana.

Simon: Eu adoro Tacos. São uma delícia.

Âmbar: Ok, Então pedirei esse! 

O Garçom vem, fazemos nossos pedidos e ele se retira.

Simon: Vamos, agora me conte de você. 

Âmbar: contar o quê? - ela dar uma risada nasal. 

Simon: Eu já contei muito sobre mim, agora é contrário. 

Âmbar: Mas contar especificamente o quê? 

Simon: qualquer coisa... Uma história engraçada ou algo assim.

Âmbar: hã... Quando era mais nova, eu não gostava da Jazmin. Um dia, ela levou o seu diário pro colégio. Eu li e vi que ela era muito mais "bobinha" quando era mais nova.

Simon: coisa feia, Lendo o diário das amigas. - brinco. 

Âmbar: na época não era amiga! - Diz e Rimos juntos. 

Nossos pedidos chegam e começamos a comer.

Âmbar: sua vez agora! 

Simon: hã... Não sei.

Âmbar: vamos! Sei que tem uma história louca para me contar.

Simon: Ok... meu primeiro beijo foi aos dez anos de idade e foi horrível.

Âmbar: como foi para ser tão horrível assim?

Simon: digamos que, em não sabia o que fazer com aquela língua que entrou na minha boca. Era muito estranho para mim. - Digo e ela Ri.

Âmbar: dez anos e já beijando é muito precoce, não? 

Simon: e você foi com quantos?

Âmbar: catorze! 

Simon: Ah... Então deixa quieto. - Digo e ela Ri mais uma vez. - só dá para ri hoje, não?

Âmbar: Olha as histórias que está me contando. São hilariantes.

Simon: foi tudo histórias tensas e você ainda ri. 

Âmbar: Sim, eu rio! E irei ri sempre que contar uma história assim!

Simon: que malvada!

Âmbar: Não sou tanto.

Simon: como não? Até o diário da Jazmin você leu.

Âmbar: Não era minha amiga na época e não espalhei pro colégio também.

Simon: mesmo assim é maldade.

Âmbar: Cala a boca senão conto a história da comida apimentada pro Blake todo.

Simon: Não seria tão má a esse ponto.

Âmbar: tenta me provocar para você ver. 

Simon: se você contar, eu te agarro no meio do Blake todo. 

Âmbar: Não faria isso! 

Simon: tenta me provocar para você ver. - falo a frase que ela havia dito há uns segundos atrás e ela revira os olhos. 

Âmbar: eu te odeio! 

Simon: assim machuca meu coração! - coloco a mão no peito me fazendo de ofendido.

Âmbar: é pra machucar mesmo! 

Simon: é muito má essa menina. Como aceitei sair com ela?

Âmbar: eu tenho a teoria de que você aceitou porque sou a melhor companhia que pode arranjar numa sexta à noite. - dessa vez, eu que revirei os olhos.

Simon: convencida.

Âmbar: Não estou falando nenhuma mentira, e você sabe muito bem disso. Afinal, tem companhia melhor que a minha? 

Simon: devo admitir que não. Estou saindo com a Rainha da Pista. Quem teria essa sorte? - ironizo.

Âmbar: muitos não tem, Mexicano. Devia valorizar suas sortes. 

Simon: devia mesmo.

...

Já havíamos terminado de jantar, pagar e agora estávamos sentados num dos bancos que tinham no parque.

Estávamos conversando e rindo bastante.

Âmbar: Sabe Simon, me precipitei um pouco. Achava que hoje a noite seria um total desastre, mas me equivoquei. Você até que é um cara bacana.

Simon: tenho minhas qualidades, Âmbar. 

Âmbar: é, precebi porque Jazmin gosta tanto de você. 

Simon: e por que seria?

Âmbar: é Engraçado, gentil, gosta de ajudar a todos, carismático... resumindo,o meu oposto. - brinca e dou uma risada de leve.

Simon: vou aceitar como um elogio, obrigado.

Âmbar: Bom, agora precisamos ir. Está tarde,não?

Simon: Sim, está! - nos levantamos - Vamos?

Âmbar: Vamos!

Acompanho ela até a mansão e nos despedimos.

Âmbar: acho que seremos bons amigos, Simon.

Simon: Sim, eu também acho! - ela me dar um beijo na bochecha e eu sorrio.

Âmbar: Tchau, Simon! 

Simon: Tchau, Âmbar!

.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Quando falo que Simbar e minha religião, é porque é minha religião.
Beijooooooooooooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...