História O Aranha e A Morcega - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~LordeKoorishiro

Postado
Categorias Batman, Fairy Tail, Homem-Aranha, Liga da Justiça
Exibições 100
Palavras 2.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Um novo lugar para se viver


A Fairy Tail estava alvoraçada, após um anuncio dos deuses de Ishgar dizendo que a guilda era considerada um perigo para eles. Natsu deu um soco em uma mesa, a destroçando, assustando a quem estava próximo. Wendy olhou para ele preocupada, pois nunca tinha o visto com tanta raiva assim. A azulada se aproximou dele, e questionou, com a voz chorosa:

-N-Natsu-nii? Nós vamos morrer? – O rosado olhou para ela, e se sentiu mal por vê-la chorar. Percebeu o quanto não queria ver aquele rostinho lindo e pequeno derramando lágrimas. Ele fez uma coisa que nunca imaginou que faria com uma garota na vida. A abraçou com força, somente se contentando quando sentiu que a pequena azulada estava completamente em seus braços. Todos olharam aquela cena surpresos, mas não demonstraram, uma vez que estavam preocupados com o que viria a seguir.

-Vai ficar tudo bem Wendy. – Disse ele, escondendo o rosto dela em seu tórax. Nisso, ouviu a voz de Lucy, sendo que era a única pessoa que ele não queria ouvir nesse momento.

-Ela só vai ficar se jogando nos braços dele porque estamos numa crise dessas? É SUA PUTINHA?! – Gritou a loira se gabando. Ela desviou de uma rajada de fogo que quase a queimou por completo. Por sorte ela conseguiu se jogar no chão a tempo, sendo que apenas uma mesa foi queimada. Ela olhou de olhos arregalados para Natsu, que ainda escondia o rosto dela em seu tórax.

-Ouse abrir a boca para falar algo assim dela de novo, e eu mesmo vou te entregar para os desgraçados brincarem. – Rosnou ele, numa raiva que ninguém daquele lugar nunca havia visto antes. Katsu, um Yamihonoo no Dragon Slayer deu um meio sorriso, enquanto estava sentado em uma mesa próximo a janela, apenas observava a paisagem, que por ora estava pacata, mesmo sabendo que não duraria muito.

-Nunca mecha com um dragão, Lucy – Disse ele – Mas se mexer também, não me importo. Quero ver o circo pegar fogo.

Ele tinha chamas negras em suas mãos, sendo que muitos olhavam para ele com uma gota. Nesse momento, estrondos foram ouvidos, e o azulado olhou pela janela, com um sorriso sádico.

-Ao que parece, acho que estamos no fim. Tão triste, que poderia chorar. – Disse, com um sorriso maldoso. – Bom, acho que podemos iniciar as despedidas.

Cherria se aproximou do mesmo com uma expressão de choro. Ela se jogou nos braços do adolescente, que a pegou, olhando para os orbes azulados cheios de lágrimas da mesma.

-Como consegue ser tão sangue frio e maldoso até mesmo na hora da morte? -  Questionou ela. Katsu sorriu um pouco contrariado, enquanto segurou o rosto dela pelo queixo.

-Faz parte de ser um Saiyajin, Sora-hime – Disse ele. Nesse momento, ela roubou um beijo dele, que ficou surpreso, mas aceitou o mesmo. Ele envolveu a rosada nos seus braços, enquanto a beijava. Quando se separam do beijo, ela disse, com os olhos lacrimejando e cheios de lágrimas.

-Agora eu posso morrer feliz! – Exclamou ela, para o meio dragão meio Saiyajin, que deu um sorriso de lado.

-Nós dois podemos. – Respondeu ele.

Wendy, que viu essa cena de canto de olho, observou Natsu, que sorria para eles. Nesse momento, ela não disse nada, apenas segurou o rosto dele, e o direcionando a si, ficou na ponta dos pés, e encostou, timidamente seus lábios nos de Natsu, que se espantou a principio. Logo ele cedeu aos doces lábios da sacerdotisa do céu. Foi um beijo curto, sendo que logo foi quebrado.

O que Natsu ouviu a seguir, foi algo que ele poderia ouvir os restos de seus minutos naquele mundo.

-Eu te amo, Natsu-nii! Meu idiota favorito! – Ela disse, com os olhos cheios de lagrimas.

-Também te amo, Wendy! – Ele ergueu ela, que ficou com os pés fora do chão. Em seguida o abraço foi dado.

-Como pode tira-la de mim, maldito?! – Questionou Romeo ficando de pé, e indo na direção dos dois. Antes que pudesse chegar, o que viu foi um brilho dourado, e a si próprio sendo jogado contra uma parede. Quando ele olhou, viu que Katsu estava transformado em SSJ, e com um olhar mortal para ele.

-Você pretendia fazer algo contra eles, verme maldito? – Ele ergueu sua mão, e uma esfera de energia avermelhada surgiu ali, com Romeo arregalando os olhos para ele. – Agora eu posso fazer algo que eu sempre quis, desde que percebi o jeito que ficava olhando para Cherria e Wendy. Você não sabe o quanto eu quis te matar, seja usando os poderes de um dragão, ou de um Saiyajin.  – Em sua outra mão uma chama negra surgiu. – Acho que posso me dar o luxo de usar os dois, apenas por diversão.

-O-O QUE ESTA FAZENDO COM MEU FILHO, SEU BASTARDO? – Gritou Macao com raiva. Apenas um olhar de Natsu foi o suficiente para cala-lo.

-Acha que não percebi que você também ficava de olhos nelas, seu maldito. Você também não me escapa Wakaba! – Gritou ele para o outro, que se encolheu. Chamas surgiram em volta do corpo de Natsu, enquanto seus olhos estavam ficando vermelhos. Escamas surgiram em seu corpo, e um par de asas dragonica surgiram, enquanto ele rosnava de forma feral, fazendo com que todos ali se assustarem. – E também ficaram de olho na minha filha!

-VOCÊ NEM FILHA NÃO TEM! – Berrou Jet de outro canto. Natsu olhou para ele, fazendo com que o mesmo se calasse. Ele dirigiu seu olhar para Alzack, sendo que Bisca e Asuka se afastaram dele.

-Pobre Alzack, um lixo como você, que sempre se escondeu atrás da Bisca, acha mesmo que poderia ter dito uma filha tão perfeita como a Asuka? – Questionou Natsu olhando para o homem.

-O que? O que quer dizer com isso? – Questionou, vendo Bisca levando Asuka com ela para o lado de Natsu. – Onde vai Bisca?!

Nesse momento, Romeo foi jogado em cima dele, e Ash que estava no trajeto do corpo do garoto apenas se abaixou, deixando que Romeo caísse em cima de Alzack.

-Ah! Entendi. Problemas de desempenho. Um em cada cinco homens tem isso. – Disse o adolescente sorrindo maldosamente.

-Essa foi boa, Katsu-san! – Exclamou Ash.

-Não entendi, amor – Comentou Yukino fofa. Ele sorriu para ela.

-Depois te explico.

-VOCÊ ME TRAIU, BISCA, SUA VADIA?!

-Claro que não! Apesar que você merecia, afinal foi lá se enroscar com a vadia da Jenny! – Exclamou ela com raiva. – Natsu doou o DNA para eu poder ter minha filha! O sangue das veias dela é dele, e não seu!

-Meu papai é o tio… Natsu? – Questionou ela olhando para o dragão. Ele piscou o olho para ela, enquanto sorriu. – EBA!

Alzack bufou de ódio ao ouvir isso. Nesse momento, um brilho tomou conta da sala, e uma garota, alienígena, e um jovem de cabelos roxos.

-Sensei, Trunks-san. – Comentou Ash olhando para os dois. – O que os traz aqui nessa tarde em que estamos prestes a morrer?

Kaoiu-shin deu uma risadinha mínima ao ouvir o que o moreno falou, demonstrando algum bom humor naquele momento.  Trunks fechou os olhos, e deu um sorriso de lado ao ouvir a fala do amigo.

-Pode nos dizer quem são eles, Ash-san? – Questionou Natsu olhando para os recém-chegados, e ainda mantendo sua Dragon Force ativa. Ele estreitou os olhos para Alzack, que olhava para com ódio. Ele deu outro rosnado feral para o homem, que engoliu em seco.

-São meu amigo, e minha Sensei. – Respondeu ele.

Nesse momento, outro tremor foi sentido, e uma explosão foi escutada por todos. Nisso Katsu se aproximou novamente da janela da qual estava sentado próximo alguns minutos atrás. Ele olhou com pouco interesse, enquanto seu olhar percorreu a guilda, encontrando Makarov.

-Parece que eles chegaram, vovô. Estamos fudidos. – Disse ele, com um tom de voz calmo. – O que vamos fazer? Duvido muito que se lutarmos contra os deuses bastardos vamos arrumar alguma coisa.

Todos começaram a querer entrar em pânico, enquanto Katsu elevava seu ki um pouco, assustando a todos.

-Eu acho que não vai adiantar nada entrarmos em pânico. – Disse Natsu, vendo que o amigo estava um pouco irritado. –Segura a onda, Katsu.

O Saiyajin olhou para ele com fúria.

-Me mande ficar quieto de novo e eu te transformo em poeira, verme – Disse o adolescente furioso. – Se enfrentarmos os Deuses bastardos não podemos ganhar?

Kaiou-shin dessa vez, avançou dois passos à frente, estando com uma expressão de desanimo no rosto.

-No nível em que estão não. Se tentarem, serão aniquilados. – Disse ela, com um semblante entristecido. – Mas eu posso salva-los.

-Como? – Questionou Erza, descrente.

-A Kaiou-sensei pode levar a guilda de vocês para outra dimensão, salvando da destruição. – Explicou Trunks. Nisso ele olhou para Katsu, que com um pedido de Cherria voltou ao normal, abandonando sua transformação. – Ele é o garoto que me falou, Sensei?

A Kaiou-shin olhou para Katsu, que estava abraçado a uma chorosa Cherria.

-Sim. Ele é o seu irmão. – Disse ela. – Vegeta e Bulma, vieram aqui para que ela pudesse dar à luz. Eles, por causa da gravidez dela, queriam evitar lutar para que não prejudicasse o bebê. Bulma deu à luz para o Katsu, e como Demigra estava atrás deles, eles deixaram que Katsu fosse criado com Igneel, sendo que Igneel já tinha Natsu, que é três anos mais velhos.

Katsu ouviu o que ela disse descrente, sem poder acreditar. Ele bufou, com raiva.

-Demigra, né? – Questionou ele, olhando para o próprio punho fechado.

-Bom, acho que agora devemos ir. – Comentou Ash, olhando pela janela.

-Eu discordo! – Exclamou Alzack, se levantando. – Por que deveríamos ir com uma garota maluca e um retardado que apareceu do nada.

Ash se adiantou, e começou a andar na direção dele com um olhar mortal.

-Posso mata-lo? – Questionou, olhando para Alzack com interesse mortal. O homem se encolheu, enquanto Ash rosnou.

Natsu colocou a mão no ombro do amigo, e acenou negativamente com a cabeça, sendo que logo disse:

-Não vale a pena sujar as mãos com tão pouca coisa. – Ele olhou para Alzack e os outros. – Já que são tão espertos assim, podem ir lá para fora, e lutar contra os deuses, vamos lá, não são os espertões da guilda. Se mandem.

Erza olhou para Natsu curiosa, sendo que Wendy o abraçou, com ele retribuindo o abraço da pequena. Ele olhou para ela com um olhar confiante.

-Eu sei que nem todos aqui são inteligentes e racionais. – Disse o rosado, surpreendendo a muitos.

Nesse momento, como se estivessem apenas esperando essa fala do rosado, Macao, Romeo, Wakaba, Jet e Droy apenas se aproximaram de Alzack, que continuava olhando com raiva para a Kaiou-shin e Trunks.

-Estamos com Alzack. Ele tem toda a razão! Não temos porque confiar em uma mulher que apareceu no meio da guilda do nada! – Exclamaram com raiva. Natsu olhou para Erza com um olhar de “eu te disse”.

-Não se esqueçam de mim! – Exclamou Lucy, correndo, e ficando ao lado deles. – Natsu, devia pensar melhor também e vir comigo. Não ficar com essa…

-Fale algo da Wendy-chan e conheça o inferno. – Disse Natsu com um rosnado feral. Ele estava cheio da loira. Das ladainhas dela por causa de dinheiro. Dos mimos que ela tinha, e por pensar que todos deviam trata-la com rainha, por causa de seu nome, mesmo sendo uma família já falida e sem credibilidade em Fiore.  

-COMO OUSA ME TROCAR POR ESSA TABUA AÍ? – Gritou ela com raiva. – NATSU SEU IMBECIL!

A próxima cena foi um espanto geral a todos. Lucy tinha parado de falar, enquanto sua boca estava arreganhada, e sangue voava dela. O motivo, foi que Wendy, havia dado um soco nela, de mãos pura, sem magia sem nada. Lucy voou, e bateu na porta na guilda, caindo na rua com estrondo. Seria uma cena normal, se não fosse a garota mais calma de toda a guilda que tivesse feito isso. O fantasma de Mavis sorriu.

-Acho que até mesmo a Wendy-chan tem seus limites. – Explicou a loira, sorrindo de maneira fofa. – A Lucy merecia isso a um bom tempo já. Eu vi de perto o que Natsu-san e os outros sofriam por causa da obsessão doentia de dinheiro que ela tinha.

-Acho que vocês não têm mais o que é necessário para ser mago da Fairy Tail. Não confiam em seus companheiros de guilda, e viraram as costas para todos nós, no momento em que decidiram que não iriam confiar na Sensei de Ash, que também é de minha confiança e da primeira. – A loira assente, confirmando o que o terceiro falou. – Então estão fora da guilda.  – Estralou os dedos e as marcas dos mesmos sumiu. – Saiam da guilda.

Todos saem de bom grado, enquanto Lucy olhou com raiva para dentro da mesma, antes da porta se fechar.

A Kaiou-shin olhou para Makarov, que parecia realmente aliviado ao fazer isso. Ela no mínimo, acreditava que ele merecia esse alivio, uma vez que sofreu apuros por causa do grupo em questão.

-O lugar que vou leva-los se chama Gotham-City. Normalmente, vocês não seriam necessários lá, mas também não deviam morrer aqui. Por isso, lá será o novo lar de vocês. – Explicou ela. – No momento estão em uma crise, sendo que marcianos, uma raça chamada Imperium, estão atacando a terra. Se puderem ajuda-los, ficaria feliz.

-Parece que vamos poder socar algumas coisas por lá. – Disse Katsu com um sorriso, dando destaque a suas pontudas presas dragonica. – Eu estou dentro.

-Gehe. Pode contar comigo. – Disse Gajeel, com um sorriso desafiador.

Natsu bateu os punhos, fazendo com que chamas saltassem do encontro dos mesmos.

-Estou empolgado! – Exclamou ele, sorrindo.

Kaiou-shin deu um sorriso de satisfação. Ela esperava essa reação da guilda.

-Então vamos.

A luta em Gotham estava um tanto complicada. Batman, estava encurralado, mesmo que tivesse derrotado vários dos aliens que o seguira. Ele destruiu mais dos aliens, enquanto se ajoelhou, cansado, ao perceber que havia conseguido se safar por ora. Ele sabia que estava em território inimigo, mas não seria pego se estivesse com a guarda alta.

Nesse momento, vários inimigos, mais que ele pudesse imaginar surgiram na frente dele, e ele, se levantou para atacar. Se surpreendeu quando chamas carmesim e negras destruíram os seres invasores, consumindo os mesmos até a morte. Devido a claridade que a explosão resultou, ele escondeu o rosto na capa. Quando a abaixou, viu dois jovens, um de cabelos rosas, e outro de cabelos azuis. Ambos tinham sorrisos no rosto, e se alongavam.

-Quem são vocês? – Questionou o Morcego, pronto para atacar, se fosse preciso.

-Não se preocupe, não somos inimigos. – Disse o de cabelos azulados. Os cabelos do mesmo eram um tanto escuros, mas ainda assim, azuis. – Meu nome é Katsu Knight, e ele Natsu Dragneel. Nós podemos te ajudar a derrotar os vermes malditos, se quiser. Humano.

Batman sorriu de lado.

-E o que são? Meta humanos?

-Nem sabemos o que é isso. Somos… Dragões. Ele é meio Saiyajin também, mas acho que podemos explicar depois, não é? – Questionou Natsu, apontando para mais inimigos que se aproximavam. Antes que os mesmos chegassem, Wendy e Cherria surgiram, destruindo os inimigos, como se os mesmos não fossem nada.

-Amigas de vocês? – Questionou o morcego impressionado.

-Bem, namoradas seria o termo correto. – Disse Natsu. Wendy tinha o corpo parecido com o de Cherria, o que fazia jus aos seus dezessete anos. Cherria tinha a mesma idade que ela, sendo alguns meses mais nova.

-Acho que posso confiar neles num primeiro momento, mas ainda assim, vou me manter cauteloso com eles. Parecem ser bem mais fortes que reles meta humanos. – Pensou o morcego.

Em Belle Reve, já destruída, sendo que os presos já haviam fugido da mesma. Nisso, uma loira se escorou aos escombros, e olhou para a cidade destruída. Em sua mente, já recuperada do que coringa havia feito a ela, graças a um remédio desenvolvido por Batman, ela diz para si mesma:

-Será que está bem, meu morceguinho?  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...