História O baile de máscaras. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 15
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoas ❤
Boa leitura, beijos c:

Capítulo 1 - "L" de lezado.


Fanfic / Fanfiction O baile de máscaras. - Capítulo 1 - "L" de lezado.

– SEJAM BEM VINDOS A MINHA SALA..  DE NOVO! –Diz o diretor Thonson.

– Obrigada diretor. Você sabe que é sempre uma honra lhe visitar. – Diz o cara mais idiota da terra.
Eu, como sempre, fico em silêncio.

– O que aconteceu dessa vez?! Essa é a terceira vez que vocês dois vem para a diretoria. – Diz o diretor, bem irritado.

– Ahh, nem foi tantas vezes assim querido diretor. – Diz Eric.

– Ah, é sim. Considerando que essa é a primeira semana de aula. – Consigo ver os sangue nos olhos do diretor agora. Ele tomou um gole do seu café extra-forte. Isso não é um bom sinal. – O QUE VOCÊS TEM NA CABEÇA?! SUSPENSOS!! OS DOIS!!!

  Bom, você que leu até aqui não deve está entendendo tudo muito bem, não é?! 
Vamos começar do início, então.

Recife-PE,  12/02/2015

Meu nome é Lucas, tenho 17 anos e sou daqueles caras excluído, sabe?
Não!!  Melhor. Incluído, muito incluído. Incluído em confusão, em muuuuita confusão. – Não, não sou eu e quem começo. – Sabe aqueles caras que sempre apanha dos "valentões", aqueles caras que é xingado a cada passo que dá?! É.. esse cara sou eu.
Desculpe, mas não podia deixar passar essa.. foi sem graça? Claro que foi..
Enfim, antes eu sofria por isso mas agora já me acostumei com a humilhação.. Na verdade, odeio isso. Mas nem todos precisam saber né?!
Não posso demonstrar mais fraqueza para esse povo que vê fraqueza minha até na minha alma.
As vezes sinto vontade de sumir sabe? Sei lá. Mas se tem algo que me dá forças para aguentar todos os dias naquele inferno de escola é a Anna. Cara, vocês não tem ideia do quanto essa garota é linda. Olhos verdes como a esmeralda, cabelos negros, pele bem lisinha.. Não, eu nunca toquei nela, mas eu imagino que seja.
Ela é a garota mais inteligente da escola, o que faz ser mais impossível eu me aproximar dela.. Eu sou a pessoa mais burra do planeta. Se é que eu posso ser considerado uma pessoa.
Enfim, voltando ao que interessa.. A Anna além de ser linda, inteligente é a única pessoa que não dirige a palavra a mim. Isso é péssimo, eu sei. Mas é a única pessoa que não me xinga nessa escola. Entre tantas qualidades, ninguém é perfeito né? A Anna tem um defeito.. um defeito terrível. Ela namora o Eric.
Quem é Eric?! É apenas o garoto mais idiota, e o garoto que mais pega no meu pé.
Você deve está se perguntando – Ou não – Nossa, cara. A sua vida é só isso?!
Claro que não é.. Mas o resto não é interessante, na verdade nem o que eu disse é.
Se você quiser saber mais da minha vida.. Quem sabe eu conte aos poucos.. Talvez eu nem precise contar. Só digo uma coisa, nunca fui importante para ninguém.. sempre fui um puta rejeitado.
Rejeitado como?
Meus pais biológicos me abandonaram e eu vivo em um orfanato em condições precárias o suficiente para eu esperar apenas a maior idade para sumir desse lugar. Viu? Se tem uma coisa que isso não é, é interessante.
Acho que já falei demais né? Vamos voltar para o assunto principal.

-----------------------------------------

Acordo logo cedo para ir para o inferno. – É o que eu acho da escola, se bem que acho que o "inferno" é bem melhor. – Me arrumo. – Me arrumo nada, coloco qualquer roupa mesmo. Só não vou de pijama porque não quero garantir mais nenhum apelido. – Eu não como nada quando acordo, não sei o porquê, mas não sinto fome logo cedo. Pego o ônibus e vou para o "inferno".

– É, lá vou eu. – Digo ao pisar no corredor dos armários.

– Cuidado ai Luquinha. – Diz um garoto ao esbarrar em mim de maneira proposital. – Olha pra onde anda garoto.

– Eu não tenho culpa se você não tem a mínima noção de espaço! – Digo, me arrependendo logo em seguida.

– O QUE VOCÊ DISSE GAROTO?!

– Nada.

– Melhor mesmo. – Diz ele ao dar meia-volta.

Vou em direção ao meu armário, quando vejo a única coisa que me faz vir aqui.
Ela estava conversando com uma amiga. Estava tão obcecado em observá-la que nem percebi que existia alguém se aproximando.

– PERDEU ALGUMA COISA ALI GAROTO?! – Diz Eric enquanto acerta um soco em cheio no meu rosto. Chamando toda a atenção para mim. Eu sempre aguento apanhar desse cara, MAS ESSA VEZ NÃO! Anna viu a cena. AHH, ESSA EU NÃO VOU DEIXAR BARATO!
Acabo voando para cima dele.

– "EITAAAA CARAIOO". – Diz um cara ao ver a briga.

–É BRIGAAAA. – Grita uma menina enquanto vem correndo para perto.

–BRIGA!

–BRIGA!

–BRIGA!

–O QUÊ QUE ESTÁ ACONTENCENDO AQUI?! – Grita o diretor. Nos forçando a se controlar e parar de brigar. – OS DOIS! PARA A MINHA SALA. AGORA!!

E lá vamos nós.. entrando naquela sala novamente. Ao fechar a porta, o diretor Thonson dispara.

– SEJAM BEM VINDOS A MINHA SALA..  DE NOVO! –Diz o diretor Thonson.

– Obrigada diretor. Você sabe que é sempre uma honra lhe visitar. – Diz o cara mais idiota da terra.

Eu, como sempre, fico em silêncio.

– O que aconteceu dessa vez?! Essa é a terceira vez que vocês dois vem para a diretoria. – Diz o diretor, bem irritado.

– Ahh, nem foi tantas vezes assim querido diretor. – Diz Eric.

– Ah, é sim. Considerando que essa é a primeira semana de aula. – Consigo ver os sangue nos olhos do diretor agora. Ele tomou um gole do seu café extra-forte. Isso não é um bom sinal. – O QUE VOCÊS TEM NA CABEÇA?! SUSPENSOS!! OS DOIS!!!

– Vamos ficar quantos dias sem comparecer nesse infer.. quer dizer, Colégio?  – Pergundo de cabeça baixa.

– Espero não ver UM FIO de cabelo de algum de vocês nesse in.. COLÉGIO durante essa semana. – Diretor Thonson toma mais um gole de seu café extra-forte. – Podem sair!

  Nós saímos, ao fechar a porta Eric me encara.

– Espero que você nunca mais olhe para a MINHA NAMORADA daquele jeito. – Sinto vontade de voar em cima dele novamente, mas tento me conter. – Ah não ser que você queira apanhar novamente.

– Eu não tenho medo de você. – Dou o sorriso mais malicioso que consigo fazer.

– É uma pena que a sua coragem não é a prova de balas. – Diz ele enquanto levanta o seu ombro direito e soltar um beijinho. Que cara escroto.

Penso em falar algo, mas não quero dar meia-volta e entrar na diretoria novamente.

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Próximo capítulo começo uma história nova "O palhaço" ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...