História O caminho para o coração é trabalhoso.... talvez nem tanto - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Severo Snape
Tags Hermione Granger, Severus Snape, Snamione, Ss/hg
Visualizações 375
Palavras 1.110
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá,
Essa fic se passa no mundo sem magia, tanto Hermione e Snape são pessoas comuns.
Você já ouviu falar de OOC? Se você não ouviu significa 'fora do personagem'. Ta repleto disso aqui.
Então se você não gosta de OOC, por favor, nem comece a leitura.
Se você é mente aberta, você é bem-vindo.
=)

Capítulo 1 - Primeiras impressões


Eu cheguei faz alguns minutos, e estou entediado. Não sei nem porque ainda venho aqui. Isso não passa de uma lanchonete de segunda mão. Sério isso! Eu posso ate vê algumas das funcionárias se atirando para alguns clientes, aqui é um bordel disfarçado por acaso? Vadias.

Por que estou reclamando afinal, é isso que acontece quando você se esquece de ir ao supermercado fazer compras e é preguiço o bastante pra andar mais um quarteirão para encontrar um bom restaurante. 

Eu como mais um pedaço do meu sanduiche, que está muito bom por sinal, não que eu vá admitir isso a alguém, não, nunca. Oh, droga, caiu ketchup na minha gravata, droga. Eu estava muito distraído limpando a mancha da minha gravata com um guardanapo, que não vejo uma mulher começar a varrer o chão na minha frete.

- Vai por mim, você só está manchado mais esfregando assim. - uma mulher jovem que está na minha frente diz pra mim.

Eu olho pra cima em um salto, quando essa mulher chegou aqui. Céus! Ela precisa de um sininho. Respirações profundas... Ela me deu um susto de vomitar o coração. Enquanto eu tento acalmar o coração depois dessa, eu reparo na garota que esta na minha frente, ela da um pequeno sorriso e volta a varrer o chão. Ela tem cabelos castanhos espessos e sedosos, curvas certas para uma mulher, e olhos castanhos de mel profundo, ao todo ele é linda. Sinto um sorriso mal crescer no meu rosto.

- Como uma mulher bonita como você, acabou nessa lanchonete miserável? Você seria mais útil em outros lugares, na minha cama por exemplo.

- Com licença? – a cara de escandalizada dela é impagável.

- Você me ouviu. E então que ser útil? – eu pergunto tanto com uma voz e um sorriso atrevido.

- Você já nasceu parvo ou aprimorou no decorrer dos anos? – ela pergunta chocada com a minha ousadia.

- Isso eu não sei, mas eu sei que você ficou gostosa assim no decorrer dos anos. – eu a olha de cima pra baixo, e lanço um olhar lascivo.

- Vai pro inferno seu cretino! – a mulher diz indignada e irritada, e vai pro o outro lado sala. Eu não posso parar o riso que sai da minha boca. Eu já disse que tenho um fraquinho por mulheres que se irritam fácil? 

~~~~~~~~~~~~~~~~

Qual é o problema daquele cara? Ele é sem noção ou o quê?

Depois que eu fui para o outro lado da sala, ficando o mais longe possível dele, eu ainda podia sentir seus olhos em mim. Como eu queria bater nele e apagar aquele sorrisinho vitorioso do rosto! Eu não podia fazer isso, oh, mas como eu queria. Draco foi gentil ao me dá esse emprego, nenhum outro lugar me daria um trabalho que fosse compatível com o meu horário de faculdade. Eu não ia estragar isso, por causa de homem atrevido.

Parecia que se passaram horas, até que aquele cara foi embora. E eu podia respirar de alívio. Ele não tirava os olhos de mim. Na única vez que olhei pra ele, ele sorriu provocativo e piscou pra mim. Fala sério! Eu bufei e revirei os olhos. Eu não olhei mais pra ele, não daria bola. Eu não sei quem ele é, mais é um descarado.

Onze horas, hora de voltar pra casa. Eu não moro muito longe mais prefiro pegar um ônibus, a me arriscar de ir andando a essa hora. A parada fica logo na esquina da lanchonete, o bom dessa parada é que ela tem um banco, poucas paradas tem bancos nessa região.

Eu estou a poucos passos da parada e vejo que uma pessoa já está sentada no banco. Não é um problema o banco é bem grande.

Inferno Sangrento da porra! 

Porque Merlin, Zeus, Universo, ou qualquer outro deus?! Tinha que ser logo o Sr. Cretino? O que eu fiz pra merecer isso?

- Eu sabia que você ia vim correndo pra mim. – o Sr. Cretino falou com um leve riso mantendo aquele sorrisinho no rosto, eu agradeceria muito se um raio caísse na cabeça dele agora.... não? Tudo bem, eu penso triste. Mas não vou desistir.... agora!. Droga! Nada aconteceu.

-...- eu me recuso a falar como o Sr. Cretino.

- Não vai falar comigo? Tudo bem, eu prefiro assim, observar você já é o bastante... por agora. – ele responde presunçoso como sempre, merda essa cara, eu sinto minhas mãos se fechando em punhos.

O desgraçado ver que meus punhos estão fechados e rir mais ainda.

- Eu vejo, você por acaso que me bater? 

-...

- Ainda não vai fala nada? Eu não ia fazer isso tão cedo, mas, situações assim precisam de atitudes desesperadas. – eu vi o Sr. Cretino se levantando e vindo em minha direção, o que ele vai fazer? É melhor ele não tentar nada, ou eu não só vou apagar aquele sorriso escroto como vou quebrar o nariz enorme dele.

Ele para bem na minha frente e fica me olhando, estou prestes a dizer pra ele cair fora, quando ele me agarra e me beija. Meus olhos se arregalam, estou em choque. Quem ele pensa que é? Eu nem o conheço, nem sei o nome dele, e ele me beija assim do nada? Eu recupero meus sentidos e o empurro pra bem longe, quase o fazendo cair. Merda! Eu deveria ter emburrado mais forte.

- Seu miserável pervertido, se você chegar perto de mim de novo ou tentar mais alguma coisa chamo a policia. – eu digo aos berros, limpando a minha boca.

Eu o vejo abrindo a boca pra responder, provavelmente mais alguma besteira, mais o ônibus chega bem na hora. Obrigada deuses do universo? Só agora vocês me mandam o ônibus? Sério? Eu entro no ônibus enquanto eu rezo pra qualquer divindade pra nunca mais vê esse cara na minha frente! Eu Hermione Granger não serei responsável pelos meus atos se eu ver o Sr. Cretino de novo.

~~~~~~~~~~~~~~~~

Eu vejo o ônibus indo embora, com a mulher irritada nele. Eu ainda posso sentir como seus lábios eram macios e doces. Os poucos segundos em que eu a beijei foram como está no céu. Espero repeti isso em breve. Não sei o que houve realmente. Eu queria apenas provocá-la, mais quando me aproximei e vi seus lábios carnudos e convidativos não pude resistir. Eu passo as mãos pelos meus cabelos, eu nuca tinha perdido o controle assim antes.

Não importa se ela esta com raiva de mim, me achar um idiota, ou um pervertido. Eu vou conquistá-la.

- Ela será minha! – eu Severus Snape prometo a mim mesmo. Não importa como, ela será minha.


Notas Finais


Essa fic será pequena talvez mais um ou dois capítulos,
Como você viu, não há nada serio aqui kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...