História O Beijo Escondido de um Vampiro... - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre, Personagens Originais, Rosalya
Tags Amor Doce
Exibições 26
Palavras 1.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Mentir As Vezes Ajuda


Capítulo anterior

_Voltei, e pelo jeito você apagou de novo

Não estou dormindo, só estou fingindo por medo.

Sinto uma respiração por perto e um leve toque de mãos frias em minha testa, começo a suar frio, ele vai me atacar?

_Acho que quando os humanos passam mal ficam quente não gelados.

O que? Ele está preocupado comigo? Acho que estou entendendo tudo errado .

_Oh não, ela marrou

Ele sacudindo num ato de desespero

_Você acordou, então só estava dormindo.

_Sim, desculpa se te assustei

Ele parecia aliviado por mim abrir os olhos

_Tudo bem, os humanos costumam ficar gelados enquanto dormem?

_ Bem, não

Se ele soubesse que é medo.

_ Então é o que eu pensei, você está doente, beba isto

Nem vi o que bebi, só que essa coisa é horrível.

_ Que nojo, o que é isso?

_ Não é tão ruim assim, é uma mistura de ervas doces, raiz forte e sangue de animal, cura qualquer coisa, mas guarde essa receita pra você é um segredo.

_ Eu bebi isso! Sangue de animal? E pra quem eu iria contar isso?

_ Sangue de animal é realmente ruim, mas é melhor que nada.

_ Então quer dizer que você sempre bebe?

_ Pode se dizer que sim

_ Então você é um vampiro bom?

_ Quem disse que sou um vampiro?!

_ Bem, é que tudo indica que é, mas não tenho medo de você.

Uma mentira a mais ou a menos, não vai fazer diferença.

_E nem é pra ter,  não farei nada a você a menos que me peça.

_ Por que eu te pediria? Você repete isso como se fosse acontecer.

_ Vai acontecer, e eu não quero te machucar, por isso você precisa melhorar logo para ir embora e eu não te tocar.

Falando assim ele realmente me assusta.

_ Enfim, tem fome senhorita? Em falar nisso, acho que não perguntei seu nome.

_É mesmo, meu nome é A.. - não posso falar meu nome real, ele pode me entregar ou fazer eu voltar para casa e não posso me casar - É Mary.

_ Que nome lindo, o meu nome é Lysandre, irei lhe cozinhar o animal que matei pra você, qualquer coisa me chame.

_ Matou pra mim?

_ Sim, hoje é um dia especial, nunca tenho a oportunidade cozinhar.

_ Então esperarei aqui.

Como se eu pudesse levantar.
Passou 2 horas, quase isso, ele colocou a comida na mesinha em frente à cama.

_ Espero que goste.

Estava com tanta fome que nem esperei para comer logo.

_ Está maravilhoso, o que você colocou aqui, da vontade de não para mais de comer.

_ Um pouco de vinho antigo e tudo que havia de melhor na melhor minha cozinha, não é todo dia que recebo visitas.

_ Obrigada, não sei como agradecer, mas em falar nisso quanto tempo estou aqui?

_ Três noites.

_O que isso tudo? Eu nem reparei o tempo passar aqui.

_ Perdão é que a luz me incomoda, então permaneço com tudo fechado.

_ Tudo bem, você queima ou morre no sol?

_O que você ouviu sobre os vampiros? Eles exageram na lendas, eu não morro ou queimo na luz, só prefiro o escuro, porquê a luz me faz sentir que sou vivo.

_ Vivo? Então você é morto?

_ Não, mas é como se eu fosse, nada tem mais graça, vivo a tanto tempo que parece que não vivo mais.

_ Desculpa pergunta, mas quanto anos você tem?

_ Que rude da sua parte em pergunta isto.

_ Desculpa, eu só fiquei curiosa.

_A curiosidade matou o gato.

Ele abri a porta e saí novamente.
Vou dormir sem saber se é dia ou noite, preciso conseguir levantar logo daqui.
Acordei com dores nas pernas, eu preciso estica - las, me levantei senti um pouco de tontura, mas não cai, fui em direção a porta, atrás dela tinha corredor enorme cheio de portas e quadros, não consegui ver detalhes, pois estava escuro.
Escutei som, é uma melodia, de traz de umas das portas, entrei sem bater, e vejo Lysandre tocando lindamente o piano, ele para e me olha fixo pra mim.

_ Então quer dizer que você melhorou?

_ Bem, parece que sim

_ Eu disse que meu chá curava tudo, venha cá ao meu lado

Me sentei e ele começou a tocar.

_ Já tocou alguma vez?

_ Eu tive algumas aulas, mas estou longe de ser profissional.

_ Não quero uma profissional, de profissional basta eu.

Ele colocou sua mão sobre a minha me incentivando a tocar, começando um dueto.

_ Você toca muito bem, perece que lhe ensinaram perfeitamente.

Se ele soubesse que tive os melhores professores.

_ Não sou tão boa assim.

Errei de propósito e a música perdeu o ritmo.

_É só nervosismo, vamos parar por aqui.

_ Sim, também acho melhor.

_ Agora que está melhor posso te levar para casa.

_ Mas estava me divertindo.

_ Entenda que você pode se machucar perto de mim, ainda tenho meu instinto.

_O que dizer com isso?

_ Nada, só que você precisa voltar para casa.

_ Mas se eu virar vampira enquanto estou em casa?

_ Outro lenda boba?

_ Então é mentira?

_ Não, mas você tem que ser mordida pelo vampiro certo para isso.

_E quem seria o vampiro certo?

_ Eu já disse que isso não importa, curiosidade é um defeito .

_ Tudo bem, mas me deixa ficar prometo que não pergunto mais nada.

_ Está não é a questão, seus pais devem estar preocupados.

_ Eu sou órfã, não tenho uma casa para voltar.

As mentiras continuam saindo sem eu querer, aonde isso vai parar?

_ Eu não sabia.

Ele está com olhar de pena.

_ Tudo bem, eu já superei.

Ele saiu pela porta atormentado, não sei se fiz bem em ter mentido pra ele, mas se eu não mentir ele iria me expulsar e não posso voltar para casa, não agora que cheguei tão longe.
Saiu da sala e vou para fora da casa, preciso de um ar.

_ Você quer ir embora? Se foi pelo o que eu disse, pode ficar, só mantenha distância de mim.

Ele entrou na casa.
Por que devo me distanciar? Não acho que ele me atacaria. Entrei na casa e voltei para o quarto onde eu estava dormindo, sentei na cama e senti aquele cheiro maravilhoso invadir o quarto.

_ Vocês humanos comem duas vezes por dia certo? Aqui está a segunda refeição.

Ele colocou uma bandeja com a comida na mesinha e saiu, ele estava tão amargo.
Se passaram dias com ele vindo somente para deixar minha refeição, e assim eu diferenciava o dia da noite, eu sabia que havia algo de errado, mas tinha medo de perguntar.
Decido fazer algo diferente, vou lhe agradecer, vai que ele volta a falar comigo.
Saiu do quarto e vou para a cozinha, irei cozinhar para ele ver a quanto sou grata por cuidar de mim.
Nunca tive mãe pra me ensinar, mas vou dar o meu melhor ele merece comecei a fazer uma sopa de legumes.
Coloquei todos os ingredientes para ferver na panela de pressão. Aí esqueci de cenoura ainda tenho que corla - lá.

_ Merda! Me cortei.

_ Que cheire delicioso é esse?

Dou um pulinho pelo susto, de onde ele brotou?

_É a sopa que estou fazendo para você.

_ Você sabe que eu não como.

__ Sei, mas queria agradecer por tudo que você fez por mim.

_ Podia somente ter me falado.

_ Por que não gostou do meu gesto?

_ Adorei.

_ Então, por que está bravo?

_ Não estou bravo, estou preocupado, pois nunca tinha sentido um cheiro tão bom.

_ Minha sopa é tão boa assim?

_ Não estou falando da sopa .

_O que?

Em um ato rápido ele me prendeu na parede.

_ Por que você teve que vir para a cozinha hein?

Ele sussurrou no meu ouvido, me deixando arrepiada.

_ Não queria ter que fazer isso, mas hoje é Lua Cheia e seu cheiro, por que você tem que ser tão frágil?

Ele pegou meu braço e foi deslizando com a boca até o meu dedo cortado.

_ Você vai aguentar? Tenho medo de mata - lá

_ Aguentar o que?

Ele passou a língua no sangue que escorria dos meus dedos.

_É tão doce, não te imaginava tão saborosa.

_ Você vai me morder?

_ Bem que eu queria, não brinque comigo, na próxima vez  não terá volta.

Ele saiu, meu coração está disparado, o que foi isso?
Por que ele não me mordeu? Ele disse que sou saborosa, será que eu queria que ele me morde - se? Não Quero!
Vou voltar para o quarto.


Notas Finais


Fiz essa "grande" só pra me desculpar por demorar pra postar os capítulos..!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...