História O beijo bilionário - Capítulo 27


Escrita por: ~ e ~NoemyMc

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Visualizações 83
Palavras 1.121
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 😘💙

Vcs gostaram de ter tido dois capítulos ontem?
Leiam as notas finais!

Capítulo 27 - Capítulo 27


Karol estava exausta depois de todo o drama do dia, então, Maxxi convidou-a a deitar-se no quarto de hóspedes enquanto os irmãos continuavam a conversar. Ela ficou encantada quando Ruggero a acompanhou e logo começaram a se beijar na cama com estrutura de ferro — todos os vestígios de cansaço esquecidos.


— Você está bem? — ele perguntou entre beijos. — Isso tudo foi muito intenso, hein?


— Estou bem. Fiquei apavorada no começo! Mas estou feliz por você ter recuperado seu irmão.


— Eu também. Mas agora, estou feliz por estar aqui com a minha garota.


Karol riu e beijou-o com força. A decoração do quarto de hóspedes de Maxxi era velha e antiquada — provavelmente, algo inspirado na cultura persa. Era frio e empoeirado e a fez lembrar de uma tenda de circo gigante, com vigas de carvalho, móveis dourados pesados e um espelho enorme de corpo inteiro na extremidade oposta à cama de casal grande. Ruggero reclinou-se contra a cabeceira de ferro enquanto eles continuavam a se beijar freneticamente. Karol puxou sua saia para cima e esfregou-se contra ele, sentindo a onda de luxúria tomar seu corpo. Ele agarrou suas coxas e puxou sua saia até a bunda, expondo a calcinha para o espelho.


— Humm, que traseiro gostoso, Srta. Sevilla — ele disse, olhando para o reflexo dela.

Karol se virou para olhar também e sorriu. Sentiu-se sexy. Ela não tinha notado, mas Ruggero despertara sua beleza interior, que agora brilhava. Ela se virou para encará-lo e ronronou, fechando os olhos e levantando-se como uma supermodelo. Ele riu e estendeu a mão para desabotoar sua camisa, abaixando-a e expondo o sutiã. Karol esfregou-se contra ele quando começou a ficar animada. Ele desabotoou o sutiã, empurrou-o para baixo, e então, inclinou-se para frente e chupou seu mamilo. Um poderoso sentimento de luxúria a envolveu e ela ofegou. Esfregando seu corpo contra a ereção gloriosa, ela estava desesperada para arrancar a calcinha para que pudesse senti-lo profundamente.


— Paciência, sua safadinha — ele disse, lambendo seus seios avidamente.

Ele passou os dedos por sua bunda e, então, deslizou-os por dentro da calcinha, tocando sua boceta e fazendo-a ofegar. Ele olhou para longe dos seios dela, checando seu reflexo no espelho. Sorriu de forma satisfatória. Karol sentiu-se orgulhosa e animada. Eles eram as estrelas pornô de seu próprio filme. Ela se abaixou para abrir o zíper de Ruggero e puxou sua ereção, acariciando-o lentamente. Os olhos de dele se fecharam e ele exalou.


— Você é tão sexy, Karol. Ela se inclinou e o beijou


— Quero nos ver transando através do espelho.


Ruggero sorriu e balançou a cabeça em aprovação. Karol saiu de cima dele, tirou a calcinha e sentou novamente em seu colo, com as costas contra seu peito. Levantando os quadris e arqueando a coluna, ela lhe ofereceu sua bunda e boceta. Sentindo-se como uma gatinha sensual, ela o olhou, de forma ardente, por cima do ombro, se virou e abaixou o rosto para passar a língua sobre a cabeça de seu pênis. O gosto era salgado, e ela lambeu o líquido pré-ejaculatório antes de chupá-lo completamente. As mãos fortes de Ruggero seguraram seus quadris e ele puxou sua bunda em direção ao rosto, passando a língua dentro da abertura de sua boceta, manipulando o clitóris e penetrando em sua fenda. Ela nunca havia feito um sessenta e nove antes, mas era erótico e a sensação era fabulosa. Era prazeroso demais chupar o pênis de Ruggero enquanto ele a lambia. Ela olhou para ele por cima do ombro novamente.


— É tão bom...


Ele deu um tapa na bunda dela.

— Perfeito. Posso lamber sua boceta apertada enquanto vejo, pelo espelho, seus lábios chupando meu pau.


Karol se virou para permitir que ele conseguisse ver com mais facilidade. Ele afastou a mão de seu quadril e penetrou dois dedos em sua boceta molhada. Ela ofegou, apreciando a emoção de ver suas próprias reações no espelho. Esta era a coisa mais sensual que já tinha feito, e sua boceta estava ansiando pelo êxtase. Ela olhou por cima do ombro de novo e abriu um sorriso safado.


— Estou pronta para montar em você. Gosta de cowgirl reverso?


Ele bateu em sua bunda, fazendo-a ofegar.

— Adoro uma vaqueira safada — ele disse. — Monte-me com força.


Ele guiou o quadril dela em direção a sua ereção. Ela se abaixou sobre ele, saboreando a emoção de sentir seu glorioso pau preenche-la profundamente. Ruggero usou as mãos fortes para balançá-la no ritmo perfeito, e ela se inclinou, sentando-se ereta para empurrar-se para trás e para frente. Karol teve um vislumbre de seu corpo seminu no espelho — os seios macios estavam para fora do sutiã e da camisa aberta. A saia havia sido empurrada para cima dos quadris e o pênis de Ruggero estava preenchendo-a. Sentia-se sexy e poderosa. Montou-o mais rápido e com mais força, espantada com a sua própria confiança sexual — esta era a mulher que ela sempre quis ser.

No controle, se divertindo e se sentindo ótima. Ela continuou a mover os quadris em um ritmo sensual quando Ruggero se abaixou e, suavemente, separou suas nádegas para inserir a ponta do dedo em sua abertura. Ela ofegou, sentindo-se completamente tomada. Gemendo como um animal, a tensão esmagadora do orgasmo começou a envolvê-la. Ela flutuava pelo momento de êxtase, pronta para a queda livre quando Ruggero bateu em sua bunda com força Karol podia sentir o orgasmo se formando, fazendo sua excitação crescer mais e mais. Quando a glória a subjugou, não conseguiu manter os olhos abertos. As ondas de prazer tomaram conta de Karol, que perdeu o senso, gozando com força e experimentando o melhor orgasmo que já teve. Seu mundo só tinha felicidade espumante e luxúria erótica. Ela era uma leoa poderosa, recebendo todos os tesouros que a natureza, amorosamente, fornecia. Lentamente, ela voltou a si para encontrar Ruggero olhando-a no espelho. Ele estava sorrindo com adulação.


Karol viu suas bochechas rosadas e a expressão pacífica no reflexo e riu. Ele riu também.

— Você é muito gostosa, Karol Sevilla. E eu te amo, porra.


Karol congelou. Ele realmente disse isso? Ela não se atreveu a perguntar. Então, abriu um sorriso, saiu de cima dele e se aninhou em seus braços, esperando. Eles sorriram um para o outro e ele apertou-a com força.

— Foi incrível — disse Karol. — Nunca experimentei nada parecido.


Ruggero a beijou com ternura na testa.

— Posso dizer o mesmo.


Karol sorriu e permitiu-se acreditar nele. Ela sentiu o contentamento envolvê-la, aproveitando o momento junto dele enquanto estavam deitados, sob a luz fraca. Ambos caíram em um sono leve até que Agustin os acordou.


Estava na hora de destruir o protótipo.


Notas Finais


Já estamos na reta final dessa fic!
Faltam mais dois capítulos pra acabar
Se esse capítulo chegar a 15 comentários eu posto os outros dois capítulos ainda hoje

É com vocês! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...