História O cara certo - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bissexualidade, Escola, Sexo
Exibições 14
Palavras 762
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Garoto errado e a porrada do ano


Fanfic / Fanfiction O cara certo - Capítulo 3 - Garoto errado e a porrada do ano

Que merda, ela descobriu que gosto dele e que estou de papinho com ele. Ela ficou puta.. Mas quem não ficaria né? Droga, eu estava super nervosa, tudo bem que eu adorava uma briga mas nunca tinha saido na porrada com alguém. Continuei conversando com ele, pois é, eu sou muito burra e ele continuou falando tudo pra Bruna. Cheguei no ápice da loucura, queria me contar e tudo mais, cheguei a conversar com a Marta que ficou super preocupada e resolveu que ia falar com ele mas é claro que iria ter um teatrinho por trás de tudo. No dia seguinte nem olhei na cara deles, estava com vergonha e com ódio. Bateu o sinal do intervalo e começamos, eu, Marta e minha outra amiga Iza fomos até o Otávio e os amigos dele..

POV Marta- Otávio, preciso falar com você agora

POV Otávio- tá bom 

POV Jaque- que? O que você vai falar? (sim, eu finge que não sabia de nada)

POV Marta- VOU FALAR O QUE ESTÁ ACONTECENDO, QUE VOCÊ QUER SE CORTAR

POV Jaque- O QUE? MANO, NÃO FALA MAIS COMIGO

Virei as costas e sai, Iza veio atrás, me sentei no banco e esperei por Marta. Ela chegou com uma cara de "fudeu".

POV Jaque- E ai?

POV Marta- eu falei e ele riu

POV Jaque- como assim? Ele não falou nada?

POV Marta- não, ai que ódio, ele riu, bou arrebentar ele

É, isso mesmo, ele estava rindo, eu comecei a chorar, como consegui ser tão burra? Ele fingiu ser gentil mas depois mostrou quem era de verdade. Todos os meus amigos me consolaram. Quando íamos entrar pra sala ele passou e nem olhou pro lado. Que ódio. Passei o resto do dia abatida, cheguei da escola, comi, tomei um banho e fui mexer um pouco no celular. Como esperado Otávio havia contado a Bruna tudo que a Marta falou, ela ficou muito brava, criou um grupo onde estava eu, o Otávio e ela, eu saía do grupo toda hora, estava brava. Ela me colocou uma última vez, xingou minha mãe, foi ai que eu senti a necessidade de quebrar os dentes dela, Otávio como sempre riu da situação. No outro dia encontrei Marta na entrada e contei tudo, ela claro super me apoiou. Passamos a tarde toda jogando indiretas, o dia passou rápido, olhei no relógio e só faltavam alguns minutos para o fim do dia, levantei, tirei meus brincos e pedi para uma das minhas amigas fazer um coque no meu cabelo. Na saída saímos como um bonde, eu, Marta e mais cinco amigas. Paramos em frente a minha pirua e fiquei esperando a vagabunda, ela estava enrolando pra não apanhar, mas eu precisava dar uns socos nela principalmente por ela ter xingado a minha mãe. De repente já havia uma roda em minha volta, ela surgiu das cinzar..

POV Bruna- Que que você quer?

POV Jaque- sua amiguinha veio falar...

POV Bruna- EU NÃO MANDEI ELA FALAR COM VOCÊ...

Alem de ter me interrompido estava gritando, começou a fazer um discurso. Quando terminou de falar...

POV Bruna- agora fala

POV Jaque- Já parou de latir?

Todos a nossa volta vibraram e ficaram incentivando a briga

POV Bruna- que?

POV Jaque- tá surda?

POV Bruna- ....

POV Jaque- ah, e mais uma coisa, da próxima vez que você xingar minha mãe de novo eu te arrebento

POV Bruna- xingo a hora que eu quiser

Quando ela falou isso meu sangue ferveu, cheguei pra perto dela e dei um soco em seu lindo rostinho. Olhei pro lado por alguns segundos e vi que o Otávio estava lá, vendo tudo, ótimo namorado em. Todos ficaram chocados, a magrela batendo na peituda? Uou. Em uma fração de segundos ela puxou meu cabelo, eu puxei o dela, minha amiga colocou o pé na frente dela a fazendo cair no chão. Era minha deixa, ela estava lá, caída, fui por cima dela e descontei todo o meu ódio, soquei ela com toda a minha força mas aí alguém me agarrou, era a tia da pirua, merda, estava tão gostoso mostrar pra essa vadia quem manda. A tia me deu um sermão e contou pros meus pais que eu havia brigado. Quando cheguei em casa uma boa parte da família estava lá. Minha tia virou e falou...

POV Tia- bateu nela ou apanhou?

POV Jaque- bati

POV Tia- melhor mesmo, se tivesse apanhado logo da Bruna tu ia chegar aqui e ia levar outra surra 

Oi? Não brigaram comigo? Eu sabia que minha família era louca mas nem tanto....

CONTINUA



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...