História O Bibliotecário - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Vhope
Exibições 79
Palavras 3.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Capítulo passado que nem faz tanto tempo assim vocês me deram amor demais!!!!! Eu fiquei morta, jogada com cada um dos comentários lindos que eu recebi!!! Além dos favoritos!!

OBRIGADA A TODOS!!!

Então fiquei animada e o capítulo seguinte fluiu feito água corrente. E esses dois, Tae e Hobi não me deixaram em paz até que eu escrevesse esse capítulo todo.

Espero muito que gostem! Eu acho que vocês irão gostar. Eu gostei muito, mas muito mesmo!

Inclusive esse capítulo saiu bem maior do que eu imaginava kkkk para vocês terem ideia de como a coisa fluiu.

Capítulo adiantadíssimo, especial para vocês que são leitores tão lindos e maravilhosos!

Beijooooos e até mais!

Capítulo 5 - O ensaio e A hora do show


- Jin Hyung? - Falei ao telefone quando ele me atendeu. - O Nam tá em casa?

- Não. Por quê?

- Ótimo! Preciso conversar com você. Estou indo aí. - Saí da faculdade e rumei até o encontro de meu amigo, e espécie de conselheiro e confidente mais velho, maduro e experiente que eu.

 

Kim Seokjin, mais chamado pelos mais próximos apenas de Jin, é um grande amigo meu, e namorado do meu irmão mais velho, Kim Namjoon. Eles moram juntos a bastante tempo, e desde o início, desde a primeira vez que Jin pôs o pés dentro da nossa casa e nos foi apresentado eu sabia que ali estava um grande amigo. Não me enganei.

 

- O que você quer me dizer que o Nam não pode saber? - Meu hyung perguntou com aquela velha expressão e ar desconfiados mas eu sabia que no fundo ele estava louco para saber a tal novidade.

- Você sabe que eu não conto todo tipo de coisa para o Hyung. - Respirei fundo e sorri. - E isso ele definitivamente não pode saber, pelo menos não agora.

- Hum… - Jin coçou o queixo com uma das mãos me analisando. - É homem! - Acertou! - Você veio aqui para falar de algum homem! Tá de caso novo você!! Tenho certeza!

- Acertou! - Comecei a rir com a expressão que ele fez de ‘Eu estou sempre certo’.

- Agora que eu já sei sobre o que é, você fala! Quem é? Como ele é? Como vocês se conheceram?  - Jin, a metralhadora de perguntas me atacava.

- Ele é o bibliotecário da Biblioteca Pública da cidade. - Jin me olhou sério, fixamente.

- Ah não Taehyung! - Ele revirou os olhos. - Você é tão louco assim por livros e por aquela biblioteca que até o bibliotecário, que deve ser sem graça, você tá pegando? - Tive vontade de rir com aquele comentário dele.

- Nâo Hyung. Não é bem assim. E ele não é sem graça, definitivamente. - Não mesmo.

- E o que ele tem de especial? - ele me olhou duvidando. - Livros e bibliotecas são sem graça. Logo, bibliotecários também são. É pura lógica. - Ele tinha aquela expressão de ‘Não é óbvio isso?’

- Ele também é striper. - Soltei como um tiro e a boca de Jin formou um perfeito ‘O’. Ri da sua reação. Se você visse, iria rir também.

- Fale mais. - Meu cunhado havia ficado curioso. - Estou ouvindo.

- Quer dizer,não é bem striper…. - comecei a tentar explicar algo que nem eu mesmo sabia como funcionava direito. - Ele é dançarino de uma boate erótica.

- Isso quer dizer, striper. Não se iluda querido, é a mesma coisa. - Jin Hyung sempre tão direto. Admiro isso.

- Enfim. - Retomei o assunto. - Estamos saindo juntos a pouco mais de um mês.

- Nossa! Muito tempo para você ein Taehyung? Parabéns! - Ele até tinha razão. - Agora me conte o que eu estou interessado em saber: como esse homem é na cama? Como é o sexo? - Ele parecia animado demais para saber disso.

- Eu… eu ainda não sei. - Admiti com uma incomum vergonha.

- Hã?! Como assim não sabe! - ele estava chocado. - Um mês saindo e ainda não rolou nada? Quem é você e o que fez com meu cunhado?

-  Também estou estranhando. - Respirei fundo e sorri com as memórias que passavam em minha mente. - Estou me segurando demais. Quer dizer, estamos. Quando estamos juntos Jin, o mundo só falta explodir. É tudo tão quente, sexy e ao mesmo tempo confortável, profundo. O sexo nem aconteceu ainda e nós já parecemos estar em outro nível de intimidade.

- O nome disso é paixão Taehyung: vocês estão apaixonados. Quer dizer, ele eu não posso afirmar, mas você está. - Ele sorriu. - Mas não tarde a agarrar esse homem! Você vai desfrutar de movimentos profissionais! Outro nível de performance. E eu quero saber de tudo! Está me entendendo?

- Jin, ele não é garoto de programa. - Pensei por um momento. Era o que eu pensava, já que nunca havíamos falado sobre isso. -Quer dizer, eu acho. Ele nem sequer faz serviço de danças na boate. Eu sei porque tentei pagar por um.

- Você sempre sendo safadinho. Quis pagar por uma lap dance ein? - Jin e eu rimos. - Mas digo profissional por ele ser dançarino. Me entende?

- A sua vida sexual está tão parada assim que a minha que nem está consumada é mais interessante? - Perguntei apenas para provocá-lo.

- Vida sexual parada? A minha? - Ele deu uma risada sarcástica. - Esqueceu com quem eu namoro? Um negão me destruiria menos do que Namjoon destrói. - Ele levantou as mãos para cima - Mas não estou reclamando.

- Aah Hyung. - Fiz uma cara de nojo. Desnecessário saber dessas coisas. - Tem coisas sobre você e Namjoon Hyung que eu não preciso ficar sabendo. Tá?

- Tá tá! Agora me mostre uma foto desse homem que eu quero avaliar o material. - Por sorte eu tinha duas ou três fotos com Hoseok em meu celular. Então o mostrei.

- Esse cara aqui? Um striper? - Ele ria zombando. - Não mesmo! Olha esse cabelo na testa, essa cara de bom moço. Cara de bibliotecário? Com certeza. Cara de striper? Não.

- Jin Hyung, você não sabe do que está falando. - Guardei o celular de volta no bolso e sorri. - Você não faz ideia do que esse Hoseok é capaz. - E depois de uma pausa ainda acrescentei. - Nem eu mesmo sei ainda.


 

Nos dias que se passaram eu ainda estava pensando na conversa que havia tido com Jin Hyung. Mesmo com seu tom de humor, ele havia falado algo que até então eu não tinha me atentado muito: o tempo que estávamos saindo, que já era de mais de um mês, e a quantidade de vezes que havíamos tido sexo, que era nenhuma.

E aquilo não era normal de mim. Porque, primeiramente, eu nunca havia conseguido chegar a mais de um mês com uma mesma pessoa nem com bastante sexo dos bons, que dirá sem nenhum. Então aquilo tratava-se de um recorde. E acho que um prodígio também.

E estranhamente, eu não estava preocupado com essa demora. Não possuía medo algum em ele não sentir desejo por mim, pois eu sabia que sentia. E também não tinha medo que eu perdesse meu desejo por ele. Acredite, era mais fácil o inferno congelar do que o fogo que Hoseok despertava em mim ser apagado. Não estou exagerando.

E tudo entre nós parecia tão bom, leve e sequenciado de uma forma tão natural, que eu simplesmente não via que rolar pelos lençóis da cama, tapetes da sala, cortinas da janela, azulejos do banheiro, almofadas do sofá, ou bancos do carro com ele fosse o mais importante, o mais necessário. Apesar de ser imensamente desejado.

Sexo já havia sido o ingrediente principal de muitas relações minhas. Mas até agora, ele nem sequer era um ingrediente da minha relação com Hoseok. E esta já era bastante gostosa mesmo sem ele. Imagine como ficaria quando o acrescentasse? Passaria a ter o melhor sabor que já havia provado.

Me sentia como uma garota colegial vivendo o sonho romântico adolescente de ter alguém para segurar a mão, olhos que sorriem para você junto dos lábios, que te faça rir e que sempre te beije como se fosse a última vez.

Esse era Hoseok para mim.


 

~:~


 

Meu celular vibrou em meu bolso. E eu tirei para ver o que era. Uma mensagem de texto, de Hoseok.

“Sua aula já acabou?”

“Ainda não, mas tá acabando. Por quê?”

 

Aquilo era no mínimo estranho. Hoseok não me contatava durante o dia, principalmente quando eu estava em horário de aula, que ele sabia muito bem quais eram. E naquele momento era suposto que ele estivesse com os botões da camisa social fechados até o pescoço, sentado atrás do balcão, na biblioteca.

“Quando acabar venha para saída. Estou te esperando.”

“Você não deveria estar trabalhando? E a biblioteca?”

“Tirei folga hoje.”

 

Quando minha aula acabou, me despedi de alguns colegas. Passei em uma lanchonete e comprei um lanche para mim e Hoseok, eu  estava com muita fome e não sabia para onde ele iria me levar. E então saí da faculdade.

Do outro lado da rua, lá estava ele: encostado majestosamente ao seu carro escuro e alto. Vestia uma bermuda clara acima dos joelhos, uma camisa vermelha listrada. Os cabelos estavam penteados de lado, e usava óculos escuros pretos e quadrados. Injustamente sensual e lindo. Quem te deu esse direito Hoseok?

Ao me ver sorriu, e sustentou o sorriso durante todo o caminho que fiz até parar na sua frente.

 

- Como você espera que eu mantenha a compostura e até mesmo a sanidade com você aparecendo na porta da minha faculdade de última hora? Ainda mais esfregando a sua beleza na cara da população local? - Disse bem sério e ele riu. Ah aquela sua risada gostosa. Poderia passar o resto da vida ouvindo-a e jamais enjoaria. - É um atentado essas pernas tão expostas assim.

- Ah TaeTae  - Ele tocou meu queixo e o acariciou. Instintivamente levei minha mão até a sua. - Você é tão inocente. Ainda não percebeu que eu não quero preservar a sua sanidade? - mordeu o lábio fracamente e eu sorri. Sempre soube que seu plano era me enlouquecer. Pelo menos agora ele admite.

 

Ele pegou minha mão e entrelaçou na sua, puxou-me para mais perto e enlaçando minha cintura beijou-me. Um frio gostoso formou-se na minha barriga e eu fechei os olhos para curtir aquele breve momento. Ah como é boa a sensação de alguém que não tem vergonha de expor o que sente por você mesmo em público.

Aquele beijo na frente de toda a faculdade, bem na hora em que os alunos da tarde estão saindo e os da noite estão chegando foi a forma silenciosa e íntima nossa de Hoseok dizer que eu já possuía alguém e que alguém me possuía. Que eu era apenas dele.


 

- Para onde você está me levando Hoseok? - Perguntei já dentro do carro. - Se eu sumir vão dar parte na polícia e te descrever já que me viram com você. - Ele riu.

- Tae, se eu quiser sumir com você, ninguém vai te achar. - Como ele solta uma frase dessas tão naturalmente?

- Eu deveria me preocupar com essa afirmação? Assim, para o caso de você ser um criminoso em potencial. - Ele continuava rindo.

- Nâo se preocupe. - Sem tirar os olhos do trânsito ele agarrou uma de minhas mãos. - Seu namorado não é um criminoso. E hoje ele só quer te levar para ver algo.

- M...Meu namorado? - Fiquei um pouco nervoso e ainda gaguejei. Que amadorismo Taehyung. - Você é meu namorado? Nós estamos namorando?

- Estamos. Não estamos? A gente já tá saindo faz tanto tempo. - Ele sorriu. - Ahh Você quer um pedido oficial é isso?

- Não precisa. Eu sou seu namorado. - Meu corpo inteiro formigava de animação e excitação, e novidade. Não sei explicar. Então só dei o comando. - Encosta esse carro agora!

 

Ele não entendeu muito bem minha ordem, mas acatou mesmo assim. Acho que ele pensou que eu estivesse me sentindo mal. Tão logo ele havia parado o carro em uma rua, eu já estava montado sobre ele, começando imediatamente a desfrutar do meu namorado.


 

~:~

 

Depois de um pouco de tempo, mas muito bem aproveitado, chegamos a onde ele estava me levando: a boate. O que diabos Hoseok queria me levando até a boate? Foi exatamente isso que eu me perguntei quando reconheci aquele caminho, que durante o dia até parecia outro. Até mesmo a face exterior da boate era diferente na luz do dia.

Entrei sendo puxado por ele pela mão. Enquanto era arrastado pensava ‘Será que ele vai me presentear com um dança de novo, onde eu vou poder tocar nele?’ Me perdoem, mas é inevitável não pensar em sacanagens quando se é arrastado pelo seu namorado striper para dentro da boate em que ele trabalha.

Entramos. O ambiente daquele estabelecimento por dentro, com as luzes acesas, sem toda aquela atmosfera que é presente durante o funcionamento, é totalmente outro. Pude reparar no quanto o local é grande, espaçoso e aparentemente inocente. Mas ao mesmo tempo pensava que aquelas paredes guardavam muitas histórias.

No palco estavam os dançarinos Jimin e Jungkook se alongando. Os olhei e não sou capaz de opinar quando eles são mais bonitos: caracterizados no palco, ou de cara limpa como eu os via naquele momento.

 

- J-HOOOOOPE! - Os dois gritaram em uníssono quando o viram se aproximar do palco comigo.

- Desculpa a demora. - Os dois já haviam descido do palco e vindo ao nosso encontro.

- Tudo bem. Sabe que esperamos por você.

- Eu trouxe uma visita hoje. - Apontou para mim. - Esse Taehyung, meu namorado. - Arrepios. Simplesmente arrepios todas as vezes que o ouvia me chamar assim. - Tae, esses são Jimin e Jungkook, mas é claro que você já os conhece. - Ele deu aquela sua risada divertida.

- Prazer Taehyung. - Jimin apertou minha mão e Jungkook também.

- Vai ser ótimo alguém ver o ensaio. Dar uma opinião. -Jungkook afirmou.

- E na opinião dele vocês podem confiar. - Hoseok meu deu um sorriso e um breve beijo e subiu no palco. - Não seduzam demais para não tirar ele de mim. - Hoseok gritou para os outros dois e eu ri.

 

Ah se ele soubesse o quanto era improvável, beirando o impossível existir algum ser humano capaz de me prender e fascinar como ele fazia. Eu era totalmente de Hoseok e somente dele.

Eu procurei uma cadeira para sentar e me acomodei. Ele havia me levado para ver um ensaio da apresentação nova que estavam planejando fazer. Dos três juntos. Se eu me lembrava bem de como são as apresentações, tinha certeza de que aquilo iria ser ótimo!

A música começou e aos poucos cada um deles foi se acomodando em sua posição. Eles começaram a fazer movimentos coreografados. A sincronia dos três juntos era impressionante, os movimentos eram realizados com uma precisão incrível. Não tinha como prestar atenção em apenas um deles, ou dizer qual deles era o melhor.

As roupas que eles usavam não eram próprias para isso, mas ainda era possível ver e sentir a sensualidade e erotismo que exalava de cada mexida de ombro, movimentação de quadril, pernas. Cada jogada de cabelo, as expressões provocativas e excitantes que eles sustentavam em seus rostos.

Tudo aquilo era erótico, excitante e sugestivo demais. Aqueles homens trabalhavam bem. Sabiam exatamente o que faziam e o efeito que causavam. E tenho certeza de que isso era a razão do sucesso. Não havia como existir alguém assistindo a eles se apresentando que não ficasse em chamas, imaginando o que faria e como se sentiria se estivesse nas mãos de alguns dos três. Ou dos três para as mentes mais ousadas.

Não como a minha. Minha imaginação apenas vagava pelo desejo de estar nos braços de apenas um deles: Jung Hoseok. Que naquele momento na minha frente incorporava J-Hope. Que não me fazia em nada desejar menos o Hoseok de cara limpa. Só me fazia o querer mais e mais.

Seria possível eu conseguir querer mais aquele homem do que eu já queria?

 

- O que achou do número? - Ele disse se aproximando de mim me beijando suado. O cheiro da sua testosterona que de alguma forma eu conseguia capturar muito bem me deixando tonto. - Podemos apresentar? Vai ficar bom?

- Vai ficar maravilhoso. - Falei meio bobo, meio ofegante. - Todos vão enlouquecer.

- Você enlouqueceu? - Sacana, Travesso. Cheio de segundas intenções.

- Você não tem ideia do quanto. - Falei sussurrando e puxei seu rosto para chocar nossos lábios. Eu necessitava desesperadamente deles.

- Hoseok. Que bom que você está aqui. - O homem branco apareceu no salão chamando por ele. Era Yoongi. Não sei de onde ele surgiu, talvez estivesse em sua sala nos fundos. - Pode vir aqui comigo um instante? Preciso falar com você.

- Claro. Volto já. - Disse se voltando para mim e me dando um rápido selinho. Já estava ficando mal acostumado com tantos carinhos assim.

 

Jimin e Jungkook continuavam conversando entre si e ensaiando. Eu os observava e me recordava da primeira vez que fui até a boate. Aquela apresentação que eles fizeram, aquela interação deles juntos, aqueles toques, olhares. Será que eles têm noção da tensão sexual que existe entre eles? É insana! Contagia até mesmo quem está ao redor.

Se não há nada entre eles, há ao menos vontade. E muita.

Antes que me manifestasse para conversar algo com eles, ou o inverso, Yoongi apareceu novamente no salão e os chamou. E eu fiquei sozinho no salão.

Desde a minha segunda ida à boate, nada tirava de minha cabeça que Yoongi era o dono daquele local. Era sempre muito sério, e se vestia como um chefe, um homem de negócios importantes. Além de ter a postura e exalar a áurea de um verdadeiro chefe.


 

~:~


 

Quando o fim de semana chegou Hoseok me pediu que fosse até a boate. Seria a primeira apresentação do número que ele havia me levado para ver o ensaio e dar minha opinião, apesar de eu suspeitar que ele apresentaria o número mesmo assim pois já sabia que estava bom. Me levou apenas para ver em primeira mão.

Cheguei lá com ele, e não precisei pagar entrada. Regalias de namorar um dos funcionários e estrela principal do show. Me sentei no balcão como sempre e Hoseok foi para os bastidores.

Não demorou muito, as luzes apagaram e acenderam revelando Jimin e Jungkook para fazer a saudação, introdução e o repasse de regras da boates. Lindos como sempre, mas hoje em calças sociais e camisas brancas, passadas para dentro das calças. A visão era maravilhosa, e eu me perguntava como Hoseok devia estar naqueles mesmos trajes. Absolutamente arrebatador, com toda certeza.

As luzes se apagaram  e a música começou a tocar. Absolutamente envolvente. Somente a batida e ritmo da canção fazia sua mente viajar por toda uma sorte de coisas certamente prazerosas. Estar nessa boate não estava me fazendo bem, considerando todo o tempo que estava sem fazer um bom sexo. Geralmente eu não sou tão libidinoso assim, eu juro.

Quando as luzes acenderam, lentamente, um a um eles surgiram no palco. Caminhavam, quer dizer, desfilavam pelo palco, distribuindo olhares, mordidas e lambidas sobre os lábios. Começaram a coreografia que os vi ensaiando. Tudo naquele palco contribuia para a perda total de meu juízo e sanidade. Ao menos ainda tinha o controle comigo.

Os olhos de Hoseok se encontraram com os meus. Ele sorriu de canto e com o dedo me chamou. Eu o encarava de volta confuso. Ele continuou chamando e eu balançava a cabeça negativamente enquanto ele balançava a sua afirmando que era a mim mesmo que ele chamava. Me rendi e me aproximei do palco. Subi.

 

- O que é isso? - Perguntei envergonhado e ainda desnorteado. - Isso não é o que vocês ensaiaram.

- Surpresa para você.

 

Ele me sentou em uma cadeira que havia sido colocada ali. Na verdade haviam duas, Jungkook era quem estava sentado na outra.

A música mudou e a iluminação também. A atmosfera havia ficado ainda mais sexual e estimulante. Ele caminhava na minha direção abrindo alguns botões da sua camisa, me expondo um pouco mais de pele. Roubando meu fôlego.

 

- Hoseok o que significa isso? Você está louco?

- Já disse que meu nome aqui não é esse. - Ele sorria e eu revirei os olhos.

- J-Hope, você está louco?

- Só aproveite o seu tratamento especial Taehyung. - Ele me empurrou bruscamente para encostar nas costas da cadeira.

 

Ele se aproximou mais e começou a dançar na minha frente. Pela visão periférica eu via que Jimin fazia o mesmo em Jungkook. Os gritos da platéia eram tão intensos que chegava a ensurdecer. Me rodeava e eu sentia a sua respiração em minha nuca, sua mão delicadamente puxando meus cabelos.

Ele sentou sobre o meu colo e eu já não sabia mais como se respirava, ou onde estava o oxigênio para tal. Rebolava, levava minhas mãos até seu peito e as suas até o meu deslizando-as lentamente me fazendo arrepiar e arfar.

Meu coração estava a mil. Aquela situação era louca, completamente inesperada, mas era de longe a situação mais excitante que vivenciei.

Os movimentos que ele fazia era malvados, torturantes. Eu sofria sentado naquela cadeira, e Jungkook sofria na sua com um Jimin rebolando incansavelmente e deliciosamente sobre ele.

 

- J-Hope, para. - Supliquei. - Você vai me matar. - Estava ofegante demais, então minha fala era toda por gemidos - Eu vou ficar duro aqui na frente de todos nesse palco. É isso que você quer? - Ele sorriu sacana e mordeu o lábio.

- Talvez eu fique também. - Sussurrou em meu ouvido.

 

Era oficial: eu estava duro. Muito. Pedia aos céus que o controle permanecesse em meu corpo ou do contrário eu agarraria Hoseok ali mesmo e o faria apagar todo meu fogo na frente de todos sem me importar com nada.

Fechei os olhos, mordi o lábio e joguei a cabeça para trás apenas para sentir quando os movimentos dele sobre mim e seus toques ficaram mais intensos. Eu não aguentava mais olhar. Era tesão demais para pouco Taehyung.

Quando a música acabou as luzes se apagaram e agora ninguém mais poderia nos ver. Para meu parcial alívio. Antes de descer do palco Hoseok se aproximou de mim e chegou junto ao meu ouvido.

 

- Gostou da surpresa? - Soltou aquela risada provocativa e eu me arrepiei inteiro mais uma vez.

- Nós vamos para a sua casa agora Hoseok. - Falei bem sério e firme. - E você vai com essa roupa.

 

Ele sorriu. Recado entendido com sucesso.


Notas Finais


Eu não me arrependo de nada!!! E as coisas só estão melhorando!!!

O que acharam gente??? Como estão suas cabecinhas agora?? Gostaram desse Jin? É bem inspirado nessa personalidade danadinha que ele vem mostrado desde o comeback kkk que eu adoro!!

Preciso saber o que vocês acharam!! Me deixem saber!!!

Beijooooooos e até os comentários e próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...